Estratégia da Microsoft para o Windows 10 torna-se mais agressiva

A Microsoft quer mesmo implementar o Windows 10 no mercado, e para isso vai facilitar o seu acesso tornando.

A Microsoft vai começar já no início do ano que vem, com uma campanha mais agressiva de promoção do windows 10.

E para tal o windows 10 vai passar a ser uma atualização recomendada, o que quer dizer que, dependendo das configurações de atualizações ativas, muitos poderão ver o Windows 10 a iniciar a instalação na sua máquina, sem sequer lhes ser questionado se querem iniciar a mesma.

Mas isso não quer dizer que o Windows 10 se instalará. O utilizador poderá sempre negar a instalação e mesmo retroceder caso a mesma não seja satisfatória (no prazo de 1 mês).

Se algum utilizador possui problemas com limites de largura de banda, a Microsoft recomenda desde já que se desliguem as atualizações automáticas.

A Microsoft vai ainda passar a fornecer uma ferramenta denominada de Media Creation Tool, que permitirá aos utilizadores criarem DVDs ou pens USB de instalação, evitando ter de descarregar o windows em cada um dos PCs. Para mim, isto cairá que nem ginjas uma vez que um dos meus PCs com o Windows 7 se está a recusar a fazer atualizações, impedindo-me de o passar para o Windows 10.

Para quem tem cópias piratas do Windows, a Microsoft vende ainda uma atualização de upgrade que deverá ser adquirida antes do upgrade ser efetuado.

Publicidade

Posts Relacionados