Cuphead vendeu mais de 1 milhão de cópias.

Sim, o jogo exclusivo Xbox e PC, Cuphead vendeu mais de 1 milhão de cópias. Um sucesso que era no entanto esperado desde que o jogo foi apresentado.

Desde que vi Cuphead pela primeira vez que percebi que o jogo seria um sucesso. A qualidade do grafismo e da animação eram pura e simplesmente deslumbrantes, fazendo lembrar os desenhos animados clássicos dos anos 30.

O nível de dificuldade do jogo é elevado… bastante elevado! Mas no entanto a jogabilidade é divertida e viciante, o que cria um tipo e equilíbrio frustrante e ao mesmo tempo desafiante. É uma formula de sucesso!

A prova-lo estão as vendas. O Estúdio MDHR deu a conhecer que o jogo já conseguiu atingir um valor de vendas digno de registo. Mais de 1 milhão de cópias!

Acrescentou ainda a seguinte declaração conjunta de Chad and Jared Moldenhauer:
O cuphead está no mercado à apenas duas semanas e nunca sonhamos com a recepção que recebemos dos fans! Hoje queremos tirar um momento e agradecer a todos vocês pelo suporte e estamos excitados que Cuphead se tenha tornado Platina com mais de 1 milhão de unidades vendida.

De notar que a plataforma não foi especificada, o que quer dizer que, pela lógica, certamente se referem ao somatório de cópias entre a Xbox e o PC! O Steam, de acordo com o Steam Spy, registou mais de 575 mil compradores no PC.



 



Posts Relacionados

newest oldest
Notify of
Igor
Visitante
Igor

Sucesso merecido e parabéns a Microsoft por dar apoio total a esse jogo.

By-mission
Visitante
By-mission

— OFF TOPIC —

” A sua resolução dinâmica consegue uma média de 1620p sobre a 1080p nativa da PS4 base, enquanto a distância de visão para a geometria e transições de sombras estão melhoradas. No entanto, mesmo após a v1.04, a Pro ainda exibe texturas de baixa resolução que se destacam de forma amarga – especialmente em ecrãs 4K.

O pacote de texturas 4K do PC teria feito maravilhas aqui, mas os 512MB de RAM extra estão claramente a limitar o que é possível na Pro. Essa é a maior diferença entre as versões Pro e Xbox One X – o que se destaca desde logo é que os problemas de texturas da Pro foram erradicados. Através da capacidade dos 12GB de GDDR5 da X, Shadow of War consegue uma melhoria dramática na qualidade: as texturas no chão recebem um aumento óbvio na resolução sobre os resultados esborratados da Pro, surgindo nítidas e limpas.”

“Na versão Gamescom, o modo resolução deve ser mencionado para quem prefere a imagem 4K superior. Do que testamos, 3840×2160 nativa é alcançada por esta máquina, fixa, desde que a resolução dinâmica não seja activada. A máquina força a resolução máxima, a custo do filtro de texturas e qualidade das transições de detalhe presentes no modo de qualidade, não sendo a melhor maneira de jogar. Baseado no que jogamos em modo de qualidade e resolução com conversão dinâmica activada ou desactivada, trocamos a nitidez do modo 4K pelas funcionalidades adicionais do modo qualidade.

Sim, activamos a resolução dinâmica. O modo qualidade com esta opção activada pode descer para 3360×1890 – o valor mais baixo que registamos. Ainda assim, é superior ao valor mais baixo registado na PS4 Pro, 1512p no modo qualidade, com uma melhoria de 56% no número de pixeis. Ao contrário da consola da Sony, também é capaz de alcançar 4K nativa na Xbox One X nas melhores das condições – desde que não aconteça muito no ecrã.

É uma funcionalidade interessante e com a conversão dinâmica activa, tens todas as melhorias visuais e uma imagem 4K nativa quando é possível. Mesmo quando não consegue 4K nativa com todas as melhorias, está perto o suficiente na maioria do tempo. Activar a conversão dinâmica no modo resolução não é tão revolucionário; ficas com 3584×2016 quando a performance vai ser afectada – conseguindo correr a 3840×2160.”

56% é muita fruta..

Fernando Molina
Visitante
Fernando Molina

O videogame parece ser monstro mesmo, mas enquanto sair os mesmos jogos para o meu One(day one edition) velho de guerra, eu passo, já fiz a besteira de trocar meu velho PS4 pelo PRO, não vale a pena, o que quero mesmo nesse momento é um PS VR

Quanto a Cuphead, é o jogo mais divertido dos ultimos anos

Danilo Marciel
Visitante
By-mission
Visitante
By-mission

Acabei de postar um resumo, além das das texturas em alta definição uma contagem de 56 % de resolução na Xbox One X, coitadinha da Pro…

Igor
Visitante
Igor

Sortudo quem pegar o Xbox One X, principalmente aqueles que ainda não entraram nessa geração.

Igor
Visitante
Igor

Foi uma verdadeira surra!

Igor
Visitante
Igor

Maior do que a diferença nos números é a diferença visual. É gritante!
Parece que estão rodando o jogo em consoles de gerações diferentes.
Pelo jeito não serão somente os estúdios first party que farão um trabalho mais elaborado no Xbox One X usando o seu poder extra em relação ao Pro.
E agora o que tem a dizer aqueles que falaram que o caso de Tomb Raider era excessão por que a Microsoft tinha investido uma grana preta em seu desenvolvimento e por isso o jogo teve uma atenção maior, também disseram que o jogo não teria tanto impacto por que já não era mais novidade.
E agora, o que será que tem a dizer de um título novo muito superior, third party e sem nenhum envolvimento da Microsoft em seu desenvolvimento!?

bruno
Visitante
bruno

O que tens em Tomb Raider nem se compara às diferenças de Shadow of War.

Tu aqui tens melhores texturas (vindas diretamente da versão PC e porque a Ram o permite) e maior resolução.

Em Tomb Raider tens muito, muito mais. E a níveis mais profundos.

Sem falar que o jogo tem acordo de Marketing com a MS.

Fernando
Visitante
Fernando

Para um game como Cuphead, certamente 1 milhão de cópias vendidas é um sucesso enorme.
Mas infelizmente, depois da notícia de que Dead Space 2 foi considerado um fracasso comercial com mais de 4 milhões de cópias vendidas e um investimento de 60 milhões de dólares, estou preocupado que a próxima geração seja inteira feita de Cupheads da vida, PUBG e outros games indies incompletos em early access, Fifa e Call of Duty.
Os jogos estão ficando muito caros para serem produzidos mas continuam sendo vendidos pelo mesmo preço e vendendo a mesma quantidade de cópias que vendiam antes. Qualquer um com um conceito de economia básica sabe que isso vai dar crash.
Os jogos single palyer daqueles que se acabam em uma tarde e não vendem uma assinatura da live ou PSN estão com dias contados ou destinados a não receberem mais orçamento de desenvolvimento AAA ou entrarem em serviços de subscrição como EAccess ou o Game Pass.

Não que não possam existir games de baixo orçamento bons, cuphead é uma prova, outros jogos como inside e Ori também provam o mesmo. Mas aí, se tivermos uma geração só com games desse tipo, pra que precisamos de novo hardware?
Que impediria que um jogo como Cuphead fosse feito para o Xbox 360, ou o PS3 por exemplo?
Acredito que tecnicamene, nada.

bruno
Visitante
bruno

Estás a deixar levar-te pelo paleio do costume. Ainda por cima da EA. Já tivemos aqui vários artigos sobre esse assunto em que se chegou à conclusão que definitivamente há um problema na industria, não sobre a falta de público, mas sobre as perspetivas de lucro de um título AAA.

Quando Tomb Raider de 2013 com 5.3 milhões de unidades vendidas, tendo sido o título com melhores vendas do franchise e o que mais rapidamente vendeu é considerado um flop pela SE, definitivamente há algo de errado – não com o mercado que até melhorou mas sim com quem fez o jogo.

Tiveste várias reacções a essa notícia, do produtor de God of War, que decidiu por bem falar em defesa dos jogos singleplayer, até trabalhadores da própria EA que revelaram o que realmente se passa: a companhia quer maximizar lucros e são as microtransacções com jogos que não têm fim que continuamente lhes rendem dinheiro.

Depois de 4 anos à espera do 4º título da saga Dead Space só espero que a EA decida vender o franchise a algum terceiro que lhe dê continuidade.

O que ocorreu com a Visceral é apenas o resultado das práticas atuais do mercado contra as quais se tem alertado continuamente: jogos multijogador e microtransacções, que estão a criar um vício pelo lucro fácil em quem faz jogos. É isto que se passa.