Cientistas conseguem parar luz no interior de um cristal durante 60 segundos.

Se é um facto que a velocidade da luz é de 299 792 458 metros por segundo, tambem é um facto que a mesma foi parada durante 60 segundos no interior de um cristal.

Um grupo de cientistas Alemães conseguiu parar um feixe de luz no interior de um cristal durante 60 segundos. O feito não é inédito, mas o tempo que a energia foi armazenada é, e trara-se de um grande salto evolutivo no que toca à computação quântica.

Parar seja por que tempo for o elemento mais rápido do universo é o que se pode chamar de “uma travagem do caraças” :), mas mante-la imóvel durante um minuto é um feito ainda maior. Afinal num minuto essa mesma luz poderia ter percorrido algo como 18 milhões de Km.

Para se conseguir isto um laser abriu uma abertura no interior de um cristal no qual foi projectado o feixe de luz. Assim a luz entrou mas não tinha por onde sair.

Naturalmente isto não seria suficiente para parar a luz, e havia outras condições especiais. O Cristal estava congelado a menos 230 graus célsius, e desta forma preservou a informação do feixe de luz, conforme a imagem que se segue mostra.



O cristal estava congelado em temperaturas abaixo dos 230 graus celsius negativos e preservou a informação que existia no feixe de luz: três linhas horizontais como se pode ver na imagem abaixo:

luz

A informação luminosa foi perdendo força com o tempo, deixando de ser perceptível após os 60 segundos, revelando que esta tecnologia pode ser usada futuramente para se ler mensagens enviadas à velocidade da luz.

Como referido o feito da paragem não foi inédito, mas o anterior recorde de manutenção da luz era de apenas 16 segundos.



Posts Relacionados