Death Stranding domina as nomeações dos Video Game Awards

Death Stranding aparece nomeado em 7 diferentes categorias, incluindo a de Jogo do Ano.

Death Stranding… um jogo diferente e, actualmente, exclusivo Playstation. O jogo tem dividido opiniões, mas quando aceite, tem sido muito bem aceite, sendo que se considera que define um novo género de jogos ainda por explorar.

As suas caracteristicas não passam despercebidas na industria, e nesse sentido os Video Game Awards nomearam-no para várias categorias, sendo o jogo ali presente que domina as nomeações.

Eis as categorias em que está nomeado:

JOGO DO ANO

MELHOR JOGO DE ACÇÂO AVENTURA

MELHOR DIRECÇÃO DE ARTE

MELHOR DESIGN AUDIO

MELHOR DIRECÇÃO DE JOGO

MELHOR NARRATIVA

MELHOR BANDA SONORA

O mais interessante de tudo é que o jogo tem grandes características que o tornam efectivamente candidato a vencer grande parte das categorias, inclusive a de jogo de ano, onde concorre contra:

Control

Resident Evil 2

Sekiro: Shadow Die Twice

Super Smash Bros Ultimate

The Outer Worlds

 



68
Deixe um comentário

avatar
10 Comment threads
58 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
15 Comment authors
Fernando MolinaMário Armão FerreiraFernandonETToBrunoab Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest
Notify of
AlexandreR
Visitante
AlexandreR

Infelizmente ainda não tive a oportunidade de experimentar…
Mas é um jogo que vou jogar como também Control e Sekiro!
Este fim de semana irei comprar os 2 que referi em cima , Death stranding quando tiver mais em conta.
Também estou super curioso com Days gone, mas não posso comprar tudo de uma vez :p

Alexandre Oliveira
Visitante
Alexandre Oliveira

Já vou com 25 horas no jogo e está a ser prazeroso jogar…a história aguça a curiosidade dás por ti com muitas horas de jogo e entregas feitas só para veres o que acontece a seguir 😀

Edson
Visitante
Edson

Um game de 82 de metacritic pelos críticos e 53 pelos usuários estar concorrendo a tantos prêmios é no mínimo absurdo para mim! Quanto ao game, eu particularmente não gostei do que vi, mas ainda não o experimentei!

nETTo
Visitante
nETTo

Sobre a nota dos usuários vale citar que o game por não sair em uma determinada plataforma foi bombardeado com notas 0, ismo puro. Nada que já não tivesse acontecido com outros jogos.

Também é válido citar que Death Stranding é o jogo de 2019 com o maior número de notas perfeitas

Livio
Visitante
Livio

Aos que assistem pelo Youtube recomendo jogar antes de tecer opiniões sobre o jogo. Não é só caminhar como muitos jogadores (de Youtube??) falam.

Estou no capítulo 2 com 5 horas de jogo e já vi que há muitas outras variáveis com que se preocupar para alcançar o objetivo. Quando converso com amigos que possuem o jogo e pergunto o que acham eles dizem que gostam do jogo devido surgirem novos elementos no decorrer do jogo.

Um me deu a dica para tentar ir logo para o capítulo 3, pois para ele é lá que o jogo começa, mas já no capítulo 2 vi que não é só caminhar.

Muitos se indagam do porquê este ser indicado ao GOTY, mas é algo que você só vai saber jogando.

Fernando
Visitante
Fernando

O gameplay é um detalhe. Esse jogo pode ser assistido com suas 9 horas de custscene que arrisco a dizer que vai ser a mesma experiência de quem jogar. O Anti jogo está vencendo na indústria e isso é triste. Dá saudades dos anos 90, das pessoas compartilhando os segredos para passar determinados pontos de um game, fases, bosses. Hoje é só assistir algumas cutscenes, andar pra frente em um ou outro ponto, aí assistir mais cutscenes e é isso.
Pra mim é muito difícil, por que como um jogo de video game que exige dedicação e habilidade para superar desafios é uma porcaria, aí como história narrativa parece que foi escrito por um garoto de 16 anos em estágio.
Tomara que um dia o Kojima realize seu sonho de fazer um filme, por que ai ele não vai ser avaliado pelos seus fanboys incondicionais ou seus amigos cineastas fazendo aquela “preza”, ele vai ser massacrado por críticos de cinema.
Quando eu comparo a qualidade do que o Kojima faz de narrativa com coisas tipo Mad Max Fury Road, ou Blade Runner 2049, é ridículo…

bruno
Visitante
bruno

Quem te entende Fernando. Extremamente vocal contra o antijogo, ou o jogo cheio de cutscenes mas no fim do dia, Quantum Break, com série de TV embutida (é que nem cutscenes é, é mesmo série de TV) é melhor jogo que Control (curiosamente sem série de TV e muito mais jogo que cutscenes).

Fernando
Visitante
Fernando

Quantum break pode pular toda a série de TV que é totalmente jogável, cheio de mecânicas de gameplay e sem 9 horas de cutscenes e pode ser facilmente entendido. Só não gostou do Quantum Break quem achou que ele deveria ser jogado como um Gears of War ou um The Division e não percebeu que ele foi feito para jogar com as mecânicas de tempo.
Fora isso, o jogo tem base científica e a história faz sentido, o que é o suficiente para um jogo que tem como função principal ser um game.
O Death Stranding é um vazio de jogo cheio de cutscenes e algumas batalhas de chefe sem inspiração, rodeado por personagens com nomes estúpidos e textos que parecem escritos por algum adolescente no mundo de fantasia.
Somente fanboys do Kojima gostaram disso, as críticas mostram exatamente isso, ficou no meio termo entre um jogo de video game ruim, e um filme mal feito com atores famosos.
O 82 do metacritic é tão generoso, que pra mim esse é mais um jogo superestimado da geração, ao lado do já superestimado MGSV.

bruno
Visitante
bruno

“Quantum break pode pular toda a série de TV que é totalmente jogável”

Assim como todas as cutscenes, de todos os jogos alguma vez lancados nesta geracao, a nao ser que tenha dialogos com escolhas. E?

“sem 9 horas de cutscenes”

Quantum Break e um jogo que tem entre serie de TV e cutscenes, 4h. A campanha dura 12 logo, um terco do jogo sao cutscenes.

Control dura sensivelmente o mesmo, mas so tem 2 horas de cutscenes.

Death Stranding dura entre 40 a 50 horas. Isto significa que pouco mais de um quarto do jogo sao cutscenes.

So por isto, e de acordo com o teu criterio do muito/pouco jogo, Death Stranding e muito mais jogo que Quantum Break assim como Control.

Curiosidades:

Read Dead Redemption 2: 16 horas de cutscenes

The Witcher 3 – 14 horas de cutscenes.

Alias, um tipo que elogia estes dois ultimos, sobretudo Red Dead Redemption que e do mais cinematografico, com mira assistida e tudo, vir queixar-se de antijogo devido a cutscenes e ridiculo.

“pode ser facilmente entendido.”

…. Estas a criticar Death Stranding porque nao o entendes?…

“Só não gostou do Quantum Break quem achou que ele deveria ser jogado como um Gears of War ou um The Division e não percebeu que ele foi feito para jogar com as mecânicas de tempo.”

E tambem quem teve contacto com Alan Wake e Max Payne, porque este titulo nao conseguiu atrair a atencao tanto quanto os outros anteriores e muito menos, se viu a liberdade criativa e a assinatura propria do estudio. Algo que em Control fica resolvido.

Depois, queres mesmo convencer-nos que Quantum Break e melhor que control?

Logo este ultimo que te oferece um combate muito mais fluido, como tens uma aplicacao de efeitos de fisica e iluminacao milhas acima do que foi anteriormente conseguido em quantum break. O combate, so por isso, e muito mais frenetico e fluido.

“Fora isso, o jogo tem base científica e a história faz sentido, o que é o suficiente para um jogo que tem como função principal ser um game.”

Primeiro, deixa-me so salientar a ironia que e alguem elogiar um titulo devido a historia, depois de anos a criticar os jogos por terem historia. Claro, desta vez o elogio chega porque a historia esta na Xbox.

Segundo, mais uma vez referes o entendimento da historia. Comeco cada vez mais a suspeitar que andaste a ver Death Stranding no Youtube, nao percebeste nada, e agora vens para aqui criticar.

“O Death Stranding é um vazio de jogo cheio de cutscenes e algumas batalhas de chefe sem inspiração, rodeado por personagens com nomes estúpidos e textos que parecem escritos por algum adolescente no mundo de fantasia.”

E o teu criterio para dizer isto e? O que viste no Youtube?

Parte fundamental da jogabilidade de Death Stranding e precisamente a deslocacao, que por si mesma e um desafio. Este jogo da mesmo aso ao mote: e preciso jogar e nao ver.

“Somente fanboys do Kojima gostaram disso, as críticas mostram exatamente isso, ficou no meio termo entre um jogo de video game ruim, e um filme mal feito com atores famosos.”

Por favor indica-me a critica. Porque o que tenho lido e exactamente aquilo que o Kojima referiu: quem esta a espera de Gears 5 ou do proximo FPS nao vai gostar do jogo.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Minha nota pessoal para o jogo de 0 a 10 é 5. E a nota “justa”, que daria tirando gosto pessoal, seria 8.5.

– História mais pretensiosa que realmente boa, se me permitem ser honesto.
– Gameplay cansativo. Mas compreendo perfeitamente seu valor, que a princípio é meio viciante, se tornando depois irritante. Embora finalizar um trabalho ou construir estradas e pontes ou ainda contar com construções de outros e contribuir seja gratificante.
– Combate ok.
– Ótimas atuações do elenco
– Decima Engine brilhando, trabalho primoroso no que toca a arte gráfica, cenário e capturas a nível digno da geração. PS4 tirando leite de pedra.
– Diálogos são explicativos demais e até se repetem coisas que estão explícitas.
– Mecânica de veículos péssima. (Pessoalmente tive algumas idéias que fariam o jogo melhorar muito, já que o conceito estabelecido abre enormes possibilidades. mas só diria se me contratassem).
– Plots que não empolgam.
– Iniciei com empolgação imensa, mas no terceiro capítulo afora já estava só pela curiosidade do enredo… E acabei dormindo durante o jogo após uma insistente maratona, pois queria muito ver no que ia dar aquilo, continuando nos dias seguintes por horas a fio.
– Entendo perfeitamente o valor do game e no que ele inova o faz muito bem, porém infelizmente não fui dos que se agradaram com o game, e se ele ganhar o GOTY, até compreendo bem e acho justo, porém não seria o meu voto.
– Personagens são cativantes como Fragile, Deadman e Heartman e ainda o apego inevitável com o BB “Lou” (surpresinha com esse nome no fim).
– Higgs é um vilão fantástico, no original em inglês pelo pouco que vi, Troy Baker parece perfeito na atuação, mas na versão BR também foi muito bem dublado como todos os principais. Pena que seu final me pareceu “indigno” a um personagem tão bom.
– Cliff do Mads foi muito bem como esperado.
– O Normam “Sam Porter Bridges” Reedus continua me parecendo um bom ator secundário mas não me convence como protagonista. É um cara pop.

ALERTA DE SPOILER

– As entidades de extinção incluindo a tal Amelie, era uma das coisas que mais me intrigavam, mas no fim acabou sendo a maior palhaçada non-sense. Muito limitada pelo teto da imaginação humana atual infelizmente.

FIM DE SPOILER

– Por fim, fiquei com um gosto de decepção, pois os trailers desde o início me induziram a imaginar um enredo tão bom ou melhor que os antigos Metal Gear que possuiam ótimo gameplay e história. O The Phantom Pain por exemplo, pra mim é um dos melhores jogos de sempre apesar de tudo.

Minha opinião no fim é que precisávamos de um jogo assim nessa indústria. Gostemos dele ou não. Novas portas tem de ser abertas sempre.

Ao vespeiro sonysta:
Quem não tiver pecado que me atire a primeira pedra. LoL.

Edson
Visitante
Edson

Tbm não entendi! O game é 5 pra vc, mas imprescindível pra indústria???

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Sim, pois deixei claro que uma nota é pessoal e a outra é a visão de que é muito interessante o arriscar fora da zona de conforto e que esse jogo se atira nessa direção sem medo. Por isso positivo pra indústria. Não sei como ser mais claro.

Peço que quando direcionar comentário a mim seja colocado como resposta ao meu coment pra devidos esclarecimentos, pois quase me passa batido seu comentário, sendo visto de relance. Valeu.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Para mim o que esta contando neste gamer é o lado politico desta industria onde se tem muita gente envolvida no projeto(artistas de série de tvs,produtor de filmes etc,etc,etc)pois nunca vi em toda a história desta industria um game que 50% dos criticos acharam péssimo e 50% acharam excelente,ora ou se chega a um consenso ou não se chega a lugar algum,sou do cara que faço a seguinte indagação”Se fosse um jogo produzido por um estudio indie e um diretor desconhecido,mas utilizando o elenco e a engine do game tenho certeza que ele não estaria na lista”

Shin
Visitante
Shin

Death Stranding seria um jogo que seria melhor recebido se fosse um jogo de Switch. O problema dele é que uma vez feito para PS4, feito com a Decima Engine, feito com rostos de atores Hollywoodianos dar todo o ar de pompa de um triple A, quando todo o desenvolvimento foi feito em um único andar de um prédio alugado. Sim Death Stranding é um game indie em uma produção de ponta fortemente ajudada pelos mesmos caras de Kill Zone e Horizon Zero Dawn, os jogos mais pomposos visualmente dessa geração, feito pelo cara de Metal Gear V cuja a imprensa o ocidental o ovaciona de maneira mítica. Porém Kojima só se tornou mais extrovertido agora quando começou a sair com os figurões da indústria depois do sucesso intelectual dos jogos feitos com seu antigo patrão a Konami.

Porém apesar de experiente Kojima nunca foj um desenvolvedor triple A. Quantos jogos Triple A Kojima fez? Que eu saiba 2? Metal Gear Solid 4 e 5? Ambos dividindo muitas opiniões. Então eu acho que não é surpresa que Death Stranding dividiria muitas opiniões, na verdade agora ele não tem tanto o conforto de está em uma série que a muito tempo já era consagrada, é um reinício, e o que ele trás tal como foi Metal Gear Peace Walker onde ele admitiu que o fato de está no PSP colocava menos pressão, é um jogo que deveria representar menos ambições do que tanto parece ser.

Então é isso, Death Stranding deveria ter sido portátil, talvez ficasse muito melhor recebido no PSvita, como o PSvita se foi restaria o Switch. Porém não foi a Nintendo que ajudou, a Nintendo possivelmente não colocaria seu dinheiro em um conceito de risco como esse, porém Yoshida e outros figurões da Sony acreditavam que o fato de ser do Kojima dariam resultado. Não será por isso que Andrew House acaba saindo mais cedo? Sua imagem estava muito envolvida nisso.

Eu não sei, mas eu gosto das esquisitices de Kojima pois foge do feijão com arroz da indústria ocidental. Em meio a toda aquelas caixas tem um Metal Gear ainda está sutilmente por lá, então eu poderia encarar horas de trilhas em meio ao cenário melancólico e chuvoso apenas para chegar nessas partes.

nETTo
Visitante
nETTo

Comprei o jogo nesta black fraude aqui no Brasil pra viver esta experiência. Assim posso opinar com propriedade sobre o que esta obra do Kojima é pra mim e dizer se concordo ou discordo das indiccações.

Fernando
Visitante
Fernando

Totalmente duvidoso. Ao meu modo de ver, Death Stranding e Control estão tomando o lugar de Gears 5 e Devil May Cry 5. O primeiro está sendo segurado só pelo nome do Kojima e a grande amizade entre ele e o idealizador desse show, que é na verdade um show de marketing. Arrisco até a dizer que o jogo só tem 82 no metacritic por causa do nome Kojima e o tanto de nota máxima que levou de seus fanboys. Uma média 70 estava de bom tamanho. Ah se fosse um jogo de xbox…

Já o Control, veja só, a Remedy faz um jogo pior que o Quantum Break, que é um bom jogo, mas aí faz multiplataforma e associa o marketing ao Playstation e olha lá, a crítica adora. O Quantum Break é milhas acima desse Control, em todos os aspectos.

bruno
Visitante
bruno

O primeiro esta porque nao e uma quinta entrega de uma serie que so inova ao entregar uuma melhoria grafica e ao finalmente ter uma historia que vale a pena, mas ao ser um jogo completamente original, com os melhores graficos alguma vez vistos em consolas e que propoe um novo genero: o the social stranding. Durante meses ninguem entendeu o que isso era… Agora ja se entende: interajuda entre jogadores para conseguir percorrer um extenso e dificil mundo de jogo. O conceito de rede social, aplicado a gameplay. E o primeiro jogo, em toda a historia, a propo-lo.

Gears 5 enquanto Gears e excelente, enquanto jogo…nao sai da velha formula, apenas mais refinado, e ha melhores no genero desde ha varios anos atras.

Concordo sobre a questao DMC5 e Control. Adorei os 2, e acho os dois excelentes e acho que para escolher entre um e outro, e impossivel e nao invejo quem tenha que o fazer.

Mário Armão Ferreira
Visitante

Mudando de assunto, o PSErebus já era!
A Sony nem falou da PS5, excepto para dizer que sobre ela fala para o ano!

bruno
Visitante
bruno

Eu não disse?

Edson
Visitante
Edson

Há melhores que Gears nesse estilo, Bruno? Me dê nomes, se possível! Quanto a fórmula velha, não vi ninguém falando aqui de Uncharted 4 ou lost legacy ( a série que eu mais gosto, porém o mais do mesmo)

bruno
Visitante
bruno

No genero TPS (genero, nao estilo)? Tu mesmo indicas. Uncharted apresenta um combate mais fluido, melhor movimento, excelente historia e melhores graficos.

Alguem que diz que Uncharted 4 e mais do mesmo nunca jogou Uncharted na vida.

A serie na PS4 introduziu imensas mecanicas novas e modificou a forma de jogar. Os niveis tornaram-se mais verticais combinando stealth, mais imensos compensando a exploracao, modificando toda a aproximacao ao combate. Dizer que Uncharted 4 e mais do mesmo e um disparate tao grande quanto dizer que toda a roupa e igual.

Edson
Visitante
Edson

Faço das suas as minhas palavras, Mário!

bruno
Visitante
bruno

Como bem dizes, ambos sao TPS.

Uncharted 4 ofereceu uma enorme evolucao sobre a serie, quer a nivel tecnico, no departamento grafico, quer a nivel de mecanicas. Revolucionou completamente o combate de uma forma impressionante indo ao detalhe de ate inovar no sistema de apontar e disparar.

Gears… nem por isso. Compara do primeiro ao quinto e o que tens – a mesma base em todas sem nada inovador no core da gameplay. E o que descreves e que aumentaram as areas de jogo (e somente no titulo deste ano), e adicionaram actividades secundarias (o que nem e um inovacao per se, apenas uma forma de organizar a compleccao de objectivos), com possibilidade de melhorias no aparelho.

Nao ha nada de errado nisso, e sou forte defensor de que se funciona, nao precisa ser mudado, mas quando tens uma serie a jogar catch up com TPS concorrentes ( e a lista podemos adicionar o reboot de Tomb Raider) e depois Xbots a virem alardear que na Sony e tudo mais do mesmo e a insistirem que Gears 5 deve ser considerado jogo do ano, entao as comparacoes devem ser feitas.

O que eu cada vez mais entendo e que ha aqui gente que nao tem mesmo nocao do nivel tecnico que a PS tem entregue. Shadow of the Tomb Raider, por exemplo, esta bastante atras do que a ND conseguiu meter a nivel grafico em Unchared.

Eu gostava mesmo, contudo, era de ver como se aguenta GEARS 5 contra DAYS GONE. Ambos utilizam o mesmo motor e days gone, nas duas PS esta impressionante, sem contar que e mundo aberto e para alem da vegetacao luxuriante ainda tens as hordas.

Eu entendo que haja muito mais factores a pesar em cada um dos jogos, mas nao foi eu que iniciei as comparacoes.

Mário Armão Ferreira
Visitante

Não, nao digo… Uncharted não é um TPS puro, apesar de ter partes de TPS. Podes fazer muito do jogo todo sem sequer disparar um tiro!
Até há um trofeu para isso caso faças os dois últimos níveis sem matar ninguem (Peacefull resolution) – Mas diga-se que estes níveis nem sequer tem grande coisa para matar, o que mostra claramente que Uncharted não é um TPS, apenas tem partes de TPS.

bruno
Visitante
bruno

O google discorda de ti. A propria Sony discorda de ti.

TPS significa third person shooter.

A diferenca e que Gears e um TPS puro e duro. Basicamente, o que fazes na maioria do tempo e disparar, ir para cover, e correr. Combinando com seccoes especificas

Uncharted combina TPS com plataformas e puzzles. E vai mais longe chegando ao TPS vertical que foi introduzido por Drak Void e a serie implementou na terceira entrega. Uncharted 4 leva isto ao extremo ao tornar os niveis verdadeiramente tridimensionais. Mas enquanto TPS tendo em conta que podes combinar os tiros, finishers, ataques corpo a corpo com seccoes de stealth, saltos e ataques especificos, neste aspecto esta muito a frente.

Mas e um TPS, disto nao ha duvida, e sobre o jogo poder ser passado sem dar um unico tiro isso nao e verdade em nenhuma entrega da serie. Tens seccoes obrigatorias de combate em todos, mas mesmo todos (uncharted 4 – como consegues passar o nivel de fugir do leilao sem dar um tiro?, Uncharted TLL – como consegues dentro do tempo passar o nivel em que os adversarios te descobrem e te atiram quando estas no primeiro tempo subterraneo?).

Brunoab
Visitante
Brunoab

se fosse um jogo de xbox iria ter gráficos de switch, cartoon pq é mais barato, nenhum ator famoso e MP PvP e Coop para botar microtransações… ia poder comprar carros, motos e construir estradas usando dinheiro de verdade com microtransações.

e ia dar para dar bastante tiro pra tudo que é lado.

Sabe a modinha de soldadinho sem cérebro? tipo master chief?

Ninguém mais quer ser o soldadinho otário sr yes sr que vai para o iraque explodir as pernas nas minas para encher o bolso do Dick Chenney de petroleo… NEM NO VIDEO GAME.

chega de FPS militar, seja matando baratas espaciais.. seja matando monstro das profundezas do planeta.

E pior ainda é falar que Quantum Break com 3H DE GAMEPLAY e 8H de série de TV bizarra é melhor que Control que é 8h de gameplay…. é muito vitismo e choradeira… NEM CAIXISTA gosta desse toletão de merda.

Tá igual os lunáticos resucitando Ryse e vomitando demencias do tipo

“Ryse é melhor que God of War, se Ryse fosse do PS4 era goty e God of War do Xbox seria 59 metacritic vermelho BÉÉÉÉ´´E SOU DEMENTE LUNÁTICO”

Fernando Molina
Visitante
Fernando Molina

Site errado, esse tipo de comentário é pra gamevicio da vida