15 anos… é muito tempo. E a PCManias vai chegar ao fim!

Chegou a altura… Como em tudo na vida há ciclos, e o ciclo da PCManias, pelo menos tal como a conhecemos, irá muito certamente chegar ao final nas duas primeiras semanas de Janeiro de 2016.

Foram 15 anos em que escrevi aqui! 15 anos onde a PCManias se mostrou uma página irreverente. Uma página que acima de tudo dava a conhecer a realidade das coisas, que não escondia, que não apaparicava, que não era politicamente correta.

A página foi criada com esse intuito, o de informar de forma isenta. O de dar a conhecer as coisas como elas são, removendo todo o paleio de Marketing das afirmações e que cada vez mais se torna uma verdadeira praga, não escondendo notícias, e acima de tudo… informando da realidade das coisas.

Se o consegui ou não… serão vocês a avaliar!

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Mas a partir da segunda semana de Janeiro irei encarar a página de outra maneira. Deixarei de ter a preocupação em meter notícias regulares e a intensidade das mesmas passará a ser de acordo com a disponibilidade. Tenho consciência que tal reduzirá o tráfego para valores que não justificam, pelo que ao fim de algum tempo acabarei por largar a página de vez.

Mas o que interessa aqui relembrar são as coisas boas. E em todo este tempo muitos leitores foram e muitos leitores vieram. Os temas mudaram, as pessoas cresceram, as suas vidas alteraram-se, casaram-se, tiveram filhos, tomaram outros rumos nas vida e acima de tudo, todos envelhecemos. Na parte que me toca é chegada a altura de abrandar!

A PCManias é extremamente dispendiosa a nível de tempo, e nunca foi criada com o intuito de ser lucrativa, mas sim o mais informativa possível. Ao longo dos anos tive apoios dos mais diversos, e aos quais agradeço, como a Insania, a Asus, a Best Games, a Joystation, a FactorX e a Wise Mobile e a quais agradeço desde já a disponibilidade a a cedência de material para análise, mas que nunca nos pagaram um tostão pelo que fosse. Aliás ao longo dos anos recusei várias publicidades na página quer por as achar enganadoras, intrusivas e prejudiciais ao leitor, ou mesmo associativas a certas situações (como foi o caso de publicidades à Xbox e à Playstation).

A realidade é que aqui nunca me limitei a colocar as notícias apenas porque elas foram lidas no local A ou B. Em todos os casos sempre tento confirmar as mesmas, ver as contradições existentes e verificar as fontes, confirmando a possível veracidade ou não da notícia. Só depois a mesma foi publicada!

Nos artigos técnicos as coisas foram sempre tambem feitas da mesma forma. Tentei perceber, obter informação e dialogar com quem percebe, nomeadamente programadores que conheço desde 2007 e presentes nos fóruns do Beyond 3D, ler o mais que posso, perceber as tecnologias, como funcionam e quais os ganhos, vantagens e desvantagens das mesmas. Nada é atirado para o ar de forma aleatória, e independentemente de qualquer imprecisão há efetivamente estudo por detrás de cada artigo. Tentou-se sempre que as coisas fossem realmente o mais corretas e precisas possível e simplificar a sua explicação para que o leitor mais leigo as pudesse entender!

Mas tal dedicação não pode continuar. A idade começa a pesar, o tempo já não é o que era, há uma família, e um trabalho que parece aumentar a cada dia. A cabeça já não é o que era, os olhos estão cansados e as mãos já se queixam de 15 anos a teclar para a página e para outras situações do dia a dia.

Ja no ano passado, mais ou menos por esta altura anunciei nos comentários que iria acabar com a página! Não o fiz e a página aguentou-se mais um ano. Mas agora é oficial… a PCManias, tal como a conhecem, acabará nas duas primeiras semanas de Janeiro e o seu futuro é incerto.

Não a irei remover do ar! O domínio está pago até meio do ano que vem, e o alojamento tambem! A página vai-se manter no ar até lá, e certamente irei escrever aqui mais um ou outro artigo sempre que possa. Mas a colocação regular diária de notícias, essa acabará nessa data. É o fim de um ciclo que me custa por considerar a página uma criação pessoal da qual me orgulho, mas que não posso mais manter. Qual a intensidade do corte é algo difícil de dizer pois ao fim de 15 anos a PCManias faz parte da minha vida e o corte não será fácil.

Haverá sempre o fórum! Apenas para quem convidei ou possa vir a convidar, poderão sempre discutir lá situações que desejem e caso o desejem. Aliás com o fórum fiz algo que nunca fiz anteriormente, partilhei a minha identidade online das consolas para que possam ter contacto comigo e até jogar comigo. E essa situação era algo que nunca tinha partilhado com estranhos.

Enfim, não há muito mais a dizer. Espero que se mantenham por aqui até ao fim, e digo a todos que é um prazer estar deste lado. Espero que achem o mesmo! Desculpem qualquer coisa, mas manter uma página num local aprazível e onde se pode conversar, como podem ver pelo estado da maior parte dos websites na internet, não é algo fácil, obrigando por vezes a atitudes radicais.

Até uma próxima… um grande abraço a todos.

Não poderia terminar esta mensagem sem fazer uma pequena retrospectiva de algumas situações que levaram alguns a acusarem-nos de parcialidade. Na realidade tal nunca aconteceu, daí que irei fazer um breve resumo no qual enquadro alguns dos artigos mais polêmicos desta página, criando um enquadramento. E para tal cito a seguinte frase:

“A opinião é apenas uma questão de perpetiva”

Ao longo dos  dois últimos anos, foi opinião de muitos que a nossa postura de dar a conhecer a realidade das coisas se traduzia numa postura de fanboy Sony, quando na realidade apenas nos limitamos a comentar, de forma bem coerente, a realidade do mercado.

Eis alguns exemplos (infelizmente não pudemos manter os comentários pois devido aos recursos por eles ocupados só os armazenamos um ano):

A 15 de Fevereiro de 2013 abordamos um rumor sobre a futura, na altura designada Xbox 720 e o seu DRM anti-usados. Nessa altura publicamos um artigo com o título: “Poderá o sistema anti cópia e anti usados da Xbox 720 ditar a derrota antecipada da consola?“.

Nesta altura, ainda a consola nem sequer era conhecida e já nos apelidavam de parcialidade. Em 2015 todos sabemos que esta situação é uma das responsáveis pela má imagem da consola no mercado que perdura ainda hoje e que prejudicou tremendamente a mesma na altura do seu lançamento, tendo levado mesmo a Microsoft a recuar nestas políticas devido à má aceitação do público em geral.

Fanboy? Eu chamo-lhe realismo!

Da mesma forma, a 27 de Março de 2015 abordavamos um outro rumor sobre o Kinect e as questões relacionadas com a privacidade dos utilizadores, num artigo denominado “Preocupações com a privacidade dos utilizadores da nova Xbox poderá ter mais razões do que se pensava“.

Sabemos igualmente agora que esta foi uma das queixas, particularmente após o escândalo revelado por Edward Snowden colocadas à política inicial da consola que não permitia sequer que o Kinect fosse desligado da consola e que ajudou a prejudicar a imagem inicial da mesma. E já o prevíamos em Março de 2017! A situação levou a uma série de comunicados explicativos da Microsoft que garantia que no entanto não tiveram qualquer efeito.

Fanboy? Mais uma vez eu chamo-lhe realismo!

Em Maio de 2013 a Xbox One é apresentada. E desilude tremendamente com o mundo em geral a mostrar desagrado face à apresentação feita onde as funções TV tiveram mais destaque que os jogos. A nós, tambem nos decepcionou neste artigo intitulado Porque motivo a apresentação da Xbox One me decepcionou“.

Naturalmente a postura gerou criticas e mais uma vez o termo fanboy veio à baila! Agora em 2015 sabemos que todos os pontos sobre os quais nos queixamos foram alterados pela Microsoft.

Fanboy? Eu chamo-lhe ser Gamer e procurar numa consola que ela seja boa para jogos, não para ver TV!

Em Julho de 2013, já com o hardware devidamente conhecido das consolas, iniciamos uma série de artigos exclusivos e comparativos sobre as capacidades das consolas. Apesar de na altura os recursos reservados serem ainda desconhecidos e como tal a informação neles presente apenas ser válida mediante o previsto à data, dávamos já a conhecer o que esperar a nível de performances em artigos como o intitulado “Xbox one e Ps4, com o drm fora o que as distingue“.

A indicação de que a PS4 seria o sistema mais completo e mais potente gerou um coro de acusações de parcialidade a favor da Sony.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Agora em 2015 sabemos sem sombra de dúvida que a PS4 se tem revelado o sistema mais potente com vantagens na resolução, efeitos e fps e isto apesar de uma série de optimizações do lado da XBox que removeu reservas de Kinect, forneceu mais um núcleo de CPU e até mudou o API

Fanboy? Eu chamo-lhe conhecimento de hardware!

Setembro de 2013 deu início à fase mais negra das acusações de fanboy! Tudo começou com um senhor Charlie Demerjian, suposto especialista em semicondutores e sistemas de redes e criador do website semiaccurate que, baseado nos esquemas da Xbox One apresentados pela Microsoft vem afirmar que a Xbox One tera um processador a 1.9 Ghz.  No entanto os seus argumentos assentavam numa série de pressupostos que não eram forçosamente verdadeiros, como o demonstrei no artigo intitulado “Xbox com cpu a 1.9 ghz, eis desde ja uma opiniao sobre o rumor“, refutando as afirmações e dando o rumor como pouco provável.

Em 2015 sabemos que tal era falso, mas na altura fui corrido com uma série de acusações de ignorância face ao currículo do senhor, e de parcialidade.

Fanboy? Eu chamo-lhe realismo e conhecimento da realidade!

A 14 de Agosto de 2013, ainda antes do lançamento da consola, e perante as ainda existentes queixas relativas às questões de privacidade, a Microsoft abandona a obrigatoriedade do Kinect estar ligado à consola. Na altura abordamos a questão com um artigo intitulado “Microsoft matou de vez a xbox one ou deu-lhe nova vida“, e onde defendíamos que a remoção era uma coisa boa que iria revitalizar a consola.

Os ataques foram vários, pois as opiniões são como as cerejas, e todos tem uma. Mas agora em 2015 sabemos que a Microsoft acabou inclusive por abandonar de vez o Kinect, vendendo a consola sem ele, e que tal foi um dos pontos que mais revitalizou as vendas da consola. O remover da obrigatoriedade de o mesmo estar ligado foi apenas o primeiro passo nesse sentido e já o prevíamos como algo de bom, especialmente pelo que acrescentava ao preço sem trazer verdadeiramente algo de significativo.

Fanboy? Eu chamo-lhe realismo!

Mas eis que logo depois, um determinado senhor de nome MisterXmedia arranca uma campanha totalmente absurda rodeada de paleio técnico e na qual, uma série de “crentes” aparecem como devotos seguidores, espalhando contra informação por toda a internet.

Se inicialmente ignoramos a situação, quando vários leitores começaram a falar aqui no Website sobre os rumores dando-os como verdade, dei início a uma série de desmentidos. O primeiro foi o artigo intitulado “Xbox e o segundo GPU – Verdade ou mentira” e no qual enumerávamos uma série de razões pelas quais não havia qualquer lógica no rumor.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Mais uma vez… Fanboy… A Xbox era o sistema mais poderoso alguma vez criado pelo homem… e eu era um aldrabão! Em 2015 sabemos que não há nenhum segundo GPU, mas curiosamente, mesmo após Albert Penello vir desmentir o rumor publicamente, ainda havia quem acreditasse que ele escondia a realidade.

Fanboy? Aqui o senhor em causa era mestre no uso do paleio técnico, pelo que compreendo que houvesse quem ficasse na dúvida. Daí que os nossos artigos desmentiam a situação tentando não entrar numa guerra técnica, mas usando explicações coerentes que todos pudessem perceber. E aqui bastava ler o que dizíamos e não acreditar no pai natal para se perceber onde estava a verdade.

Mas esse senhor MisterXmedia inventava novas tecnologias todos os dias, e outros artigos se seguiram a desmentir, como o entitulado “Misterxmedia desmascarado. Ultimo artigo refere dados fisicamente impossiveis” . E refiro este artigo em particular pois ele deu origem a que esse mesmo senhor (MisterXmedia) viesse comentar (em Inglês) na PCManias explicando como e porque o que dizia era verdade! Apesar de os argumentos partirem, como sempre, apenas de pressupostos!

Até hoje, e para o mais caricato da situação, na página desse senhor está uma referência à PCManias, onde sou apelidado de… Fanboy da Sony! E esta hein?

Fanboy? Mais uma vez chamo-lhe realismo e acima de tudo… HONESTIDADE!

Ainda em 2013, neste caso Setembro, e antes do lançamento das consolas, abordei aquilo que seriam a previsibilidade das diferenças das consolas. Nesse artigo de nome “Qual será a real diferença nas performances entre a ps4 e a xbox one“, realizado antes do overclock realizado à Xbox One (daí a indicação de 50% e não de 42%) previa que as diferenças fossem grandes no início, que fossem reduzindo com o tempo até se tornarem bem menores, crescendo novamente no futuro com o uso do GPGPU.

Em 2015 o que previ… aconteceu. O que virá agora com o GPGPU muito certamente já não estarei aqui para comentar. Mas lembrem-se do que foi aqui escrito!

Fanboy? Estou-me a repetir, mas mais uma vez eu chamo-lhe realismo!

Mas eis que escrevo um artigo, em 30 de Outubro de 2013, a explicar as diferenças entre as imagens divulgadas de Battlefield 3 na PS4 e na Xbox One, e onde, apesar da menor resolução, a imagem da Xbox parece mostrar maior nitidez de imagem. O nome “Ainda sobre as diferenças de Battlefield 4 na PS4 e Xbox One

A explicação era simples… um pequeno truque fotográfico que mexe no brilho, contraste e acuidade da imagem estava a ser aplicado na Xbox One!

Tal foi pessimamente aceite por muitos! Quem era eu para dizer isso? A realidade para essas pessoas é que a versão Xbox era superior pois a versão da PS4 estava comida devido a problemas diversos na consola que não permitiam o uso de texturas com tanta qualidade devido à Sony ter forçado uma maior resolução.

Em 2015 sabemos que a Xbox One sofreu durante muito tempo de um problema de acuidade devido a um filtro que era aplicado aos jogos e que inclusive tornava os negros demasiadamente vincados. Esse filtro que era a explicação para as diferenças acabou alterado antes do lançamento de Titanfall devido a queixas, mas ainda hoje existe em menor percentagem.

Fanboy? Eu chamo-lhe realismo e ter olhos na cara e capacidade para distinguir as coisas.

Mais recentemente tivemos o caso do DirectX 12. O molho secreto… Que em vários artigos, como “DirectX 12 – Explicado e corrigido“, onde colocávamos no contexto frases de Brad Wardell e DirectX 12 e “O futuro da Xbox” onde explicava-mos que o DirectX 12 já existia na Xbox One sob a forma de extensões ao DirectX 11 exclusivas, dava-mos a conhecer os ganhos que o DirectX 12 traria à consola, mas explicando igualmente que eles não seriam verdadeiramente significativos.

Era-mos, naturalmente… fanboys!

Actualmente já vários representantes da Microsoft vieram revelar que os ganhos na Xbox não serão, como referíamos, significativos. Quanto ao resto… não estarei cá para discutir.

Apenas como nota, e relativo a este artigo não posso deixar de destacar o artigo “DirectX 12 – que placas o suportam e a que nível” que muito antes da revelação oficial destes dados avançava já com uma lista do tipo de suporte. E quando a lista oficial saiu cerca de 2 meses depois, não precisamos de mudar uma virgula ao artigo.

Acima de tudo fico satisfeito em ver que houve muitas pessoas, leitores assiduos da PCManias que se aperceberam de todas estas situações e apreciaram o facto de ao logo de todo este tempo divulgarmos sempre a realidade das coisas. E isto mesmo sofrendo ataques pessoais à nossa integridade moral.

Já quanto aos outros que nos atacaram… lamento que tenham preferido optar por esse caminho. Mas compreende-se, pois como dizia a personagem Cypher em The Matrix, “A ignorância é uma benção“, e há quem prefira manter a mesma a aceitar a realidade.

Publicidade

Posts Relacionados