A HP clarifica: A Microsoft transformou os seus parceiros em concorrentes.

A HP é a primeira a queixar-se da realidade. Com a entrada nos mercado do Hardware a Microsoft transformou os seus parceiros que lhe permitiram ser o gigante que é, em empresas concorrentes a abater. E claro, vai ter resposta.

thinkpad

A HP foi o primeiro parceiro Microsoft a ganhar a coragem necessária para falar contra a Microsoft e Intel (particularmente a primeira) e veio constatar o óbvio: Eis as frases de Meg Whitman, a CEO da HP:

Os actuais parceiros da HP como a Intel e a Microsoft estão a transformar os seus parceiros em competidores indesejáveis.

Naturalmente que a Microsoft é a primeira a dizer o quanto adora os seus parceiros (e tem mais é que o fazer pois a Microsoft é o que é hoje graças a eles), mas agora a Microsoft já não se limita a fazer dinheiro ao vender software aos seus parceiros, corporações e público em geral. Agora a empresa entrou no domínio dos serviços e dos aparelhos (hardware), sendo que resolveu manter o estatuto dos seus anteriores parceiros, mas ao mesmo tempo passando-os a classificar igualmente de outra forma: como adversários.
Ora a HP era um dos grandes parceiros da Microsoft, mas o tom parece ter mudado quando a empresa lançou a sua linha de tablets Surface, com a Microsoft a chegar inclusive a substituir os Thinkpads (criados pela HP) dos seus funcionários, por Surfaces (criados pela própria empresa).

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Tudo isto parece muito lógico, não fosse o facto de esta situação ser encarada pelas empresas suas parceiras, com as quais jura a pés juntos ainda estar comprometida, como uma traição. É certo que os Surfaces são uma pequeníssima parte do mercado PCs mas ao criar os seus produtos concorrentes a Microsoft põem em causa os milhões de investimento dos seus parceiros em produtos do género que a Microsoft até nem se importa que vendam bem uma vez que irá ganhar nas vendas do Windows. Mas claro se venderem mal em detrimento dos seus próprios produtos, ainda melhor. Ou seja, há alguma incoerência na mensagem.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Assim, dado que é opinião da HP que a Microsoft não é capaz de chegar lá por si, esta acredita que terá de ser mais directa, e dado que a empresa está em transformação e necessita de ser clara com os seus investidores. Assim a sua CEO acha a actual situação insustentável.

Desta forma a HP estuda a possibilidade de passar adoptar outros sistemas operativos quando antes estava totalmente dedicada ao Windows 8.

—-

Analisando a situação. parece-nos que há aqui duas situações distintas:

Por um lado uma má gestão da realidade da Microsoft que deixa o seu antigo modelo de negócio onde tinha os pés bem firmes para se aventurar em águas pantanosas e incertas, optando por hostilizar aqueles que eram os seus parceiros e a tornaram no que é. E o mesmo se passa com a Intel ao criar os seus próprios computadores.

Por outro lado a HP parece chateada porque lhe tiraram o suporte. A empresa não era auto dependente e não evoluiu o seu modelo de negócio face aos anos 90, sentindo-se agora a ficar para trás. E desesperada, esperneia.

Curiosamente a Google, apesar de numa dimensão bem menor, faz o mesmo com os seus smartphones e Android. Mas nunca ninguém se queixou, exactamente pela percentagem de mercado ser muito pequena (como com o surface).

E vocês? O que acham desta situação?

Publicidade

Posts Relacionados