Consolas 4K são o futuro? O PC já vai nos 12K! Mas será que vale a pena!

Project Cars 2 no PC terá suporte VR na totalidade do jogo, e suportará resoluções até 12K! A questão é… será que tudo isto justifica ou estaremos a entrar numa loucura na corrida ao hardware que não traz verdadeiramente nada de inovador, mas eleva o preço dos produtos?

Muito se tem falado sobre a futura Scorpio e como ela será a primeira consola a trazer a totalidade dos seus jogos em nativos 4K (esperem sentados)! Mas a realidade é que quando as consolas tentam fazer a transição para os 4K, o PC, onde os 4K já são uma realidade à anos, está já neste momento a suportar jogos com resoluções de 12K.

Claro que surge a pergunta: Mas onde é que há monitores acima de 4K?

Bem, a resposta é: Não há! Mas há suporte multi monitor, e com 3 monitores 4K teremos um jogo a correr a 12 K (4*3=12), num formato 16:3.

A questão no meio de tudo isto é: Será que justifica gastarmos o processamento das placas gráficas em pixels suplementares, ou será que o mesmo seria usado melhor em outras situações?



Esta é uma situação da qual já falamos, mas que cada vez mais se torna premente questionar!

Torna-se inegável que a definição dos objectos a 4K é superior ao obtido a 1080p, especialmente em ecrãs de idênticas dimensões. No entanto, salvo situações ocorridas em ecrãs de maiores dimensões, o resultado dilui-se com a distância, tornando-se por vezes muito pouco perceptível.

Se até 1080p os ganhos de resolução eram notórios, de 1080p para cima os mesmos são menos perceptíveis. Torna-se mais notória a passagem de 720p para 900p do que de 900p para 1080p por exemplo, e quando maior a resolução base, menor é essa diferença. E um 1080p com um bom AA apresenta já uma imagem quase perfeita!



Daí que usar 4x mais performance gráfica apenas para calcular mais pixels, não se usando a mesma para se melhorar a qualidade gráfica geral é algo pouco compreensível quando o patamar de qualidade dos 1080p é já mais do que adequado.

Se juntarmos a isto uma outra realidade, as percentagens de mercado dos televisores 4K e 1080p, verificamos que a situação ainda é menos compreensível. O grosso do mercado é 1080p, e parte dele é mesmo ainda abaixo disso. Apostar-se em resoluções 4K nesta fase parece um pouco prematuro dado o nicho de mercado que alcança, e no fundo acaba por ser mais uma forma de vender televisores do que uma verdadeira necessidade.

Neste caso já não falamos do HDR onde, esse sim, achamos ser uma melhoria fantástica e que justifica a actualização das TVs.

Mas neste caso, no PC, 12K não acaba por ser uma melhoria de imagem! No fundo o que acontece é que temos mais área de jogo, com dada um dos acréscimos a manter a qualidade dos 4K.

Acima de tudo isto mostra como os PCs estão sub aproveitados. Se um sistema PC consegue mover 3 monitores de 4K a 60 fotogramas, imaginem o que não se conseguiria graficamente pegando nessa performance e colocando a qualidade num único ecrã, a 1080p. Seria um salto tecnológico gigantesco que neste caso está por ser dado pela questão comercial de se vender televisores!

 

 



Posts Relacionados