Electronic Arts e Wii U – Afinal em que ficamos?

A Electronic Arts tem vindo a mudar a sua posição face à Wii U como quem muda de camisa. E passamos de posições radicais de apoio a posições radicais de não apoio, a posições agora intermédias. Porquê e qual a posição exacta da EA?

wiiU

Mau, mau, mau EA! Afinal em que é que ficamos?
Quando a Nintendo apresentou a sua WiiU a Electronic Arts foi anunciada como um parceiro privilegiado. E o representante da EA referiu-se publicamente e alto em bom som à existência de “uma parceria sem precedentes“.
No entanto, algum tempo depois e dadas as fracas vendas dos jogos de lançamento da EA a empresa mudou radicalmente de posição e anunciou igualmente de forma clara e perceptível “Não estamos a produzir jogos para a WiiU“.
Após algum tempo, e talvez devido ao facto de estas palavras terem caído mal na comunidade gamer Nintendo a empresa retrocedeu nas suas palavras corrigindo-as paraEstamos a produzir jogos para a WiiU, apenas nada sairá este ano“.
Por outras palavras a EA anda a enrolar. O mercado WiiU pode ser ainda significativo e a empresa não o quer alienar. Mas no entanto, não se mostra interessada em apoiar a consola. E assim, durante muito tempo, jogou com as palavras.
Mas a situação mais caricata deu-se com outras afirmações da empresa, e que se mostram agora falsas:
Johan Andersson da EA referiu em tempos o seguinte, quando questionado sobre a possibilidade de o motor FrostByte 3 ser adaptado à WiiU:
O FrostByte 3 nunca esteve a correr na Wii U. Fizemos alguns testes com o FrostByte 2 mas os testes não foram muito animadores pelo que decidimos não seguir esse caminho.
Naturalmente que sabemos agora que esta situação não correspondia à verdade. Na realidade o que terá acontecido é que eles nem sequer se deram ao trabalho de testar o FB3 na consola. Afinal se a PS3 e Xbox One o conseguem correr e graficamente são menos potentes que a WiiU porque motivo esta consola não o poderia fazer com maior ou menor dificuldade? (Battlefield 4 está previsto para a PS3 e Xbox 360). Mas mais ainda a EA anunciou que Frostbyte 3 estará igualmente disponível para aparelhos iOS, o que mostra a versatilidade na adaptação desde motor a sistemas diversos.
E como seria de esperar após todos esses dados, a EA agora alterou as anteriores afirmações para:
A Electronic Arts lançou Mass Effect 3 e FIFA 13 para a Wii U, mas de momento estamos a focar os nossos recursos na Xbox One e PS4, daí o facto que a prioridade da WiiU é ligeiramente menor.
No entanto, fazer o FrostByte correr na Wii U não é impossível. E onde houver jogadores, estaremos lá. Este ´o verdadeiro significado de “omnidireccional”
Mas quais os verdadeiros motivos que levaram a EA a passar a Nintendo de parceiro a relegado? E não será que a XBox One e PS4, ao serem igualmente consolas novas, por muito boas vendas que tenham, não terão comparativamente à Xbox 360 e PS3 vendas igualmente extremamente baixas?
Na realidade o verdadeiro motivo do desentendimento entre a Nintendo e a EA poderá ser outro. É que ao que se sabe a Nintendo pediu à EA ajuda a criar a sua infra-estrutura online para a WiiU, e a EA acedeu com uma condição: a integração do serviço Origin na mesma.
Esta seria uma situação que daria à EA um peso muito grande na plataforma  e como tal, a Nintendo recusou. E esse poderá ser o real motivo pelo qual a EA não se mostra agora muito interessado em colaborar com a Nintendo, tendo lançado os quatro títulos já prontos, mas desde então relegado a plataforma para segundo plano.
O que é certo é que EA confessou agora de forma aberta que a Wii U é uma consola de baixa prioridade para eles. Mas ao contrário de outros criadores que o disseram abertamente desde o início (como a Ubisoft, por exemplo), andaram a rodear o assunto sem nunca o abordar de frente.
Mas o facto é que agora sabemos a verdade. O Frostbyte 3 pode correr na Wii U. A Electronic Arts é que não tem vontade de o fazer!
Publicidade

Posts Relacionados