2013 e 2020 – Como a Microsoft mudou radicalmente a sua mensagem, imagem e voltou ao topo da performance

Se em 2013 o lançamento da Xbox One foi um desastre sendo passada uma mensagem errada, enganadora, e que pouco ou nada mostrava dedicação ao seu produto, o lançamento da série X está a ser radicalmente o oposto. Uma imagem limpa, uma mensagem clara, e uma consola com performances de topo.

Acima de tudo o que rodeia o lançamento da Xbox série X está a ser muito interessante por se poder verificar com bastante agrado que a Microsoft modificou radicalmente a sua postura. imagem e, sabemos agora, voltou ao domínio da performance.

Se em 2013 a postura era de arrogância com imposição de DRMs, de um Kinect que ninguém queria, com uma consola virada para a sala e não para o jogador, com uma mensagem enganadora de performances decida a uma utópica cloud, um preço elevado devido a hardware desnecessário, confronto com os fans, e muitas outras situações, o que estamos a ver agora em 2020 e algo radicalmente diferente.

A postura da Microsoft é aberta, é clara, as especificações da consola são fascinantes, batendo, com excepção da velocidade do SSD, a potência anunciada pela Sony para a PS5. Claramente, o investimento foi feito naquilo que realmente importa, não houve atalhos no hardware, não há previsões de gargalos, tudo está a ser explicado, tudo está a ser detalhado, e os fans… batem palmas com os resultados.

Nesse aspecto, não posso fazer mais do que juntar-me a esse coro de aplausos, dando os parabéns à Microsoft por um excelente produto (algo que, curiosamente, já é terceira vez que fazemos).



Esta é uma consola desejável, é uma consola que interessa ter. É uma consola da qual só falta ver os jogos. Porque a nível de hardware, ela é de topo. Naturalmente iremos comparar as consolas, iremos ver as vantagens que a PS5 pode ter com a sua configuração de maior velocidade de relógio. Mas a realidade é que, pelo conhecido, apesar de tal poder compensar alguma da diferença, a consola da Microsoft revela-se mais completa e mais performante.

Agora falta ver o software, e o suporte que vão efectivamente dar. Por favor Microsoft, não decepcionem aí, porque esta geração que se avizinha promete e tem tudo para ser fascinante, e a vossa consola é de sonho.

Já quanto à Sony, vai ter de andar da perna nesta geração… E caso a sua consola seja o que aparenta ser, não me parece que seja seguindo as políticas da Microsoft que ela o consiga. Daí que neste momento já questiono o real valor dos exclusivos no PC.



7 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
bruno
bruno
6 meses atrás

A MS vence em performance e neste momento, vence em catalogo, tao simplesmente por ter a retro a funcionar melhor que a da Sony, da qual ja confirmou pouco mais de 100 titulos suportados. Nem palavra sobre a PS3 e PS2 o que ainda e pior.

As preocupacoes, contudo, continuam a ser a disposicao da empresa e quais as suas futuras estrategias. Ela realmente deu cabo de tudo na ultima geracao. O Gamepass, qual a qualidade dos titulos que vai entregar e que titulos que vai entregar.

Eu so relembro que a 360 foi um sucesso e assistimos a um corte na variedade e qualidade de titulos nos ultimos 3 anos da consola. Corte esse que tem sido constante desde a Xbox original onde imensos franchises se perderam.

E isto deixa-me de pe atras. Porque ja vimos a MS a ter sucesso e a colocar paredes de pagamento (os do live) e cortar no suporte, e ja vimos a MS a ter insucesso e a abandonar o suporte a consola e apostar em mais formas de monetizacao criando cvicios (gamepass) e tentando conquistar o mercado nao com qualidade do produtos, mas preocupando-se apenas em criar monopolio com esquemas.

E e esta postura que me continua a deixar de pe atras.

Nao fosse isto, estaria tudo a ser excelente.

Por outro lado, as ultimas atitudes da Sony sao contrarias ao que foi feito em mais de 25 anos de historia e por isso tambem estou de pe atras face a ela.

A minha decisao? Vou continuar com a PS4 durante os proximos 3 anos.

A nocao que tenho, e de ambas, e que o hardware foi feito as pressas, e ha ainda muitas incertezas sobrea real performance de uma e de outra (para os fas Xbox relembro que a demo de Minecraft estava a 1080p numa consola que deveria entregar 4K).

nETTo
nETTo
6 meses atrás

Bom dia, vamos começar o dia com esta provocação básica:

“https://www.eurogamer.pt/articles/2020-03-19-programador-de-24-titulos-aaa-diz-que-os-teraflops-nao-significam-nada”

“Como programador há mais de 15 anos com 24 títulos triple A lançados em
todas as máquinas da Nintendo, Microsoft e PlayStation, nem eu nem outra
pessoa na minha área alguma vez usamos teraflop como uma unidade de
medida de qualquer tipo. Abandonem a palavra, é totalmente sem sentido,”

“O que é importante para a qualidade dos jogos em novo hardware: bons
devkits, os mais recentes compiladores C++ e de shaders, um excelente
leque de ferramentas de CPU e GPU, tempos de iteração rápidos, sem gimmicks,”

que comece o cancelamento desse inergumeno kkkk kkk

Rodrigo Silveira
Rodrigo Silveira
Responder a  nETTo
6 meses atrás

Netto, você está num nível muito alto de haterismo. De fato o SSD do PS5 é incrível e irá contribuir muito com os tempos de carregamento e velocidades de armazenamento, mas não aumentará o “poder de fogo” diretamente do console frente ao Series X. E há algumas coisas por trás das especificações brutas que dão vantagem ao console da Microsoft, e que provalmente começará a vir à tona cedo ou tarde. E por fim, quem está a mudar os argumentos é esta matéria a que se refere, afinal, desde o início de 2013 que “poder te fazia um jogador melhor”; mas parece-me que agora não o faz mais? Ninguém cairá nisso.

bruno
bruno
Responder a  Rodrigo Silveira
6 meses atrás

Voces nao estao a entender. O SSD nao esta apenas relacionado com velocidade de loading e tempos de carregamento. Vai muito mais longe do que isso.

Os jogos sao feitos de assets, que basicamente sao os elementos que constroem o mundo de jogo: personagens, arvores, animais, ervas, agua, edificios, etc, etc.

O que se passou ate agora e que tinhas imenso trabalho de DEVs a caparem e limitarem os mundos de jogo, quer no nivel de detalhe dos modelos, quer no que tinhas no mundo devido a velcoidade a que a informacao era carregada dos ficheiros do jogo que estavam gravados no disco. Isto levou a muitas coisas, uma delas e que, para evitar problemas os criadores tinham que repetir os mesmos assets e e gravalos varias vezes nos ficheiros do jogo (aumentando o tamanho) Por outro lado, tem que construir os niveis de modo a que o sistema carregue tudo e tu nao notes ao jogar. Isto pode ser com ecras loading ou sequencias ou corredores labirinticos de modo a dar tempo ao sistema de carregar o proximo nivel. A grande inovacao do SSD na PS5 e que o sistema esta perfeitamente dimensionado para eliminar este bottleneck. Apartir de agora seja la o qual for o asset, ele e carregado a uma velocidade rapida o suficiente para te evitar problemas. Por outras palavras, sabes quando tens o horizonte desfocado ou os mesmos objectos a repetirem-se indefinidamente? Diz adeus a isso. Melhor, vai permitir aumentar e muito o detalhe dos modelo – pensa nas arvores de Horizon com musgo e formigas a andar nos troncos.

Teras um detalhe como nunca antes visto e uma capacidade de navegar o mundo do jogo de uma forma que nunca antes tiveste. Melhor, vai permitir aos DEVs pouparem imenso tempo gasto em desenvolvimento, porque isto e normalmente trabalho extra.

E pior, com os jogos a serem feitos com isto em mente os sistemas que noa estejam preparados nao os conseguirao correr sem problemas! E nao, ao contrario dos rumores, um jogo feito para o limite da XsX nao fica capado na PS5 – e capaz ate de correr mais depressa.

Rodrigo Silveira
Rodrigo Silveira
6 meses atrás

A atual política da Sony me estranha, e muito. Algo não está certo. Não falo do lançamento de seus jogos pro PC, isso é algo natural e previsível até. Falo desses dois últimos anos evitando os eventos e fazendo apresentações totalmente “erradas”; e refiro-me à de ontem, não da apresentação em si, mas por ter anunciado para todo o público uma apresentação que seria altamente técnica e dedicada a “engenheiros de hardware”. O marketing desastroso foi feito e não tem como consertar, mas ainda é possível dar a volta por cima para entrar bem na próxima geração. Mas há algo de se estranhar na Sony, parece-me que há.

E quanto à Microsoft, parabenizo o Mário pela matéria. Ela tem mudado seu marketing e tornando-o altamente positivo, com informações claras, com respeito ao consumidor. Vai lançar um console muito forte, com recursos estabelecidos através de uma infraestrutura que vem sendo construída nesta segunda metade desta geração, pelo menos. Acredito que a Microsoft agora focará e mostrar na prática os diferenciais do Series X, os diferenciais de seus recursos, e sobretudo os jogos que serão lançados a partir do ano que vem. E há muitos jogos sendo feitos, e espero que dê a volta por cima para brigar de igual por igual com o PS5; afinal, a marca PS é muito forte, nostálgica e merece todo respeito.

Antonio Lucas
Antonio Lucas
6 meses atrás

Xbox series x: O console mais poderoso do mundo.

AlexandreR
AlexandreR
Responder a  Antonio Lucas
6 meses atrás

Ps5: o console mais rápido do mundo eheh

error: Conteúdo protegido