Fabricante de routers ameaça utilizador com processo e perde licença de venda na Amazon

Em websites como o da Amazon os utilizadores são livres de fazerem análises aos aparelhos que compraram. Mas uma empresa de routers não gostou de uma análise e ameaçou processar o utilizador. O resultado foi a perda de licença de vendas na Amazon.

Medialink

Um comprador de um router da Mediabridge Products recebeu cartas dos advogados desta empresa a ameaçarem com um processo em tribunal a não ser que ele apagasse a sua análise negativa realizada ao produto que havia adquirido na Amazon.

A sua análise negativa tornou-se uma das “mais úteis” na análise e compra do produto por terceiros, algo que a Mediabridge não gostou ameaçando com o processo pelos danos causados.

Aparentemente a empresa não deixava de ter alguma razão no que referia, uma vez que na análise existiam alguns juízos perfeitamente especulativos, tais como a afirmação que com um produto daqueles as análises positivas realizadas ao mesmo teriam sido forjadas pela empresa.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

No entanto dado não se tratar de uma análise profissional e apenas uma análise realizada por um utilizador que exprime uma opinião, a atitude de ameaça da empresa caiu bastante mal.

Daí que o utilizador em questão tenha ido para o reddit pedir apoios para o processo em tribunal alegando que “nunca na sua vida tinha sido vitima de bullying por uma empresa de tal forma”, recomendando aos utilizadores que “passassem a fazer as suas análises, caso essas fossem negativas, sem usarem nomes verdadeiros”

Quem não achou muita graça ao facto de os seus clientes serem intimidados foi a Amazon, que procedeu imediatamente à revogação dos direitos de venda da empresa no seu Website.

Não é nossa intenção com este artigo tomar partidos! Análises com afirmações não provadas que lesem a imagem de empresas não são algo aceitável,mas por outro lado é apenas uma opinião de um leitor e nada justificava ameaçar o mesmo. Quanto mais não fosse porque caso tal acontecesse iria intimidar futuros compradores a fazerem análises negativas, removendo todo o intuito das análises existentes, o fornecimento de opiniões de terceiros sobre a qualidade dos produtos entretanto adquiridos.

O certo é que entendemos a posição da Amazon. O seu website funciona e sempre funcionou assim. E o que lá está são apenas opiniões. Se as empresas não ficam contentes, o problema é delas, até porque se o produto fosse efectivamente bom, certamente as análises não seriam negativas.

Fonte: Arstechnica

Publicidade

Posts Relacionados