EA foi condenada por publicidade enganosa por indicar Dungeon Keeper como um jogo gratuito.

Dungeon Keeper é um clássico bastante polémico que foi recentemente re-editado nas plataformas móveis. No entanto, o jogo dado como “free-to-play” ou gratuito, foi considerado publicidade enganosa.

Dungeon keeper

Lembram-se da situação da foto de cima e da polémica que este jogo gerou com as avaliações?

Pois bem, a coisa não se fica por aqui!

Quando Dungeon Keeper foi lançado ele foi rotulado como gratuito, e assim foi disponibilizado ao público.



No entanto o que se viu foi que de gratuito o jogo não tem nada. É que ao bom estilo vampiresco da EA, o jogo possui tudo o que de pior e abusivo pode ser colocado em um jogo, de forma a impedir o jogador de jogar e de evoluir a não ser que este invista em compras existentes no interior do jogo.

Naturalmente este falso gratuito criou grande fúria na comunidade de jogadores que apresentaram as devidas queixas nas entidades competentes.

A EA defendeu-se referindo que as compras eram opcionais, e que não afectavam o funcionamento do jogo, mas a entidade reguladora Británica que analisou o processo, não concordou, alegando que face a todas as limitações encontradas e quase obrigatoriedade de se fazer compras in app, definir o jogo como gratuito era “Publicidade enganosa”.

A entidade refere:

Apesar que percebemos que o consumidor médio percebe que os jogos gratuitos poderão ter funções monetárias no seu interior, consideramos que eles tambem esperam que a jogabilidade de um jogo definido como gratuito não seja excessivamente restritiva. Da mesma forma, apesar de reconhecermos que um dispositivo temporal pode ser uma parte legítima de uma experiência de jogo, a natureza do temporizador, frequência e duração aplicada em Dungeon Keeper, em combinação com a forma como as funções monetárias foram implementadas cria uma experiência de jogo naqueles que não pagam que não reflecte as suas naturais expectativas face ao que é publicitado.

Face à sentença o CEO da EA, Andrew Wilson admite que a empresa julgou mal a economia do jogo, mas a verdade é que convencer os jogadores que tal foi um mero lapso… face a todo o historial da EA, será bem difícil.

A Comissão Europeia teve ainda este ano uma reunião relativa aos jogos gratuitos, reunindo com a Apple e a google para criar regulamentação que impeçam na Europa jogos que de forma enganadora sejam referidos como gratuitos. E o UK Office of Fair Trading quer mesmo que os jogos dêem a conhecer à partida possíveis custos opcionais que possam existir.



Posts Relacionados