Atual geração de consolas termina em 2017?

PS Neo e Xbox Scorpio… são os projetos para 2017. E devem significar uma nova geração!

Nota: o artigo que se segue é 100% baseado em rumores e especulações, entrando igualmente em especulações. Nenhum dos dados abaixo é certo ou confirmado e como tal não deverá ser tomado como realidade!

Recentemente surgiram rumores sobre a PS Neo, uma playstation com aproximadamente 4.2 Tflops de performance e que não viria substituir a atual PS4, mas sim oferecer performances melhoradas usando o seu modo Neo. A PS4 seria a base de desenvolvimento, mas a nova consola poderia ter melhorias de performance e resolução face ao modelo base. Ainda segundo rumores, a existência desta consola não de devia a uma vontade da Sony, mas sim a uma imposição da AMD que pretende terminar com o fabrico dos chips a 28 nm que equipam as anteriores consolas, oferecendo como compensação hardware melhor, mais rápido e mais recente, aos preços inicialmente acordados. A alternativa seria as empresas suportarem os custos de manutenção das linhas de montagem obsoletas.

As especificações da consola inicialmente indicadas davam a entender o mesmo processador Jaguar, mas a correr a 2.1 Ghz, acompanhado de um GPU Polaris 10 a 911 Mhz, com 2304 shader processors, o que lhe forneceria um total de 4,197 Tflops de performance.

Mas eis que recentemente vem a público a existência de uma Xbox Scorpio. Uma consola com especificações desconhecidas, mas com 6 Tflops.



Apesar de tal, só pelo valor da performance, não parece difícil adivinhar-se qual o GPU que estará a ser usado para esta consola, bastando analisar o percurso da Xbox. A Microsoft desde à algum tempo que tem vindo a eliminar a linha que distingue a consola do PC, pelo que parece coerente que a próxima Xbox seja efetivamente um PC. Não a 100% pois determinadas optimizações que existem nas consolas como o HSA que permite o uso da memória unificada e partilhada apenas existem em APUs, e isso quer dizer que a consola não teria um GPU discreto como nos PCs.

Ora que características de GPU sabemos que pode ser atualmente inserido num APU? Exatamente, o GPU da PS Neo.

O Polaris 10 com 2304 Shader Processors se iria ser usado na Playstation, então pode ser usado num APU, e este será o GPU que a Microsoft estará a pensar usar.

A diferença está que a Microsoft está a pensar em termos de PC, pelo que a diferença face ao que foi dado como rumor na Neo estará na velocidade de relógio. Ali a Microsoft não estará a limitar-se aos conservadores 911 Mhz que existiam para garantir performances mas para não hostilizar ainda mais quer os compradores da Neo, quer os da antiga PS4, bem como para eventualmente garantir a manutenção dos restantes componentes da consola como a caixa,  fonte de alimentação e o sistema de refrigeração, mas sim a ir à velocidade máxima do chip, tal como usado nos desktops, ou algo perto disso.

A velocidade máxima conhecida para a atual versão do Polaris 10 é 1350 Mhz. E a Microsoft estará a pensar usar algo nesses valores. Talvez por segurança térmica, menos 50 Mhz, fixando-se nos 1300 Mhz. E isso forneceria para esse GPU um total de 5.99 Tflops. Caso opte pelos 1350 Mhz totais, teremos 6.22 Tflops!

2304*911*2=4197888 Megaflops
2304=1300*2=5990400 Megaflops
2304*1350*2=6220800 Megaflops



A questão aqui, pelos dados que acompanham o rumor, é que a Microsoft, ao contrário do que se falava com a Neo, não está a pensar em uma consola sem exclusivos e presa à Xbox One. Está mesmo a pensar em uma nova consola e com novas funções como o suporte de realidade virtual com uma parceria com a Oculus Rift. Mesmo que compatível com a anterior, e que o suporte à anterior não morra, teríamos aqui uma nova consola com novas potencialidades e funções, e uma nova geração.

Isso quer dizer que esta notícia certamente vai fazer a Sony pensar duas vezes na sua Neo, e esquecer a limitação de velocidade da mesma, levando-a igualmente para os 6 Tflops. A consequência dessa decisão é o anular do conceito limitado da Neo, e o ter de terminar com a atual geração mais cedo, lançando igualmente uma nova consola sem restrições em 2017. Uma situação que a Sony não desejava uma vez que a atual consola lhe está a dar tanto lucro e que limitará a geração atual a 4 anos (apesar de o suporte para a mesma poder estar garantido para mais tempo).

Mas naturalmente o que estamos a referir são apenas especulações. Ninguem tem real conhecimento das reais especificações da Xbox Scorpio ou da PS Neo. Tudo o que há são rumores, motivo pelo qual este artigo é tambem especulativo e baseado nesses mesmos rumores.

Mas o certo é que essas consolas a serem lançadas só o serão em 2017, sendo que nenhuma delas está já em produção e como tal estão sujeitas a alterações às suas especificações a qualquer momento. Mas a nosso ver, este rumor da Scorpio será motivo suficiente para alterar a situação e forçar ambas as empresas a uma nova geração mais cedo, e 2017 será a altura (Novembro talvez).

Nota adicional: Apesar de perceber que a Microsoft queira uma consola superior à da Sony (ou pelo menos igual), o lançamento de uma consola com 6 Tflops, apesar de desejável para os utilizadores desde que o preço seja atrativo, parece uma incongruência face ao que a empresa fez no passado. Recorde-se que a Microsoft tornou a Xbox uma plataforma, levando os seus jogos para o PC. Apesar de poder haver motivo para discussão se tal é ou não uma coisa boa, a manobra parece comercialmente lógica uma vez que abre o mercado a largos milhões de máquinas adicionais cuja performance é idêntica ou superior à da Xbox One. Dado que atualmente qualquer GPU de 150 euros é capaz de oferecer performances iguais ou superiores aos da Xbox One, estamos efetivamente a falar de uma grande fatia do mercado PC que se revela como potencial cliente dos jogos Xbox no PC.

Ora com uma máquina base de 6 Tflops essa fatia reduz-se a uma migalha. Pessoalmente conheço muito poucas pessoas que possuam máquinas com 6 ou mais Tflops, e ainda por cima com capacidade de executar computação assíncrona, uma vez que as placas Nvidia possuem sérios problemas com ela. E daí que esta escolha se coerente por determinadas perspectivas, parece minar tudo o que se fez até hoje no PC. Mas o certo é que para o Gamer PC a Microsoft nunca foi de confiança e nunca lhes interessou minimamente por nunca ter definido uma política clara e coerente para essa plataforma com mudanças de políticas constantes. Algo a que os possuidores da Xbox One tambem já foram bastante sujeitos na atual geração.



 

 



Posts Relacionados