Análise: Ratchet & Clank

ratchet-and-clank

É um pássaro? É um avião? É o novo filme da Pixar? Não.. é Ratchet & Clank na Playstation 4!

O que posso dizer de Ratchet & Clank… Apenas que sem saber, ao não ter jogados as versões PS2 e PS3, perdi aquilo que é um grande jogo.

Mas posso ainda dizer mais… AINDA BEM que não joguei… pois jogar Ratchet & Clank na PS4 acabou por ser para mim uma experiência única e fantástica em um grande, grande jogo, e ainda por cima vendido a um preço fantástico (39.99 euros).

O grafismo de Ratchet & Clank é aquilo que se pode definir como fabuloso. A qualidade do grafismo no jogo em nada deve aos melhores filmes da Pixar, e reafirmo o termo “no jogo”, pois não estou a falar de cutscenes, mas sim do jogo em si, onde a qualidade gráfica é exatamente a mesma que vemos nas cutscenes.

Ratchet1

Aliás, depois de jogar este jogo é que percebo como a industria evoluiu no mau sentido. Como a indústria com a ganancia de apostar apenas nas formulas que davam mais dinheiro acabaram por terminar com formatos que são a essência daquilo que nos levou a aderir aos videojogos, a pura e simples diversão.

Agora os jogos, e raros são os casos contrários, apostam na competitividade. Jogar contra outros humanos, evoluir, melhorar as capacidades… E sobre isso… estou cheio! Ratchet & Clank é uma lufada de ar fresco num jogo de plataformas de elevada qualidade, com libertação constante de armas, mas sem se perder a formula inicial, e onde mesmo a arma com que começamos, a chave inglesa, continua a ser fundamental e perfeitamente funcional até ao fim.

Ratchet4

O jogo possui pontos altos que são extraordináriamente bem conseguidos. As lutas com os bosses são pura e simplesmente fabulosas, e o grafismo que esta versão atinge quer na definição das personagens, quer dos cenários, tornam a luta fantástica.

Como cereja no topo do bolo, o jogo apresenta um humor constante muito bem conseguido, apesar de não saber bem dizer como a coisa está em Português pois mal ouvi a voz do capitão Quark e me apercebi que certos trocadilhos, apesar de bem conseguidos estavam a perder-se com a tradução, mudei a linguagem da consola.

Diga-se que após as cerca de 12 horas que me demorou o jogo a acabar fiquei com uma sensação de vazio, e mesmo vontade de o re-iniciar. O jogo cativa, é viciante, divertido, diversificado, e, repetindo-me até à exaustão, pura e simplesmente lindíssimo com um grafismo do melhor que já vi. Diga-se aliás que o filme que estreia brevemente é basicamente o jogo e a sua história, usando inclusive as mesmas cutscenes e qualidade de grafismo do jogo, apenas acrescentando algumas cenas adicionais para substituição das zonas de gameplay.

Ratchet2

A história é, desta vez, contada pelo Capitão Quark, uma alteração face às versões anteriores do jogo. É uma história um pouco infantil, mas mesmo assim convêm não esquecer que estamos a lidar com personagens cartoonescas pelo que creio poder dizer com liberdade que perdoamos essa situação sem qualquer problema.

Apesar de no final do jogo termos uma sensação de satisfação, durante o mesmo, e especialmente no início sentimos que há ali uma conexão um pouco forçada entre o Ratchet e o Clank. A ligação entre os dois é pouco explorada, e merecia mais algumas cutscenes que certamente estarão no filme, ficando por isso a ideia de ser um pouco forçada, apesar de ser claro que sem o Clank nas suas costas, Ratchet não faria metade do que faz. Mesmo assim, a falha existe, especialmente quando o uso do Clank durante o jogo é bastante inferior ao do Ratchet, mas talvez esse seja o motivo pelo qual o jogo se chama Ratcher & Clank e não Clank & Ratchet.

Ratchet5


Mas no final do jogo, o que implica algumas horas em cima do mesmo, perdoamos isso tudo. É certo que o jogo fica imperfeito por essas pequenas falhas, e até não precisava de o ser, mas é uma situação que no global não afecta em nada a história e acima de tudo a diversão, e que no final do jogo, com algumas horas de jogo, nos esquecemos. A personagem ali é o Lombax Ratchet, sendo que Clank é um pouco secundário face a ele, mas igualmente essencial.

Há igualmente que ressaltar que esta versão para a PS4 não é uma cópia das versões anteriores. O jogo foi re-imaginado apesar de manter muitos cenários e conceitos, e por isso apresenta muita coisa nova. Há 12 planetas para visitar e inimigos dos mais variados e face aos quais poderemos usar o nosso arsenal extremamente original e imaginativo.

Gosto especialmente do Groovitron, uma bola de discoteca que quando disparado obriga todos os que estão sob a mesma a dançar, ficando assim expostos ao restante armamento. Mas outras referências vão para a Bouncer, uma bola que disparada se divide em sub-bolas com imanes e que se colam aos inimigos explodindo, a Glove of Death, umas granadas com pernas e bracinhos que correm para os inimigos, se agarram a eles e explodem, e a Pixelizer, uma arma que transforma o inimigo numa amalgama de pixels 2D, ao estilo os jogos 8 Bits, fazendo bastante dano. Originalidade é coisa que não falta, seja nestas armas, sejam nas restantes que não falamos aqui! E acreditem… são muitas… mesmo muitas! 16 se não estou em erro!

Mas não é só nas armas que temos variedade. O jogo passa-se em terra, no ar, e debaixo de água, comandando Ratchet, Clank, ou a nave de ambos. E temos ainda as corridas de hover-board em duas pistas diferentes! É variedade total, e com o fator diversão em todas elas!

Ratchet3

Felizmente, graças às habilidades que vamos libertando, como as botas magnéticas, o jetpack, e outros, que vamos acedendo a zonas dos mapas anteriormente inacessíveis, e isso quer dizer que revisitar os planetas onde já estivemos pode oferecer algo mais.

Basicamente Ratchet & Clank é apenas diversão da mais pura que existe. E por 40 euros, este é um jogo a não se perder!

Deixo-vos de seguida a cinemática de abertura do jogo.

Análise: Ratchet & Clank
Gráficoswww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
Um jogo com uma fluidez perfeita que mantêm os 30 fps sem problemas, e com uma qualidade gráfica que se iguala ao que a Pixar faz de melhor. Pura e simplesmente, para o estilo gráfico pretendido, melhor era impossível. Os visuais são impressionante e as animações perfeitas!
Somwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
Fantástico em todos os aspectos. Uma mistura de efeitos dos mais variados, e que não passam despercebidos. As vozes estão pura e simplesmente fantásticas com uma escolha de actores com vozes adequadas às personagens que caracterizam.
Jogabilidadewww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
O mais old school possível, com variedade, diversidade, e bem executada em todas as componentes. Acima de tudo é tão divertida e diversificada que nos leva a questionar o porque que não há mais jogos assim?.
Atracçãowww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
A história é muito divertida e mais ainda, acabar Ratchet & Clank é um autêntico murro no estômago pois ele pede por mais! E o jogo oferece mais! Não só desbloqueia um modo desafio após o seu término, como podemos continuar a visitar os planetas à procura das zonas inacessíveis às quais ainda não tivemos acesso de forma a desbloquear mais cartas, armas e mesmo troféus. Há motivos para se repetir o jogo... e são bastantes. Infelizmente mesmo assim a ausência de um modo multi jogador limita a durabilidade do jogo, motivo pelo qual não podemos aqui dar a nota máxima
Overallwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
Um jogo que pelo preço se revela fantástico. Já não jogava algo assim tão bem executado à muito tempo. É sem dúvida uma compra a não se perder!


Clique se pretende explicações sobre este simbolo e o nosso sistema de avaliação

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (8)

  1. Nunca joguei um game dessa franquia, e depois que terminar Uncharted 4 provavelmente é esse aí que vou comprar,pois tenho ouvido muitos elogios…Além do mais, gostei bastante do trabalho anterior do estúdio, o Sunset Overdrive.

    Agora,fico confuso quando dizem que um game como Ratchet&Clank graficamente não deve nada às melhores animações da Pixar,porque quando vejo um trabalho top deste estúdio, ainda me parece muito melhor, pois são feitos de forma pré-renderizada e em computadores poderosos.
    Por exemplo:
    https://www.youtube.com/watch?v=fhefvYfQArQ

    Talvez esse game se compare a animações mais antigas da Pixar. Contra as melhores e mais novas animações ainda acho que tem uma boa distância no quesito gráfico.

    Mas em breve espero estar jogando e conferindo pessoalmente, pois o game rodando na TV sempre fica mais bonito que vendo no youtube,por conta da alta compressão de vídeo.

    • Nem mais antigas, nem mais recentes. Compara-se a trabalhos da Pixar.

      Este jogo nada fica a dever aos trabalhos da Pixar, especialmente se pensarmos que a Pixar trabalha com super computadores e com cada fotograma a demorar “2 dias” a ser rendido. Aqui tens uma qualidade semelhante aos trabalhos deles, mas calculados numa PS4 e a 30 fotogramas por segundo!

      A dar mérito a algo, teria de ser dado a este jogo pelo que consegue com o hardware que tem!

      • Eu joguei o Crack in Time do Ps3 e o jogo é muito bom mesmo,Referente a história pelo que sei o Clank é um robô fugitivo que acaba caindo nas mãos do Ratchet e começa a aventura dos dois desconhecidos que viram amigos inseparáveis.Se já no PS3 o jogo é bonito de se ver e divertido de jogar.Esse ano o PS4 ta forte,muito forte.

  2. Valerio Fernandes 6 de Maio de 2016 @ 15:06

    Grande Análise Mário ! Continua o excelente trabalho!

  3. Bem, o seu review expressão o meu sentimento ao jogar esse jogo.
    Realmente falta jogos desse tipo hoje em dia.
    Muitas pessoas evitam jogar esse tipo de jogo só por causa do seu estilo
    cartunesco e infantil.
    O que eu vejo hoje, são crianças de 10,12 anos se sentindo o máximo (adultos) por jogar BF, COD esses jogos violentos.
    Quando você mostra um jogo desse tipo, não dão nem oportunidade de experimentar e já dizem que o jogo é lixo.

    Ótima review, espero ver mais daqui em diante na Pcmanias.

  4. Excelente análise Mário, fico feliz por finalmente teres jogado a um jogo desta franquia que é certamente única e de um género outrora popular.
    Este Ratchet conseguiu a proeza não só de me retirar do Dark Souls 3, como me levou fazer algo que há muito não fazia, que é acabar um jogo 3X de seguida, o raio do jogo é super divertido e entusiasmante de se jogar, mas por muito que seja bom, não é o melhor Ratchet de todos, esse titulo ainda pertence ao Crack In Time que te recomendo vivamente, porque se a nível de grafismo é inferior, é superior em quase tudo, e já o consegues comprar por 15€.
    Ainda te recomendo que não deixes passar ao lado o Tools of Destruction e o Nexus, mais dois grandes jogos que certamente te vão deliciar.

    • Eu tenho o Crack in Time no PS3 e repito o jogo é muito bom,minha filha gosta dele e do Mário,esse jogo pra mim mostra a qualidade e jogabilidade de uma forma 3d dos classicos da éra 16 bits.Curto bastante.

  5. Mário, parabéns pela bela análise! Bem, Lembro-me quando quando vi Ratchet e Clank pela primeira vez, na verdade, eu o vi na revista da época e fiquei impressionado com o game. Depois o joguei pela primeira vez no ps3, o primeiro do console chamado de Tools of destruction, com gráficos incríveis, tudo incrível! Estou seriamente pensando em comprá-lo no Vita tb, que possuem alguns, inclusive a versão remake do primeiro do ps2(original), mas depois das análises, inclusive a sua, Mário, comprarei a versão do ps4 que está deslumbrante! A Sony com um tempo criou grandes franquias Neste estilo de game, Sly, Jack e Dexter, etc… Mas, com todo respeito, creio que Ratchet e Clank é tão acima da média que chega a fazer frente com os grandes games de plataforma, aventura da Nintendo como Mário, Dk, e outros… E olha que sou fã incondicional da Nintendo!

Os comentarios estao fechados.