EA afirma que iPhone 6 está ao nível das consolas de nova geração. Verdade ou Mentira?

Não se entende a necessidade de certas empresas usarem frases completamente enganadoras, falsas, e que induzem o consumidor em erro. Mas vamos desmistificar qualquer conceito em torno desta afirmação da EA que refere que o iPhone 6 está ao nível das consolas de nova geração.

iphone6vsconsolas

Peguemos em dois carros da mesma marca e mesmo segmento. Mas vamos pegar em dois carros com cores diferentes, motorizações diferentes e combustível diferente.

Na realidade estamos perante situações diferentes. São carros da mesma marca, mesmo segmento, mas a motorização não só revela modelos diferentes, como os mesmos ainda se distinguem na cor.

No entanto, se usássemos Marketing, iríamos dizer que os dois carros são iguais.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

O marketing não é mentir. É apenas omitir! Neste caso o que diríamos era que estávamos perante dois carros da mesma marca e do mesmo segmento, ignorando tudo o resto.

E isto, quer queiramos, quer não, está presente na nossa vida, e não é só na publicidade. Se perguntarem a um miúdo que carro é que o seu pai possui, ele em 90% das respostas irá indicar apenas a marca e segmento (por exemplo: Um Renaul Megane), mas nunca cilindrada e cor. Daí que se fizermos a pergunta a vários miúdos, obtendo só estes dados, no final, perante respostas idênticas, podemos dizer que o carro do Pai do João é igual ao carro do Pai do Manuel, quando na realidade são da mesma marca, do mesmo modelo, mas provavelmente de motorizações diferentes e e de cores diferentes. A questão é que pelos dados insuficientes que temos, pensamos assim. E os publicitários jogam com esse facto induzindo assim as pessoas em erro.

Recentemente Frank Gibeau, da Electronic Arts veio referir:

Com o ecrã retina e o processador melhorado, combinado com as capacidades do API Metal e 128 GB de armazenamento, obtém-se um aparelho que está a par com as consolas de nova geração. Está a mover-se perfeitamente para a nossa zona de ataque.

Basicamente o que acontece aqui é que a EA quer uma colagem dos iPhones às consolas. É com as consolas que a EA ganha verdadeiramente dinheiro, mas o mercado dos smartphones possui custos de produção muito mais baixos. Daí que se a EA, ávida de dinheiro como é, se conseguisse colar as coisas, conseguindo custos de produção significativamente menores, com preços de venda intermédios, obtendo quota adicional no mercado dos smartphones vindo dos gamers das consolas, seria ouro sobre azul. E que melhor mercado do que o iOS onde as pessoas estão dispostas a pagar (no Android espera-se mais as aplicações gratuitas, pelo que as pagas vendem pior).

E assim surgem palavras como as de cima. O que ali está é completo logro, quanto mais não seja porque as actuais especificações dos Android topo de gama são iguais ou superiores ao que temos neste smartphone sem que tenha havido qualquer referência idêntica! Na realidade não há qualquer forma de se comparar os novos smartphones da Apple às novas consolas. E vamos demonstrar isso ponto por ponto. Vamos começar pelo mais directo de se comparar, notando-se que as especificações dos smartphones não são ainda oficialmente conhecidas, motivo pelo qual falaremos do que provavelmente existe, e do caso mais favorável ao mesmo, ou seja, o melhor hardware que lá poderia existir.

Memória:

Se a PS3 e Xbox 360 lidavam com 512 MB de RAM, as novas consolas lidam com 8 GB de RAM. Por sua vez, a Apple decepcionou quando o mercado Android começa a adoptar 3 GB como standard, ao manter os novos iPhones com apenas 1 GB de RAM. É certo que a nível de capacidade de armazenamento RAM é o dobro da PS3 e Xbox 360, mas 8 vezes menos do que o usado nas consolas de nova geração. Poderemos assim dizer que neste campo o iPhone 6 bateu as antigas consolas, mas longe de bater as novas.

Playstation 3 Xbox 360 Playstation 4 Xbox One iPhone 6
Memória (MB) 512 512 8192 8192 1024

Largura de banda:

O website iFixit desmontou um iPhone 6 e deparou-se com uma memória Elpida 1 GB LPDDR3. Isto quer dizer que estamos perante uma memória standard no mercado, e capaz de uma largura de banda máxima, em configuração Dual-Channel (o máximo usado em aparelhos móveis), com 12,8 GB/s.

Torna-se notório que face à às larguras de banda máximas das consolas de nova geração (176 GB/s e 204 GB/s), este é um número que fica bastante aquém.  De forma alguma o iPhone 6 consegue ter larguras de banda suficientes para mover dados com a qualidade e quantidade de uma PS4 ou Xbox One.

Já quanto à geração PS3 e Xbox 360, a situação é mais próxima, mas mesmo assim longe dos seus valores.

Xbox 360

Playstation 3

Em cima temos os esquemas da Xbox 360 e Playstation 3. E por aqui vemos que os 12,8 GB/s ficam bem abaixo do que PS3 e X360 possuem.

E ainda há aqui um pormenor adicional. Se no iPhone 6 essa é a largura de banda total, nas anteriores consolas tal não corresponde à verdade, com os GPUs a possuírem uma largura de banda separada para acesso à RAM do acesso à memória vídeo.

Na Xbox 360 essa largura de banda é de 256 GB/s, na PS4 é de 22,4 GB/s, mas analisando os esquemas vemos ainda que o RSX pode aceder igualmente à RAM do Cell, o que aumenta a sua largura de banda para cima dos 40 GB/s.

Resumidamente, o iPhone 6, ficará bastante longe das larguras de banda usadas pela anterior geração de consolas. E nem falemos das consolas actuais.

Playstation 3 Xbox 360 Playstation 4 Xbox One iPhone 6
Largura de Banda (GB/s) 25,6 RAM + 22,4 GPU com canal 20+15 de interconexão 22,4 RAM + 256 GPU 176 68 DDR3 +  204 eSRAM 12,8 GB/s partilhados entre CPU e GPU.

Há que deixar aqui uma nota adicional. A largura de banda é fundamental para a performance de um sistema. É ela que alimenta as peças e é ela que garante que a performance das mesmas pode ser atingida. Daí que as análises que se seguem irão ter em conta esta realidade.

GPU

Este é o elemento fundamental e cuja análise definirá a comparação entre o iPhone 6 e as consolas de nova geração.

Mas como é espectável, este elemento é vergonhosamente lento face ao que as consolas de nova geração são capazes!

De acordo com o website Anandtech, a Chipworks desmontou e levou ao raio X um iPhone 6,  e os dados mostram uma PowerVr 6450, ou seja uma placa quad.core (e não uma hexa-core como se esperava), apenas ligeiramente mais rápida que a usada no iPhone 5S (6430).

Powervr6450

E esta situação bate certo com os benchmarks obtidos, onde constatamos exactamente isso.

De acordo com os dados conhecidos oficialmente desta placa, ela é capaz de 166,4 Gflops quando corre a 650 Mhz. Apesar de ser expectável que ela corra a 450 Mhz (os valores de referência da 6430 são para 600 Mhz, mas no iPhone 5S a placa corre a 450 Mhz), vamos tomar este valor a 650 Mhz como referência para os nossos cálculos. Ficamos assim com uma análise com o caso mais favorável possível para o iPhone 6.

Como já em tempos referimos, comparar Flops em arquitecturas diferentes é algo que não é uma boa métrica. Tal é adequado na comparação da Xbox One com a PS4 pois ambas são arquitectura x96 com placas GCN, mas inadequado quando metemos algo com uma arquitectura radicalmente diferente ao barulho.

No entanto, mesmo assim, podemos ter uma ideia. É que erros à parte, a diferença de performance deste GPU face aos GPUs da PS4 e da Xbox One é escandalosamente grande. Estamos a falar de 166.4 GigaFlops contra 1,31 TeraFlops na Xbox One e 1,84 TeraFlops na Playstation 4.

Resumidamente, independentemente das diferenças, não há qualquer, mas mesmo qualquer hipótese de este GPU ser comparável aos usados nas novas consolas. Aliás basta ver que as consolas de nova geração precisam de fontes de 200 a 250 watts e não podem ser alimentadas por uma bateria, e naturalmente isso não é apenas uma peça decorativa ou uma questão de custos, mas uma necessidade real derivada da maior potência.

Mas e as consolas de antiga geração? Ficam aonde?

Bem, a nível tecnológico esta placa do iPhone é capaz de situações que as das antigas consolas nem podem sonhar. E isso é uma vantagem clara. No entanto a coisa não é exactamente fácil de se avaliar.

Vejamos este slide (Note-se que a imagem foi editada. O slide é da Nvidia na apresentação do seu K1 e a parte relativa a este SOC foi removida para não criar confusões).

Publicidade

Retomando o nosso artigo

 Lastgenflops

No Slide podemos ler 240 Gflops no GPU da Xbox 360 e 192 na PS3 (sem incluir os 154 adicionais dados pelo Cell).

Mas se é uma verdade que estes números são maiores que os apresentado pela placa do novo iPhone a 650 Mhz, a realidade é que, tal como referimos antes, as diferenças tecnológicas entre as placas e as diferenças de arquitectura tornam a comparação directa só por este número pouco fiável. As optimizações internas, diferenças na metodologia de funcionamento e rendimentos dos GPUs serão com certeza bastante diferentes, com vantagens para o mais recente.

Não custaria por isso aceitar de forma simplificada que, as placas de antigas geração e a actual do iPhone 6, caso corra a 650 Mhz, se equivalem.

No entanto, análises do PhoneArena ao iPhone 5S revelam que ele não debita mais do que 76,8 Gflops, consequência do facto de a sua placa gráfica não correr aos 600 Mhz que teoricamente pode atingir, mas apenas a 450 Mhz. Isto quer dizer, pelos benchmarks obtidos ao iPhone 6, que o seu GPU debitará pouco mais do que isso. A Apple indica que ele será cerca de 50% mais rápido, mas parte de tal advirá do seu API de baixo nível, pelo que na prática o novo GPU não deverá passar os 100 GFlops. Mas aqui presumimos e será necessário mais dados.

Resumidamente, a nível de potência bruta de cálculo,em média, a placa gráfica do iPhone 6 correndo a 650 Mhz pode igualar ou ultrapassar as usadas nas consolas de anterior geração. Se o faz ou não é uma questão de mais dados, mas tudo aponta no sentido que ainda não é desta que o iPhone lá chega (para essa garantia só com o K1 da Nvidia).

Há contudo que notar que mesmo no caso de igualar ou ultrapassar as consolas de antiga geração, a performance não é acompanhada da respectiva largura de banda, pelo que apesar de mais potência bruta ela não pode ser alimentada da mesma forma. E largura de banda equivale-se a texturas de alta qualidade, maior número de shaders, maior detalhe no cenário, etc. A potência poderá estar lá, mas não há largura de banda para se explorar a mesma ao nível do que era feito na PS3 e Xbox 360.

CPU

O CPU é a componente mais complicada de ser analisada pois a ARM tem vindo a fazer milagres autênticos nos seus processadores, obtendo performances fantásticas que a Apple se tem encarregue de levar ao extremo.

Assim, como perceberão de seguida, torna-se claro que o CPU do iPhone 6 bate claramente o da Xbox 360 e da PS3. 

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Já no que toca à performance face à PS4 e Xbox One aí não temos como  fazer uma comparação correcta por falta de dados comparativos em benchmarks semelhantes. A piorar a situação temos o facto que os processadores Jaguar das novas consolas são diferentes dos restantes Jaguar do mercado, tendo sido bastante optimizados para as consolas, pelo que a comparação com os Jaguar standard será sempre por defeito.

Mas vamos tentar conseguir fazer uma comparação, mesmo que apenas para referência. E para tal vamos recorrer ao Geekbench.

Aqui vemos que o Apple A8, utilizado a totalidade dos seus núcleos, obtém 2865 pontos.

A8bench

Pegando num processador Jaguar, como o AMD A6 3670 que corre a 2700 Mhz, com 4 núcleos, vemos que ele obtém 4927 pontos.

A6-3670bench

O que constatamos é que este processador corre a 2700 Mhz, algo que não é a realidade do processador das novas consolas. Vamos por isso aplicar aqui um cálculo simplista para trazer este valor para os 1600 Mhz.

Assim teremos: 1600*4940/2700 Mhz = 2927 pontos.

Este processador, à velocidade de 1660 Mhz, ainda bate o A8 da Apple, apesar de por uma margem mínima. No entanto há ainda mais dados a referir.

É que o AMD A6-3670 é um processador de 2011 (Nome de código Llano). De 10 de Dezembro de 2011 para ser exacto! Já o Jaguar das novas consolas é de Abril de 2013 (nome de código Thebe no CPU da PS4 e Kryptos no da Xbox One).

Há diferenças internas grandes, particularmente a nível do suporte de tecnologias. Eis a listagem do suportado pelo 3670:

  • MMX instructions
  • 3DNow! technology
  • SSE / Streaming SIMD Extensions
  • SSE2 / Streaming SIMD Extensions 2
  • SSE3 / Streaming SIMD Extensions 3
  • SSE4a  ? 
  • AMD64 / AMD 64-bit technology  ? 
  • AMD-V / AMD Virtualization technology
  • EVP / Enhanced Virus Protection  ? 

E uma lista das tecnologias suportadas pelos Jaguar das novas consolas:

  • MMX instructions
  • SSE / Streaming SIMD Extensions
  • SSE2 / Streaming SIMD Extensions 2
  • SSE3 / Streaming SIMD Extensions 3
  • SSSE3 / Supplemental Streaming SIMD Extensions 3
  • SSE4a  ? 
  • SSE4 / SSE4.1 + SSE4.2 / Streaming SIMD Extensions 4 ? 
  • AES / Advanced Encryption Standard instructions
  • AVX / Advanced Vector Extensions
  • BMI1 / Bit Manipulation instructions 1
  • F16C / 16-bit Floating-Point conversion instructions
  • AMD64 / AMD 64-bit technology  ? 
  • VT / Virtualization technology  ? 

Será assim de presumir que a performance dos processadores das novas consolas seja superior pelo maior suporte de novas tecnologias a nível do hardware e melhorias tecnológicas adicionais. Para isso a comparação com um AMD A10 poderia ser mais correcta e atiraria os valores do APU das consolas bastante para cima.

Mas há outra consideração a fazer. As novas consolas não possuem 4 núcleos. Possuem 4+4. E isso quer dizer que mesmo face a este AMD A6 o valor da pontuação será duplo do obtido, e isso sem considerar o suporte hardware adicional e outros ganhos.

O que concluímos com esta análise é que as performances do CPU do Apple A8 são excelentes. Diria mesmo extraordinários para processadores móveis! Mas no entanto, pelos dados expostos, acredita-se que, mesmo na melhor das hipoteses, ainda ficam um pouco abaixo de metade daquilo que é a performance expectável dos CPUs das consolas de nova geração.

Em que se comparam então os iPhones 6 às novas consolas?

Como referimos no início, o Marketing não é mentir. É omitir! Iludir, levando ao engano por omissão.

Daí que nesta frase da EA há um fundo de verdade. Qual é ela?

A questão é que, tal como as novas consolas, os iPhone 6, no seu modelo Plus, vai operar a 1080p. Tal como a Xbox One e a PS4.

Da mesma forma o seu API é de baixo nível. Tal como a Xbox One e a PS4.

De resto, tirando o facto que o iPhone, tal como as consolas, pode correr jogos, as semelhanças ficam-se por aqui.

128 GB de armazenamento, algo que é referido na frase, é mais de 1/4 do armazenamento de origem das novas consolas. E parece um valor muito bom para um dispositivo móvel. Mas se numa consola os 500 GB são usados na totalidade para jogos, num smartphone 128 GB pagam-se a peso de ouro (atirando o preço do smartphone para os 999 euros), e são destinados a fins diversos (fotos, mensagens, apps, jogos, e-mails, musica, videos, etc).

Aliás, para quem quer um aparelho móvel para jogos com elevada performance, existe a Nvidia Shield ou o Shield Tablet a 200 e 300 euros respectivamente. O nvidia K1 é provavelmente a placa gráfica mais evoluída do mercado móvel actualmente existente, e os seus preços são fantásticos pois a marca precisa de ganhar quota de mercado.

Publicidade

Posts Relacionados