Atualização de Outubro do Windows 10 foi retirada por apagar ficheiros. A Microsoft sabia e lançou-a mesmo assim!

Tal como tem vindo a ser habitual a Microsoft lançou uma nova actualização do Windows 10, a actualização 1809 de Outubro de 2018. Infelizmente um largo número de utilizadores que a instalou queixa-se que a actualização lhes apagou ficheiros do computador, o que obrigou a Microsoft a retirar a actualização do ar. A questão é que a Microsoft tinha sido informada desta bug, e ignorou-a, lançando a actualização sem a verificar.

Nunca, mas mesmo nunca, em caso algum, uma actualização deveria mexer com ficheiros do utilizador presentes no disco. Tal é um abuso, um ato totalmente desnecessário e que leva a questionar porque raio a Microsoft mexeu sequer em ficheiros que não são seus e aos quais nunca lhes foi dado qualquer direito de acesso.

Mas a realidade é que, saiba-se lá porque, não só a Microsoft lhes acedeu, como em muitos casos, apagou-os, o que levou a uma onda de queixas que obrigou a Microsoft a retirar a actualização do ar.

Seja num particular ou numa empresa, uma actualização do OS apagar ficheiros, sem ordem do utilizador é algo totalmente incompreensível. A situação pode causar danos irreparáveis, e prejuízos tremendos aos utilizadores e possuidores das máquinas, uma situação à qual a Microsoft se alheia. Um dos utilizadores que se queixa nos fóruns da Microsoft reporta que a actualização lhe removeu ficheiros que ocupavam um total de 230 GB, incluindo fotos, vídeos e documentos.

Sim, é certo que as pessoas devem fazer backups antes de instalar estas actualizações, mas a questão é: “Quem é que realmente as faz?”. Mas mais do que isso, apesar de não poder confirmar isso, pois não tive acesso à actualização, quem a fez relata que esta nem sequer alertou da sua instalação avisando que o sistema iria proceder a uma grande actualização. Basicamente o sistema descarregou a actualização em segundo plano, e quando do primeiro reboot que apanhou após a sua descarga, instalou-se. Sem qualquer alerta ou aviso que permitissem ao utilizador fazer um backups. Ou seja, aqui nem sequer a desculpa do utilizador não ter feito o backup a Microsoft tem!





Mas o pior de tudo é que os beta testers deste actualização tinham alertado a Microsoft da Bug… E 3 meses antes da mesma ser lançada, havia relatórios dos utilizadores no programa windows insider, para a Microsoft que a informavam do problema.

A imagem que se segue foi obtida na altura dos relatos, e como se vê, tinha na altura 3 meses.

 

De acordo com a Verge, foram milhões de pessoas que testaram esta nova atualização do Windows, lembrando que já em Abril a actualização tinha sido adiada devido a um problema com ecrãs azuis. E apesar de o artigo da Verge ser uma espécie de palmadinha nas costas da Microsoft sobre o assunto, dando a entender que a empresa até se esforçou ao ter milhões de pessoas a testar, os relatos de queixas da bug existiram, sendo que a Microsoft pura e simplesmente ignorou-as, tornando assim todo o propósito deste Beta Testing inútil.

Aliás bastava um único relato no meio de milhões de testes. Dada a seriedade da situação, havia de investigar a situação antes de a actualização ser lançada ao público! É nisso que consiste um controlo de qualidade decente, é para isso que os testes servem, e é isso que se espera de uma empresa deste género.



Posts Relacionados