E3 2015: Previsões para a conferência da Sony

A história tende a repetir-se. Quando a PS3 foi lançada, ela não tinha jogos. Apesar de os ter. Agora com a PS4 a coisa é a mesma: a PS4 não tem jogos. Apesar de os ter. A história prova que a E3 é o palco de eleição da Sony para os seus grandes anúncios. Tornará a história a repetir-se?

Playstation

A Sony entrou no mercado de consolas em 1994, apesar de estar a preparar caminho desde 1986. E em pouco tempo tornou muito claro que sabe o que os jogadores querem. A PS1 foi uma boa consola? Sim. A PS2 foi uma boa consola? Sem dúvida. A PS3 foi uma boa consola? Sem dúvida. A PS4 é uma boa consola? Está a construir-se, mas podemos dizer já que lá chegará. De acordo, a companhia comete erros. Basta olhar para as portáteis para perceber que nem tudo corre bem e que há dificuldades. (Aliás, a Vita é mesmo a grande incógnita – marcará sequer presença na conferência?) Mas quem não comete? A E3 sempre foi o local de eleição para os grandes anúncios da companhia. Em 1997, anunciaram Tomb Raider II, em 2000, Metal Gear Solid 2, em 2002, Ratchet e Clank, em 2004, God of War, em 2011, The Last of Us. E não apenas um grande jogo mas vários! Assim, o que podemos esperar este ano?

Bem, deixando para lá os jogos,  é quase certo que novos modelos serão anunciados. E tal como no caso da Xbox, acho que é muito cedo para um modelo slim. O mais provável é que vejamos apenas para já novos modelos de 1TB. Aliás, documentos de certificação na FCC, registados recentemente, apoiam esse rumor e revelam alguns dados interessantes como o facto de o novo modelo ser, supostamente, mais leve. Certamente, isto será uma das notícias que poderemos esperar conjuntamente com uma possível descida de preço para permanecer competitiva. A outra grande estrela do espectáculo será o Projet Morpheus. Tal como a Microsoft com o Hololens, a Sony também deve dedicar parte da conferência em títulos para o dispositivo e possívelmente uma data de lançamento específica. Por último o PS Now. A estrear este verão é também muito provável que parte da conferência seja dedicada ao serviço, nomeadamente preços e dispositivos que o suportam. E agora, os jogos que Sony deve mostrar na E3.

Uncharted 4: A Thief’s End ( Já anunciado)

Uncharted 4 será certamente a grande estrela da conferência da Sony. O shooter na terceira pessoa de acção-aventura, desenvolvido pela Naughty Dog, será lançado, em príncipio, no primeiro ou segundo trimestre de 2016. Para quem não sabe, Uncharted segue as aventuras de Nathan Drake, um caçador de tesouros descendente do pirata inglês Sir Francis Drake, enquanto procura por relíquias antigas e de valor incalculável no moderno mundo atual, desfazendo pelo caminho mitos e lendas antigas com factos científicos. A história combina sempre momentos de drama e de acção intensa com comédia derivada da personalidade do protagonista, longe de ser perfeita, e dos seus aliados. A quarta entrega ocorre 3 anos após Uncharted 3: Drake’s Deception. Drake desistiu da vida de caçador de tesouros, assentou numa vida normal, com a sua amada, Elena. Mas o regresso inesperado do seu irmão mais velho, Sam, que precisa da sua ajuda, deixa a sua vida de pernas para o ar e obriga Drake a entrar numa aventura por todo o globo que vai testar os seus limites físicos e psicológicos. O primeiro teaser, com um nível gráfico soberbo, foi revelado na E3 2013, e no Playstation Experience, no final do ano, foi mostrada a primeira gameplay, levando a um escândalo de downgrade. Sendo a primeira gameplay, pré-alpha, a E3 de 2015 será altura de a Naughty Dog mostrar exatamente até onde consegue chegar na ps4.

Uncharted: The Nathan Drake Collection (já anunciado)

Um erro na Playstation Store, terá forçado a mão da Sony e agora sabemos que os três títulos originais da PS3 serão lançados em versão remasterizada, a 1080p e 60 fps, na PS4. Sem modo multijogador, para, segundo os responsáveis do estúdio, não dividir a comunidade multijogador que já possuem. Mas há mais. Haverá novidades na gameplay e novos troféus, bem como, um acesso antecipado à beta do multijogador de Uncharted 4. Uncharted: The Nathan Drake Collection é lançada a 7 de Outubro de 2015 e com certeza teremos o primeiro contacto nesta E3.

Until Dawn (já anunciado)

Until Dawn é um survival horror no qual seguimos Sam, Josh, Jessica, Mike, Emily, Matt, Ashley e Chris enquanto passam uma noite numa cabana na floresta, no aniversário do desaparecimento da sua amiga Hannah, ignorantes do facto de estarem a ser perseguidos por um psicopata sedento de sangue. Ao estilo dos títulos da Quantic Dream, em Until Dawn, as nossas acções e decisões têm impacto no desenlace. Mas a Supermassive Games, o estúdio por trás, decidiu levar isso a um nível completamente novo. Tal como os filmes de terror ( Cabin in the Woods, Massacre no Texas, Scream) onde se inspira, o mal, ou a entidade maléfica não é completamente compreendida até ao final, e este jogo quer convidar o jogador a desvendar todos os segredos. Por isso, o jogo foi desenhado para ser jogado múltiplas vezes (dado que uma só vez não será suficiente para compreender toda a história) e assim, vamos controlar em vários playthroughs as diferentes personagens, com as nossas decisões a causarem grandes consequências mais tarde, usando para isso um sistema de jogo conhecido como Butterfly Effect, com o qual é possível manter as 8 personagens vivas até ao final da história ou matá-las a todas. Isto permite muitos caminhos diferentes para completar o jogo e vários finais alternativos. Until Dawn chega a 26 de Agosto de 2015, e certamente teremos mais detalhes na E3 deste ano.

Ratchet e Clank ( já anunciado)

O próximo Ratchet e Clank será lançado na primavera de 2016 (a acompanhar o filme de animação) e será um reimaginar do primeiro jogo, desenvolvido pela Insomniac Games.  Ratchet e Clank é um jogo de plataformas, que se passa num Universo ficcional onde a viagem interplanetária entre várias galáxias é possível. Os planetas, são populados por numerosas espécias animais e robóticas, indo desde grandes metrópoles muito desenvolvidos, a planetas desertos e pouco colonizados. Os protagonistas são Ratchet, um lombax – felino antropromórifco com mãos semelhantes às humanas e com um talento natural para gadgets- e Clank um robot. O jogador controla Ratchet na maior parte do tempo, só controlando Clank em certas secções. É um jogo de acção-aventura de plataformas, em terceira pessoa, no qual o jogador tem que ir avançando na história abastecendo a personagem principal com upgrades e novas armas, que vão sendo desbloqueados ao longo do tempo. Na E3 do ano passado tivemos um trailer e este ano é provável que vejamos alguma gameplay.

No Man’s Sky (já anunciado)

No Man’s Sky é um jogo de acção-aventura, no qual somos convidados a explorar um universo aberto, gerado processualmente. O jogo será baseado em 64 bit, o que permitirá cerca de 18*10^21 mundos diferentes, com características únicas. Os jogadores têm o papel de um explorador interplanetário, que com a sua própria nave espacial, explora a superfície de inúmeros planetas e interage com a fauna e a flora desses mundos e pode, até mesmo, iniciar combates com forças hostis. O jogo terá componente online permitindo a partilha dos mundos descobertos entre utilizadores diferentes, mas inclui modo offline, o qual não afectará a experiência. Os mundos que exploramos serão ricos na sua fauna e flora, e acima de tudo únicos, incluindo vários ambientes, florestas, montanhas e abismos subaquáticos  e variando de ambientes favoráveis a locais com condições duras e predadores muito perigosos (minhocas gigantes carnívoras estão incluídas no menu). Ao longo da aventura, os jogadores vão recolhendo recursos, os quais podem trocar ou vender nos mundos que visitam, de modo a terem meios para realizar manutenção do equipamento, comprar combustível, e fazer upgrades, à medida que procuram atingir o objectivo que é chegar ao centro da galáxia. No Man’s Sky ainda não tem data definitiva de lançamento, sendo um exclusivo temporário da PS4, que posteriormente chegará ao PC.

HellBlade (Já anunciado)

Hellblade é o próximo grande título da Ninje Theory, estúdio que se celebrizou com Heavenly Sword, na ps3, e que entretanto já nos entregou Enslaved: Odyssey to the West e DMC. Descrito como o indie AAA ( isto é, produzido de forma independente, mas com valores de produção de um título AAA), a história centra-se num mito celta, na qual Senua, a protagonista, embarca numa aventura muito pessoal através do submundo. A Ninja Theory já prometeu um novo nivel de combate brutal, elevando ao próximo patamar tudo o que já entregaram até agora. Hellblade está a ser desenvolvido para a PS4 e PC, e já foi anunciado que no próximo dia 10 de Junho gameplay será revelada. É possível que este jogo marque também presença na conferência da Sony.

Street Fighter 5 (já anunciado)

Foi na Playstation Experience de 2014, que foi anunciado que Street Fighter 5, bem como a versão remasterizada de Ultra Street Fighter 4, seriam lançados exclusivamente na PS4. Ultra Street Fighter 4 acabou por ser um tiro no pé: a performane da versão remasterizada deixava muito a desejar, estando assolada por bugs inadmissíveis e acabando por nem ser usada no torneio da série organizada pela própria Capcom. Esperemos que Street Fighter 5 chegue em melhor estado. Até agora sabemos que o arcade de luta será lançado em Abril de 2016, e que graficamente será bastante semelhante ao antecessor, contando com novas mecânicas, movimentos redesenhados, e cenários destrutíveis.

PlanetSide 2 (já anunciado)

PlanetSide 2 é um FPS MMO free-to-play, que basicamente é um remake do original, lançado em 2003 para PC (o porquê do nome PlanetSide 2 escapa-se-me completamente). Depois de explorar um buraco-de-minhoca, no espaço profundo, a República Terran (um governo galáctico, centralizado e oligárquico, que governa a humanidade à milhares de anos), encontrou apenas um mundo habitável. Esse mundo, batizado de Auraxis, já possui muitos habitantes, de aspecto muito familiar e que manejam, sem saber, tecnologia avançada Decidida a saber mais sobre esse mundo, a República envia expedições para explorar e colonizar o planeta. Chegados lá, os colonos decobrem os restos de uma antiga civilização alienígena, que dominaram uma tecnologia que estava muito mais avançada que qualquer coisa que a Humanidade alguma vez tenha produzido. Com o colapso do portal, e com todas as tentativas para o reabrir falhadas, o planeta, os colonos e a tecnologia perderam-se desestabilizando o governo, levando a uma guerra civil entre diferentes facções, que querem decidir o desino da humanidade. O jogado poder-se-á juntar a cada uma destas facções lutando, quer a pé, quer no ar, em desertos, montanhas, florestas e pântanos. O objetivo é simples: cada facção deve conquistar quantas instalações conseguir na superfície do planeta, com o jogador a controlar a personagem que escolheu numa perspectiva de primeira pessoa combatendo com potencialmente milhares de jogadores (isto já foi conseguido no primeiro título de 2013). O jogo foi lançado em 2012 para PC e será lançado na PS4 no dia 23 deste mês. É possível que seja referido na conferência deste ano.

Let it Die (já anunciado)

Let it Die é um exclusivo para a PS4, que está a ser pela Grasshopper Manufacture, estúdio que se celebrizou com Killer 7 em 2005, e que mais recentemente entregou o psicadélico Lollipop Chainsaw. Let it Die está prometido como um jogo hack-and-slash free-to-play, que será, em princípio, lançado este ano. Dos poucos detalhes inicialmente conhecidos, o jogo terá uma protagonista feminina e passar-se-á no ano de 2043, com o foco da jogabilidade a centrar-se no multijogador online. O jogo terá uma compannion app que permitirá aos jogadores de smartphones estar no mesmo mundo que os que jogam na consola. A morte das personagens será importante dado que quando um jogador morre, ele surge no jogo de outro jogador. O jogo foi revelado em 2013 e na E3 de 2014 teve uma mudança de nome.  É possível, dado o lançamento estar previsto para este ano, que mais detalhes sejam revelados na E3.

Tearaway Unfolded (já anunciado)

Tearaway é um jogo de plataformas em terceira pessoa que foi desenvolvido pela Media Molecule para a PS Vita. O jogo é sobre um mensageiro (que nós controlámos) que tem de entregar uma mensagem, ao Jogador (a câmara frontal da consola coloca a nossa cara no horizonte) – “The You” – uma entidade suprema que ilumina o mundo. Podemos personalizar a nossa personagem, entre masculino (Iota) e feminina (Atoi – perceberam?), e navegamos num mundo lindíssimo, colorido e que parece feito de papel. O jogo foi muito bem recebido pela crítica, que o louvaram pelo aspecto gráfico, gameplay e originalidade,  e tira total partido das características únicas da consola. E ao que parece um remake, Tearaway Unfolded, está em desenvolvimento para a PS4, o qual contará com uma história mais extensa, e tirará total partido das características únicas do DualShock 4.


Soma (já anunciado)

Soma é um survival horror de ficção científia do mesmo estúdio que se celebrizou pela série Penumbra e Amnesia no PC. Dos poucos detalhes que se conhecem, o jogo passar-se-á numa instalação de pesquisa subaquática, PATHOS-2, em que a maquinaria começa a adotar características humanas. Relativamente à gameplay, ela incluirá todas as características que popularizaram a série Amnesia no PC, sendo jogado de uma perspectiva de primeira pessoa e encontraremos, ao explorarmos a instalação, criaturas estranhas bem ao estilo que o estúdio nos habituou. Em Janeiro deste ano, foi anunciado que o desenvolvimento do jogo estava praticamente terminado e  que os últimos detalhes estavam a ser polidos. SOMA será lançado para PC e PS4 a 22 de Setembro de 2015. Mais detalhes devem ser revelados na E3.

The Tomorrow Children (já anunciado)

The Tomorrow Children é um jogo de acção aventura em mundo aberto, que está a ser desenvolido pela Q-Games (os mesmos de Pixeljunk), em exclusivo para a PS4. O jogo é descrito como sendo uma mistura entre uma distopia pós-apocaliptica versão União Soviética, que inclui elementos, na gameplay, de colaboração para a construção e economia social ao estilo de Minecrat. A colaboração do estúdio com a Sony dá-se ao nível do desenvolvimento do motor gráfico o qual procura utilizar várias características do hardware da PS4 para tentar atingir gráficos 3D com aspeto de CGI pré-renderizado.

Rime e outros indies (já anunciado)

Rime é um título em mundo aberto, de terceira pessoa e de plataformas. O jogador controla um rapaz, que precisa de escapar de uma ilha e a uma maldição, tendo para isso de explorar o local e resolver puzzles. O jogo usará o próprio ambiente da ilha e áudio sem narrativa para contar a história. Existirá um ciclo dia-noite, o qual influenciará a gameplay e o aspecto visual. O jogo foi mostrado pela primeira vez num trailer em Agosto de 2013, na conferência da Sony na Gamescom. Em 2014 um segundo trailer foi lançado. Como Rime, outros títulos podem surgir incluídos no programa de apoio a indies da Playstation.

Deep Down (provável)

Deep Down é um RPG, free-to-play, que está a ser desenvolvido pela Capcom e está com lançamento marcado para este ano, apesar de ainda não ter data definida. É um jogo single player, com opção de co-op até 4 jogadores em multiplayer (do mesmo modo que Dark Souls). Dos poucos detalhes conhecidos, sabemos que o jogo se inicia em Nova Iorque no ano de 2094. Ao tocar em artefactos mágicos somos transportados a um passado distante, para explorar masmorras, aleatoriamente geradas, e na qual enfrentaremos vários monstros, desde ogres a dragões, armados com espadas e lanças. O jogo foi revelado durante o Playsatation Meeting, em 2013, e desde então tem sofridos vários adiamentos e mudanças de conceito. Será que este ano teremos mais notícias?

Horizon (provável)

Horizon (nome de código) é o novo título da Guerrilla Games, o estúdio responsável pela série Killzone, e até agora poucos detalhes são conhecidos. Sabemos que é um RPG em terceira pessoa,  de acção aventura que se passa num mundo aberto, luxuriante e colorido (e se Killzone Shadowfall serve de referência devemos esperar o melhor), que vai desde tundras geladas, a florestas e vastas savanas. É um mundo semelhante a The Witcher, no qual vamos encontrar vilas e cidades com sociedades tribais. E não nos podemos esquecer dos dinossauros robóticos! Jogamos como uma caçadora de uma tribo, que está fascinada por uma antiga civilização que existiu à milhares de anos e cujas ruinas gosta de ir explorar. Usaremos o arco, flecha e a corda, para destruir as gigantes criaturas robóticas, da mesma forma que em Star Wars: Episode V se deu cabo do AT-T. O jogo terá um grande foco em singleplayer, com a possibilidade de co-op. É possível que novos detalhes sejam revelados nesta E3, com o jogo a ser lançado só em 2016.

hori2

Gran Turismo 7 (provável)

Depois do muito desastroso lançamento de Driveclub é normal que a Sony queira concertar a asneirada. O jogo já se encontra a funcionar em condições e uma atualização recente revelou que a PS Plus Edition, estaria, finalmente, a chegar. Mas não me parece que a companhia vá anunciar isso na E3. Pelo menos por si só. Assim, a hipótese levantada por muitos é a de que para compensar os falhanços de Driveclub, um dos grandes anúncios da conferência será Gran Turismo 7, a próxima entrega do mais popular simulador automóvel na Playstation. Tendo em conta que o responsável pela série, Kazunori Yamauchi, mecionou numa entrevista, em 2013, que GT7 chegaria à ps4 em um ano ou dois, estamos na altura de algo ser anunciado.

Heavy Rain e Beyond Two Souls Remaster (provável)

A Quantic Dream é um estúdio que se celebrizou pelos jogos que cria, em que a história é o foco principal. Nos seus jogos, o jogador assiste a uma história, e interage de modo a saber mais detalhes e permitindo assim decidir o seu desenlace. A gameplay combina elementos de exploração com quick time events, numa forma original de controlo e interacção. Heavy Rain foi o primeiro título do estúdio para a ps3, e nele seguimos a história de várias personagens enquanto tentam desvendar o segredo por trás dos crimes do Origami, um assassino em série, que rapta crianças e obriga os pais a passarem por testes e armadilhas mortais a fim de recuperarem os seus filhos. Depois tivemos Beyond: Two Souls, lançado em 2013, e tendo no elenco Ellen Page e Wilhem Dafoe. Segue a história de Jodie Holmes, desde criança até adulta, de uma forma não linear. Jodie, desde que nasceu, possui uma ligação psíquica com uma entidade misteriosa chamada Aiden, a qual comunica com Jodie e consegue realizar actos telepáticos. É levada pelos pais, para uma base militar onde cresce sendo continuamente submetida a testes, e treinada como soldado. A história foca-se não nos poderes e nas missões de Jodie, mas no drama desta mulher que tenta continuamente escapar ao seu destino e ter uma existência normal – algo que graças a Aiden termina invariavelmente em desastre. Isto enquanto tem que lidar com conspirações do governo e outros espíritos do além. Estes dois títulos, em versão remasterizada seriam adições bem-vindas ao catálogo da PS4. Será que teremos novidades na E3?

Novo Título da Quantic Dream (provável)

Antes de Heavy Rain ser lançado, uma demo técnica, The Casting foi revelada em 2006. Antes de Beyond Two Souls ser lançado, uma demo técnica, Kara foi revelada em março de 2012. A Quantic Dream já mostrou uma demo técnica, “The Dark Sorcerer” (muito impressionante), na revelação da ps4 em Fevereiro de 2013. Tendo em conta a tendência do passado e os últimos rumores de profissionais de marketing a serem contratados pelo estúdio, é provável que algo do novo projecto da Quantic Dream seja visto na conferência deste ano.

God of War III remaster e God of War 4 (provável)

God of War III Remaster, chega à PS4 em breve, e trata-se da versão remasterizada do terceiro e último capítulo da saga, em que Kratos, tem, por fim, a sua vingança sobre os Deuses que o traíram. God of War é um jogo de plataformas acção aventura, em terceira pessoa com elementos de hack and slash, passado numa versão mitológica da Grécia antiga. No terceiro título, Kratos, após trazer de volta os Titãs, ataca o monte olimpo com um único propósito: destruir tudo e acabar com a era dos Deuses. Com gráfios soberbos, uma gameplay viciante e cenários de cortar a respiração, God of War III, foi o primeiro título da saga para a PS3, tendo sido recebido com aclamação por parte da crítica e agora é relançado em versão remasterizada a 1080p e 60 fps para a PS4. O jogo é lançado a 14 de Julho de 2015 e é provável que seja referido na conferência.

God of War® III Remastered_20150311214233

God of War® III Remastered

Para além do remaster de God of War III, uma sequela há muito que é desejada pelos fãs. God of War Ascension, lançado 3 anos após o terceiro, foi uma prequela, louvada a nível técnico, criticada pela história. É compreensível: depois de destruirmos o Monte Olimpo, fosse o que fosse que viesse a seguir não conseguiria igualar isso. Pessoalmente, acho que a série já deu o que tinha a dar, e não vejo sentido num novo jogo da série. Mas sabe-se que a Santa Monica Studios, depois da sua colaboração em The Order 1886, e depois da reestruturação que sofreu está a trabalhar num novo título que pode muito bem ser o tão aguardado quarto capítulo, que segundo os rumores é God of War: Redemption. Pode ser que tenhamos novidades.

GOWredemption

The Last Guardian (pouco provável)

Conhecido no Japão como “Trico, a águia que come homens”, é o próximo titulo da Team ICO, dirigido por Fumito Ueda, sendo assim de esperar que estética e estilisticamente, bem como a nível de gameplay, o jogo conte com elementos dos títulos anteriores do estúdio: ICO e Shadow of the Colossus. Sobre o conceito os detalhes são escassos: controlamos um jovem rapaz que tenta escapar de umas ruinas que parecem pertencer a uma fortaleza de grandes dimensões. Entretanto torna-se amigo de Trico, uma criatura gigante, tipo grifo, misto entre àguia e gato. O jogo é uma aventura em terceira pessoa, que requer que o jogador, que tem o papel do rapaz, manipule Trico como a um animal de estimação (atraí-lo com comida, por exemplo), de modo a poder usá-lo como meio de progredir pelo cenário gigantesco. Trico tem lanças e setas espetadas nas costas, e incialmente está preso, sendo que mais tarde é libertado e é mostrado a atacar um soldado. O jogo está em desenvolvimento desde 2007, e foi anunciado formalmente em 2009, na E3, tendo sido planeado para ser lançado em 2011. Entretanto foi continuamente adiado, Fumito Ueda já deixou de trabalhar para a Sony, embora continue como consultor a participar no desenvolvimento do jogo. Em Fevereiro de 2015, a Sony declarou que o jogo continua em desenvolvimento embora as condições tenham mudado. Será este ano que teremos mais notícias?

Syphon Filter ( pouco provável)

OK, ok. Na realidade as possibilidades são muitas. O rumor, não confirmado pela Sony, é a de que um grande IP da era da PS2  irá voltar em exclusivo para a PS4. O rumor foi lançado por Tidux, o mesmo insider que previu a apresentação de Uncharted 4 o ano passado. O grande problema aqui é que à Sony não lhe faltam IPs. Crash Bandicoot, Jak and Daxter, Spyro the Dragon, Jet Moto, Wipeout, Tomba, Dark Cloud, Medievil, são apenas alguns dos IPs da Sony que ficaram na memória, e que muita gente gostaria de voltar a ver em novas versões. Syphon Filter é a escolha quase unânime entre os fãs (e eu próprio). A série iniciou-se na PS1 tendo entregas na PS2, PS3 e PSP. Nele controlamos Gabe Logan, um agente secreto que tem como missão impedir um terrorista de lançar um ataque biológico usando um vírus letal chamado Syphon Filter. O reboot da série para a nova geração e com a mais alta qualidade dos estúdios Sony seriam muito bem vindo. Mas, Tidux já lançou mais achas para a fogueira, dizendo que a Sony tem em preparação um grande jogo começado pela letra P ( se é o franchise da PS2 ou algo diferente não se sabe). Considerando a combinação dos dois rumores anteriores, só me recordo de dois franchises que a Sony pode ressuscitar. Pursuit Force, na qual somos um agente da polícia especializado no confronto armado com criminosos, a pé ou de carro (ou ao longo do tejadilho do mesmo). A outra será Primal, um título lançado em 2003 para a ps2, pela SCE Studio Cambrige (agora Guerrilla Cambrige), onde temos de ajudar uma jovem de 21 anos a resgatar o namorado, ao longo de uma série de reinos demoníacos. Será que teremos detalhes na E3?


A conferência da Sony ocorre de 16 de Junho às 02h00 ( hora de Lisboa) E vocês que acham que a vamos ver na conferência da E3 da Sony este ano?

Publicidade

Posts Relacionados