Estudo refere que arquitectura Zen da AMD trará mais de 40% de ganho nas instruções por ciclo.

AMD

Se formos a ver, a AMD necessita de maiores velocidades de relógio do que a Intel para obter as mesmas performances. Caso a arquitectura Zen permita manter essas velocidades, um ganho de 40% nas instruções por ciclo de relógio (IPC), pode catapultar as performances da AMD.

A AMD compete constantemente contra a Intel e a Nvidia. Apesar de no caso da guerra com a Intel ser notória a diferença de performances, com a Nvidia o DirectX 12 veio equilibrar a balança. Mas dada a imagem geral que se criou ao longo dos últimos anos no mercado a nível de performances , a AMD tem sofrido com quebras de receitas que se tem traduzido em prejuízos.

Mas a AMD planeia voltar à ribalta com a sua arquitetura ZEN. Construída usando um método de 14 nm, a expectativa é um ganho de 40% no IPC da atual linha. Isso quer dizer que, para uma mesma velocidade de relógio, o esperado é um aumento de 40% nas performances.

Há no entanto relatos da AMD que referem que o Zen se está a revelar melhor que o esperado, passando os 40% previstos.

AMD-Zen-2016-Key-Growth-Pillars-2

 

A AMD acredita que esta arquitetura os permitirá re-entrar no mercado de altas performances, colocando os seus processadores ao nível dos da concorrência. Associando a nova arquitetura Zen dos CPUs à nova arquitetura Polaris dos seus GPUs, a AMD acredita estar de novo em condições de competir em todas as frentes.

A arquitetura foi já confirmada pela CEO da AMD, Lisa Su, como indo ser lançada já este ano, com a versão para servidores a aparecer em 2017.

Publicidade

Posts Relacionados