Análise: Shadow of the Colossus PS4

Shadow of the Colossus na PS4 é uma recriação do jogo original, mas adaptada totalmente aos dias de hoje. A equipa foi inteligente o suficiente para saber manter as caracteristicas que definiram o jogo original, sendo que o que temos aqui é Shadow of the Colossus do mais puro. O resultado final é uma experiência única, semelhante à original… mas para melhor… muito melhor!

Convenhamos que nem tudo nesta recriação me agradou. Já referi num outro artigo alguns pontos onde acho que alguma da magia do jogo original se perdeu. A questão é que se isso é verdade, os pontos onde a magia ganhou nova vida são de tal forma superiores que no peso da balança esta desiquilibra totalmente. No seu global jogo bate de forma clara o original, melhorando aquilo que já era visto como uma obra prima.
O que é necessário perceber-se aqui é que este jogo não é uma remasterização. Não se tratou apenas de melhorar texturas, colocar mais ervas, e recriar o jogo. Na realidade o jogo foi todo reprogramado, foi totalmente recriado de raiz.
Isso não quer dizer que muito do código original não tenha sido re-utilizado. E ainda bem que o foi pois foi isso que permitiu ao novo Shadow of the Colossus ser uma versão moderna e atualizada, mas ao mesmo tempo, o antigo Shadow of the Colossus. A equipa foi inteligente o suficiente para usar todo o código original que entendeu fazer parte do ADN do jogo.
Naturalmente que houve alguma pena de o jogo não acrescentar algo ao jogo original. A ideia inicial quando o primeiro jogo foi criado era possui mais colossos, e aliás, os fans encontraram no código do jogo, a geometria de colossos adicionais. Seria interessante que este jogo pudesse ter colocado um modo extra, mesmo que acessível apenas após o término do jogo, onde pudessemos combater alguns colossos extra. No entanto, se calhar pela mesma questão do espírito original, dado que o código que os animava não estava presente, foi decidido não se o fazer (ou se existe, estão escondidos e não se acedem de forma directa). Afinal isso seria criar animações novas e um balanceamento no combate que não existia, que iria certamente mudar o nuclear da visão de Ueda, algo que se traduziria num passo numa direcção que se afastava do espírito original. E quem sabe um Shadow of the Colossus 2 não possa estar aí na calha? Seria fantástico!
Mas face ao jogo original as melhorias foram extremas. A geometria, apesar de re-utilizada foi toda revista, e o mundo ganhou um realismo que nunca antes tivera. Onde antes o mundo era cinzento e sombrio devido a limitações de hardware, agora é um mundo mais realista, mas que não perde as suas caracteristicas originais. O resultado é um aspecto visual incrível em qualquer que seja a consola PS4 que se jogue. Aliás, ver agora lado a lado algumas partes do jogo original face ao atual mostra claramente como a Nostalgia nos ilude, criando uma imagem de algo perfeito onde na realidade só existia um borrão de cor.
Basicamente a nível visual o jogo é totalmente novo, e é uma proeza visual na consola. É realmente espetacular!
As melhorias gráficas permitiram acrescentar detalhe anteriormente não existente nos colossos. As texturas agora fazem justiça às coisas, as ruínas são ruínas perfeitas, e o pêlo é agora pêlo e não uma técnica poligonal que apenas era possível na altura pela gigantesca largura de banda e Fill Rate da PS2. Não fossem as atuais capacidades dos GPUs que permitem a criação de pêlo, a própria PS4 não conseguiria simular plenamente o mesmo efeito de falso pêlo da PS2. A PS2 tinha uma largura de banda de 48 GB/s e o seu Fill Rate enchia uma resolução de 640×480. Atualmente com uma largura de banda de 176 GB/s a PS4 lida com resoluções de 1920×1080. É um aumento de 3,66x na largura de banda, mas para 6,75x mais resolução!
Para mais informação sobre como o efeito de pêlo foi simulado na PS2, podem ler este artigo. Notem que está em Inglês!
No fundo a tecnologia da PS4 permitiu ao jogo ganhar uma dimensão que o original não tinha, com a arquitectura, grandeza e beleza do local a ganharem uma dimensão nunca antes imaginada, e com uma beleza extasiante e com uma sequência de fotogramas estável e perfeita.
Tudo isto ganha ainda nova vida com a inclusão de efeitos gráficos opcionais que podem ser aplicados em tempo real ao jogo num modo fotografia!
Uma das queixas que ainda podem existir passam pelos controlos. O jogo original era complicado de ser dominado, e o novo não altera isso! Sim, é certo que a Bluepoint criou um sistema alternativo de controlos mais adequados à realidade dos controlos atuais. Mas apesar de tal, manteve a complexidade do controlo original. Alterar isso seria alterar demasiadamente o conceito original, e mudar um dos pontos que, apesar das queixas, definiu o jogo e o tornou um sucesso. Foi mais uma decisão inteligente!
Onde houve claras melhorias foi na câmara! Sim, é certo que ela ainda se coloca em locais pouco ideais, mas isso prende-se com a realidade do jogo onde os colossos são autênticos níveis em movimento. A sua dimensão é tal que eles ocupam vários ecrãs! Mas no global as melhorias são significativas e não temos de lutar com a câmara como antes!
Como grande fan do jogo, adorei esta recriação! É um tributo merecido a um dos melhores jogos de sempre, e que aqui melhorou ainda mais.
Análise: Shadow of the Colossus PS4
Gráficoswww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
A Beleza do mundo de Shadow of the Colossus é extrema. É um mundo de mistério, de magia, um mundo ermo, e belo. Dizer que esse espírito foi conseguido com mestria não é exagerar, e o resultado é pura e simplesmente fantastico. Há contudo situações como a animação do corpo e face da personagem principal que matam aquilo que poderia ter sido perfeito.
Somwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
A banda sonora é fantástica e activa-se conforma a situação. Devidamente ritmada e caracterizada, esta aumenta a intensidade da adrenalina na dose perfeita.
Jogabilidadewww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
É shadow of the Colossus! Um dos melhores jogos de sempre. Dizer mal da sua jogabilidade já era dificil no jogo original, mas neste onde tudo foi melhorado... é quase impossível. Quanto mais não seja porque é um desafio chegar-se ao fim sem se ansiar por mais.
Atracçãowww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
Nem todos deverão acabar o jogo e continuar no mesmo pelos desbloqueaveis, até porque o jogo não oferece mais nada de novo senão a repetição dos combates em modo cronometrado. É certo que a durabilidade do jogo não é grande, mas a nostalgia que este conseguiu criar ao longo dos tempos é! E, mesmo que não seja logo, é impossível não se querer jogar mais e mais. Na parte que me toca o ter comprado já três vezes este jogo mostra que me prendeu!
Overallwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
Shadow of the Colossus marcou uma geração, e nesta recriação pode marcar outra. É assim tão bom... é um jogo que ninguém deve perder!



Clique se pretende explicações sobre este simbolo e o nosso sistema de avaliação





Posts Relacionados

  Subscribe  
newest oldest
Notify of
Ennio Rafael
Visitante

Um ponto muito interessante em que tocastes foi a da memória e nostálgia. Como nos lembramos do original, era perfeito, e comparado ao atual, eram borrões de cores. E daqui alguns anos o que será este atual.

Escrevo isto porque a questão da memória esta em meus estudos atuais, tanto na obra de Marcel Proust, como de Walter Benajmim, até o quadrinho recentemente públicado no Brasil: Um Pequeno Assassinato, de Alan Moore.

Sobre o jogo o problema dele é a crise, acabei de comprar um notebook gamer de entrada, estou contando as moedas até o próximo pagamento, mas estou com vontade de fazer uma pequena dívida.

Meus parabéns sobre o texto, muito bom.

Carlos Zidane
Visitante

Tá na minha lista pra esse ano também. Não joguei o original, mas agora tenho a oportunidade de joga-lo em sua melhor forma.
Como pretendo manter o PS4 pro resto da vida, sua biblioteca será com certeza melhor e mais variada com um título como esse.

Ewertom
Visitante

Fico aqui chateado com a Blue Point referente a não aquisição de uma melhoria no personagem principal,onde ao meu ver teria que ser a ponto de partida,o que adianta ter um grafismo tanto no cenários e colossos(mais que merecido)mas no que toca o personagem principal e aonde decorre toda a aventura deixaram como se fosse algo secundário.
Estava na minha lista,mas depois disto sei que não vou gostar não.
Achei problemas no remaster de Uncharted onde ocorriam problemas de controles inexistentes no PS3(principalmente no Uncharted 1)ou eu não percebia.
Mas quem não curtiu(jogou)recomendo conhecer esta aventura.