China: 15 mil pessoas presas por alegados crimes na Internet

Webusers

A China é o País do mundo onde há mais censura na Internet, e onde a mesma é mais vigiada.

cybercrime1[1]

O Ministério público Chinês anunciou a prisão de 15 mil pessoas por alegados crimes que “colocam em causa a segurança na internet”, resultado de uma operação de caça às atividades ilegais e de aperto do controlo das actividades na internet.

A operação anunciada em Julho e com a duração de 6 meses denomina-se “Operação Internet limpa” e é destinada à caça de cyber criminosos. A polícia investigou mais de 7400 casos de suspeitas de cybercrimes, incluindo fraudes online, hacking, venda ilegal de informação, promoção de jogo, etc, algumas delas que datavam de vários meses antes do início da operação.

Muitas das recentes prisões estão relacionadas com a explosão recente na cidade portuária de Tianjin. Entre os detidos estão um homem que exagerou na contagem de mortos da explosão e uma mulher que falsamente procurou donativos públicos de caridade após declarar que o seu pai tinha morrido no acidente.

Para que se controle o que é publicado Online, Pequim requer que os Bloggers se registem com o Governo e que usem osnomes reais na internet. Um grande número de prisões deve-se ao espalhar de rumores relativos à presidência, mas tal não foi oficialmente revelado pelo Ministério Público.

O mecanismo de censura da China já conhecida como a “Grande muralha de fogo” (‘The Great Firewall’), já fornece um controlo com rédea curta do governo sobre o que os cidadãos visualizam online, e sites estrangeiros como o Google, Facebook e o Twitter, que consideramos normais, estão bloqueados na China. A Tal junta-se todo o material que critique o partido Comunista. E um número de VPNs que estavam a ser usadas para se passar os bloqueios foram desactivadas pelo governo.

O próximo passo do governo é a colocação de polícias nos escritórios dos ISPs.

Publicidade

Posts Relacionados