AMD confirma: CPUs Rysen estarão desbloqueados e prontos para o overclock no seu lançamento

Os novos CPUs estão prestes a sair. E preparados para o overclock logo no seu lançamento.

Ao contrário do que acontece com alguns CPUs Intel, a AMD veio referir que não haverá um único CPU AMD da nova gama Rysen que não esteja desbloqueado e preparado para o overclock.

Para tal os chipsets AM4 que suportarão estes CPUs todos terão suporte para o overclock, permitindo aos utilizadores explorarem ao máximo as capacidades dos seus CPUs. O mesmo se passará com todas as variantes dos CPUs, independentemente do número de núcleos!

Da mesma forma a AMD assegurou que várias soluções de refrigeração estarão igualmente disponíveis no lançamento dos CPUs, desde o simples arrefecimento a ar, a sistemas de arrefecimento a água.

Parece assim que a AMD está a querer superar todas as expectativas dos entusiastas, oferecendo um produto com o qual podem brincar de forma livre.

A data exacta do lançamento destes CPUs ainda não é conhecida, mas a AMD conta que 2017 seja o ano em que finalmente os utilizadores voltarão a olhar para a empresa como verdadeira concorrente da Intel.



Posts Relacionados

Readers Comments (22)

  1. [OFF] Mário o que você acha de um dos últimos artigos da Eurogamer sobre as especificações do Scorpio?

    Lá especula-se que o Scorpio será o mesmo que o Pro é e que a CPU não avançou muito, creio eu que é para garantir que os jogos fiquem mais compatíveis entre Scorpio e One.

    Abaixo trechos do artigo:
    “A ESRAM permanece essencial para alcançar alta performance na Xbox One e Xbox One S. No entanto, a Project Scorpio e o PC não têm ESRAM. Uma vez que não é permitido apresentar uma versão exclusiva da Scorpio, optimizar para a ESRAM permanece altamente importante para a performance nas plataformas Microsoft,” revela o documento.”

    “A PS4 Pro oferece vários jogos com modos de performance superior com rácios de fotogramas livres – e nenhum deles conseguiu duplicar a performance de 30 para 60fps de forma consistente. A Microsoft não diz que a Scorpio o conseguirá isso e sugere um compromisso – correr os elementos GPU no dobro da velocidade, enquanto os elementos GPU são interpolados. Utilizar núcleos ZEN tornaria isto redundante. Não conhecemos jogos de consola que usem esta técnica – mas é impressionante e este comentário reforça a ideia que a tecnologia CPU da Scorpio não avançou a par da GPU.

    A Microsoft nunca disse o contrário. Confirmou uma CPU com oito núcleos, sugeriu uma CPU com um relógio mais rápido, e falou sobre correr jogos existentes a 4K com HDR. O documento concentra-se em como conseguir isso. Um aumento de 4.5x no poder computacional sugere que os motores 1080p vão ser facilmente convertidos para Scorpio, mas muitos jogos correm a 900p. O salto para 4K é de 5.76x e ao mesmo tempo, os estúdios podem optar por usar o poder em outra coisa.”

    Fonte: http://www.eurogamer.pt/articles/digitalfoundry-2017-a-corrida-pela-4k-nova-xbox

    • Neste momento estou sem saber bem o que pensar.
      Sabes que sou contra as consolas de meio de geração e preferia que a Scorpio fosse claramente de nova geração. Assim não sei bem o que pensar.
      Penso que há dois motivos para isto.
      1 – A Microsoft sabe tão bem como nós o que a AMD tem para 2018 e sabe que a Sony vai responder.
      E isso faz com que se a Microsoft se prender com uma nova geração tem de ficar pelo menos 2.5 anos presa à consola antes de poder lançar algo novo.
      2 – Não se prendendo à nova geração fica livre de agir como a Sony. Se a Sony responder em 2018, dando apenas 2 anos à PRO, a Microsoft fica livre para fazer igual e responder em 2019.

      No global Lívio, pense por onde pensar acabo sempre no mesmo raciocínio, onde as gerações vão passar a 4 anos, temos consolas da marca a cada dois e como os lançamentos são alternados, temos uma consola nova todos os anos.

      Isto acaba com a possibilidade de alguém manter duas consolas e tem de fazer uma escolha, ou Sony ou Microsoft.

      PS: espero estar errado nesta forma de ver as coisas.

      • Pegando esses trechos do artigo da Eurogamer fico realmente sem entender o que a MS quer para o Scorpio, pois se ele então é de meia geração qual o objetivo que a MS quer para ele?

        Toda empresa ao lançar um produto quer atrair mais consumidores e a MS é claro que quer reconquistar boa parte daqueles que partiram do 360 para o PS4, mas ela quer fazer isso lançando um console de meia geração? Será que ela pensa que colocando mais potência irá conquistar os usuários que forma para o PS4?

        O PS4 Pro está sendo um exemplo.

        O mais lógico seria o que o Fernando defende que de início prende para essa geração, mas depois o liberaria para a geração mais nova. O problema aí é que a MS mais uma vez iria dar um 180° nas suas políticas, pois pelo que entendi(no artigo) não terão exclusivos no Scorpio….que de cara isso já falha devido aos jogos VR possíveis AR que não rodarão no One.

      • E sobre estes consoles de meia geração, ambas as empresas se precipitaram, pois se a Sony errou em lançar logo o Pro ao invés de esperar 1 ano para pegar Apu’s melhores, a MS também entrou no mesmo barco, já que nos próximos 2 anos existirão APU’s com o dobro e/ou triplo de TFlops que a APU que o Scorpio irá utilizar.

    • Tem um twitter de um insider, que parece bem informado que diz que esses documentos que a Eurogamer viu, foram enviados pela MS ainda no período da E3 e que algumas coisas mudaram internamente nesse período.
      Tecnicamente, o Scorpio foi anunciando 18 meses antes do lançamento e provavelmente ainda estamos a uns 4 meses das especificações finais. Principalmente se usarmos como comparação o PS4 Pro onde o devkit foi entregue em Abril, 6 meses antes do lançamento para os estúdios trabalharem nas conversões de lançamento.
      A Microsoft teve e ainda tem tempo para tomar decisões como por exmplo até mudar as especificações finais, é melhor do que isso, o PS4 Pro foi uma espécie de laboratório pra eles.
      Nesses 3 meses ficou claro que o PS4 Pro e um console mid gen foi um equívoco. O Pro vende uma quantia irrisória e com a adição do modelo Slim tendo suporte para saída 4K e HDR, ficou claro que a Microsoft não precisa do Scorpio para ser um Mid Gen, independente de vender menos que o PS4, o Xbox tem um bom desempenho, não dá prejuízo e vende mais do que o Xbox 360 em comparações de período.
      Eu não sei o que a Microsoft vai fazer, mas eu acho que ela tem duas possibilidades. Lança o Scorpio como o Xbox One melhorado e repete a Sony onde os resultados do console base mascaram o fracasso do hardware novo, ou trabalha para melhorar as especificações e deixar o Scorpio pronto para competir até contra um possivel PS5 e isso poderia até implicar em adiar o console para 2018. Acho que não iria rolar nenhum mimimi quanto à isso.

      • E é por isso que acho que o Scorpio não será mid-gen, primeiro pelo exemplo que o Pro está dando, segundo que mesmo fosse um mid-gen e sendo o console mais potente da geração, dificilmente ela irá recuperar a base que saiu do 360 e foi para o PS4, ou seja, poderá amenizar a proporção de vendas, mas dificilmente alcançará em vendas o PS4.

        Só acho triste que a MS decidiu em não fazer com o One o que a Sony fez com o PS3, se dedicar em trazer novas IPs e de preferência first party.

        Mas em ambos os casos, mid-gen ou next-gen a situação/imagem perante aos usuários não vai ser boa.

      • Como escrevi, ambas as escolhas tem vantagens e desvantagens.

        – Mid gen

        Pessoalmente desagrada-me, pois tem todas as desvantagens da Pro e vicia o mercado em consolas iterativas regulares, mas parece ser a melhor escolha para a Microsoft.
        Ao ser mid gen não haverá receios de falta de suporte à One, especialmente quando a Microsoft vai falar ainda mais 10 meses na Scorpio e nesses 10 meses os possuidores da One vão ter seca de exclusivos na consola.
        Seria ainda uma decisão que não cairia mal a quem comprou uma S, que nessa altura terá pouco mais de 1 ano.
        Esta solução não prendia a Microsoft a uma nova consola daqui a 2 anos. Nessa altura a gama Xbox atual teria 6 anos e a Scorpio, uma Mid Gen, devidamente definida como uma Xbox One de elite, teria 2.

        – Next Gen

        Poderá dar vantagem de vendas à Microsoft, mas só o faria com jogos que a One/PS4 não pudessem ter.
        Seria um rude golpe nos fans que veriam a One a ser passada após 4 anos, uma geração curtissima, e a S a ser ultrapassada após pouco mais de um ano.
        Isto não ia cair bem… em três gerações seria a segunda vez que a Microsoft colocava os seus lucros à frente dos clientes e deixava a consola ser ultrapassada sem lhe dar o tempo de vida expectável.
        Naturalmente os clientes estão-se a lixar para se a decisão é ou não a melhor para a Microsoft, e as acusações de que a falta de jogos exclusivos para a One e 2017 se deveu já ao foco na nova consola irão aparecer. E ninguem sabe se com ou sem razão, mas as coisas serão indissociáveis.
        A Microsoft poderá estar a arranjar lenha para se queimar, especialmente com um lineup poderoso da Sony para 2017 e 2018 e caso venha a existir, ainda este ano um anuncio de uma PS5 que, essa sim dá os 5 anos expectáveis de vida à geração PS4.

        Claro que depois vais ter perspectivas nisto. Vai haver quem defenda, quem refira um futuro brilhante. Há quem nem sequer pense nisso, e se saisse mais uma consola entretanto, tambem a comprava. Mas como se diz, gato escaldado de ágia fria tem medo. E a maior parte do mercado não se guia por marcas, mas por jogos e atitudes.

      • Fernando, essa semana Phill Spencer disse que jogou os primeiros jogos no Scorpio, como assim ainda não está definida as especificações se até os jogos já estão sendo portados? Outra coisa é que esse vazamento parece mesmo ter sido da ultima E3, vc acha que nestes 6 meses a Microsoft mudou o projeto para algo mais ambicioso ou apenas espera que ela o tenha feito.

        • Então ele disse anteontem que jogou no Scorpio, semana passada o Frank O’Çonnor da 343i disse que o Scorpio é mais poderoso do que ele pensava e o material vazado tem 6 meses de idade. As maiores mudanças podem ter ocorrido nesses 6 meses que passaram entre a E3 e o protótipo final, se é que eles já estão no protótipo final, até por que, falta alguns meses até entregarem aos desenvolvedores que farão os primeiros ports, e geralmente os primeiros jogos são apenas ports, como os jogos do Pro.
          Daqui pra frente, nova geração não é uma mudança total de paradigmas. As mudanças são apenas visando melhoria de desempenho mas não existe por exemplo efeitos visuais que uma Polaris faria que não podem ser reproduzidos em um Xbox One ou PS4. A diferença é que você conseguiria efeitos visuais com essas placas que a atual geração não conseguiria reproduzir de forma jogável ou em alta resolução. Apenas isso.
          Isso significa que por exemplo se a técnica do checkboard rendering for ainda mais evoluída, o PS4 e o Xbox One poderiam sobreviver até completarem um ciclo de 10 anos, até por que os jogos não dão pinta de que irão utilizar a CPU muito além do que já é feito hoje.
          Como a cultura da alta resolução praticamente acabou a partir do momento em que a Sony, quem mais utilizou desse argumento, jogou tudo pro alto para vender o Checkboard Rendering endossado pela Digital Foundry que misteriosamente perdeu a lente de aumento que usava para falar das diferenças de 900p para 1080p e não consegue enxergar a diferença do 4K nativos para a técnica de reconstrução, a geração atual ganhou fôlego.

          • Vamos lá a ver…
            há uma realidade entre duas resoluções diferentes. É que elas são resoluções diferentes, e como tal o número de pixels no ecrã não é o mesmo!

            A imagem é feita por pixels, e a densidade deles no ecrã é que define a perfeição da imagem. Algo pouco notório em algumas superficies, mas especialmente notório em linhas inclinadas onde o efeito de escada conhecido por Aliasing se torna notório.

            E é uma realidade física que quanto menos pixels, maior é esse efeito.

            Daí que entre 1080p e 900p se note diferenças!

            Mas tu estás a querer que a Eurogamer distinga entre 4k …. e 4K.

            Aqui não estamos a falar de re-escalamento. Uma situação que eu até já demonstrei (e deves ter falhado esse artigo) é bem diferente.

            http://www.pcmanias.com/a-diferenca-pratica-entre-uma-resolucao-re-escalada-e-uma-nativareconstruida/

            A realidade é que o chequeredboard da PS4 calcula todos os pixels no ecrã. Há informação de tudo o que lá está, tal como nos 4K nativos. A diferença é que um é calculado usando metodologias vetoriais aproximadas, e o outro metodologias precisas e nativas.

            Mas apesar de ser inegável que mesmo assim há diferenças, nem de longe nem de perto as mesmas são ao nível de uma diferença real de resolução.

            Tu és uma pessoa informada… daí que estranho esse teu comentário acusatório sobre a Eurogamer, esquecendo esta realidade. Numa densidade tão grande de pixels como os 4K, e onde visualizas a imagem a 2m ou mais, algo como as diferenças existentes entre o nativo e o reconstruido é extremamente difícil de ver.

            E nada tem a ver com os 900p ve 1080p, onde basta uma linha inclinada a mover-se no ecrã para se perceber a diferença!

          • Aí é que está, existem diferenças e elas são visíveis quando se colocam lado a lado. Assim como 1080p e 900p também existe a diferença.
            Em ambos os casos e uma situação normal de utilização é difícil notar a diferença e impossível que a diferença ocorra em um nível que torne a utilização incômoda.
            Então eu sempre vou cutucar a Eurogamer independente de saber como alguma técnica funciona por que fizeram um carnaval sobre esse assunto de forma desnecessária.
            Infelizmente, se existem consoles de meio de geração tentando chegar ao 4K quando a maior parte das pessoas nem tem um TV apropriada pra isso, muito se deve aos imensos debates de fóruns e twitter que foram iniciados pela Eurogamer.

  2. Tem gente que anda pensando diferente, inclusive o criador de Ori and the blind florest.

    • Acho que levar em consideração a opinião de dev que praticamente só faz games exclusivos pra microsoft não é o melhor para se debater, o mesmo para o dev lá da 343 que disse que o scorpio seria mais forte que o esperado, ou seja, fica muito dificil dizer se o que eles dizem é realmente a realidade das coisas ou apenas mais um Marketing em cima do produto que no futuro eles terão de suportar. Já o documento que a Eurogamer tem é algo mais plausivél pois advem da propria Microsoft e é endereçado principalmente aos estudios externos.

    • Se isso for verdade a jogada da Microsoft queima muito a sua imagem.
      Lançar uma Slim para durar um ano antes de ser lançada uma nova geração que é apresentada 45 m depois da S é algo inédito na história das consolas. E duvido muito que quem comprou a S julgando que a Scorpio seria uma Pro vá gostar disso.
      No entanto, pessoalmente, confesso que isto me agrada mais do que uma consola de meio de geração. Mas eu não comprei uma S.

  3. Ao meu ver, o Scorpio será uma nova geração, mas serão lançado ano que vem… Mostrarão o console, alguns games, mas ele não deve estar fechado ainda,.pelo menos é uma mero chute meu.rs

    • Eu já acho que este projeto Scorpio é como um PS4 Pro Plus, para ser uma nova geração a Microsoft deveria oferecer um grande salto em processamento, poder computacional e memória, algo que não vai acontecer se o Scorpio realmente sair com 6TF, veja por exemplo o salto do Xone para o X360 onde o salto em Gpu foi de 6x e memória de 16x, somente o cpu que foi levemente melhorado em comparação, o PS4 é 7x+16x mais forte no que diz respeito a Gpu e memória que o PS3 e novamente aqui o Cpu teve até um downgrade pois o cell era uma bom cpu, para declararmos o Scorpio como uma nova geração ele teria de ser adiado e ter uma nova cpu ryzen, uma gpu com no mínimo 8TF e uns 24gb de ram, esse sim seria um salto do qual poderiamos chamar de nova geração, e ainda tem o fato de neste documento vazado relatar que o software vai ficar preso ao Xone, ou seja, não haveria jogos exclusivos pro Scorpio o que de certa forma limitará o seu potencial.

Os comentarios estao fechados.