Estamos nós a ser enganados com feiras como a E3? E com supostos entendidos que não conhecemos de lado nenhum?

Watch Dogs foi mostrado na E3. Impressionou! E quando saiu, não era nada parecido com o mostrado!
Agora The Division foi mostrado. E impressionou. Ainda mais quando se viu alguém a jogar o jogo na PS4! Mas agora… não tem muito a ver com o mostrado. O que se passa?
Mas mais do que isso, será que o que lemos e ouvimos na Internet é sempre fiável?

Ao visualizar o Youtube dei com um video muito interessante sobre a realidade da E3, e a forma como a feira é usada para criar Hype. Acima de tudo as empresas começam a usar a feira para demonstrar produtos que nada tem a ver com que é depois lançado, mas com o Hype criado, o produto faz imediatamente pré reservas e fica aguardado por milhares. O caso mais recente é The Division!

Quando The Division foi mostrado… impressionou. Poucos ou mesmo nenhuns jogos de mundo aberto tinham mostrado uma qualidade gráfica àquele nível. E o jogo até foi mostrado como estando a correr na PS4 (era mostrado alguém com um DS4 a, supostamente, controlar o jogo).

Mas a realidade é que o nível referido e prometido na E3, mesmo com o jogo mantendo uma qualidade gráfica enorme, está longe de existir. E nem mesmo os PCs de topo o mostram! Onde está então a máquina que corria aquele jogo? Esta é uma questão muito pertinente e que demonstra como as empresas nos tentam enganar apenas porque tal é vantajoso a nível de vendas.

No fundo mostram na E3 um desfile de “misses”, quando o que nos vendem está longe de ser isso!

Igualmente chocante no meio de tudo isto é o facto de a imprensa colaborar com este tipo de atitudes, ao premiar jogos na E3 que não passam, nessa fase de meros trailers.

The Division, por exemplo, teve mais de 70 nomeações para prêmios e arrebatou mais de 30 (valores exatos no video). E tudo isso baseado num mero trailer para um jogo não jogável!

Mas vejam o vídeo de cima e fiquem chocados sobre como os Downgrades de The Division existiram em todos os formatos, e a realidade que tem vindo a ser os engôdos de feiras como a E3.

Mas será que nos enganam ou levam-nos a crer que somos enganados?

A realidade é que nos dias que correm qualquer pessoa com dois dedos de treta e uso de paleio técnico consegue apresentar argumentos que convencem muita gente (hello MisterXmedia). Por exemplo, apesar de concordar com o autor do vídeo de cima na quase totalidade dos aspectos relacionados com a E3, e daí o ter usado para este artigo, este comete vários erros quando entra na parte técnica para demonstrar o nível de downgrade existente. Mas a sua convicção e explicação sobre o que refere torna-se convincente ao ponto de poder arrastar muitas pessoas a acreditar no que refere e que… está incorrecto!

Vamos ver os dois casos mais polémicos que o video demonstra não existirem no jogo.

Destruição processual (procedural destruction):

A destruição processual, por exemplo, continua a existir, apesar de aparentar estar um pouco limitada face ao prometido.

Eis o video com as promessas do jogo e onde podemos ver a destruição processual prometida (1m 46s):

Eis a confirmação de que ela existe na Beta:

Aparentemente aqui alguém esperava destruição ao nível de Battlefield, mas isso nunca foi o prometido! No video de cima o autor usa um mau exemplo (9m 35s) para provar o seu ponto, referindo-se àquilo que se chama de as “Decals“, ou seja, efeitos visuais de dano (ou outros) criados por texturas adicionais (conhecidos por todos como aquelas imagens de “decalcar”, e imortalizados pela marca “kalkitos”). As queimaduras do chão não são e nem nunca foram destruição processual, apesar de estarem associadas ao efeito de destruição das armas, mas apenas efeitos que nos MMO nunca são persistentes pois tal alteração teria de ser guardado na memória do servidor e passado a todos os jogadores que por ali se encontram. Basicamente tal requeria um sistema muito mais dependente da cloud do que aquele que The Division oferece.

Neste caso o jogo, tal como se vê no video de apresentação, apresenta sim (apesar que não em todos os materiais) “procedural destruction”, com a abertura de furos em materiais e mesmo deformação. Temos depois um efeito visual de destruição mais complexo com a aplicação dos habituais “decals” de balas e explosões, mas que não esperem que fiquem imortalizados no gigante mapa de Nova Yorque. É certo que no exemplo do vídeo, o tempo que a “decal” se mantêm é ridículo, mas recorde-se que esta é uma beta e isso pode ser corrigido no jogo final.


O exemplo do lança rockets a derreter a neve, e igualmente referido no vídeo, não é igualmente “procedural destruction” mas está relacionado com um outro efeito ligado à destruição das armas e associado aos “Dynamic Materiais Shaders”, esses sim, aparentemente removidos do jogo. Basicamente trocava-se um shader que simulava a neve por outro que simulava água. Mas repetindo o que já foi dito, esse seria um efeito associado à destruição das armas, mas que passava pelos Shaders dinámicos e não ligado à “procedural destruction”, que apenas inclui a deformação física de objectos e abertura de furos, de acordo com o impacto.

Eis aqui um video que demonstra claramente e sem grandes floreados o que é a destruição processual (o motor é o Cry Engine 3).

Iluminação Global (global illumination)

É, mais uma vez, um erro comum vindo dos menos entendidos confundir efeitos de luz e sombra (Dinamic Lighting) e de espelhamento (Mirror effects ou Reflexion effects) com iluminação global.

E a realidade é que teoricamente (vida real), tal deveria ser assim, mas na prática (programação) não o é!

Theoretically reflections, refractions, and shadows are all examples of global illumination, because when simulating them, one object affects the rendering of another object (as opposed to an object being affected only by a direct light). In practice, however, only the simulation of diffuse inter-reflection or caustics is called global illumination.

Fonte: Wikipedia

O que acontece então é que, a nível de programação, os reflexos e as sombras são algo implementado à parte e não estão incluídos naquilo que se chama na prática de iluminação global. Eis um exemplo de um render sem iluminação global:

Reparem que os reflexos e as sombras estão lá. São, como referido, efeitos à parte. As sombras são uma propriedade da fonte de luz e o espelhamento (reflectividade) uma propriedade do objecto!

A iluminação global é algo que afecta simultâneamente a luz e o objecto. Vamos aplicar a mesma à imagem de cima:

O que vemos? As zonas de cor (propriedade do objecto) alteram as tonalidades da luz (propriedade da luz) que se propaga alterada e altera os tons dos objectos (propriedade do objecto). É um efeito que na sua extensão máxima é bem complexo.

No video de cima, e apesar de uma introdução muito correcta sobre o que é a iluminação global, o narrador perde-se posteriormente. Ali apenas é válido como exemplo para a falsa iluminação global dinâmica o caso do sinal (exclui-se o reflexo do helicóptero e da personagem do video pois isso são efeitos de reflexo em tempo real e nada relacionados com a iluminação global). Esse sinal ao apagar-se deveria remover a tonalidade laranja do chão proveniente da sua luz, o que não acontece. Tal no entanto não demonstra que a iluminação global está ausente do jogo, mas sim que algumas áreas mais abertas ou zonas pontualmente consideradas como menos relevantes, usam versões pré rendidas do efeito de forma a evitar o processamento em tempo real, com a aplicação de um cubemap.


Independentemente de tal, a realidade é que o jogo aplica compromissos de larga escala, ora com ausência de reflexos, ora com ausência de sombras, ora com ausência de iluminação global dinâmica. Daí que se torna inegável que efectivamente há downgrade face ao esperado pelo que foi prometido, mas no entanto a iluminação global, mesmo que falseada em alguns locais (não dinámica), está presente.

Vejam o exacto exemplo do render de cima (fotos das bolas) a acontecer no jogo, em tempo real, e como a luz altera as cores da parede (exactamente o exemplo que o narrador dá a acontecer com os faróis do carro aos 6m40s). Outros exemplos bem visíveis passam pela iluminação de paredes e objectos com um tom alaranjado sempre que se dispara uma arma perto delas.

Por outras palavras, a realidade é que as pessoas também se deixam levar por tudo o que lêem. Há efectivamente motivos para critica ao jogo, mas as coisas, a nível do que houve em termos de cortes, não são tão lineares como estes “supostos entendidos” dão a entender.

E neste caso em particular, acusa-se o jogo de não possuir efeitos que efectivamente estão lá.

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (26)

  1. Todas essas coisas retiradas acabam dando ao jogo um certo ar de relaxo dos produtores pois vamos atrás do jogo exatamente pelo que é mostrado no primeiro gameplay. Se o primeiro vídeo é um conceito do que a equipe espera alcancar, deveria ser avisado e não apenas jogar no ar para fazer a cabeça das pessoas. Não posso deixar de citar por exemplo, aquilo que incomoda muitos, os 60fps de Uncharted 4. Certamente a equipe mais familiarizada com o hardware do PS4 de todas que existem sabia muito bem que não poderia entregar aqueles gráficos em 60fps, e jogou aquilo no ar. Posteriormente é muito fácil falar que não prometeu nada, mas pra mim é marketing gratuito. Muitas pessoas usaram aquele trailer pra falar do “poder” do PS4.
    E eu acho que o atestado de picaretagem dessa geração acontecerá se no dia do lançamento Uncharted 4, e Quantum Break tiverem algum downgrade sobre os gameplay mostrados ao longo do último um ano e meio.

    • Fps é para mim o mínimo! Eu preocupa-me mais quando uma equipa promete algo a 30 fps e depois, porque não tem margem de manobra, para manter os 30 fps tem de cortar, do que quando promete 60 fps num jogo que não precisa deles e depois corta para 30.
      E depois há que perceber outra coisa. Um jogo nunca mantem os fotogramas constantes, pelo que estes oscilam.
      Assim para teres 30 fps, vais provavelmente oscilar entre os 30 e os 50, dependendo da cena.
      Para teres o jogo a 60, vais oscilar entre os 60 e eventualmente os 80.
      Daí que quando se corta um jogo dos 60 para os 30 há que se saber antes de se criticar se a dificuldade estava em atingir os 60 ou em atingir os picos mais altos que te permitem que os mínimos sejam os 60.
      Porque se é para andares entre os 50 e 60 ou 40 e 60, mais vale então manter os 30 fps fixos! E aí tens certamente menos compromissos gráficos a fazer.

      No caso de The Division, o jogo acabou por sair com um aspecto muito bom. Mas o certo é que a promessa ia ainda mais acima… e baseado nisso o jogo chegou a ganhar prêmios. Baseados numa mentira.
      Mais ainda o Hype em torno do jogo foi superior ao que seria se o jogo mostrado fosse o final.
      Há aqui toda uma questão de marketing que nos engana e aldraba.
      Uncharted tambem nos enganou, sim! Mas o que foi mostrado não foi nunca o jogo jogado e sim uma cena controlada numa cutscene. The Division mostrou o jogo com a qualidade gráfica mentirosa a ser supostamente jogado numa PS4.

    • @Fernando

      Lá tinhas que falar do Uncharted 4, é mais forte que tu.
      Eu não vou discutir contigo se a ND prometeu ou não os 60fps, mas se o fizeram não foi de má fé, e eu aceito isso, o que não aceito é ter companhias como a Ubisoft a dar a mesma treta, jogo após jogo, e isso é que está aqui em causa, mas pelos vistos, para ti é somente uma arma de arremesso contra um jogo/equipa do mais exemplar e transparente que existe nesta industria, eles não estão em palco com DS4 na mão a fingir que estão ligados a uma PS4, eles viram a apresentação interrompida por imprevistos (2x) tal a veracidade do que estavam a mostrar,

      A cena dos 60fps, talvez até seja possivel no Uncharted 4, o actual estado evolutivo da optimização que eles já conseguiram na PS4 é que ainda não lhes permite isso, aposto contigo que num proximo jogo deles vais ver gráficos ainda mais incriveis e vais perceber isso mesmo, como toda a gente percebeu que afinal o primeiro jogo deles para a PS3, Uncharted 1, aproveitava somente 45% do sistema.

      Sei que és um fã de Xbox, tudo bem, eu sou um fã de Playstation, mas ser implicativo com algo não reforça minimamente o teu argumento, o facto, é que até dia 27 de abril, nenhum jogo desta geração, chega aos calcanhares do Uncharted 4 em termos tecnicos, e isso não é sujeito a gosto pessoal, é um facto, e é esse facto que tanto te incomoda, e quando não se tem muito a que se agarrar, tem que se agarrar a qualquer coisa, custe o que custar, engraçado que falas mais do Uncharted 4 (mal) que todos os downgrades e falhas de exclusivos da Xbox juntos.

      Para ti, o Uncharted 4 é aquele jogo que falhou em obter os tais 60fps, para mim?
      Oh pah, para mim…é o culminar de cerca de uma década de tudo o que a ND aprendeu, é o refinar absoluto de tudo o que fez desta série tão fantástica, mais a qualidade narrativa e memorável do TLOU, é tudo isso que Uncharted 4 significa para mim, e prefiro 1000x mais um Uncharted 4 a 30fps com visuais de deixar-me de queixo caido, que um Halo 5 a 60fps com a pior campanha de toda a saga ou um Forza 6 a 60fps que nem clima dinâmico é capaz de fazer,

      • @ José Galvão

        Tudo dito ! É que é mesmo verdade o que disseste estes pseudo-fanboys da X One tentam sempre arranjar argumentos para contradizer a Sony, argumentos estes totalmente falso que nem um pingo de verdade tem, é como que anda a circular, sobre o U4 ques este corre a 900p 30FPS? Onde raio eles foram buscar isso? Ás tais fontes seguras que vao buscar informações da One? O Jogo “correu” a 900p 60 multiplayer na beta, ainda pode melhorar ate a Abril, mas não significa k o modo historia não esteja a 1080p30…
        Arranjam noticias sobre tudo e mais alguma coisa sobre a ps4 falsas e engraçado é que papam toda a merda que lhe atiram à cara sobre a One, se One ganhar umas asas de pau e fazer 4K eles acreditam. “Ignorância” !

        • Acho eu que tu esta errado amigo.Pois não existe fanboys,existe jogadores que amam jogos eletrônicos e que somos pessoas inteligentes suficientes para uma discussão saudável sobre o que amamos(jogos eletrônicos)Preste bem atenção no que o Fernando relatou”Prometem mas não cumpre o que mostraram”veja bem lelé não somente disse sobre U4 mas também de QB ou seja não há fanboysmo aqui.Compartilho do mesmo pensamento pois se mostram um jogo em fase inicial exixte muito a maadurecer,tanto nível técnico e a nível de hardware,ou seja o que foi mostrado no inicio tem o mínimo de ser o jogo no seu nível final.OK

      • Só algumas observações:
        O artigo se refere a características técnicas que estão presentes nos trailers iniciais dos jogos, mas que desaparecem quando o jogo chega às mãos dos jogadores…

        A campanha de Halo 5 ser boa ou ruim em nada acrescenta aqui, e até onde sei, os trailers de Forza 6 não mostravam clima dinâmico…E o game final saiu da mesma forma…

        Sobre Uncharted 4, também acredito que será um dos melhores(ou o melhor) gráfico do ano… Só não entendo por que colocar 1080p/60fps num trailer com gráficos supremos, sendo que, até o momento, as cutscenes e gameplay estão em 1080p/30 fps, e o multiplayer em 900 p/60 fps… Ou seja, o 1080p e 60 fps até aqui não existem em nenhum modo do jogo…

        Aliás, se o Uncharted 4 na sua versão final sair com cutscenes a 1080p/30 fps(em cenas controladas), então vai restar saber em que máquina foi gerado aquele trailer da E3, pois era também uma cena controlada, mas a 1080p/60 fps…

        A questão aqui é que muitas empresas estão sendo desonestas em mostrar qualidades técnicas que não estarão presentes na versão final do jogo(Watch Dogs, The Witcher 3,etc)…”Oh, mas o que foi mostrado antes era só um objetivo…”… Isso me soa mais como uma desculpa, que qualquer empresa pode usar…

        E a Ubisoft vêm cometendo esse erro… É como se dissessem “falem bem, falem mal, mas falem de mim” e colocam gráficos em trailers que não são alcançados nem em PC top, como acontece com The Division, mesmo o jogo ainda sendo muito bonito… Engraçado é que em Far Cry eles não fazem isso…

        E tudo isso tem um só objetivo:Gerar hype…

  2. Lamento discordar, mas falo porque não acho justo que quem cumpre seja acusado falsamente.

    Uncharted 4 será talvez dos poucos jogos desta geração que irá conseguir entregar o que prometeu. Até agora de todos os vídeos gameplay mostrados, mais recentemente, não há nenhuma acusação nesse sentido.

    Relativamente à história dos 60 fps, é engraçado que se continue a pegar nisso, nesta altura.

    Apesar de não ter sido nenhum anúncio oficial, apesar de não ter ocorrido nenhuma promessa oficial nesse sentido (foi uma parte terceira que mediu no trailer e divulgou essa informação cá fora), continuam a dizer que a equipa da Naughty Dog fez essa promessa oficialmente. O que não é verdade.

    Quem acompanhou o desenvolvimento do remaster de The Last of Us, sabe que os 60 fps do jogo foram atingidos 2 meses antes do lançamento.

    Relativamente ao que muitos consideram promessa oficial, lamento, mas não é verdade. A entrevista a Arne Meyer, da ND, o mesmo referiu que o principal objetivo da companhia era manter a fidelidade visual, e que sim, tinham a aporta aberta aos 60 fps (sobretudo depois do furor no remaster), e que o iam tentar atingir, mas sem sacrificar o resto.

    Não digo que a ND os consiga atingir, mas não acho justo que se venha dizer que o trailer inicial nos enganou, porque esse trailer, uma cinemática na qual os 60 fps nem faziam a diferença, foi anunciada a 1080p, resolução essa que sim se manteve.

    • Na verdade Bruno, praticamente todos os exclusivos Firsty Party do PS4 entregaram o que prometeram..Posso citar aqui Killzone Shadow Fall,Infamous second Son,The order,Driver Club…Na verdade os Haters não se cansaram em tentar achar deslizes mínimos que a maioria não notou.

      Infamous SS por exemplo,o primeiro gameplayer tinha até pop-in e foi melhorado muito até o lançamento,Driver Club outro que só melhorou, até adicionando novos efeitos como os climáticos.The order tentaram convencer que houve donwngrade apartir do segundo game player, porque os personagens apareceram de roupas pretas menos detalhadas,que na verdade eram as vestes de infiltração rs

      No caso de Uncharted 4 NUNCA foi confirmado pela Naughty que aquilo corria em tempo real,quem especulava eram os próprios jogadores,aquilo nada mais era do que um teaser In-engine segunda a programadora do estúdio.Pra mim significa que era uma pré-render na engine do jogo.

      Então são casos totalmente diferentes como foi o de Forza 5,Watch Dogs,Assassind creed e esse The Divsion.

      A Sony até agora ´deu o exemplo de como deve ser feito diferente daquela E3 2005.

      • João, sim é realmente de assinalar o que a Sony tem feito para melhorar, e face a 2005, nem parece a mesma companhia. Mas devemos agradecer isso ao excelente trabalho feito pela Microsoft, que obrigou a Sony a tomar muito cuidado com o que diz e faz.

        Só alguns pontos – sim a ND confirmou que o vídeo inicial era in-engine, a correr numa ps4, e que não era cgi. Confirmou também os 1080p, mas não os 60 fps.

        Relativamente ao resto – Infamous SS não tem ponta por onde se lhe pegue, e sim o jogo entregou o que prometeu e está fantástico. The Order sempre foi mostrado assim, pelo que também não há nada a dizer.

        Já Killzone… Eu sou fã da série e como a acompanho sei que houve uma enorme evolução neste último. Mas não posso jurar que não tenha ocorrido downgrade…ainda que muito ligeiro. Alguns efeitos de física que se perderam, e algum detalhe também. Pelo menos é o que me parece, pessoalmente.

        O jogo ainda assim está fantástico, e continua a ser um jogo que vale à pena para quem comprar uma PS4 e de longe se compara a outros títulos com reduções mais drásticas.

        Infelizmente o downgrade, que acendeu esta discussão agora, é algo muito comum nos inícios das gerações. Ocorreu o mesmo a geração passada, e ocorreu o mesmo nesta.

    • Não e bem assim não Bruno,preste atenção no que o Fernando relatou`Prometem e não cumprem o que disseram`Entenda que quando um jogo e anunciado ele este em fase inicial de produção e que ao longo do projeto novos métodos de engenharia para desenvolvimento vao sendo liberadas pela fabricante do hardware,ou seja se mostram um nível de detalhes no inicio o jogo tem que ser o mínimo aquilo que foi mostrado inicialmente.Ele deu o exemplo U4 por ser o jogo a ser mais falado atualmente em nível visual,mas defendo o que o Mario disse`O mínimo que esperamos pelos menos e 60 frs

      • Ewertom, eu li. E entendi.

        Precisamente por isso é que falei: porque os 60 fps nunca foram uma promessa oficial da ND. Ninguém prometeu, e por isso, não houve ninguém a não cumprir com a sua palavra.

        Esse valor foi medido e chegou a público por fonte externa. E sim a ND não lhes fechou a porta no início, mas não o prometeu, apenas disse que seria algo que tentariam se não significasse sacrificar o aspecto visual. E foi isso que fizeram.

        Não acho justo sequer implicar Uncharted 4 no mesmo lote de Watch Dogs e The Division. Não tem nada a haver.

        Sobretudo considerando que estamos a falar de um valor medido numa cutscene parada, em que os 60 fps não fazem diferença! (Já os 1080p é outra história).

        Relativamente ao que o Mário disse… eu não quero por palavras na boca de ninguém, mas apenas digo que não é isso que entendo. Antes pelo contrário, ele diz que o menor dos aspectos em ter consideração num caso destes são os fps pois é o que menos impacto tem, sobretudo num jogo como Uncharted. Mas isso é a leitura que eu faço e sinceramente, nem quero discutir essa questão do diz que disse, pois não é saudável, e o próprio Mário sabe bem o que disse.

        Já o desenvolvimento, não é bem assim. Isso que descreves afeta mais os jogos que vão sendo produzidos ao longo do tempo, que propriamente, o mesmo título. Embora possa ocorrer. Infelizmente o que temos visto são jogos pensados não para consolas, nem para o PC, e que entregam abaixo do prometido.

        • Não percebo o que dizes Bruno… preferes fps livres a bloqueados?
          Tens noção da implicação que isso tem no controlo, certo?
          Penso que estarás a falar do meu comentário de cima onde digo que entre fps flutuantes e fixos, prefiro os fixos, e re-afirmo isso. A 60 fps a personagem move-se super fluida, mas havendo quebras notas isso no controlo, e eu prefiro que o controlo se mantenha com a mesma qualidade sempre, pelo que entre fps flutuantes e fixos, prefiro fixos, e no caso de ter fps a flutuar entre os 40 e 60, prefiro que os bloqueiem nos 30.
          Seja como for, o contexto aqui era o Uncharted, e o Uncharted sempre foi a 30 fps, pelo que os 60 fps seriam uma benesse, mas não uma necessidade!

          • Na realidade não é isso.

            Estou a referir-me ao facto de os 60 fps serem uma benesse, enquanto que há pessoas que pensam que disseste que eram uma necessidade.

            Aliás é isso que o Ewertom diz

            “(…) mas defendo o que o Mário disse: o minimo que esperamos pelo menos é os 60 fps.”

            Só digo que não foi isso que depreendi das tuas palavras.

            De Uncharted 4, eu não tinha nem fiquei com qualquer expectativa nesse sentido.

            Sobretudo porque essa informação não foi nunca oficializada pela empresa, da mesma forma por exemplo, que a equipa de Halo 5 o fez (e cumpriu!).

          • Ok… peço desculpas… 😉
            Não me enquadrei no contexto.

        • Quando me referi Bruno ao Mário que este mesmo disse uma vez em outra publicação aqui(60 fps é o minimo que espero desta geração)pois como todos sabemos há uma diferença de potência num contesto geral quando um jogo é lançado a 30fps e outro que foi a 60fps,pois posso colocar mais fotogramas em um jogo que tenho 30fps do que num jogo a 60fps.Mas no contesto geral amigo não venho aqui bater em teclas de que console X é assim e console Y assim tambem,o que venho relatar é que apoio demais esta matéria pois se a produtora mostra aquilo que jamais será concebido no produto final.Não deveria jamais ter mostrado

          • Poderei ter dito isso Ewerton, mas certamente dentro de um contexto (certamente de conversões de jogos como LTLOU ou os Uncharted) ou outros jogos com a qualidade da geração anterior.
            Os fotogramas, em qualquer sistema são uma opção. Todos os sistemas tem um limite e a potência tem de ser dividida pelo trabalho a realizar. 30 FPS permitem uma coisa, 60 muito menos.
            Logo esperar 60 FPS em tudo seria utópico.

          • De acordo.

            Mas o caso é: não acho que a ND tenha feito isso. Antes pelo contrário, é um dos estúdio que se deve elogiar, pois será dos poucos que irá cumprir.

            Em primeiro lugar, porque quando o trailer dos 60 fps saiu, isso só foi revelado após uma medição por uma empresa externa. No final o trailer dizia, a correr numa PS4 a 1080p, em tempo real. Isso foi confirmado. E agora tudo o que temos visto aponta para que se tenha cumprido.

            Em segundo, porque o trailer em si, era uma cutscene em que os 60 fps não fazem diferença, por isso dizer que houve mentira ou que as pessoas foram defraudadas chega a ser mesquinho, neste caso.

            Em terceiro, porque o essencial do trailer – os gráficos – se mantiveram.

            Eu não digo que o que aconteceu com Watch Dogs não deva ser criticado. Apenas digo, que nem todos os estúdios são assim e a ND em particular é dos poucos estúdios exemplares que temos actualmente.

  3. Um exemplo de como a destruição foi diminuida drasticamente , é no trailer do jogo que apresenta um drone, quando o dronw joga um míssel o outdoor é destruído de uma forma super detalhada, e também o vidro dos carros que agora estão horríveis

  4. Mario , em um entrevista com o produtor do jogo asseto corsa, ele disse que vai rodar a 900p no xbox one e que o forza 6 conseguia 1080p por causa que usava muito biblioteca dedicada, será que o the division está usando biblioteca dedicada para alcançar 1080p e , o que são essas bibliotecas dedicadas?

  5. Cada juego se ve bien en un remolque. Y cada juego tendrá errores después de la liberación. El problema es aún mayor cuando se trata de lanzar un juego de un par de plataformas. Creo que el equipo de Ubisoft hizo un buen trabajo.

Os comentarios estao fechados.