Astronautas da Mars Explorer podem sofrer de Jet Lag continuo.

O Jet Lag foi um fenómeno apenas recentemente reconhecido pela ciência. E que em Marte poderá ser problemático!

marte

Até bem recentemente, as queixas de sono devido às diferenças horárias eram vistas apenas como isso mesmo: Queixas. Mas recentemente a ciência concluiu que as alterações ao sono mexem efectivamente com a parte biológica, justificando assim cientificamente as queixas.

E é a importância do sono que regula a nossa vida. Desde o horário das escolas, horários de trabalho, etc. E quando se viaja para locais com grandes diferenças horárias, a biologia do corpo fica de tal forma afectada que o rendimento e capacidade ficam afectados.

E esse problema é algo com que a Nasa se está a deparar e que está a analisar como resolver no que toca aos astronautas que possam ir a Marte pois o ciclo dia noite é um pouco diferente do terrestre.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

O problema é que que cada hora em Marte não dura 60 minutos, mas sim 62. Isso faz com que o dia tenha mais 40 minutos que o normal. E estes 40 minutos acrescentam-se todos os dias.

Ou seja, ao fim de 2 dias a diferença já é de perto de hora e meia, e por aí fora.

O resultado, de acordo com a Nasa em testes simulados é a de completa exaustão. E a Nasa acredita mesmo que a continuidade da situação pode mesmo ser fatal.

Ora o testes da Nasa não foram em Marte, foram na terra, com o nosso ciclo dia/noite, e a Nasa acredita que os ciclos de luz a acompanhar os de sono podem permitir minimizar os resultados obtidos nos testes terrestres. Seja como for, o ser humano está pré-programado para um ciclo de 24 horas, pelo que os resultados são sempre imprevisíveis.

A nasa tem tentado reprogramar o corpo humano com o uso de terapia de luz, com algum aparente sucesso. Mas infelizmente a questão não é só física é igualmente psicológica pelo que há muito trabalho ainda pela frente e nenhuma garantia de sucesso.

Publicidade

Posts Relacionados