A conferência E3 da Nintendo

Não fugiu ao esperado. A qualidade estava lá… mas nem tudo o apresentado era exactamente para todos!

A conferência E3 da Nintendo foi bastante pequenina… bastante mesmo! E ficou-se pelos meros 24 minutos!

Mas nem o facto de ser pequena impediu a mesma de começar com 2 minutos daquilo que não era mais do que um spot publicitário de grandes dimensões, e onde, curiosamente, se viu mais jogos e de jogos, do que os abordados na conferência de forma exaustiva.

Um dos casos foi Fifa 18, um dos jogos aqui visionados e que depois não foi abordado de forma exaustiva durante a apresentação. Outros foram Rocket League, Splatoon 2, Arms e Pokken Tournament DX.

Após a entrada de Reggie Fils Aime, e de uma mini palestra sobre as virtudes da Switch, com 20 minutos por decorrer, eis que começam verdadeiramente as apresentações.



O primeiro jogo é um RPG turn based,  Xenoblade chronicles 2 que é apresentado para 2017, seguido de um jogo de plataformas, Kirby, que sairá em 2018.

De seguida a Nintendo faz aquilo que terá sido a apresentação de um jogo com menos elementos que já vi. Basicamente um ecrã com texto e que dizia “Metroid Prime 4“, seguido da indicação que este estaria em desenvolvimento. Nem uma imagem sequer do jogo, apenas um texto… E se já vi jogos que demoraram alguns anos a sair, a realidade é que estes tinham pelo menos um trailer, nem que fosse CGI. Mas aqui o desenvolvimento deve estar tão nos seus primórdios, que nem isso!

Seguiu-se um novo jogo de plataformas para 2018, o Yoshi, e Fire Emblem: Warriors, este para 2017. Skyrim tambem foi mostrado na Switch!

Segui-se depois um largo periodo de apresentação de 2 DLCs para Zelda: Breath of the Wild, o The Master Trials, e o The champions ballad, e a apresentação de 4 novos amiibos ligados ao jogo.

Outras apresentações que ali existiram foram a do exclusivo da Ubisoft, Mario + Rabbids – Kingdom Battle, mais imagens de Rocket League, e finalmente Super Mário Odissey.

A quantidade do apresentado não foi por aí além, mas confesse-se que os jogos apresentados pareciam, dentro dos seus estilos, ter elevada qualidade, ao nível que seria de esperar da Nintendo. Não foi porém uma conferência arrasadora, ou sequer imponente, ficando-se pela mediania do que tinha vindo a ser mostrado até agora por quase todos os participantes nesta feira, e muito do apresentado, mesmo que possa interessar a todos, destina-se maioritariamente a uma faixa etária menor.

Mas apesar de tudo, a Nintendo foi igual a si própria. E nem há muito que se possa dizer pois nesse aspecto, foi isso que acontecer aqui!

Certamente, e apesar de os objectivos desejados poderem ou não ter sido atingidos pelas diversas empresas, a E3 2017 foi, no seu global, das mais decepcionantes dos últimos anos.

 

 

 

 



Posts Relacionados

  Subscribe  
newest oldest
Notify of
José Galvão
Visitante
José Galvão

Mas foi na press mais pequena que surgiu o melhor jogo da E3.

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

José, creio que vc esteja falando de Mário Odissey e concordo contigo, mas Spiderman tb estava supremo hein!