3DS permite a homem ver o mundo a 3D pela primeira vez

Entre 3 a 15% da população mundial sofre do problema de incapacidade de percepção de profundidade (stereoblind), e como tal nunca viu o mundo tal como ele é, a 3D. Mas a 3DS permitiu a um homem que sofre desse problema, pela primeira vez na sua vida, de ver o mundo tal como ele é.

Model poses with Nintendo Co Ltd's new 3DS handheld game console in Chiba

O Blog BurningNorth possui um relato extraordinário intitulado “124 mm de profundidade”, de um homem que, graças a uma 3DS, pela primeira vez na vida conseguiu ver o mundo a 3D.

A pessoa é George Kokoris, dono do Blog e no seu relato revela sofrer de uma doença que no meio médico se denomina de StereoBlind (e cujo nome em português desconhecemos), que afecta entre 3 a 15% da população mundial, e que impede as pessoas de terem uma percepção 3D das coisas.

Kokoris é estrábico, mas a um nível suficientemente baixo para que tal possa passar despercebido, mas o suficiente para que a sua visão se intercepte a cerca de 30 cm da face divergindo daí para a frente. A consequência é que Kokoris vê normalmente duas imagens, e apesar de terapia e cirurgia em criança que ajudaram um pouco, o facto é que o 3D é algo que lhe está vedado, recorrendo mesmo por vezes ao fechar de um olho para poder ver as coisas melhor.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

A questão é que o nervo óptico de Kokoris não possui problemas, sendo o seu handicap apenas na linha de visão dos olhos.

Assim, e nunca na vida tendo visualizado o mundo a 3D, algo que felizmente para todos nós é uma realidade constante no dia a dia, Kokoris pegou numa 3DS sem grades esperanças de poder ver qualquer 3D que fosse.

Mas curiosamente a linha de visão dele cruza-se a uma distância que se equivale mais ou menos à distância a que se segura uma consola. E sem esperar, apenas por mera curiosidade, mexendo no regulador de 3D, após alguns minutos Kokoris viu o que nunca havia visto na vida. A terceira dimensão.

Kokoris admite que chorou quando conseguiu ver o 3D. A experiência foi inesquecível para ele ao ver pela primeira vez aquilo que sempre lhe esteve negado. Para ele a resolução não importa, a qualidade dos jogos não importa. O simples facto de os objectos que visualizava terem volume, algo novo para ele, será motivo para manter a 3DS para sempre.

Publicidade

Posts Relacionados