Estudo revela: Aplicações iOS trazem mais risco ao utilizador do que as Android.

Se quando se fala em segurança o iOS é melhor visto que o Android, um novo estudo vem provar que isso não é verdade em todas as frentes.

appthority_graph_original

No que toca ao risco exibido pelas Apps, as disponíveis para iOS possuem maiores comportamentos de risco que o Android, sendo assim um maior risco para a privacidade.

O estudo baseou-se na plataforma na núvem, Appthority que analisou “análises estáticas e dinámicas” às 50 principais aplicações da App Store e da Google Play, sendo que os testes analisaram a forma como as aplicações enviam e recebem dados, encriptam os mesmos dados, fazem uso da geolocalização e como partilham dados com redes de publicidade e de registos de tráfego. O estudo verificou igualmente as componentes do smartphone que são acedidas e o historial dos criadores dos jogos.

No que toca ao uso da geolocalização, 60% das aplicações iOS faziam-no, mas no Android, esse número ficou-se pelos 54%.



Já no que toca ao acesso à lista de contactos, isso era feito por 54% das aplicações iOS fizeram-no, ao passo que apenas 20% das aplicações Android fizeram o mesmo.

A partilha de dados com terceiros foi algo visto em 60% das aplicações iOS e 50% das aplicações Android. E 14% das aplicações iOS acederam ao calendário, algo que não foi visualizado no Android.

Naturalmente esta situação mostra uma maior vulnerabilidade do utilizador iOS, sendo que 100% das suas aplicações que trocaram dados fizeram-no sem encriptar os dados. No Android esse número foi de 92%.

Estes valores não são verdadeiramente uma surpresa pois há vários anos que este estudo refere valores semelhantes. A questão é que, infelizmente, estas situação deverão cada vez mais ser comuns na tentativa de se tornar mais rentáveis as aplicações criadas. Competirá aos fabricantes dos sistemas operativos criar as opções para os utilizadores poderem bloquear os dados que não pretendem partilhar.



Posts Relacionados