A problemática das performances das consolas e das diferenças de resolução.

Apesar da esperança que o uso generalizado do GPGPU, que se tornará agora de uso comum com o DirectX 12 no PC, possa ainda vir a trazer um grande sopro de performance nas consolas de novas geração, a realidade é que as suas performances, apenas dois anos depois de lançadas, estão já a pecar por escassas. E tal poderá ser um problema no futuro caso não haja melhorias.

performance

Uma análise ao que teremos brevemente no mercado a nível de jogos de consolas mostra uma realidade pouco interessante a nível daquilo que são as performances das mesmas.

Halo 5 é um jogo first party da Microsoft, e concebido com acesso a todas as últimas tecnologias da empresa. No entanto as mesmas não se revelaram interessantes ao ponto de se esperar mais um par de semanas para se lançar o jogo, altura onde o DirectX 12 já estará em todas as consolas XBox, mostrando que os ganhos do novo API face ao atualmente presente na consola (e que já implementa a maior parte das novidades do DirectX 12) não deveriam ser interessantes ao ponto de se justificar tal.

E Halo 5 não é um jogo qualquer. É um dos maiores, franchisings da industria dos videojogos, e as suas vendas no lançamento bateram já o recorde de vendas de jogos Halo na Xbox.

Dado que o jogo saiu com uma resolução dinâmica mas que poucas vezes se consegue manter nos 1080p, descendo para resoluções com uma contagem de pixels em tudo semelhante aos 900p e mesmo semelhante a 720p (1152×810), e sendo este O JOGO da Microsoft, torna-se claro que qualquer melhoria que fosse possível seria bem vinda, e que se tal não aconteceu é porque os limites de performance da consola, usando as técnicas de programação atuais, estão atingidos ao máximo.

Infelizmente esta é uma realidade que vemos igualmente na Playstation 4. Uncharted 4 é criado por uma das, consensualmente achadas, melhores equipas do mundo, a Naughty Dog, e que possui acesso a todos os recursos da PS4, tendo na sua apresentação deixado no ar a promessa de 1080p 60 fps. Mas sabe-se já que o que irá sair é a 1080p 30 fps, e com uma qualidade que, apesar de se manter excelente, pelo que foi visto, não alcança o que foi mostrado no primeiro trailer. Mas pior ainda, sabemos agora que a versão multi jogador, essa prometida a 60 fps, correrá a 900p, falhando a promessa dos 1080p.


Ora, tal como Halo, Uncharted é O JOGO da Playstation, e se não alcança mais é porque, com as técnicas de programação atuais, não se consegue atingir mais. A consola estará assim, igualmente no seu máximo.

Resumidamente, ambas as consolas estarão no seu potencial máximo, apesar que convêm sempre ressaltar que tal apenas é uma realidade considerando as técnicas de programação atuais e a forma como se está a usar o hardware. A cada momento surgem novas metodologias que conseguem mais e melhor do mesmo hardware, usando menos recursos. Aliás a realidade que expomos aqui não é diferente da que as consolas das anteriores gerações experimentaram. A cada momento as consolas eram sempre aproveitadas ao seu máximo, mas o conhecimento do hardware e a evolução das técnicas bem como a experimentação de quais metodologias se adaptam melhor ao hardware em causa acabam por trazer ganhos adicionais.

No entanto a situação atual não deixa de ser problemática, especialmente se formos analisar o resto do que saiu ou está para sair e podemos ver:

Need for Speed – 900p na Xbox One, 30 fps

Just Cause 3 –  900p na Xbox One, 30 fps

Assassins Creed Syndicate –  900 p na Xbox One e na PS4, 30 fps

Star Wars Battlefront – 720p na Xbox One, 900p na PS4, 60 fps.

A situação a nível de resolução começa a revelar-se problemática numa altura onde seria de se esperar que tal já não fosse uma realidade, e isto independentemente da consola de escolha. Mas a questão é que vemos que a própria PS4, apesar de um pouco mais potente, começa a apresentar com alguma regulariedade resultados abaixo dos 1080p, neste caso os 900p. E tal torna-se preocupante face ao futuro onde a exigência dos jogos vai subir mais e mais.

Para uma geração que prometia os 1080p 60 fps, a realidade está bastante diferente. Daí que ou efectivamente o GPGPU se revela a “dose de energia” desejada, forçando acima de tudo a uma programação dedicada e optimizada, ou o futuro prometido do Full HD a 60 na atual geração consolas tornar-se apenas uma miragem! Pelo menos com a qualidade gráfica a que esta geração nos habituou, sendo que nessa problemática, a Xbox One parece estar em pior posição.

 

Publicidade

Posts Relacionados