A conferência E3 da Nintendo

Não fugiu ao esperado. A qualidade estava lá… mas nem tudo o apresentado era exactamente para todos!

A conferência E3 da Nintendo foi bastante pequenina… bastante mesmo! E ficou-se pelos meros 24 minutos!

Mas nem o facto de ser pequena impediu a mesma de começar com 2 minutos daquilo que não era mais do que um spot publicitário de grandes dimensões, e onde, curiosamente, se viu mais jogos e de jogos, do que os abordados na conferência de forma exaustiva.

Um dos casos foi Fifa 18, um dos jogos aqui visionados e que depois não foi abordado de forma exaustiva durante a apresentação. Outros foram Rocket League, Splatoon 2, Arms e Pokken Tournament DX.

Após a entrada de Reggie Fils Aime, e de uma mini palestra sobre as virtudes da Switch, com 20 minutos por decorrer, eis que começam verdadeiramente as apresentações.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

O primeiro jogo é um RPG turn based,  Xenoblade chronicles 2 que é apresentado para 2017, seguido de um jogo de plataformas, Kirby, que sairá em 2018.

De seguida a Nintendo faz aquilo que terá sido a apresentação de um jogo com menos elementos que já vi. Basicamente um ecrã com texto e que dizia “Metroid Prime 4“, seguido da indicação que este estaria em desenvolvimento. Nem uma imagem sequer do jogo, apenas um texto… E se já vi jogos que demoraram alguns anos a sair, a realidade é que estes tinham pelo menos um trailer, nem que fosse CGI. Mas aqui o desenvolvimento deve estar tão nos seus primórdios, que nem isso!

Seguiu-se um novo jogo de plataformas para 2018, o Yoshi, e Fire Emblem: Warriors, este para 2017. Skyrim tambem foi mostrado na Switch!

Segui-se depois um largo periodo de apresentação de 2 DLCs para Zelda: Breath of the Wild, o The Master Trials, e o The champions ballad, e a apresentação de 4 novos amiibos ligados ao jogo.

Outras apresentações que ali existiram foram a do exclusivo da Ubisoft, Mario + Rabbids – Kingdom Battle, mais imagens de Rocket League, e finalmente Super Mário Odissey.

A quantidade do apresentado não foi por aí além, mas confesse-se que os jogos apresentados pareciam, dentro dos seus estilos, ter elevada qualidade, ao nível que seria de esperar da Nintendo. Não foi porém uma conferência arrasadora, ou sequer imponente, ficando-se pela mediania do que tinha vindo a ser mostrado até agora por quase todos os participantes nesta feira, e muito do apresentado, mesmo que possa interessar a todos, destina-se maioritariamente a uma faixa etária menor.

Mas apesar de tudo, a Nintendo foi igual a si própria. E nem há muito que se possa dizer pois nesse aspecto, foi isso que acontecer aqui!

Certamente, e apesar de os objectivos desejados poderem ou não ter sido atingidos pelas diversas empresas, a E3 2017 foi, no seu global, das mais decepcionantes dos últimos anos.

 

 

 

 

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (2)

  1. Mas foi na press mais pequena que surgiu o melhor jogo da E3.

Deixe um comentario

O seu e-mail nao sera publicado.


*