Equipa de Quantum Break continua a mostrar que mais do que a fazer um jogo, está a optimizar a Xbox One

Fazer jogos altamente optimizados para um hardware não é exatamente algo que todos façam. Mas a equipa de quantum Break parece determinada a que tal aconteça.

Não só a Remedy já nos deu em tempos a entender que estudava plenamente a forma como as várias soluções se adaptavam à performance da Xbox, optando pela que melhor relação qualidade/performance obtinha, como revela agora mais dados que revelam os cuidados na optimização da XBox One.

A realidade é que todos os sistemas possuem limites, e as consolas de nova geração, apesar de poderosas, possuem uma arquitectura com mais de 30 anos, e que é a mais conhecida de todas. Essa situação leva a que muito mais rapidamente se atinjam os limites do hardware, forçando a que, acima de tudo, haja optimização para as máquinas concretas, neste caso as consolas!

A optimização passa por várias situações. Garantir que o código espreme toda a performance do hardware procurando que o mesmo não tenha tempos mortos. Mais ainda, há que verificar-se que a o tipo de código usado é o melhor na relação performance resultado, e acima de tudo optimizar o mesmo para que este tire partido do hardware específico da máquina.

Até ao momento, poucos foram os jogos que entraram nesse nível de optimização, mas a Remedy Entertainement, com o Quantum Break, parece empenhada em obter o máximo da consola.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Acima de tudo a equipa parece ciente da responsabilidade que o seu jogo, e os níveis que o mesmo se propõem obter, lhes coloca nos ombros:

Como já soubemos a equipa optimizou o motor de jogo, nomeadamente a parte da luz, testando várias alternativas, até se fixar naquela que melhor relação performace/qualidade lhes oferecia face ao pretendido.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Agora nesta fase final a equipa trabalha em optimizar pormenores, nomeadamente dar os retoques finais nos fps e no input lag do jogo (o melhor possível para 30 fps).

Nesta fase a equipa optimiza as últimas partes do jogo, revelando que atualmente o frame rate está estabilizado e que trabalhou na resolução do input lag:

A equipa deu ainda a conhecer um pequeno truque que irá utilizar para melhorar os tempos de carga. Apesar de tudo correr em tempo real, parte das cutscenes serão video pré calculado da Xbox, e isto para que se consiga melhorar os tempos de carga para o que se segue. Pequenos truques destinados a obter a melhor performance possível.

Apesar destas situações, nada garante que Quantum Break venha a ser um grande jogo e que impressione pelas performances. Há ainda que ver o resultado final que sai dali. Mas este poderá ser um dos jogos mais impressionantes alguma vez criados para a Xbox One e que deixará muita gente impressionada com o que a nova geração pode fazer. Basta que não falhe nas suas promessas e que as optimizações tenham sido ao nível que efectivamente aparentam ser!

Publicidade

Posts Relacionados