Bink revela… há uma nova consola para sair em breve. E pode ser a PS5 em Dezembro de 2019.

A situação já não é inédita. Antes de sair uma nova consola, o codec video Bink revela alterações ao seu código fonte para a suportar. E a ultima change list fala de uma nova consola que estará disponível em breve.

Estávamos em Junho de 2012, e o changelog do conhecido codec video Bink referia o seguinte:

Reparem no segundo ponto: “Adicionamos uma nova plataforma secreta.

Soube-se mais tarde que esta plataforma era a Playstation 4, e o Bink acrescentou-lhe suporte em Junho de 2012, ou seja, 18 meses antes do seu lançamento.

A Xbox One seria acrescentada mais tarde, em Outubro de 2012, usando um texto exactamente igual:

Ora estamos agora em Junho de 2018, exactamente a 18 meses de uma das supostas datas possíveis para lançamento de uma nova Playstation, a PS5, e o Bink publicou a sua última lista de mudanças. Ei-la!

Nas mudanças efectuadas a 26-06-2018 o penultimo ponto refere: “Adicionou-se uma nova secreta plataforma protegida por NDA.

Curiosidade? Ou teremos a PS5 em Novembro de 2019?

 



Posts Relacionados

61
Deixe um comentário

avatar
4 Comment threads
57 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
RafaelbrunoEwertomCarlos ZidaneCarlos Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest
Notify of
Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Mário, se me permite, corrija se possível o título, pq está dizendo PS4, quando na verdade é o ps5. Abraços

Carlos
Visitante
Carlos

De 2019 não passa, os jogos estagnaram tecnicamente, as novas versoes dos jogos parecem novas skins, não sinto vontade de comprar mais nada, é assim com td mundo, a vendas do PS4 tbm começaram a cair.

Vou zerar o RE2 Remake em janeiro e por o Pro a venda no outro dia, quem acha q só vem em 2020+ vai perder o timing de vender e vai ficar com um console ultrapassado e sem valor.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Pra ser bem sincero eu também já estou bem afim de outra geração, não que o PS4 não seja bacana, mas tem alguns jogos como o próximo GTA, o TLoU2, Death Stranding (curioso com esse) e outros que gostaria muito de poder aproveitar com um grau maior de imersão que os atuais entregam. Até o PC parece refém dos consoles, vemos que não tem nada que as GPU’s atuais não rodem com pé nas costas. Hardware tem, falta é o software mais avançado.

Se o PS5 for ser lançado em nov/dez de 2019, ainda aguardo uns meses pra ver se não dá problema e o preço dá uma melhorada (esse preço me refiro pelo extra que cobram aqui no Brasil por uma coisa ser novidade).
Ainda bem que nesse período ainda tem alguns jogos que quero desfrutar, e alguns pra revisitar, mas pra mim já deu o que tinha que dar.

carlos
Visitante
carlos

Tenho o PS4 desde os 3 meses de lançamento, saiu o Pro troquei 2 meses depois.
Eu ja joguei td de exclusivo AAA, não sinto vontade de comprar mais nda pq os jogos exclusivos AAA acabaram e os multi q estão pra sair parecem jogos antigos com skins novas como bf, cod, ass creed, nfsp, tenho quase 5 anos de PS4, pra mim já deu o q tinha q dar.

bruno
Visitante
bruno

Evidentemente, a decisão é tua…

Mas acho estranho que digas que os exclusivos AAA acabaram precisamente no mesmo ano em que tivemos uma E3 cheia de revelações que levaram as pessoas a questionar se o que estávamos a ver era da próxima geração, ou não.

Gohst of Tsushima, The Last of Us Part 2, Spiderman, são tudo jogos gráficamente soberbos, e prestes a chegar.

Pela minha experiência com consolas, só te digo isto, prepara-te para seres surpreendido.

Em 2011 a conversa era essa e tiveste Uncharted 3, tiveste The Last of Us, tiveste Beyond Two Souls e tiveste Tomb Raider.

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Mário, assisti um vídeo de um YouTuber Estadunidense, onde o mesmo falava que possivelmente a Sony poderia lançar 2 versões do ps5. Uma tradicional e outra portátil, pq ele alega que com Chips de 7 nanons, são suficientes para a AMD entregar um ps5 portátil, porém com resoluções menores. Bem, gostaria de saber, se possível, tecnicamente poderíamos ter um ps5 com resolução de 720p, com o aparelho capaz de rodar qualquer jogo que o ps5 tradicional rodasse, só perdendo em resolução ou se pudesse rodar, mas perdendo não somente em resolução, mas tb em FPS, geometria, etc… Parecido com o Switch quando roda games como Doom ou Wolfenstein 2 em comparação com o PS4 e o Xbox one. Outra pergunta: Seria possível ( caso o ps5 portátil ser possível) ter um dock com um hardware, somando ao hardware do portátil, aumentando exponencialmente a performance com resolução maior e texturas, geometria bem mais ricas? Ah! E um jogo de ps5 com resoluções de 720p e 1080p descaracteriza um game de ps5?

Ewertom
Visitante
Ewertom

O maior problema disto seria o preço Edson,pois fabricar algo com estas características não é barato.
A Switch por exemplo teve que cortar no Cpu(que não éra recente) para equilibrar as contas,fora algumas características únicas da switch também que elevam seu custo,ou seja ganha-se de um lado e sempre perde do outro para manter um equilíbrio para a venda.
E com um ecrã menor alguns detalhes são imperceptíveis as nossos olhos,mas creio que referente ao ps5 ao qual seu hardware deverá ser um colosso em performance as diferenças serão muito grandes.Ex:se o Ps5 tiver uns 13 tflops um portátil deverá ter no máximo 2 tflop,uma diferença muito grande onde as perdas não passam somente pela resolução e sim também nos frames.Abraços

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Obrigado, Ewerton! Bem, tb penso assim, por isso perguntei ao Mário, ate para saber onde um chip de 7 nanons pode evoluir um hardware portátil no quesito consumo de energia e performance, pois creio que aquele norte americano falou bobagem.rs

bruno
Visitante
bruno

Edson, isto já foi discutido aqui várias vezes.

Se a Sony decidir seguir o caminho que descreves, ficaria tremendamente limitada a nível de performances da mesma forma que a Switch está a agora face ao resto das consolas.

Mas isso para uma PS5.

Já aqui tivemos um artigo em que se mostrou que foi possível, a 14 nm, colocar 4 núcleos zen e 11 nucleos GCN (a Xbox original funciona com 12, tendo 14 no total), e memória HBM de baixo consumo. Ou seja, seria possível a 7 nm, ter 4 nucleos zen e 20 GCN no mesmo envelope que este aparelho, ou seja, uma PS4.

Mas o problema seria outro… a PS4 slim tem consumos na ordem dos 63W, em carregamento, e pelas contas da redução, um sistema a 7nm, com memória rondaria os 37W. Muito alto para um dispositivo portátil… Depois, tens que considerar memória e armazenamento, pelo menos (já nem falo no suporte para os jogos), um SSD de 250 GB seria o mais economico, mas para os tamanhos de 100 e 50 GB dos jogos atuais?? Não sei se será possível.

Mas seria possível a Sony investir numa portátil?

Sim, mas nunca, mas mesmo nunca como sistema principal. A Sony, ao contrário da Nintendo, dá-se bem nas consolas de mesa. Todas as suas consolas foram bem sucedidas (sim, mesmo a PS3 que empatou com a 360).

Se seguisse a filosofia que propões, mas ao invés de fazer um híbrido, fizesse a consola de mesa e uma portátil, mais fraca, mas que partilhasse a mesma arquitetura (e a AMD já conseguiu fazer SOCs destes no passado), tinhas o que pedes. Uma consola de mesa, capaz de rodar os jogos mais recentes, e uma portátil com jogos próprios que seriam capazes de rodar com mais resolução e/ou fps na de mesa. Esta portátil portanto seria um acessório para a consola de mesa, da mesma forma que o PS VR é um acessório para a de mesa, ou que o Dock da switch é um acessório da consola que lhe permite mais performance. Neste caso terias um dispositivo portátil que te permitiria jogar alguns jogos (podemos estar a falar da livraria da PS1,PS2, PSP, Vita e PS3!), sejam remakes ou remasters adaptados a essa portátil.

bruno
Visitante
bruno

Mais um rumor para adicionar à lista, fora a imagem teaser que a Sony Ru colocou no twitter, com a PS4 e o símbolo X a promter novidades sobre algo em breve.

A minha opinião já a disse. É muito cedo, demasiado cedo. E o resultado de lançar demasiado cedo pode ser catastrófico.

PS2 canabalizou a PS3 (e não o contrário), e uma consola que arranque lentamente arrisca-se a não só ser ultrapassada pela concorrência, sobretudo num momento tão importante em que estamos prestes a assistir ao chegar de novas arquiteturas de GPU ao mercado (falo também da nVidia), e a TSMC finalmente apresentou uma solução para o fabrico tridimensional de processadores.

Não só isso, mas para um arranque saudável precisamos de ter uma adoção massiva às novas consolas como ocorreu nesta geração, algo que não me parece que ocorra em 2019, sobretudo com a Sony a ter ainda 4 grandes exclusivos a lançar.

Além disso, mesmo apesar de saber que 14 Tflops a 4k CBR seriam suficientes, não me parece que o salto gráfico fosse muito grande face ao que temos.

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Bruno, não creio que o PS2 tenha canabalizado as vendas do PS3 e tb não consigo ver problemas em o ps5 ser lançado 6 anos depois do ps4, algo que sempre ocorrera com exceção do PS3 em relação ao PS4. Entendo que pense que o Xbox poderá fazer estrago por teoricamente lançar um console mais poderoso tempos depois do ps5, mas duvido muito se o ps5 tiver um preço certo, terá alguma chance de ter fracasso comercial. Penso que não teremos a discrepância de vendas entre ps5 e um novo Xbox como está sendo nessa geração, mas sinceramente não consigo enxergar onde será catástrofico para a Sony, Bruno! Como vc msm diz, está aparecendo novas tecnologias, mas a pergunta é: Quanto custaria? Consoles sempre existiram para serem peças com preço em conta e com uma boa tecnologia, mas aquele console que teve tudo de ponta, sofreu horrores e o nome dele é PlayStation 3.

bruno
Visitante
bruno

@Edson Não é segredo nenhum que durante os primeiros anos da PS3, a PS2 continuou a vender bastante bem. E também não é segredo nenhum que houve uma grande quantidade de jogadores que saltaram a geração passada à frente. Portanto, sim, canibalizou e é apenas natural quando lanças uma nova consola no mercado, uma canibaliza a outra. O que ocorreu na PS3 é que parte do mercado não quis dar o salto e isso significou menos vendas, menos adesão e menos lucro. tanto que nos primeiros tempos tiveste a PS2 a ultrapassar em vendas a PS3.

Sobre a duração Edson isso foi verdade com a PS, mas não foi verdade com outras plataformas, mesmo antes da primeira PS ser lançada. A verdade é que a média é 6 anos, mas a mediana aponta para algo mais com tendência crescente.
Mas o problema nem é esse, é o tempo que os jogos demoram a ser lançados. Tiveste uma geração com um arranque lento, em que os jogos estão a demorar para chegar, e isso continua a ser verdade hoje.

As tuas questões são válidas, mas não estás a ver a outra perspetiva da coisa: o que é que esse hardware irá permitir? Há uma thread muito interessante no Beyond 3d sobre os gráficos que a nova geração irá trazer. Já verificamos que 13Tflops permitirão um salto gráfico equiparável ao que houve entre a geração passada e esta, se a resolução se mantiver nos 4k CBR e os fps se ficarem pelos 30 fps.

A questão é – quando passaste da geração passada para esta… não tiveste um grande salto! Estamos agora a ver ganhos fantásticos, mas se voltares a certos títulos da PS3 como Uncharted 3, God of War Ascencion, verificas que apesar de tudo, se aguentam bastante bem face ao que temos e aliás, são impressionantes.
Adiciona a isso um salto calculado com técnicas de reconstrução que não te garantem resolução nativa e os 30 fps que as consolas sempre tiveram… é mau, muito mau se consideramos uma consola que terá que fazer frente às novidades do PC, e a consolas de meio de geração.

Tim Sweeney disse há algum tempo que para fotorealismo seria necessário algo em volta dos 40 Tflops. Na minha opinião este salto deveria ser no mínimo de 10x. Isso para a PS4 são 18 Tflops. Ou seja, algo como 20 Tflops (aprox.) seria o mínimo. Garantiria tudo, performance, resolução e fps. E sobretudo salto gráfico.

Sim, tens razão no que dizes sobre o ser caro, mas o ponto é… Há necessidade de lançar no próximo ano? A PS4 continua a vender bem, a Sony ainda tem 4 jogos para lançar em exclusivos (com o rumor de que há mais a ser apresentado), então para quê comprometer performance e tudo o resto quando esperando mais uns anos pode ter um hardware mais optimizado, sobre um maior domínio da técnica de fabrico e mais performance?

Sobre o ser catastrófico é muito simples… se a Sony lança no próximo ano arrisca-se a ter um hardware fraco, que não impressiona sobre o que esta geração entrega, e pior falha em convencer os clientes a mudar. E isto simplesmente porque o grosso do mercado não está interessado em mudar. Neste momento começas a sair da grande adoção em massa, mas isso ainda não acabou. A Sony lançando no próximo ano.. quem garante que o público irá atrás?

Repara esta geração foi bem sucedida e porque foi bem sucedida? Porque as pessoas estavam cansadas e muita gente estava à espera do próximo salto. Mas a geração anterior durou 8 anos! A PS2, para comparação, durou menos, durou apenas 6 anos. E tiveste problemas.

Com o custo atual do desenvolvimento, se o público não recebe a próxima geração como esta foi recebida… como se ir´aguentar a Sony? Qual o futuro das consolas?

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Bruno, bons argumentos, mas creio que esteja olhando as coisas sem considerar pontos chaves e até com um certo pessimismo. Quanto cita o PS2 frente ao PS3, cita duas exceções a regra: Uma delas é que o PS2 fora um colosso comercial, ou seja, que claramente poderia atrapalhar o alavancar de qualquer sucessor. A segunda coisa tem ligação com a primeira: Além do PS2 como o calcanhar de Aquiles de qualquer sucessor, seu sucessor sofreu com erros crassos da Sony, começando pelo preço absurdo, passando por sair 1 ano depois do seu concorrente direto, além de ter o azar de o concorrente vir com um produto atrativo e bem mais em conta no quesito preço. Porém, sabemos que quando vc teme por um possível sucessor da Microsoft vir depois e bem mais potente que um suposto ps5, vc esquece do poder de marca do PlayStation, além de desconsiderar que o PS4 tem quase 85 milhões de consumidores, onde uma boa parte desse consumidor está satisfeito pelo produto, dificilmente migrando para um concorrente do PlayStation na próxima geração. TB desconsidera que quando falamos de PlayStation, falamos de preço e qualidade, não afirmando que tem que ter o melhor hardware para ter consumidores em massa, pois quase nunca foi assim. fora TB que desconsidera o fato que mesmo que a Microsoft venha 1 ano depois e com um hardware mais poderoso, não terá algo tão acima da média do ps5, fora que dificilmente o console seria tão barato quanto o ps5 por conta de estar produzindo o console com a AMD, caindo consideravelmente o custo de produção.

bruno
Visitante
bruno

Edson, tens noção que a PS3 vendeu a uma velocidade superior à da Xbox 360, desde o momento em que entrou no mercado? E que nessa altura a Sony tinha ainda mais nome do que tem agora? E que mesmo assim foi o que foi, tendo perdido mercado para a 360? E que essas duas consolas dividiram a fatia de mercado da PS2 a meias, falando puramente de números?

Pensar que tinha os clientes assegurados foi o grande erro da Sony nessa geração.

Eu não esqueço esses erros. Sim tudo isso contribuiu, tens razão. Mas não foi o único – a geração anterior durou imenso porque tanto numa como na outra a adoção foi… lenta. Muito lenta. E tanto uma como outra demoraram a dar lucro.

Mas mais uma vez. A PS2 durou 6 anos. E mesmo no final de vida dessa consola, tivemos jogos a revelar mais um salto gráfico – tiveste Tomb Raider Underworld a correr nesse hardware, Quantum of Solace, etc. Salto esse que não rendeu mais nada, com developers a queixarem-se na imprensa que havia mais por explorar. E que tanto a PS3 como a 360 revelaram problemas que com mais tempo em desenvolvimento teriam sido resolvidos (Cell + RSX, os problemas iniciais da 360)?

O nome da Sony pesa contra a concorrência, mas não pesa contra uma outra consola da própria marca. Se o salto não for significativo, ninguém vê motivo para o upgrade, a consola nova não vende.

A Pro não vende e a X, que oferece mais melhorias significativas… também não tem vendas estelares (não ultrapassou a PS4).

A PS4 é um sucesso comercial tremendo. E graças ao bom trabalho da Sony, cada vez mais é uma consola que vale à pena. Mas esse é o ponto – o publico das consolas são pessoas que não têm tempo para dedicar a jogos – precisam de tempo. E lançando uma nova consola quando as pessoas estão no auge… é uma má jogada. Porque o publico não vê motivo para o upgrade. E só CPU… não convence. Pode ser o mais importante no fim, mas se os jogos não têm aquele WOW… não vende. Para o leigo, o que interessa serão sempre os gráficos. E enquanto isto não estiver… não adianta lançar uma consola nova.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Será que não teremos mesmo ese salto Bruno?Te faço esta pergunta pois teremos uma CPU pelo lado da Sony já bastante otimizado tanto pela fabricante do chip tanto do lado da Sony que sabemos que esta a ocorrer com o Ryzen e se os boatos forem verdadeiros referente ao GPU Navi e com o CB a ocorrer refrescando muito o processamento em si.
Pois o processamento a 14Tflops é muita coisa se analisarmos por pura força bruta ainda mais com uma memória acho que no PS teremos GDDR6 que em conjunto ficará muito forte,muito forte mesmo,até em comparação para um PC atual.

Rafael
Visitante
Rafael

Acredito que o PS4PRO exige da Sony um esforço maior para entregar CPU e GPU que realmente traga melhorias de nova geração. Apenas o aumento na resolução na minha opinião não vai justificar em nada. Do contrário será apenas melhoria do que já temos hoje. Claro que isso não será problema caso a Sony entenda que console de meia geração é uma alternativa viável e se torne padrão.
Outro ponto, o custo para colocar um console de 14…15…16…20Tflops, ainda muito cedo. Se o PRO já foi lançado a USD 400 há apenas 2 anos… o que poderia melhorar em hardware que se encaixe num orçamento de USD 400 após 3 anos da PRO?
Por último, lançando um console com especificações abaixo do esperado, pode deixar a microsoft confortável para aguardar mais 2 ou 3 anos aguentando com o Xone até que eles consigam lançar hardware bem melhor que o PS5, o que obrigará a Sony a já lançar um PS5PRo pouco tempo depois da microsoft atualizar geração.
Por isso considero que final de 2020 é o mínimo que a Sony deve esperar para lançar nova geração.