Algumas lojas de videojogos comunicaram já à Microsoft que não venderão mais os seus produtos. É a reacção ao Game Pass!

A reacção não é mais do que o esperado. Se a Microsoft lhes tira o negócio, porque motivo deverão elas dar negócio à Microsoft?

Quando se soube do Game Pass, tive uma conversa com um amigo que possui uma loja de videojogos sobre o que ele pensava desse assunto. Na altura publiquei a situação nos comentários, mas agora, perante o sucedido, reporto-a aqui.

Naturalmente, porque não estou autorizado a isso, não reporto nem o seu nome, nem o nome da loja!

Eis então a sua resposta perante a pergunta do que achava do Game Pass:

Tens noção da margem de lucro que temos nas consolas? É ridícula! Quase nem compensa vende-las! Se as vendemos é para ajudar o comércio da zona que depois nos compra e vende os jogos.
A Xbox não vende bem. Por norma pelas baixas vendas não as temos em stock, mas arranjamos em 1 a 2 dias caso nos encomendem. Os jogos é igual. Estão muito parados, cada vez há menos procura e temos imensas pessoas a virem aqui a tentar trocar Xbox usadas por PS4 usadas que nos aparecem. Mas quando lhes dizemos o que lhe oferecemos pela consola, eles ficam admirados. Mas para que é que as queremos? Elas não vendem facilmente.
Mesmo assim temos contactos para arranjar consolas e jogos o que vamos fazendo a pedido e em média em 1 ou 2 dias após o pedido (na data se for pré-reserva). Mas se a Microsoft nos tira as vendas dos jogos que é o que ainda dá alguma coisa, colocando-os em aluguer, é bom que alugue também as consolas, porque nós, pela miséria das margens, certamente não as vamos vender.



Esta reacção não foi nem mais nem menos em linha do que o que aconteceu com a Gameware, uma cadeia de venda de jogos Australiana que, mal a notícia veio a público, deu a conhecer oficialmente que a partir daquele momento deixava de vender produtos da Microsoft.

A questão é que a atitude de uma cadeia de lojas (à qual acrescento a loja do meu amigo) não chega para se estabelecer um padrão. Mas o certo é que vários retalhistas do Reino Unido, o segundo maior mercado do mundo vieram dar a conhecer à GamesIndustry.biz que estão a debater o assunto e as suas repercussões, ponderando a hipótese de fazer o mesmo?

Apesar de a situação não ser neste momento mais do que mera intenção, pelo menos a loja Extreme Gamez já comunicou à Microsoft que não venderia absolutamente mais nada da marca. E loja Stan’s Games refere que caso a situação se concretize efectivamente também fará o mesmo!

Quanto às restantes lojas tudo não passa ainda de intenção, mas certamente estas estarão a esperar para ver as reais consequências nas quebras de vendas antes de tomarem atitudes, mas o certo é que, segundo o gamesbiz a intenção atual está lá e é a mesma.

Para estas lojas o mercado de jogos em segunda mão é fundamental para sobreviverem, e esta medida acaba com ele. Podem ser pequenos vendedores, mas a realidade é que, apesar dos seus volumes de vendas serem inferior aos das grandes superfícies, todos juntos possuem um grande peso no volume de vendas. E segundo estes, as grandes superficies, mais cedo ou mais tarde, acabarão por fazer o mesmo, e se não reagiram já é porque são menos susceptíveis ao impacto que os pequenos comerciantes.



Deixamos aqui alguns extratos do artigo do GamesIndustri.biz sobre este assunto e que vão ao encontro das palavras do meu amigo:

He argues that when retailers sell games hardware, it is largely an investment into a future customer that will hopefully return to the store to buy games for that system and perhaps accessories

Comentário do meu amigo:

Tens noção da margem de lucro que temos nas consolas? É ridícula! Quase nem compensa vende-las! Se as vendemos é para ajudar o comércio da zona que depois nos compra e vende os jogos.

Frase do GameIndustry

Without that possibility, there is little benefit in allocating our resources to a dead-end-sale,” he says, adding that he also doesn’t plan to stock Xbox products in future.



We will only support manufacturers and publishers who support us. If a customer comes into a retail store, and the retailer has a choice between selling an Xbox where they would never sell them anything again or a PS4 where they had a chance of some attach rate, they would surely sell them a PlayStation.

Frase do meu amigo:

Mas se a Microsoft nos tira as vendas dos jogos que é o que ainda dá alguma coisa, colocando-os em aluguer, é bom que alugue também as consolas, porque nós, pela miséria das margens, certamente não as vamos vender.

Naturalmente que estamos a falar de apenas algumas lojas, e nem se sabe com que impacto nas vendas globais. A diferença aqui face a casos anteriores onde o mercado mudou e muito comércio teve de se adaptar, é que o mercado não mudou. Apenas a parte da Microsoft é que mudou! E isso quer dizer que estes retalhistas aqui possuem uma arma de retaliação, o promover e vender apenas os produtos de quem está no mercado que os alimenta, cortando nas receitas da Microsoft, e aumentando as dos outros.

Se mais lojas irão aderir ou não é algo que é questionável, até porque a Microsoft não disse nunca que iria parar com as vendas físicas. Mas mais ainda, se estes poderão ou não fazer mossa é difícil de dizer, depende da quota de mercado que eles alcançam, mas independentemente de poderem ser ou não os maiores responsáveis pelas vendas, todos juntos possuem certamente uma quota de vendas que não é de negligenciar. E que se cortada a uma marca e adicionada a outra se revela importante! É nesse sentido que achamos a notícia relevante: a medida, por muito boa que soe ao consumidor, mexe com o mercado, e  como esta notícia demonstra ele não parece disposto a ficar apenas a olhar mas, dentro do possível, se tal os prejudicar, vai reagir contra ela.

E aqui é que está a novidade face a casos passados pois ter agentes de mercado unidos, e em percentagens capazes de influenciar muitas decisões e vendas, a boicotar uma marca seria algo que não me recorda de ver nas consolas!



Posts Relacionados

Readers Comments (36)

  1. É exagero! A Microsoft colocará seus exclusivos permanentes, porém a maioria dos seus jogos são das thirds onde que não entrarão no serviço de forma rápida, e msm que entrarem, terão somente meses no serviço. Todos percebem que a Microsoft está querendo toda a parcela do seu lucro nessa iniciativa, pelo menos sobre os games a qual ela produz, e por mais que isso possa mexer no comércio de alguma forma, há pessoas que ainda comprarão os games da empresa,pq não assinarão o serviço. Entendo o lado dos lojistas, mas creio que há uma tempestade no copo d’água. Infelizmente eles precisam ganhar, porém a empresa que investiu pesado na estrutura do serviço, nas propriedades intelectuais tb quer ganhar…mais. são coisas do mercado que não tem como evitar. Veja o caso da gamestop, essa que era pra ficar mais furiosa, irá até vender os cartões do game pass nas lojas. Sei que o rapaz irá perder, porém a realidade dele, ainda mais quanto a vendas do produto, é muito por causa do pequeno tamanho do mercado Xbox em Portugal, do que pelo problema do game pass em si. Quanto as cadeias do reino unido, gostaria de ver mais algumas a se manifestar, algo que ainda não vi. Bom domingo!!!

    • Acho que aqui o receio é de que a Microsoft alargue a oferta aos jogos das Thirds.
      Como digo no artigo, apesar de uma boa quantidade de retalhistas ter falado à Gamebiz, apenas são conhecidas duas a nível mundial que efetivaram o boicote.
      Isso não é nada… mas como digo no artigo é preciso ver é se isto evolui.

  2. Quanto a situação do Xbox em Portugal não tem nada de estranho, é uma sonylandia.
    Quanto ao resto mundo, essas lojas tem muito mais a perder deixando de vender produtos da Microsoft do que ganhar. Não demora muito e essas lojas enfiam o rabo entre as pernas, engolem o orgulho e voltam a vender os produtos Microsoft como se nada tivesse acontecido.
    Com certeza esse bem que poderia ser o sonho de muitos sonystas se realizando, o começo da falência da Microsoft e o fim do Xbox. Só que não!
    Uma empresa que de brinde terá disponível $130 bilhões de dólares, valor esse que poderia comprar duas vezes a Sony e ainda sobraria um troco para adquirir outras empresas, não vai sumir do mapa assim tão facil.

    • lol, certeza que não pensa antes de digitar….

    • 130 antes de impostos. Pagou 13.8 bilhões de impostos que se traduziu num prejuizo de 6.3 bilhões, uma perda de 82 centimos por ação e distribuição de 5 mil milhões aos acionistas.
      Ou seja, algum já se foi.
      Para além do mais é muita arrogância ou até parvoice pensar-se que a Microsoft iria investir isso tudo numa divisão que só lhes dá 11% dos lucros e que inclui mais coisas para além da consola.

    • Alexandre Oliveira 5 de Fevereiro de 2018 @ 17:24

      Igor que quantidade de disparates…
      Estas a falar dos Sonystas mas o teu texto denuncia-te em tudo como caixista!! Ou seja acabas por perder a legitimidade de algumas afirmações que fazes…lol
      Para bem dos verdadeiros gamers esperemos que a Sony a Nintendo e a Xbox nunca batam com a porta!
      Espero que todos tenham lucro, mas espero principalmente continuar a poder escolher onde e como gasto o meu dinheiro, não espero que me forcem a comprar coisas que passado pouco tempo estão a descontinuar….

      • Por acaso a Microsoft está apontando uma arma na cabeça das pessoas forçando-as a fazer algo que não queiram? O que a Microsoft está fazendo é disponibilizar mais uma opção, não o contrário.
        Deixa de ser dramático, isso sim é um disparate.

        • Sim… é verdade. Até ao momento é uma opção! Mas não deixa se ser uma falsa opção pois só quem gosta de colecionar é que vai preferir pagar mais. E se o mercado fisico decresce ele deixa de ser rentável e morre,

        • Alexandre Oliveira 6 de Fevereiro de 2018 @ 0:04

          O facto da obrigação era relembrando a era do kinectic lembra?
          Tenho ele na prateleira a apanhar pó!
          E sim fui obrigado a comprar na altura!!

          • Não, não foi! Primeiro que você não era nem obrigado a comprar o Xbox One.
            Também serve como peso de papel ou para escorar porta.😉

          • Não… obrigado a comprar a Xbox ninguem foi… Mas o Kinect foi! Era: ou levas isto ou não levas a consola!

          • @Igor você pelo menos faz uma pesquisa antes de comentar? Ou gosta de distorcer as palavras?

            …você não era nem obrigado a comprar o Xbox One.

            inguém é obrigado a comprar o One, PS4 Swich ou PC, mas em 2013/2014 quem quisesse ter um One era obrigado a levar o kinect.

            Também serve como peso de papel ou para escorar porta.

            Há objetos no mercado bem mais baratos para fazer a mesma finalidade. Se preferir há como ter um peso de papéis e um escorador de porta gratuitos, para isso é só usar respectivamente um pedacinho de pedra e um saco plástico cheio de areia. Para quê gastar U$100,00 em 2013/2014 para isso?

  3. Já a Sony é que deve estar mais preocupada e ocupada com essa possibilidade.
    As coisas não devem estar nada boas por lá, essa semana mesmo o chefe foi demitido. Estranho que o chefe da empresa que todos dizem estar falindo foi promovido.😕

    E tem mais essa…

    http://cinepop.com.br/a-sony-pode-ser-vendida-em-breve-de-acordo-com-site-165927

    Pelo menos teremos o Homem Aranha em definitivo junto ao Universo Marvel.😉

    • Eu nem sei como dialogar perante tanto disparate junto.
      Para começar comparas o Kaz Hirai ao Phil Spencer, o que é tão ridiculo como comparar o Satya Nadella ao Shuhey Yoshida. O Kaz ocupava o cargo de CEO da Sony e Phil Spencer nunca na vida teve tal cargo.
      Depois o Kaz não foi demitido. O Kaz foi um dos responsáveis pela recuperação da Sony, e dizeres isso mostra que não tens sequer noção de quem ele é.
      Kaz Hirai saiu por iniciativa própria e mantêm-se na Sony como Chairman.
      Tanto sua saida como o seu sucessor foram propostas à Sony por ele que, como não podia deixar de ser, aceitou.
      Os motivos para Kaz sair tem a ver com o facto de ele e a familia morarem na carolina do norte, mas ser necessário deslocar-se regularmente ao japão, o que nos ultimos 6 anos o desgastou tremendamente.
      Essa ignorância toda mostra bem o nível de informação que normalmente colocas no que escreves, ou seja, nenhuma!

      Quanto à Sony ser comprada… Não é a Sony… é a Sony Pictures. E já te tinha respondido a isso, mas como bom fanboy que és, ignoras para poderes continuar a dizer o mesmo, ou seja, disparates.
      A Sony pictures é detentora de grandes franchisings, mas não é um gigante e não pode competir com eles. Nesse sentido a empresa pode ser comprada por tubarões, o que eles querem evitar, e nesse sentido preferem ser eles a entrar numa fusão. Caso isso não aconteça, o vender os direitos dos filmes que mais tornam a empresa tentadora tambem está na mesa, de forma a evitar que ela seja comprada.
      A notícia que linkas, apesar de não ser muito clara, explica isso tudo.

      https://twitter.com/KazHiraiCEO/status/959328380511506432?s=17

      • Igor pelo que parece é apenas mais um dos seguidores do Xbox Mil Grau e portais fans de determinada marca como Windowsclub onde a desinformaçao e o ismo são fonte de vida pra eles, isso que ele falou sobre Kaz é realmente o que vem sendo difundido no meio dos fans da Microsoft.
        Uma pena, este user a um tempo atrás ainda debatia de forma imparcial mas de uns tempos pra k.

        Mário só por curiosidade da uma olhada durante uma semana somente no site Windowsclub e confirme o que eu estou falando.

        • Netto… Eu não visito esses sites!

        • @ Netto Criticas tanto aquele youtuber que não sai de la e ainda por cima traz resposta acidas pronto para hatear também.
          Infelizmente por alguns usuários assim acabam contaminando um site a qual o intuito é informar e não debates idiotas, fogem do tema toda vez para trazer gosto pessoal acima da noticia.
          A mudança ocorre quando além de olhar para o rabo do amigo olhamos o nosso.

          • Pois é! Esses são os que mais alimentam esses canais que tanto criticam.
            Vai entender esses “isentões”.

          • Eu nem vejo os vídeos dele, como podes afirma tal coisa?

            O que eu refiro é em.cima do que vejo no Windowclub, lá todos defendem o Xboxmingau e eu fico sabendo das tretas por lá.

          • Espantoso…

            Tens dois utilizadores: um vem para aqui e vomita constantemente a cartilha desses senhores, sem ao menos se preocupar em confirmar a veracidade das informações ou pensar no que leu, o outro chama a atença de algo que toda a gente já notou (basta comparar as últimas notícias dessas fontes e os comentários desse senhor aqui no site para ver como andam sincronizados)

            E depois vens tu Gabriela, e com tamanha perspicácia que me continua a espantar, atiras mesmo ao lado…

    • Alexandre Oliveira 5 de Fevereiro de 2018 @ 17:27

      Igor se falar disparates paga-se imposto quem estava falido eras tu….lol

  4. Essas lojas que se manifestaram contra são aquelas que compram os jogos de vocês por 15 Euros e os coloca na prateleira por 40 quando grandes varejistas como o Walmart conseguem vender o mesmo game, novo, por preço semelhante.
    O futuro do negócio deles é desaparecer, assim como as video locadoras se foram e como outros negócios irão conforme a tecnologia avança.
    Parabéns a Microsoft que não dá indícios de que vai ceder a pressão e por ter mais uma vez feito um movimento de liderança no setor digital, assim como foi a Xbox Live.
    Alguém precisa se mexer para que o negócio continue viável.
    As vendas de jogos não vão acabar, talvez até continuem bastante semelhantes, mas mais pessoas que pensam antes de gastar 60 dolares em um jogo, assinarão o serviço em mês de lançamento para experimentar fazendo entrar dinheiro na empresa, o que viabilizará que jogos continuem sendo produzidos.

    • Walmart no Brasil está encerrando suas atividades comerciais ficando somente com o Marketing Place.

    • Sim… Essas lojas fazem isso… E depois? Não vendem usados abaixo do preço de mercado dos novos?
      Quanto à Walmart não conheço, mas se vende novo a preço semelhante, então usado dá-te 5 euros. Não ganha muito num lado e nem no outro. Será que vai ficar no negócio muito tempo ou vai fechar as lojas ou pelo menos esta atividade. Só se safa se realmente o volume de vendas for muito grande
      Este tipo de negócio a retalho tende efetivamente a desaparecer. Falta saber é quando! Numa altura em que se acabou com a Neutralidade da internet, falar sem se saber consequências num mercado digital é andar sobre areias finas. Arriscamos-nos a pagar caro por eles. Mais ainda, onde é que a Microsoft paga os impostos dessa vendas? É nos países onde vende? Em muitos casos não, e vais ver intervenção dos governos em serviços como este para os taxar, pois essas são divisas que lhes fogem e que prejudicam a economia.
      Se esta fosse efectivamente a solução para o mercado ser viável, ela estaria já usada. Todos pensam neste tipo de serviços mas continuam no modelo antigo que garantidamente funciona. E os motivos pelo qual há dúvidas é o que se segue:
      Um jogo custa vários milhões a fazer e requer vários milhões só para se pagar. Não é com 10 euros mês a dividir por mais de 100 jogos que os pagas. Mesmo no Netflix, filmes de terceiros, só os recebe depois de eles se pagarem no cinema, uma receita que aqui não tens.
      O Netflix afeta vendas? Sim… Mas não só os filmes estão pagos, como custam 25 a 30 euros, os jogos não estão e custam entre 60 a 70!
      Aqui colocar jogos novos seria ter de os pagar com o serviço, e quando muitos destes jogos podem ser jogados em um ou dois meses, reduzir a receita de 60 para 20, não é líquido que vai dar lucro, pelo menos a curto prazo, quando o mercado máximo potencial atual é 35 a 36 milhões e a própria Microsoft o quer abandonar dentro de 3 anos para um serviço de streaming de jogos.
      Para além do mais, só a Microsoft é que quer fazer isto, e mesmo ela só o vai fazer com jogos antigos e com os seus. O resto vai manter-se no retalho ou, quando muito, em serviços iguais concorrentes. Daí que o retalho não morre tão cedo.

      • Engraçado que quem até há pouco estava “preocupado” com o consumidor, passou a se preocupar com a possível futura situação financeira e com os lucros das empresas e lojas.
        Curioso para saber como seria a reação destes se esse movimento tivesse sido realizado pela Sony ao invés da Microsoft. Acho que seria tipo assim: “Sony revoluciona o mercado e prêmia os jogadores com seus super exclusivos. A partir de agora, a Sony demonstrando total respeito e reconhecimento pelo apoio e fidelidade de seus consumidores, em uma medida ousada e vislumbrando o futuro do mercado de jogos, dá um passo adiante e agora disponibilizará todos os seus futuros exclusivos desde o lançamento em seu mais novo serviço. Isso é mais do que qualquer outra empresa alguma vez já fez pelos seus consumidores, é uma clara demonstração de agradecimento e respeito por aqueles que são a razão e o motivo dessa indústria existir.
        Muito obrigado Sony, por mais uma vez demonstrar que realmente ouve e respeita seus consumidores.
        Esperamos que agora, diante desse pioneirismo da Sony, mais empresas possam seguir esse mesmo caminho; opções são sempre bem vindas e como apaixonados que somos por jogos só podemos agradecer por essa rara iniciativa que premia a todos.”
        Agora voltando a realidade, quando é a Microsoft que dá um passo desses, todos já sabemos como são as reações; das lojas já eram previsíveis, mas a de alguns “gamers” é que foram surpresa, apesar que são da concorrência e sendo quem são até podemos dizer que também eram esperadas. Fazer o quê!?😕

        • Mais uma vez as disparates a virem ao de cima! Mas será que tu só abres a boca e falas sem sequer te informares?
          http://www.pcmanias.com/microsoft-apresenta-o-xbox-game-pass-um-sistema-de-aluguer-de-videojogos/
          Como diz o nosso artigo usando adjectivos como “Excelente”, e “muito bom… muito bom mesmo”, este é um serviço a manter e a evoluir.
          A preocupação com o consumidor não fica afectada, uma vez que em todos os nossos artigos sobre o Game Pass sempre dissemos que para o consumidor o serviço era excelente. O consumidor nem sequer está em causa aqui!
          Pessoalmente vou aproveitar e bem o Game Pass… se posso pagar apenas 10 ou 20 euros, por um mês ou dois, normalmente o que jogo cada jogo, porque haveria de pagar 60 ou 70 por ele? Se não te queres preocupar com o facto de milhões de pessoas irem fazer o mesmo, cortando a receita de Microsoft, óptimo para ti…
          E sim, diria o que dizes em cima (serviço inovador, obrigada por ouvires, etc)… quer da Sony, quer da Microsoft. Isto se visse a viabilidade do negócio tal como está! Mas não vejo, e nesse sentido o que vejo é um cavalo de troia destinado a nos tirar mais e mais dinheiro. Porque sendo claramente perceptível que as receitas vão cair, a Microsoft não vai ficar a perder.
          Não julgues que são todos como tu, que mudam conforme a cor. Aqui há coerência! Disse mal da Pro e da X não foi como alguns que criticaram a Pro, mas elogiam a X. Isto não muda conforme o lado! Ainda por cima nem sequer disse mal do serviço, apenas demonstrei preocupações sobre a sua viabilidade e sobre o que poderemos esperar caso ele tivesse sucesso e matasse o retalho, bem como noticiei uma realidade relativa às lojas de retalho do Reino Unido!

          Agora problema, problema, é com os disparates que dizes… Que são constantes e me obrigam a andar aqui a responder-te. Daí que dado o que referes que é apenas escrito com o intuito de tentar criar polémica, tenho é de ponderar se te vou aceitar mais mensagens! Porque não estás a contribuir com nada senão sarcasmo, e ainda por cima, infundado!
          Só um par de links que ficaram por mandar relativos ao que dizias antes:
          Link 1- Kaz hirai passa a chairman
          http://variety.com/2018/biz/news/sony-ceo-kaz-hirai-steps-down-1202685176/
          Link 2 – Organograma funcional
          http://www.pldt.com/images/default-source/board-of-committee/pldt_orgchart2016.jpg?sfvrsn=0
          Espero que tenhas agora aprendido aquilo que não te dizem lá no sitio onde te escrevem a cartilha, e que tu nem te dignas a tentar saber apesar de estar a uma pesquisa do Google de distância… que um Chairman está acima do CEO e Presidente, e que como tal Hirai não foi despromovido.

        • @Igor
          Estas perder razão com alguns argumentos , não discordo 100% do que fala mais precisa ser menos hater pois acaba no mesmo patamar dos que vc critica aqui.
          MS esta certa em lancar este sistema, o mercado sempre muda e se não for ela seria outra empresa, isso é histeria de poucos lojistas, porem a mídia adora maximizar tudo que vem da mS enao o que devemos fazer é esperar no que esta historia vai dar.

        • Já chegaste ao ponto de colocar palavras na boca de outras pessoas: isso não foi o que aconteceu, mas muito possivelmente, pelo que escreves continuamente, é o que gostarias que tivesse acontecido. Assim, já podias ser uma vítima válida.

    • Tu e o teu futuro, Fernando…

      Pegando nos teus valores: um jogo, que novo é vendido por 70 se numa loja dão 15 por ele e o colocam a 40€, significa que ainda posso adquirir um titulo recente, mas usado, por 25€ (40-15), reaproveitando um que não uso mais.

      Nada mal, tendo em conta que o mesmo título me custa 70€ nas lojas… Que é vantajoso, é!

      Eu já cheguei a comprar um jogo por x numa loja e a vendê-lo por esse mesmo x a outra pessoa. Gastei 0!

      O GamePass, é, pelos valores de agora, vantajoso, disso ninguém tem dúvidas. A questão é: e no futuro? É nisto que ninguém pensa.

      Estive ver os comentários da Eurogamer sobre isso e houve um que me chamou a atenção. Dizia o utilizador:

      “Toda a gente se queixa sempre do mesmo. Com o EAAccess foi a mesma coisa… E no entanto o serviço veio e alguma coisa mudou? Não!”

      A ironia deste comentário é que quem o faz nem se aprecebe do que realmente está a mudar. Porque estava a comentar precisamente sobre aquilo que estava a mudar. O EA Access veio e agora… chega algo parecido made in Microsoft.

      Quando o EAAccess foi anunciado discutiu-se sobre quais as possível consequencias.. e elas aqui estão… agora temos a MS a fazer o mesmo que a EA. Já são duas. Quantas mais se seguirão?

      O que ninguém entende sobre isto são as consequencias. Se todas as grandes produtoras quiserem uma fatia do bolo teremos aquilo que aconteceu recentemente entre a Disney e a Netflix, vários serviços, várias subscrições a cobrar por conteúdo pelo qual por antes só se cobrava uma subscrição.

      E o pior nem é isso… são os preços. Agora está barato, mas já estamos a falar de uma renda anual de 120 + 60 (GamePass+live), só pelo aluger do jogo. Quando a oferta estiver completamente dividida entre vários serviços, irá aumentar?

      E o catálogo? Agora, eu querendo um jogo de há 10 anos e que não teve sucesso ainda o posso encontrar numa loja, mas na loja digital, o conteúdo que não vende muito tende a desaparecer. Há constantes notícias sobre isso. Essa é uma das consequencias do desaparecimento de cópias físicas.

      Há quem não veja isto, e há quem o veja.

      Sobre o resto que dizes é uma deturpação. O negócio como está é viável. A Sony e Nintendo são provas disso. Tu não tens o gamepass por dificuldade do negócio, tens por dificuldade do mercado numa tentativa de rentabilizar ainda mais o negócio.

  5. E o psnow, Mário? Tb não foi uma iniciativa da Sony por esses caminhos? E será que tem lucro ali? Fiquei impressionado com o crescimento do serviço, com mais de 500 jogos, sendo games como red dead redemption e outros até da nova geração com alguns exclusivos ps4 como Until Dawn por ex.

    • O PSNow não se pode enquadrar exactamente ao mesmo nível do Game Pass, apesar de ser efectivamente algo do género!
      A questão é há três diferenças super relevantes.
      E quais são elas:
      – Só está disponível em determinadas regiões.
      – Requer boa internet para se usar.
      – Poucos estão interessados nele.
      De resto.. é exactamente igual! Só lhe falta os exclusivos!
      Agora… quantas pessoas conheces (ou tens ideia) que irão aderir ao Game pass? E quantas conheces (ou tens ideia) que irão aderir ao PSnow?
      Mas relevando isto tudo… é verdade o que dizes! Apenas que no dia a dia acho que não conheço ninguém que se lembre sequer que o PSNow existe! Já o Game pass não digo o mesmo!

      • Porque, ao contrário da MS, a Sony não chegou um dia e disse: agora só faremos a coisa assim. O PS Now nunca teve a relevância que o Gamepass está a ter porque a Sony nunca lhe deu essa relevância.

  6. @ Bruno
    Não irei ocupar mais um tempo com debates sem contexto como esta a fazer agora .
    Como me referi mais acredito que você so deva ter lido este comentário acima e não a qual critico a postura do Igor .
    Não precisa de muitos aqui olhar as tretas que são causadas por alguns a qual já me referi, sempre colocando gosto pessoal em pauta do que o assunto esta abordando.
    Me espanta e analisar pelos seus comentários de alguns post que faças a mesma coisa que alguns user do site, entao vamos encerrar antes pois já fugimos do assunto abortado.
    Não se estresse por coisas q auql nem você foi citado, isso é ruim para um todo, passar bem .

Deixe um comentario

O seu e-mail nao sera publicado.


*