As duas faces da Xbox One X

É sem dúvida melhor que a Pro. Infelizmente…. é muito melhor que a Xbox One original!

Infelizmente a Xbox One X é uma consola com duas facetas, e que perante a perspectiva de análise pode ser vista como algo muito bom, ou como algo muito mau.

Aqui tudo depende da óptica do utilizador. Para quem compra de novo há apenas uma perspectiva, a de comprar algo que é melhor, mas para quem já tem consolas é que a coisa é diferente. E aqui há duas perspectivas quase irreconciliáveis.

Sejamos correctos: Os fans mais acérrimos de consolas aderiram a esta geração logo no seu início. E depois, consoante a forma como encaram as consolas outros foram aderindo ao longo dos tempos. Actualmente o mercado que compra consolas não é o mais hardcore das mesmas.

Resumidamente, isto permite ter uma noção de como estas consolas de meio de geração são um desrespeito total pelos fans mais acérrimos. Basicamente elas apoiam-se exactamente nessa paixão, não só para venderem aos novos clientes que estão a aderir e procuram um produto melhor, mas acima de tudo, para fazer o fan acérrimo gastar dinheiro por uma segunda vez, aderindo às mesmas.



A ideia aqui é criar um dependência das atualizações das consolas, tal e qual a que existe nos smartphones, e PCs. É uma questão de vendas e lucros!

Apesar de se conseguir compreender que a evolução tecnológica torna dificil existirem produtos acessíveis com grande longevidade, e de a única forma de as consolas continuarem competitivas face ao PC é com estas atualizações de meio de geração, a realidade é que as mesmas criam uma clivagem de performances e resultados face aos modelos base.

É uma quebra da unicidade do mercado consolas que nunca existiu, sendo que esta característica da unicidade era um elemento que definia este mercado. Aquilo, históricamente, aquilo que o vizinho tinha o que cada um teria em sua casa. Sem tirar nem por! E ver um video de um jogo de uma consola queria dizer: “É aquilo que eu vou ter na minha”.

Mas agora com estas consolas de meio de geração isso deixou de ser assim! E as clivagens aparecem, com versões do mesmo jogo que podem chegar a ser incomparáveis entre as versões da mesma consola!

Se a PS4 Pro nesse aspecto foi melhor enquadrada, com a consola a ser basicamente uma PS4 capaz de oferecer melhores resoluções, a Xbox One X não é assim. A consola encaixa muito mais na definição de uma geração intermédia! Por outras palavras, face à consola original, ela cria uma clivagem de performances e resultados que em alguns aspectos chega a ser geracional. Mas no entanto a consola não é verdadeiramente de nova geração! Não só possui hardware preso à atual geração, como é o caso do CPU, como os jogos são forçosamente limitados no que podem oferecer, ao terem como plataforma base de desenvolvimento a Xbox One.

É assim um produto que se revela com duas facetas. Por um lado é uma excelente consola e a mais potente do mercado. Mas por outra, e particularmente face à Xbox One, por esta ser da mesma familia, é uma consola radicalmente superior. Em alguns aspectos, pelos limites da Xbox One que mais nenhuma consola apresenta na mesma proporção, mostra-se uma geração acima!

É nossa clara opinião que este é um produto mal colocado. Um produto que divide de tal forma a plataforma que não deveria existir. Aliás, mesmo com a PS4 Pro, que não atinge estas proporções de clivagem já tinhamos achado o mesmo. Mesmo com pequenas diferenças a realidade é que elas existem num mercado onde não deveriam existir. Mas com a X a coisa chega a ser mais chocante!

O primeiro exemplo conhecido de um jogo super optimizado para a Xbox One X foi Forza Horizon 7! Mas curiosamente, talvez por ser um jogo First Party, esse foi um jogo muito elogiado por nós, não só pela sua qualidade, mas pela forma como foi concebido.

É que apesar de este jogo tirar total partido da Xbox One X e possuir diferenças que se podem considerar como gigantes entre a Xbox One e a Xbox One X, com excepção da resolução, as mesmas não são visualmente chocantes.

Resumidamente, a A Xbox One “aldraba” muito do cálculo usando metodologias alternativas que, obtêm um efeito visual semelhante. Basicamente o que temos é um produto onde a Xbox One faz as coisas bem, mas as Xbox One X faz as coisas ainda melhor, tudo dentro de um equilibrio que permite que o jogo seja basicamente equivalente, dentro das limitações de cada consola.

O resultado é que Forza 7 é um portento gráfico independentemente do sistema em que é jogado. Há melhorias, mas ambas as versões são igualmente excelentes e mesmo semelhantes a nível gráfico!

Mas será que isso vai acontecer com todos os jogos? Infelizmente não!

E Shadow of War é um dos exemplos onde tal não acontece! E que mostra as duas faces da Xbox One X:

Face 1: A melhor consola

As comparações entre a Xbox One X e a PS4 Pro mostram as virtudes da Xbox One X. Melhor resolução (neste jogo chega a um ganho de 56%), melhores fps, e acima de tudo, melhores texturas.

É um conjunto de diferenças que neste jogo se revela significativa, especialmente se tomarmos em conta que algumas das texturas usadas nas restantes versões se revelam de qualidade bastante baixa. Eis um Zoom numa textura para que se perceba melhor como sobe o pormenor em zonas de pequena dimensão.

Mas mais do que palavras, eis o video da Digital Foundry que compara as versões, e que o faz melhor do que poderíamos aqui fazer:

Esta é a faceta interessante da Xbox One X, o facto de existir uma consola no mercado que é capaz de atingir esta qualidade mais elevada. Por esse factor, a consola seria de louvar!

Face 2: A clivagem

Mas no entanto a consola não deve ser primariamente comparada com a PS4 Pro. Não porque não interessa pois todas as comparações são válidas, mas porque esse é o tipo de comparação que interessa mais ao fanboy da marca do que ao mercado. Acima de tudo, para o consumidor normal e que já está no mercado possuindo uma consola, o que interessa saber é o o que ela faz face às consolas base, mais particularmente, dado que é com ela que se mexe mais directamente, face à outra consola da mesma marca, e as clivagens que ela cria internamente dentro do próprio mercado Xbox que alcança.

E porque motivo isso é relevante? Porque quando a consola, mais do que se mostrar uma consola capaz de melhorar, de agradar a mais pessoas, e de aumentar as vendas, se mostra uma consola que concorre com a outra consola da marca, ao ponto de a tornar “menos desejável” ou mesmo “pouco desejável”, parece-nos que algo está mal!

Mas porque falamos numa Xbox One “pouco desejável”? Muito simplesmente porque, a nível de performance, as consolas da Microsoft estão não só colocadas nos dois extremos existentes, o melhor e o pior, como a clivagem entre ambas pode chegar a ser enorme!

Daí que achamos que, mais importante do que a mostrar os ganhos da X face à Pro, a Digital Foundry teria feito um melhor serviço se comparasse igualmente a versão X com a versão da One original!

Aliás a DF já tinha feito algo assim com a PS4 Pro. Num seu primeiro video, a DF mostrava e realçava as diferenças entre a versão PS4 Pro, PS4 e a Xbox One S.

Mas no seu mais recente, ignora as consolas base e compara apenas a Xbox One X e a PS4 Pro, usando as texturas de alta definição! É uma tendência atual nos media, ignorar as bases nas previews.

O problemático aqui é que se os comparativos de Shadow of War mostram que os 4 GB extra de RAM da consola podem criar diferenças face à PS4 Pro que são visualmente significativas, se associarmos as melhorias que esta consola da Sony já tinha face às restantes, vemos que só pode haver algo que teremos de considerar um fosso visual entre a Xbox One X e a Xbox One.

Infelizmente a Digital Foundry ao falhar nessa comparação, ficamos sem forma de ter uma comparação directa entre as duas versões das consolas da Microsoft que nos permita ver a clivagem! Mas há um método indirecto que poderemos usar para percebermos as diferenças.

Para isso vamos começar por mostrar as versões base da consola, começando por uma imagem de Shadow of War na PS4:

Pedimos nesta fase que olhem para a imagem de uma forma global, mas prestem atenção às árvores e à zona dentro do circulo. E vamos comparar com a Xbox One.

Ignorem para já o retangulo adicional colocado em cima! Ele servirá para uma comparação futura!

Que diferenças vemos então entre a versão PS4 e a Xbox One?

Bem, no seu global a nitidez da imagem desce pois a resolução desceu na Xbox One para os habituais sub 1080p, e consequentemente a definição das árvores acaba por ser inferior na Xbox One face à PS4! Mas o que desce igualmente é a qualidade das sombras que, como se vê dentro do circulo, está inferior na Xbox One face à PS4.



Eis a imagem sobreposta para perceberem as diferenças:

Comparemos agora ambas as versões com a PS4 Pro, e para isso usemos as duas imagens olhando para a  zona dentro do rectangulo.

O aumento da resolução é notório face às outras duas consolas. Tal é bem visível na definição das árvores e no serrilhado das ameias das torres dentro da zona rectangular assinalada!

A qualidade das sombras é idêntica à PS4 tendo ligeiras melhorias que são devidas ao aumento da resolução, mas face a ambas as consolas base há vegetação adicional presente na zona assinalada.

O que é perceptível é que o LOD, o termo associado à variação da qualidade da geometria aplicada a diferentes profundidades, é superior na PS4_Pro. Todas as árvores em primeiro plano possuem o mesmo nível de qualidade. Já na PS4 as árvores da frente mais afastadas possuem outra qualidade inferior nos ramos, e na Xbox One, para além de uma aparente descida de resolução, todas elas parecem estar com esta qualidade de segundo plano.

Vejamos a sobreposição das versões PS4 e PS4 Pro.

E agora a sobreposição das 3 versões:

Eis a comparação da Digital Foundry entre a PS4 Pro, a PS4 e a Xbox One, e da qual retiramos as imagens de cima para o nosso artigo.

Conclusões:

Naturalmente as melhorias da Xbox One X são louváveis… É bom ver a equipa a tirar total partido das capacidades e memória adicional da Xbox One X e a não se refrear com questões de paridade. A Xbox One X existe e há que se tirar partido das suas capacidades.

No fundo a consola melhora sobre a base. Uma base que nas restantes consolas está bem feita como mostra esta uma comparação entre o PC e a  PS4 Pro sem o uso do Pack HD de texturas. O PC está com o detalhe em Ultra e corre numa GTX 1080!

 

Mas a questão aqui é a satisfação de um mercado de 30 milhões de consolas Xbox One que agora se vê cada vez mais afastado do que de melhor se faz. E apesar de a Microsoft reforçar que ambas as consolas são da mesma geração e que uma apenas melhora a qualidade do jogo da outra, a realidade é que parece estarmos perante casos onde as diferenças entre a Xbox One X e a Xbox base são abismais. A coisa não chega a ser uma melhoria… Com a Xbox One a puxar para baixo e a Xbox One X a puxar para cima, a diferença pode chegar a ser abismal!

Infelizmente não há nenhuma imagem que nos permita comparar as versões de forma directa, mas se entre a PS4 Pro e a X elas são notórias, se entre a PS4 Pro e a PS4 são notórias, e se entre a PS4 e a Xbox são notórias, entre a X e a One elas serão forçosamente gigantes. Há aqui um total 3 níveis de qualidade pelo meio!

Resumidamente, este tipo de melhoras são um pau de dois bicos. Por um lado é de louvar todas as virtudes da X, mas por outro a situação mostra bem o motivo pelo qual somos contra as consolas de meio de geração. E isso nada tem com a concorrência entre as marcas, mas pelo respeito aos consumidores que adquiriram as consolas originais, e aos quais a geração pertence. Utilizadores que de um momento para o outro se veem a ficar para trás, sem que haja verdadeiramente uma nova geração. E neste caso as diferenças entre as duas consolas da Microsoft, muito mais do que as diferenças entre as consolas da Sony, são basicamente as de uma consola de “ricos” e uma consola de “pobres”, sem haver um meio termo. E não falamos necessariamente do custo, mas da qualidade do oferecido! Não é uma consola que oferece melhorias face ao que oferece a outra! Aqui, dada a presença das consolas da Sony pelo meio, e olhando de cima para baixo, temos uma consola de topo (x) que oferece uma coisa, outra mais barata (pro) que oferece algo um pouco inferior, outra mais barata (PS4) que oferece ainda algo mais inferior, e finalmente a Xbox One, mais barata ainda e que oferece algo ainda mais inferior. E é aqui que a Xbox One se está a enquadrar actualmente face a X: No inferior do inferior, do inferior! (note-se que inferior aqui não é usado pejorativamente, mas sim apenas para constatar as diferenças da qualidade do oferecido. Apesar de tudo a qualidade dos jogos é excelente em todas as versões das consolas).

Sinceramente, para quem não pretender a X, perante tudo isto a One, pelo desfasamento entre elas, e pela existência de consolas intermédias a preços iguais ou pouco superiores, torna-se “pouco desejável”. E convêm não esquecer que a One é uma consola que regularmente  fica abaixo dos 1080p, o standard definido para esta geração. E quando a PS4 por vezes também desce para os 900p a Xbox atinge os 720p. Nestes casos, para os 4K é um desfasamento de resolução de basicamente duas gerações.

Sinceramente quando era sabido que os utilizadores Xbox One não gostavam verem ressaltadas as diferenças face à PS4, certamente gostavam ainda menos de ver as diferenças face à Pro! E isso até gerou uma “guerra” de consolas nos fóruns. Daí que se questiona como se sentem eles perante as diferenças face à X e promovidas pela própria marca? Convêm não esquecer que a One é uma consola que com alguma regularidade fica abaixo dos 1080p, o standard definido para esta geração.

Esta é uma questão curiosa, pois se quando no lançamento da PS4 Pro, tanto os possuidores de consolas Sony como os de consolas Xbox se uniram a criticar a existência de uma consola de meio de geração que criava uma clivagem e dividia os próprios utilizadores da marca, o certo é que essas mesmas criticas parecem ter desaparecido com o aparecimento da X.

Dualidade de critérios? Não admiraria… É afinal um dos elementos que define um grupo específico de indivíduos conhecidos na gíria como “fanboys”.

Infelizmente para os possuidores de 30 milhões de consolas Xbox One, entre os quais me incluo, as diferenças visuais entre estas duas consolas deverão ser enormes. Sem que no entanto haja um  verdadeiro salto operacional! Como se já não fosse mau para estes possuidores da Xbox One terem a consola mais fraco do conjunto, agora elas não verão apenas as diferenças para uma PS4 ou uma PS4 pro, mas terão igualmente de ver as diferenças face à outra Xbox que ocupa a posição oposta. E serão não só os chamados “Sonystas” a falar sobre as diferenças face à One, como também aparecerão os “Xistas”, que usando uma linguagem diferente e mais ponderada, estarão no entanto a fazer o mesmo!

O posicionamento da X foi, a nosso ver, mal ponderado pela Microsoft, e ao contrário da PS4 Pro que basicamente oferece os mesmos jogos da PS4, mas com mais resolução e uma ou outra melhoria perdida aqui e ali, a Xbox One X consegue oferecer diferenças muito mais significativas.

É sem dúvida a consola mais potente do mercado, mas dada a disparidade que ela cria face à consola base, e dada a nossa postura existente desde o lançamento da PS4 Pro com a qual nunca concordamos que existisse, seria agora hipocrisia não tomar a mesma postura face à existência da Xbox One X que oferece um fosso ainda maior.

Certamente para aqueles que estão dispostos a comprar ou a fazer o upgrade por meia geração para uma Xbox One X, as diferenças serão vantajosas. Mas é nossa opinião que devido a esta divisão, o mercado em si perde mais do que ganha com este tipo de produtos!



 



Posts Relacionados