E3 – Quem promete e quem cumpre mais.

A E3 é desde à muito tempo uma feira de promessas de jogos que por aí vem. Entre a Sony e Microsoft, quem promete mais, mas mais essencial, quem cumpre mais, e quem demora mais tempo a entregar o que prometeu?

Desde 2013 foram já vários os jogos apresentados na E3 pela Sony e pela Microsoft. Quem prometeu mais jogos? Quem entregou mais? Quem demorou mais a entregar o prometido? Quem cancelou mais jogos dos apresentados?

Estas são as perguntas que um estudo realizado por um utilizador do Neogaf e que vamos publicar aqui veio responder. Naturalmente o estudo pode, como qualquer outro, ter falhas, mas nesta fase não há porque duvidar do mesmo, até porque este foi publicado publicamente e como tal sujeito a escrutínio e correcções que até ao momento não aconteceram.

Vamos ver os dados da Microsoft:

Microsoft



A Microsoft apresentou até hoje na E3, desde 2013 a 2016, um total de 130 jogos!

Desses 130 jogos apresentados a Microsoft lançou 92 para o mercado, o que quer dizer que lançou até hoje um total de 70,8% dos títulos apresentados. Ainda por lançar e em produção estão 32, ou seja 24,6% dos jogos apresentados.

Cancelados até hoje foram 6 jogos, ou 4,6% do apresentado (pelo menos 2 eram AAA, sendo um deles first party, e foram cancelados pela Microsoft).

O tempo médio de entrega dos jogos após a apresentação é de 14.54 meses!

Comparemos com a Sony

Sony

A Sony apresentou até hoje 274 jogos na E3, tendo entregue até hoje 207 deles, ou 75,6%, sendo que 63 ainda estão em produção (23%). Dos jogos apresentados 4 foram cancelados, ou 1,5%. Todos eram Indies e foram cancelados por problemas financeiros do produtor, sem que tivesse havido qualquer envolvimento da Sony!

A Sony demora em média 13,10 meses a entregar os jogos após a apresentação.

Vamos então responder às perguntas anteriores:

  • Quem prometeu até hoje mais jogos na E3? – Sony, com mais do dobro do prometido pela Microsoft (110% mais).
  • Quem entregou mais do que prometeu até hoje? – Sony, num total de 207 jogos (130% mais), num total de 75,6% do prometido.
  • Quem demora menos tempo a entregar os jogos prometidos? – Sony, com uma média de tempo de 13,10 meses de espera
  • Quem tem mais jogos prometidos por entregar? – Em número Sony com 63 jogos, mas, percentualmente ao prometido, a componente mais relevante para o caso dada a disparidade no número de jogos apresentados, a Microsoft com 24,6% do prometido.
  • Quem cancelou mais jogos até hoje? – Microsoft, com 6 jogos cancelados.

Meras curiosidades e estatísticas.

 



Posts Relacionados

Readers Comments (17)

  1. Números interessantes. Não só demonstram a realidade que é o facto de a Sony anunciar e entregar mais jogos como também vêm contradizer as más línguas que no início da geração se fartaram de falar dos trailers mentirosos e das E3 cheias de hype…

  2. Bem interessante, mas fico um pouco na dúvida… Pelo que entendi,o utilizador do Neogaf misturou jogos AAA,AA e indies pra chegar nas conclusões. Por exemplo,ali diz que em média os jogos levam 13/14 meses pra serem entregues, pela Sony e Microsoft. Olhando pela matemática pode estar OK, mas sabemos que os jogos realmente relevantes, que fazem as pessoas comprarem os consoles, levam MUITO mais tempo que isso pra serem entregues….

    O ideal seria que esses números fossem mostrados em separado,fazendo uma lista só com os triple A,outra com os AA e outra com os indies, e não misturar tudo e fazer uma média… Não dá pra colocar no mesmo pacote a produção de jogos como locoroco, ou aquele simulador de namoro de pombos, e fazer média junto com títulos grandiosos como Uncharted 4 ou Horizon Zero Dawn, e daí tirar uma conclusão sob o tempo de produção …Matematicamente vai funcionar para uma média, mas são jogos de categoria muito diferentes, é como fazer média com o tempo de produção de um carro popular da Fiat, e outro de luxo sob encomenda da Ferrari…

    Gostaria de ver uma lista assim, mas separando os jogos de acordo com seu valor de produção(AAA,AA,indie), pra ver se fica muito diferente da lista do artigo, que mistura jogos de várias categorias de produção.

    • Markos, tens toda a razão. Se o estudo se dividisse em segmentos seria diferente. Se apostasse em variedade (i.e. jogos diferentes e não novas versões do mesmo jogo), mais diferente seria, etc, etc. Mas o que está ali em causa, e mais uma vez é preciso não confundir as coisas, não é isso. Nem sequer é directamente a Sony e ou a Microsoft no que toca à totalidade dos seus jogos ou sequer exclusivos sejam first ou second party. O que o estudo analisa é a E3 é só a E3. O que ambas as empresas apresentaram nessas feiras como promessa e publicidade, o que entregaram até agora, e quanto tempo demoram a entregar.
      E sabemos que nessas feiras foram apresentados jogos de todos os tipos e estilos.

  3. Cadê a Nintendo nesta pesquisa.
    Acho eu que falta um pouco mais de seriedade por parte destes estudos já faz um tempo(digo uns 15 anos atrás)que deixam claro sua posição de mercado(gosto)
    Sou fã da Nintendo,mas parece que hoje se você tem performance você ta dentro,se não tiver ta fora.Se esquecem que a principal causa de um jogo é sua diversão e não poderio gráfico.
    Jorney,Ori e outros exemplos estão ai para provar que estes estudos são feitos para beneficiar uma única marca.Triste mas a cada dia fico mais perplexo com a imprensa internacional e nacional onde colocam claramente em pauta sua escolha.Triste.

    • Ewerton… convenhamos que neste estudo a Nintendo é irrelevante. A WiiU era uma outsider e sem suporte de thirds.

      • Na parte do WIIU eu até concordo,mas deixo claro que para mim,nunca foi um console peso morto,pois é o console que mais jogo do que no meu Xbox e Ps4(mas isto é pessoal)Agora os parâmetros são outros pois temos ai um lançamento que esta indo muito bem e que ao menos merecia uma chamada tipo(vamos ver o que Nintndo tem para nos mostrar este ano)ai sim diria imparcial a pesquisa,pois mostra pelos números claramente a sua posição.
        Tenho 40 anos amigo e sei muito bem como funciona esta indústria.
        Pois repito não temos 2 empresas de hardware e sim 3.Obrigado.

        • Mas aí é como disse: “Vamos ver o que a Nintendo tem para mostrar esse ano” e como a E3 2017 ainda não ocorreu então para a inclusão da Nintendo em uma próxima pesquisa só é possível após a realização da E3 e nesse caso sem os dados de quanto tempo demora para sair o jogo.

          • Desculpa amigo(Lívio) mas como relatei no meu primeiro chat,para uma pesquisa de mercado a nível global temos que colocar todas as empresas relevantes no mercado,pois quando se tira uma delas essa pesquisa perde credibilidade.
            Ao me ver coloca a opnião do próprio pesquisador,pois sabemos que com a base instalada e estúdios pertencentes a cada empresa já se sabe pelos anos decorrentes que seria óbvio o resultado da pesquisa.

          • O estudo é global, ou seja inclui todos os jogos apresentados pelas marcas. Não apenas exclusivos nem sequer second partyes, mas também thirds. Basicamente ele mede o que foi prometido e o que foi apresentado na E3 é não a capacidade de entrega das empresas? Este é um estudo que apenas diz respeito ao que se passa na E3, nada mais.
            Dado que de 2013 a 2016 a Nintendo basicamente não existiu (comparativamente), não havia qualquer lógica em se incluir a mesma.

        • Sim, temos… E a Nintendo é uma grande companhia. Mas nos últimos anos tem andado arredada dos topos. Esperemos que a coisa mude.

          • Mas Ewerton ninguém está questionando a Nintendo e o foco principal da notícia é a E3, feira que ultimamente não era importante para a Nintendo.

            Acompanho mais seriamente(assistindo as conferências) a E3 desde 2013 e não lembro ao longo desses anos uma conferência da Nintendo, então se o artigo fala da E3 de 2013 a 2016 eu não vejo erro da não presença da Nintendo.

            Agora em 2017 com a presença dela a pesquisa deve incluí-la.

          • Sim, concordo… a Nintendo está agora em força novamente com a Switch… e estatísticas relativas a 2017 devem incluir a mesma.

  4. A Sony sempre ganha na quantidade de games e muitas vezes vão bem também na qualidade, só tem um porém, os grandes jogos já entregues. Como falaram acima, não dá pra colocar no mesmo balaio AA, AAA e Indie.
    Quais games eram realmente AAA e foram entregues:

    PS4
    Killzone
    The Order 1886
    Uncharted 4
    Horizon Zero Dawn
    The Last Guardian (?) – Tenho dúvidas se é AAA
    Street Fighter 5
    Thr King of Fighters

    Xbox One

    Ryse
    Forza Motorsport 5
    Sunset Overdrive
    Titanfall
    Forza Horizon 2
    Forza Motorsport 6
    Halo 5
    Quantum Break
    Gears of War 4
    Forza Horizon 3

    Estou descontando remasters, o que incluiria Halo MCC, Gears of War UE, The last of Us e Rachet and Clank

    Há uma vasta lista de games AA no Playstation e é nessa modalidade que eles entregam mais, Bloodborne, Driveclub, Knack, Ni-OH por exemplo, e uma quantidade grande de games com orçamento ainda menor que um AA, tipo No Man`s Sky.

    No fim das contas, a Sony entrega mais e o que a gente vê nas conversas de internet é que todo mundo está feliz assim, por mais que as estatísticas mostrem que o pessoal passa mais tempo jogando call of duty e GTA do que exclusivos, todo mundo diz que está feliz e é o melhor modelo. Então, a Microsoft também deve olhar mais para esse mercado AA, as vezes parece que exclusivos para eles é só se for AAA, e aí, nem a Sony costuma lançar mais de 2 por ano.

    • Eu vou nesta matemática ai.Que ao meu ver esta correto.

    • Espantoso.

      Sempre que o assunto é “Sony” e “Exclusivos”, erras as contas?

      Mas também não é de admirar. Se o cesto A tem 15 laranjas e o B, 10, tu basicamente dizes que tem os dois 10 porque no cesto A umas têm cor laranja-amarelado e nesse (só nesse), essas não podem entrar nas contas…

      Há vários pontos do teu “raciocínio” (acho que isto já é tomar em demasiada consideração o que escreveste), que não entendo…

      Por exemplo, FM5, FM6, FH2 e FH3 entram nas tuas contas como AAA. Driveclub, por algum motivo completamente desconhecido e que só tu sabes, não tem direito a essa classificação.

      Infamous e Until Dawn nem vê-los (convenientemente?).

      Titanfall é considerado por ti como uma aposta da MS em AAA (na realidade é uma IP pertencente à EA, cuja sequela nem permaneceu exclusiva). Por algum motivo, tanto Yakusa 0, como Yakusa 6 (e há outros) não tiveram direito a essa classificação.

      Depois acho espantoso, que para ti, Bloodborne, Ni-Oh ou Knack não são jogos AAA.
      Se eu Knack até posso compreender embora não concorde porque o jogo é plataformas, e para um público jovem, mas não deixa de ter elevados valores de produção e grande qualidade gráfica, mas ok, sobre Ni-Oh e Bloodborne percebo menos.

      Mas a cereja em topo do bolo é Ratchet e Clank não poder entrar nas contas porque é um remaster…

      Eu acho que não sabes a diferença entre um remaster e um remake (neste caso, mais corretamente reboot), mas eu explico: remake era o que a MS prometeu com Phantom Dust, remaster foi o que ela entregou.

      Percebeste agora?

      E não Fernando, não é só nas conversas da internet que se vê isso: é em vendas também.

      Mas ok, eu já percebi que variedade de escolha e dar mais liberdade ao consumidor só é válido na hora de colocar mais uma subscrição paga no pacote (EA Access, Live). Quando o tema são exclusivos, aí já não interessa…

      • João Magalhães 24 de Maio de 2017 @ 6:47

        Com essa acho bom o ‘Fernando’ ficar quieto rs

        Falar que Driver Club não é um AAA,e que Ratcher é um remaster foi demais!!!

  5. Eis a definição de AAA:

    In the video game industry, an AAA game (usually pronounced “triple A game”) is an informal classification used for games with the highest development and marketing budgets; as a consequence AAA game development can be considered to have a high economic risk, with high levels of sales required to obtain profitability.

    Neste aspecto acho que eliminaria da lista do Fernando jogos como:

    Sony:
    Uncharted 4

    Microsoft:
    Halo 5
    Forza 5
    Forza 6
    Forza Horizon 2
    Forza Horizon 3
    Gears 4

    Estes jogos não cumprem com a consequência por detrás da definição de AAA, o de serem um risco económico. Aliás a aposta nestes nomes prende-se exactamente com o saber que há partida eles venderão o suficiente para darem lucro.

    Seja como for, a definição de orçamento elevado não engloba um valor, logo não é aceitável dizer-se que um jogo é AAA porque gastou um milhão e o outro que gastou 900 mil já não é. E quem diz estes números diz outros.
    AAA é um jogo de elevado orçamento, concordamos… mas acima de tudo é um jogo de elevados valores de produção. O facto de uma empresa gastar mais dinheiro que outra não parece ser relevante, porque se fossemos por aí, face aos 141 milhões de dólares gastos por Chris Roberts em Star Citizen, nenhum destes jogos seria um AAA.

    E quanto aos valores de produção, eis o que refere Al Nelson, produtor de videojogos:

    In the early days, a publisher graded the games in their portfolio with simple a code.

    “A” titles were made by an in-house team, under direct control of an experienced producer, with high quality standards and often a new IP or sequel to a previous hit. The majors.

    “B” titles were lesser titles, made by 3rd party teams, elsewhere, supervised by associate producers. Farm league.

    “C” products were add-on content like new maps, editors, soundtracks, cluebooks, ports or compilations.

    Marketers could see a list of games in progress and plan ad budgets. As marketers often do, they began amplifying so the bigger of two “A” titles became “double A”. The idea spread and eventually grew to include triple A.

    O A significa High Quality Standards… AA é para separar jogos nestes parâmetros quando um é melhor que o outro, e AAA a mesma coisa. Al nem sequer fala em valores, pois como referido em cima, esse é um parâmetro subjectivo.

Os comentarios estao fechados.