As mulheres como heroínas nos videojogos. A evolução!

Quantos jogos possuem mulheres como heroínas? E quantos possuem homens? O panorama não é exactamente igual, e a evolução… bem, é complexa.

Estávamos em 2015, mais especificamente na E3, e dos totais de 76 jogos mostrados na feira, qual a percentagem de jogos que possuíam mulheres como protagonistas principais e qual a percentagem em que eram homens?

Bem, desses 76 jogos, 13% não eram homens nem mulheres, eram criaturas ou animais, e não seres humanos, mas dos restantes 87%, apenas perto de 9% ou 7 jogos, possuiam as mulheres como protagonista principal.

Já com um homem nesse lugar tinhamos cerca de 24 jogos, o que representa perto de 32% dos jogos.

Mas apesar de tudo o panorama nem era mau, e 46% dos jogos ou 35 jogos, possuíam homens e mulheres como alternativa de escolha!

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Qual a evolução que verificamos então de 2015 para 2016?

Bem, 2016 foi um ano onde o numero de jogos mostrados decaiu, passando para apenas 59 no seu total. E isso impede que esta análise tenha os efeitos desejados.

Seja como for, 7% desses jogos eram mais uma vez ocupados por protagonistas não humanos, o que nos deixa 93% como protagonistas humanos.

E desses, apenas uns míseros aproximados 3%, ou seja, 2 jogos, tinham mulheres como protagonistas! Já os homens ocupavam esse lugar em 41% dos jogos ou 24 jogos. Em compensação, o número de jogos que oferecia alternativas subia para 49%, o que aqui representava 29 jogos.

Passemos a 2017 e o que temos?

Bem o número de jogos apresentados subiu tremendamente para 109 jogos, e desses 15% não possuíam protagonistas humanos. Isso deixa-nos com perto de 85% ou 93 jogos para avaliar.

Desses jogos a percentagem de jogos onde as mulheres ocupam o papel principal sobre face a 2016, para 7%, mas não atinge os valores de 2015 com 9%. No entanto se a percentagem diz isso, os números concretos mostram que estes 7% correspondem a 8 jogos, o que em termos globais acaba por ser um número de jogos superior ao de 2015.

O número de jogos com homens no principal papel é que levou um rombo, caindo para 26%. E aqui a queda não é só a nível percentual, mas efectivo, pois tal são 28 jogos, o menor número de sempre!

A evolução dá-se então nos jogos que oferecem escolha, que passam para 52%. E isto são nada mais, nada menos do que 57 jogos!

Claramente este estudo não permite ver se o número de personagens femininas nos videojogos está a aumentar, mas permite ver que claramente o número de jogos onde os homens são a personagem principal está a cair, sendo que a possibilidade da escolha do género é cada vez mais uma realidade.

Note-se que se desconhece como este estudo contabiliza jogos como por exemplo Uncharted 4, onde o personagem principal é um homem, mas que na componente multi jogador possui mulheres. Mas naturalmente Nathan Drake ou Lara Croft não podem mudar de sexo, e a oferta de escolha na vertente multi já deveria servir para contabilizar o jogo como oferecendo ambas as escolhas.

Fonte: Engadget

 

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (2)

  1. Eu gosto muito de personagens femininas, em RPG’s só chars femininas, no Street fighter só Chun Li, Sara Ryder no MEA Mai shiranui no KoF, Ellie no próximo Last (hahahaa), torcida pra três personagens no próximo GTA 6 com opção de uma personagem feminina… Etc etc
    FIFA com seleções femininas… Humm legal Srta Alex Morgan…
    Alloy e eu não tivemos muita química mas, aquela cinturinha teve muita nos prints pra wallpaper do PS4…
    PS: Não sou adepto do Xvideos como alguém possa vir imaginar… Atualmente.
    ;P

  2. Tenho vontade de saber como se compõem a industria dos games, entre homens e mulheres, nacionalidades etc…, saber até onde alcança a globalização dos jogos.

Os comentarios estao fechados.