Breve análise à Conferência da Sony

Bem a Sony sabe surpreender. O que seria de esperar, não veio. Mas as possibilidades mais remotas – essas sim estiveram! E de que maneira.

Nota: Artigo realizado em colaboração entre Bruno Ribeiro e Mário Ferreira

Sony disc loading validation system

The Last Guardian

Bruno Ribeiro: Finalmente! E com direito a gameplay directamente da PS4. Vê-se que o jogo manteve muito dos elementos da build da PS3, mas o upgrade é mais que notório e a escala está épica! E ver cada uma daquelas pedras a serem animadas individualmente ao caírem… Meu Deus. O lançamento está previsto para a 2016… (espero mesmo que seja em 2016 – mais adiamentos não!)

Mário Ferreira: Até que enfim! Desde 2009 que aguardava mais notícias sobre este jogo, e agira sabemos que poderemos contar com este exclusivo Playstation em 2016, mas agora na Playstation 4. Curiosamente, face ao visualizado em 2009 a evolução gráfica foi… pouca ou nenhuma! E isto poderá comprovar que o jogo era efetivamente demasiadamente ambicioso para a Playstation 3. No entanto, mesmo com a passagem para a PS4 torna-se notório o legado da geração anterior, especialmente a nível de texturas e luz.

Horizon: Zero Dawn

Bruno Ribeiro: Graficamente soberbo! E desta vez não se pode dizer que seja CGI! Nunca vi nada como aquilo. Meu Deus. Pode ser que a PS4 fique sem Tomb Raider, mas temos substituto à altura!

Mário Ferreira: Grafismo, ambiente, luz, história… tudo ao mais alto nível. E misturar dinossauros com robots e tecnologia é algo inovador e aparentemente executado de forma brilhante. De todos os jogos para a nova geração que mais me impressionaram no primeiro contacto este encabeçará a lista. É um novo IP Playstation e um jogo de peso que certamente será falado durante muitos anos.

Hitman

Bruno Ribeiro: Foi visto um trailer em CGI. Foi prometido que a Beta sairá primeiro na PS4 e 6 contratos exclusivos que estarão disponíveis para a PS4 primeiro.

Mário Ferreira: CGI impressionante… mas não passava disso mesmo, imagens geradas por computador e não em tempo real! Nunca gostei de avaliar um jogo por algo que não corresponde ao que será o grafismo do mesmo, e diga-se que com um CG desta qualidade, Hitman eleva bastante a barreira do expectável para os gráficos ingame. Daí que ou o jogo cumpre, ou desilude, não há meio termo possível.

Street Fighter 5

Bruno Ribeiro: Novas personagens foram reveladas, mas nada de novo.

Mário Ferreira: Mais um novo jogo da série, com mais personagens, e novamente exclusivo Playstation. Novidades de maior não há  a assinalar!

No Man’s Sky

Bruno Ribeiro: Gameplay direto, que revela a magnitude do jogo. E é gigantesca! Cada um daqueles pontos de luz é um sistema solar, com os seus próprios planetas,  e cada planeta tem a sua própria ecologia. Nunca vi nada assim. Tudo gerado proceduralmente e aleatoriamente.

Mário Ferreira: No Man’s Sky cria os seus planetas, vegetação e vida animal em tempo real, possuindo uma dimensão do tamanho do universo. Não há limites para o que pode ser explorado neste jogo, e sendo um jogo que se baseia nisso mesmo, a exploração, tem muito por onde os fans do estilo se perderem durante anos e anos.

Dreams

Bruno Ribeiro: Da Media Molecule. Como não podia deixar de ser, um jogo que tira partido do move do DS4. Esculpimos com o comando os nossos próprios bonecos, e posteriormente podemos animá-los. O que é espantoso são os efeitos conseguidos, simples mas graficamente soberbo.

Mário Ferreira: Um ogo de exploração de sonhos (seja lá o que isso for), e onde até podemos partilhar o nosso. Pessoalmente crio que estamos perante uma poderosa ferramenta que permitirá a criação de histórias, interativas ou não, que poderemos depois partilhar. As personagens existentes são controladas ao estilo marionetas usando o DS4.

Firewatch

Bruno Ribeiro: Fará a sua estreia nas consolas primeiro na PS4. Um jogo que promete drama, emoção e mistério.

Mário Ferreira: Um jogo onde personificamos um guarda florestal nas mais diversas ações por estes realizados.

Expansão: Destiny: The Taken King

Bruno Ribeiro: Destiny irá receber uma expansão, que incluirá novos inimigos. (E mais alguém achou estranho a palavra Guardian ser referida tantas vezes?), que virá exclusivamente para a PS4.

Mário Ferreira: Mais uma expansão para Destiny, agora com uma temática de vingança.

Assassins Creed Syndicate

Bruno Ribeiro: teve direito a uma trailer em que conhecemos melhor Evie, os seus golpes e as suas armas. Missões exclusivas ( assassinios inspirados nos romances policiais da Inglaterra Vitoriana).

Mário Ferreira: Mais um trailer sobre um jogo que não era já desconhecido. Curioso notar-se que o jogo, ao se passar em Londres na era vitoriana, parece ter tido o mesmo cuidado com a roupagem que The Order 1886. Mas mais curioso ainda é que não só a roupagem é semelhante, com a personagem feminina também me pareceu partilhar alguns traços com Lady Igrane. Será a minha cabeça a pregar-me partidas?

World of Final Fantasy

Bruno Ribeiro: uma nova entrega no franchise, exclusivamente para a PS44 e ps Vita. O universo de final fantasy.

Mário Ferreira: Estilo gráfico em tudo semelhante aos das consolas portáteis, ao que não será indiferente o facto de este jogo sair para a PS Vita, mas com efeitos de qualidade na sua irmã mais poderosa.

Final Fantasy VII Remake

Bruno Ribeiro: A sala explodiu em aplausos, mas o jogo não é exclusivo para a PS4, embora seja lançado primeiro para a consola. O que foi visto foi um trailer CGI.

Mário Ferreira: FF7 é considerado pelos fans da série como o melhor jogo Final Fantasy, e sofre agora um remake de qualidade. O que vimos era, infelizmente, GC.


Indies

Bruno Ribeiro: Ronin, título 2D em que controlámos um ninja, Eitr, título superviolento da época dos 8 bits, entre outros. Tudo da Devolver.

Mário Ferreira: A Revolver Digital esteve em grande ao apresentar uma série de títulos, todos eles reminiscentes da era dos 8 bits. Foram eles Ronin para a PS Vita, EITR para a PS4, Mother Russia Bleeds e Crossing Soul.

Shenmue 3

Bruno Ribeiro: Shenmue 3 está a chegar e será financiado pelo Kickstarter! A Sony fez parceria para ajudar a divulgar a mensagem, mas o jogo não será exclusivo da PS4.

Mário Ferreira: Shenmue 3 é um dos jogos mais desejados de sempre, mas no entanto nunca nenhuma empresa teve a coragem de o financiar. Mas agora Shenmue partiu para o Kickstarter e conseguiu já angaria os 2 milhões de dólares solicitados para o seu desenvolvimento. O jogo sairá para PC e PS4, sendo exclusivo nas consolas para a PS4. A página de kickstarter de Shemue 3 está aqui.

Batman Arkham Knight: Scare Crow Missions

Bruno Ribeiro: A morte do Cavaleiro das Trevas? Um novo vídeo mosta uma gameplay completamente nova, com excelentes gráficos. O jogo está espetacular.

Mário Ferreira: A Sony apresentou um pack de missões denominadas “Scare Crow Missions” para Batman Arkham Knight que mostram uma gameplay diferente, bem como uma nova perspectiva da cidade. Estas missões serão exclusivas da PS4.

Project Morpheus

Bruno Ribeiro: Vai apostar na experiência multiplayer, e apresenta Riggs, um MMO em primeira pessoa.

Mário Ferreira: A aposta da Sony no domínio da realidade virtual passa pelos denominados e-Sports virtuais. E nesse sentido apresentou três jogos com suporte para o seu periférico. São eles RIAS, World War of Tunes e Wayward Sky.

Apps

Bruno Ribeiro: Referência ao Spotify. PS vue é lançado hoje em LA e São Francisco. E serão os primeiros a permitir aos utilizadores comprarem os seus canais individualmente (porque é que ninguém se lembrou disso antes?)

Mário Ferreira: A parceria com o Spotify é algo que encaro com optimismo podendo assim escolher as musicas que ouço quando jogo. O PS Vue foi igualmente abordado, mas o serviços ainda só se encontra disponível nos EUA, e mesmo aí em determinadas regiões pelo que achamos prematura a sua apresentação a esta escala.

Call of Duty Black Ops III

Bruno Ribeiro: Bons gráficos (mas já vi melhores – será cross-gen?), num demo em tempo real na PS4. Black Ops III, passa-se num futuro próximo, herdando muito de Modern Warfare. Foi mostrado um demo em tempo real que assenta no co-op até 4 jogadores. Ah! Podemos controlar um robot gigante. PS4 receberá primeiro os mapas multijogador e será a primeira a ter acesso à beta do multijogador.

Mário Ferreira: De forma agora confirmada, Call of Duty passou a ter associação à Sony e à PS4. Assim, todas as vantagems do acordo de Marketing anteriormente pertença da Microsoft passam para a Sony, com a PS4 a receber os mapas primeiro e durante algum tempo com exclusividade. A publicidade será igualmente feita associada à consola da Sony. Dado o sucesso deste franchising, esta foi uma arma de peso que a Sony arrebatou das mãos da Microsoft e certamente irá fazer confusão a muitos norte americanos verem o jogo associado à PS4 e não à Xbox.

O jogo apresenta bons gráficos, mas nada de extraordinário, e aparentemente a Inteligência Artificial, ou melhor, a Estupidez Artificial continua presente no jogo, com os inimigos a ficarem parados a disparar.

Disney Infinity 3.0

Bruno Ribeiro: Incluirá os clássicos da disney, starwars e marvel. O starter pack com a figura de virá exclusivamente para a PS4, e inclui figuras das personagens.

Star Wars: the Rise Against the Empire: apresenta o universo Star Wars ao melhor estilo Lego. Boba Fett irá aparecer,e virá incluído no Starter Pack.

Mário Ferreira: Disney infinity é um conjunto de dois jogos, Star Wars, Twilight of the Republic, e Rise Against The Empire, e onde poderemos trazer os bonecos que acompanham os jogos para a “vida”. Boba Fett será uma das personagens exclusivas da Playstation 4.

Star Wars Battlefront

Bruno Ribeiro: Nova demo, no deserto. Bem os gráficos estão impressionantes e muito semelhantes ao trailer. Se há downgrade não sei dizer! O jogo está com um aspecto fantástico.

Mário Ferreira: Bem… estou sem palavras. O que vi não era um jogo… era um colosso! Graficamente está… realista. É o viver o filme! É o estar lá! Tenho até dificuldades a crer que aquilo era efetivamente uma Playstation 4 a correr o jogo. Diga-se que a frase de slogan “Live onto your fantasies” ou, grosseiramente, Vive nas tuas fantasias, não poderia estar melhor escolhida.

Uncharted 4

Bruno Ribeiro: Depois de um soluço, lá acabou por aparecer. E o jogo está melhor, muito melhor! Já percebemos o que a ND queria dizer com cenários destrutíveis! E o melhor é que todos os elementos (detritos, baldes, melões) reagem ao nosso toque. O jogo está espectacular. E com uma escala maior que tudo o que alguma vez vi!


Mário Ferreira: Bem… isto é Uncharted a um novo nível! O jogo poderá não estar a cumprir com o prometido no primeiro trailer, mas… que jogo!

Se alguma vez um jogo teve direito a ser definido como se passando num mundo vivo, é este. A forma como se interage com as pessoas, cenários e objectos é fantástica. Certamente os “lasers” de The Last of Us estão aqui em uso pela forma realista como as coisas acontecem. Basta ver a cena onde Drake coloca KO um dos seus oponentes atirando-o para cima de uma estrutura de madeira e a forma como tudo interage realisticamente. E a situação não é scriptada!

E mais… agora Uncharted tem veículos que podemos conduzir (Se bem que no 3 tivemos cavalos), e ambientes completamente destrutíveis.  Grande jogo!

Eis um vídeo da conferência da Sony:


Publicidade

Posts Relacionados