Adeus Nvidia. Não pactuo com chantagens sobre a concorrência!

Há certas coisas com as quais eu não pactuo, e uma delas é chantagem. Algo que a Nvidia parece estar a fazer com a comunidade Gamer.

amdvsnvidia

NOTA: O artigo que se segue reflecte uma opinião pessoal sobre as actuais situações que envolvem a ATI e a NVIDIA e nas quais a AMD acusa a Nvidia de com o seu programa Gameworks parar aos produtores de videojogos não só para optimizarem para as suas placas, mas igualmente para impedir que estes permitam à AMD fazer o mesmo.

Desde o aparecimento da RIVA TNT, que a Nvidia começou a dominar o mercado das placas gráficas com produtos de qualidade.

Desde essa altura, sempre que era altura de um upgrade, Nvidia era o nome que me vinha à cabeça. E sempre fui um acérrimo defensor da Nvidia sobre a ATI (agora AMD) pelas virtudes das suas placas.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

No entanto, recentemente a situação inverteu-se.

Desde já à algum tempo que a Nvidia vinha a ser apologista da política “se queres alta performance… pagas e bem”, e isso era notório com as suas topo de gama a custarem 1000 euros. Mas o certo é que essas placas não tinham exactamente concorrência, pelo que o “comum dos mortais” se limitava a escolher uma placa da gama média alta para umas performances aceitáveis. E o material daí para cima era visto como algo destinado à “elite”.

Mas curiosamente a situação deu uma reviravolta enorme bem recentemente. A AMD ganhou o mercado das consolas! E com esse mercado, ganho de forma limpa, para além das questões financeiras a ele associado, vieram outras virtudes. Partilha de tecnologias e conhecimentos, conhecimento dos programadores de forma mais exaustiva do hardware AMD, e melhorias de performances com um novo API de baixo nível para PC, o Mantle.

A agravar isto tudo, a AMD lança uma R9-290 e R9-290X a preços entre os 400 e 500 euros, que se aproximam bem, equivalem ou até batem em performance as topo de gama de 1000 euros da Nvidia (Titan, 780 Ti).

A consequência de tudo isto era clara. A Nvidia estava em maus lençóis. As vantagens de actualmente se possuir uma placa ATI eram claras em todos os aspectos, e as virtudes das Nvidia esmoreciam face a tantas evidências de que os produtos mais acessíveis da AMD se revelavam actualmente melhor relação qualidade/preço.

Ora a retaliação da NVIDIA acontece, e pessoalmente não a chamo de uma jogada limpa. Chamo-a isso sim de uma posição chantageante e abusiva.

A NVIDIA, na sua parceria Gameworks, opta por pagar aos fabricantes de video jogos que acrescentam código optimizado para as suas placas. Algo que até aqui não tem nada de extraordinário, sendo apenas um forçar do valer das suas virtudes, não fosse pelo facto de a AMD ter vindo dar a conhecer que esses contratos incluírem alíneas que impedem os programadores de optimizar igualmente o código para as suas placas.

Ou seja, o acordo é: Optimizas para mim, mas não permites que eles optimizem para eles.

E este tipo de situação, tal como exposta pela AMD, chamo-a de uma jogada suja!

O mercado PC sempre foi livre. Cada um faz valer as suas valências e virtudes, mas pagar para esmorecer as dos outros é certamente uma tentativa de se impor à força no mercado. As placas da Nvidia poderão ter melhores performances nos jogos, mas com esta situação não o farão necessariamente por serem melhores ou mais rápidas, mas porque a Nvidia paga para que os jogos tenham optimizações específicas para elas, impedindo as equipas de deixarem a AMD fazer o mesmo.

Esta é actual a queixa da AMD, que refere que a Nvidia está a entrar em concorrência desleal e impedindo que as equipas forneçam o código à AMD de forma a esta poder optimizar igualmente os seus produtos.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Até ao momento sempre acreditei que houvesse algum exagero da AMD nestas afirmações, e que certamente a Nvidia não estaria a actuar desta forma tão descarada e desonesta.

Até ler umas afirmações da Nvidia que me levaram a este artigo.

Se a AMD passasse tanto tempo a trabalhar nas suas drivers e a fazer investimentos como fazem a falar de nós, talvez os seus clientes não estivessem presos a uma experiência abaixo da média com os actuais títulos de topo.

A frase enquadrada em todo o contexto é a meu ver vergonhosa. A experiência AMD não só está longe de ser abaixo da média, como a nível de preço/performance se revela bem mais vantajosa. Afinal a acusação da AMD é exactamente que se há diferenças nas performances não é por uma questão de falta de investimento ou de trabalho, mas sim porque outros estão a investir ainda mais no sentido de impedir que a AMD chegue lá.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

E tal levou a uma retaliação da AMD que não é benéfica para ninguem, pois a empresa acaba de anunciar parcerias idênticas para jogos como Battlefield: Hardline, Dragon Age: Inquisition, Civilization: Beyond Earth e Star Citizen.

Infelizmente a resposta da Nvidia, em vez de ser no sentido de “vamos acabar com esta palhaçada onde estamos a fraccionar o mercado e a prejudicar o cliente que tem o direito de escolher baseado realmente em quem acha que possui o melhor produto, e não em quem paga mais para prejudicar o outro”, refere:

Seria impossível para nós lançarmos uma lista igual. A nossa parceria gameworks é demasiadamente extensa para tal

Discordando que a AMD entre no mesmo jogo, tenho de no mínimo pensar nas palavras de Robert Hallock que refere que as parcerias Gameworks da Nvidia são uma ameaça aos gamers, prejudicando os 40% de mercado AMD.

Naturalmente neste artigo falo apenas por mim. Não pretendo que alguém pense como eu, e exponho apenas a minha maneira de ver. Mas o certo é que quando uma empresa, em vez de descer o preço dos seus produtos para os tornar competitivos, lança placas a 1000, 1500 e 3000 euros (4000 no Reino Unido), vendo-se ultrapassada por placas de custo inferior (até metade do preço) da concorrência, sendo depois acusada de optar por pagar para que hajam optimizações só para si negando a possibilidade de o outro lado igualmente optimizar, para mim, entrou num estado de desespero tal que já não interessa a ninguém. Se ela é desonesta a este ponto como poderemos vir alguma vez a confiar nela? Se agora ela vende placas a 4000 euros, o que faria se tivesse o monopólio? Vendia a 8000?

 A AMD fez o desafio de que revelaria os seus contratos de optimização de jogos caso a Nvidia revelasse os deles, acreditando que tal nunca acontecerá pois isso iria expor as alíneas em que contratualmente os produtores não podem permitir optimizações da AMD. Caso a Nvidia o faça e revele que efectivamente estou a ver a coisa da forma errada, ficarei feliz por tudo se revelar falso e ter de mudar a minha actual opinião. Mas o certo é que, muito sinceramente, não acredito que isso alguma vez venha a acontecer. Afinal a situação actual do mercado é claramente desfavorável à Nvidia, pelo que sou mais do que tentado a acreditar nas palavras da AMD. Afinal porque motivo ela mentiria? Em um dos jogos em causa, Watchdogs, a AMD acaba mesmo assim por ter melhores performance.

Para os interessados eis duas entrevistas de Richard Huddy da AMD que refere de forma mais específica algumas das práticas da Nvidia:



Publicidade

Posts Relacionados