Futuro exclusivo da Playground não terá melhorias para a Xbox One X… terá cortes para a Xbox One!

Este foi um dos receios quando se falou na primeira consola de meio de geração. O ver-se a consola existente relegada para segundo plano. A Sony não fez isso com a Pro ao forçar a criação dos jogos com base na PS4. Mas a Microsoft não quer fazer o mesmo, e está a admitir desenvolver jogos pensados para a X que serão cortados para correr na One base.

Quando se ouvir falar pela primeira vez numa consola de meio de geração tudo era apenas um rumor em torno de um nome: PS4K, tambem chamada de PS 4.5. E nessa altura nada se sabia sobre a consola, excepto que a mesma estaria a ser desenvolvida para correr jogos PS4 a 4K.

A reacção da comunidade Playstation foi no entanto enérgica quanto a esta consola. Ela não agradou e contaram-se às largas centenas os blogues e youtubers que reagiram mal à notícia alegando que deixariam de comprar Sony se essa consola pudesse de alguma forma piorar a experiência de jogo na PS4 base.

Felizmente isso não aconteceu! Apesar de as consolas de meio de geração não serem bem vistas pela quebra de homogeneidade que criam numa mesma comunidade, ou por outras palavras, pelo facto de apresentarem resultados diferentes das consolas bases, a realidade é que a PS4 Pro acabou por ser exclusivamente suportada de uma forma que nunca prejudicou a sua irmã mais velha e menos potente. Ela basicamente melhora os jogos criados para a base, mas a base continua a ser a plataforma primordial de desenvolvimento, aquela para a qual os jogos são concebidos, desenvolvidos e optimizados. A outra consola apenas trabalha em cima disso dentro das suas possibilidades.

Basicamente a PS4 Pro, mesmo não desejada, acabou por ser efectivamente uma oferta alternativa para quem tem uma TV 4K e quer tirar melhor partido da mesma. E pouco mais do que isso!



E nesse sentido a comunidade aceitou-a. Não a deseja, preferia que não existisse, que seja um modelo de consola que não se volte a usar, mas aceitou-a!

Mais recentemente foi a vez da Microsoft fazer o mesmo com a sua Xbox One X. E aqui a abordagem foi algo diferente! A consola é de tal maneira diferente da  sua antecessora que no fundo o que temos entre as duas não são meras melhorias, e chegam a ser autênticos saltos geracionais. O aumento de RAM em mais 4 GB que permite texturas de alta definição, o aumento de resolução para resoluções até 4K, quando a One se fica normalmente pelos 900p acabam por revelar diferenças de resolução e qualidade de texturas entre as duas consolas ao nível daquilo que existiu entre a Xbox One a Xbox 360, e que apenas não é tão perceptível pois o patamar de qualidade agora num nível superior.

Curiosamente a Microsoft quando anunciou a sua X veio revelar que se mostrou surpreendida com aquilo que foi a Pro, algo que perante esta abordagem tão diferente face à consola base não é de admirar. Mas com ou sem intenção da Sony, a realidade é que a Pro, face à PS4  não criou um desfasamento que deixasse para um plano demasiadamente distinto os largos milhões de clientes já existentes. Na Microsoft a coisa não se passou da mesma forma!

Nesse sentido, usando a mesma coerência face ao que se pensou para a PS4 Pro, a Xbox One X não é igualmente bem vista por nós, até porque exacerba tudo aquilo que se criticou na Pro, e cria uma disparidade enormes entre utilizadores daquilo que é, supostamente, a mesma consola.

A questão é que o que temos visto até nem é assim tão radical quanto poderia teoricamente ser. A maior parte dos jogos de terceiros está apenas a usar a X para melhorias, e tal como com a Pro, não lhe está a dar a devida atenção. A consola é vista como algo capaz de melhorar a Xbox One, mas o mercado que dá dinheiro é nessa que existe, e é para essa que os jogos são feitos.

Infelizmente há um ponto que joga contra a One. Uma diferença muito grande que distingue o que se passa entre a PS4 e a PS4 Pro e a Xbox One e a Xbox One X. A arquitectura e conceito do hardware!

No primeiro caso, ambas as consolas Sony são basicamente em tudo semelhantes, apenas existindo mais performance do lado da Pro e 1 GB extra destinado às aplicações e a libertar a GDDR5 para a colocação do framebuffer de resolução superior, mantendo assim a mesma memória livre em ambas as consolas. A Pro foi criada para ser uma PS4 mais capaz a nível de resolução, e pouco mais do que isso. Ou seja os jogos são, em 90% dos casos, exactamente iguais em ambas as consolas, apenas beneficiando de alguma resolução e performance extra. Nos restantes 10% temos alguns efeitos adicionais.

Já no segundo caso, a igualdade não se pode dizer que existe a esse nível! A Xbox One X possui mais 4 GB de RAM que a Xbox One, e essa memória permite não só albergar o framebuffer sem cortes de memória, como ainda permite a colocação de texturas 4K. Mais ainda, a arquitectura interna das duas consolas é radicalmente diferente, e o conjunto eSRAM + DDR3 que tanto prejudicou a Xbox One a nível de resoluções foi substituído por GDDR5, criando uma arquitetura em tudo igual à da Pro e PS4.

Se isto pode parecer um detalhe, não o é! A arquitectura da Xbox One, pelos seus limites, requer uma gestão muito cuidada da memória para se extrair as larguras de banda existentes,  e consequente performance, ao passo que a memória da X não requer tal cuidado. E tal tem uma de duas consequências: Ou se cria código duplo, que optimiza ora para um lado, ora para o outro, ou se escolhe uma consola para se optimizar, e a outra fica como estiver. E neste último caso, com ambas as consolas PS4 a usar a mesma arquitectura da X, adivinhem que tipo de código se torna mais comum, e quem pode ficar mais penalizado?

Estas situações ocorrem, apesar que não é neste artigo que as vamos enumerar. Mas basta dizer que se olharem para os jogos de 2015 e 2016 perceberão que o fosso de performances entre a PS4 a Xbox One estava a diminuir com o uso inteligente de resoluções dinâmicas, e boas optimizações da gestão da largura de banda. Mas vejam os jogos de 2017, e percebam que a Xbox One voltou basicamente para os 900p ou menos. E aqui nada nos tira da ideia que o código comum entre a X e as PS4 é, pelo menos parcialmente, o responsável por tal!

Basicamente, no meio de tudo isto, e como já tínhamos referido anteriormente, este conceito de arquitectura comum com as consolas Sony, atira a One base um pouco para segundo plano… e isso é algo que os possuidores da consola, que a compraram apesar de todas as controvérsias e que permitiu à Xbox chegar até aqui, não mereciam! Nesse sentido mais valia uma consola de nova geração e não se vir com falinhas mansas que referem que ambas as consolas “são a mesma consola”. Até porque isto pode ser verdade para quem programa que usa o mesmo código em ambas, mas não para quem obtém os jogos e os seus resultados.

Quando temos jogos (Sonic Forces) a 30 fps 720p (uma resolução consola de 2006) na One, não podemos exactamente dizer que temos a mesma coisa quando este jogo corre a 1800p 30 fps (uma resolução consola de 2016) na X.  É quando temos outro jogo (Shadow of War) a 900p 30 fps na One, tambem não podemos dizer que temos a mesma coisa quando este jogo corre a 4K 30 fps com texturas de alta definição, e várias melhorias gráficas, na X. Isto são diferenças que se podem considerar como geracionais e mesmo superiores ao que vimos entre a Xbox 360 e a Xbox One. Vejam este artigo, e aguardem as imagens carregar pois elas demoram, para perceberem as diferenças entre a versão da Xbox One e da Xbox One X deste último jogo.



Mas como dizia antes, no fundo estas vantagens da X estão a ser um pouco negligenciadas pela maior parte das third que preferem encontrar aqui um ponto de equilibrio. E o que vemos são jogo que nem alcançam os 1080p na One e nem alcançam os 4K na X.

Basicamente uma situação que não agrada à Microsoft!

Mas o que pretende então a Microsoft? Ver os jogos optimizados para a base e melhorados na X, ou optimizados para a X e cortados na base?

A resposta é dada pela Playground Games, que veio dar a conhecer que o seu próximo exclusivo Xbox, um RPG de mundo aberto, está a ser desenvolvido de raiz para a Xbox One X.

Eis o referido:

Estamos obviamente a começar neste momento o desenvolvimento num jogo por anunciar. E a plataforma de desenvolvimento para esse jogo é a Xbox One X, o que é muito bom para nós, e no fundo para os jogadores numa série de maneiras. Primeiro é bom desenvolver para ela, é incrivelmente poderosa, e tem mais memória do que alguma vez tivemos. Daí que é um excelente kit para desenvolver o jogo. E quanto mais fácil e rápido for desenvolver o jogo, mais coisas consegues fazer.

O que aqui é dito mostra muito das ideologias sobre o conceito do que deverá ser o futuro das consolas Microsoft!

Para começar, ao darem a entender um uso livre da memória da X, tal leva a questionar que tipo de cortes a Xbox One irá ter. Porque se na realidade a ideia é colocar o jogo a correr também na Xbox One, então a memória que o jogo pode usar continua a ser a mesma de sempre, e a memória extra da X só pode ser usada em texturas. Daí que referir-se, nesta fase inicial de desenvolvimento, que “há mais memória” é realmente algo que dá o que pensar! É que se o jogo vai também sair para One, então, na prática, salvo para texturas de melhor qualidade… não há!

Depois a questão do “quanto mais fácil e rápido for desenvolver o jogo, mais coisas consegues fazer” também nos levanta questões. As optimizações para caber na memória da One, usar devidamente a sua largura de banda, usar a eSRAM e os Move engines, não vão gastar o mesmo de sempre? Como é que desenvolver para a One X, uma consola com especificações superiores,  e que não requer essas optimizações, resolve ou simplifica isso?

Estas são perguntas coerentes e básicas que surgem ao lermos estas palavras! E nesse sentido, basicamente o que as palavras de cima dão a entender é algo que não é dito! Que neste jogo a Xbox One está a ser colocada de lado ou para um plano secundário! E este jogo que só sairá daqui a uns bons anos pois está em fase inicial de desenvolvimento, só será o jogo concebido de origem quando executado na X, se é que realmente alguma vez irá sair na One, e isso pode ser algo que nesta fase não interessa dizer!

A alternativa a isto é aceitarmos que nos estão a dar uma roda de estúpidos nas frases que usaram e que na realidade tudo isto não passa de uma suposta promoção à X, sendo tudo uma valente treta.

Seja qual for o caso, o menosprezo da One base está bem patente! Ter, ou passar a imagem de que se tem, a consola de meio de geração como plataforma de desenvolvimento é claramente colocar para segundo plano 35 milhões de utilizadores em favor de 600 mil. Tal nunca deveria acontecer, pelo menos para já!

A realidade é que estas frases despertaram igualmente no entrevistador questões, e que este imediatamente perguntou se tal não prejudicaria a Xbox One e a Xbox One S.



A resposta foi a seguinte:

Definitivamente penso que durante a fase de desenvolvimento, veremos a tradução de benefícios para outras plataformas que desenvolvemos, tal como a Xbox One e mesmo o PC. e penso que isso advém da ferramenta uniformizada de testes em que estamos a trabalhar.

Há aqui uma resposta contornada e pouco clara. Não há, não pode haver, e e nem nunca houve benefícios para um hardware menos capaz o desenvolvimento ser feito num outro mais capaz. O que é dito é pura e total demagogia e um “engana meninos e papa-lhes o pão”! Hardware menos capaz, para ter as melhores performances e tirar partido do código, tem de ser aquele onde o jogo é desenvolvido, e acima de tudo optimizado. Se a X consegue igualar ou melhorar tudo o que a One ou S fazem, o contrário a nível de cortes não ocorre na mesma proporção linear, e os cortes podem ter de ser totalmente desproporcionados face ao que a X apresenta. Por exemplo, se um jogo for feito e optimizado a pensar nos 218 GB/s da eSRAM, ele pode perfeitamente passar para os 320 GB/s da GDDR5 da X. Mas se ele precisar dos 320 GB/s, como se garante que ele venha alguma vez a correr na eSRAM, mesmo que com cortes? Isso requereria na mesma optimizações na One pois os 218 GB/s não são uma largura de banda livre, e na realidade, por norma a eSRAM só dá metade desse valor, sendo preciso ter-se as escritas e as leituras a ocorrerem em simultâneo para que esse valor seja atingido, algo que requer optimizações diversas. Se só tivermos escritas ou só leituras, isso é irrelevante na X, mas na One isso atira a largura de banda da eSRAM para os 109 GB/s. E as situações deste género são tantas que o referido pela Playground games é aparentemente incompreensível. Aliás se o a ferramenta uniformizada fosse, como se dá a entender, capaz por ela de optimizar de forma ideal, falar-se de plataforma líder de desenvolvimento não faria sentido!

Para além do mais, repare-se que a Playground na resposta usa o termo Xbox One no sentido de plataforma e não como referindo-se à consola base, o que quer dizer que no fundo, salvo má tradução das fontes (e são várias com as mesmas palavras), não abordou na sua plenitude a questão colocada.

Tudo isto dá o que pensar sobre qual o futuro que a Microsoft pretende dar à Xbox One, mas interpretações à parte, o certo é que ver uma equipa a trabalhar num exclusivo First Party da consola e a admitir que a plataforma de desenvolvimento não é a base, mostra bem que as prioridades da Microsoft já não estão na sua primeira consola. Seria de esperar que perante esta situação a Microsoft tivesse imediatamente vindo a público deixar entender que a Xbox One continua a ser a sua prioridade e que a consola não está relegada para segundo plano. Mas por inércia ou outro motivo, isso não aconteceu, e a Microsoft deixou passar esta mensagem sem correcção.

O certo é que a Microsoft certamente terá noção que na altura em que este jogo estiver pronto a Sony terá já lançado a PS5, e nessa altura quererá puxar o máximo pela sua Xbox One X de forma a não ficar muito para trás. E isso será o que realmente está por detrás de tudo isto!



Posts Relacionados

  Subscribe  
newest oldest
Notify of
Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Falou tudo, Mário! Claramente deixarão o one de lado em prol do one x como uma espécie de console tapa buraco até a chegada do outro Xbox. Creio que tentarão segurar esse one x ao máximo para que receba a primeira fornalha de games da futura geração, pois costumam ser games que usem menos poder de processamento e inclusive costuma sair para as duas gerações, como foi nessa geração com Far cry 4, Watch dogs e outros tantos, esperando que a Sony ponha o ps5 no mercado o quanto antes para eles colocarem a sua próxima Xbox mais poderosa depois com mais poderío, que eu penso que seria um tiro no pé, mas dá a entender que a Microsoft ainda não aprendeu que o sucesso de um console não está necessariamente no Hardware, e sim, no conjunto onde lidera os games exclusivos para diferenciar-se dos outros.

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Mário, (off Topic) leia isto:https://theenemy.com.br/xbox/microsoft-estaria-interessada-em-comprar-a-ea-diz-site. Se esse rumor estiver certo, agora entendi como irá ter receita com o game pass.rs

Livio
Visitante
Livio

@Mário infelizmente sua indignação sobre a base ser prejudicada em relação ao X não vai ser a mesma daqueles que defendem a marca. Já na altura do lançamento da X onde alguns jogos tinham poucas diferenças em relação ao Pro muita gente dizia:” deixa quando desenvolverem os jogos para a X”. Infelizmente estes “pensadores” nem possuem a X e sim a base e não vêem o quanto prejudicial é isso.

Netto
Visitante
Netto

Daqui a pouco os advogados sem muneraçao aparecem pra dizer que é a melhor escolha, detalhe, estes mesmo ainda não tem o Xbox One X😂. Afinal o qu importa é o melhor pra Microsoft e não pra si próprios. É o amor.

Vitor Calado
Visitante
Vitor Calado

A Sony faz a mesma coisa, a diferença é que na MS tudo se sabe na Sony a roupa suja não é lavada na praça publica…digam-me lá em que consola é que os exclusivos da Sony estão a ser desenvolvidos, jogos como o novo do kojima que só vai ser lançado em 2019 ou até depois? é que os trailers que a Sony anda a mostrar são todos da PRO, então na vossa opinião eles desenvolvem o jogo na PS4 base mas só mostram trailers a correr na PRO…magia? aliás eles prórpios disseram que a X têm mais capacidade é mais fácil de programar, o grosso do trabalho deverá ser feito nela…ou a produtividade de milhares de salários não conta, se tens ferramentas mais avançadas só tens que as usar, depois se eles fizerem porcaria no port para a ONE ai sim será de reclamar…digo eu
eu gostava de ver se vcs tivessem kits da X e kits da normal se faziam o trabalho todo nos kits inferiores só para darem uma de bons samaritanos em relação á base instalada…quem não pecou que atire a primeira pedra

Ewertom
Visitante
Ewertom

Isto ai,acertou em cheio Vitor.
Realmente é o que tenho visto em todos os videos da Sony,onde sempre me pergunto a qualidade que esta ali se é da Pró,onde esta o jogo da base.
Pois se tenho um Hardware onde tenho uma CPU mais rápida e uma GPU mais potente,onde se enquadraria o software na base.
Quem não errou que atire a primeira pedra.
Temos sempre que olhar para todos os lados antes de sair dizendo asneiras,pois quem perde com estes fatos ridículos tanto por parte da Sony e Mic somos nós jogadores.
Quem me garante agora que quando sair a next gen se dali III anos não vir um upgrade.
Eu estou nessa,e ai.

Netto
Visitante
Netto

Diferença é que nós Jogos da Sony a única diferença palpável nos jogos é resolução, ficando assim “um tanto faz” pois a única mudança já referi. Já no X, da uma olhada em PBUG no One e no X e me diga se são parecidos?

Ewertom
Visitante
Ewertom

Você tem certeza Netto.
Olhe direito e pesquise,pois não é só isso não.
As duas tem erros,tanto a Sony como Mic por isso não adianta abafar de um lado e sacar a arma para o outro.
Antes éra só inserir a fita ou cd e se divertir,hoje é essa porcaria de geração que prioriza resolução isso, fps aquilo e jogo bom e divertido ficou em terceiro plano.

Fernando Molina
Visitante
Fernando Molina

Nada de novo, seria só mais uma promessa quebrada da Microsoft, uma a mais, uma a menos… se isso realmente acontecer, da minha parte o One foi o ultimo console da microsoft que comprei

julio Esteves
Visitante
julio Esteves

Eu ainda mantenho o plano de comprar um XBOX one S até o fim do ano(o preço está convidativo). Mas não deixo de me preocupar com as decisões da MS(Já passei pelo abandono do x360). Caso se confirme o foco principal de desenvolvimento de jogos no XBOXX, isto terá uma repercussão bem negativa para quem acreditou ( até o meio da geração) na plataforma e a apoiou comprando VG e jogos. A MS é um a empresa forte e rica, mas seus planos e propostas são confusos e contraditórios com relação ao XBOX, o que parece é que existem 2 grandes forças dentro dela, uma deseja um VG com plataforma de entretenimento no formato consagrado pelo tempo e outra querendo transformar o VG em serviços e mercado agregado ao Windows e ao PC. O XBOX já provou seu valor até para a concorrência (que teve que se superar com o PS3 e ps4), mas agora eles estão a sombra e água fresca esperando o próximo tropeço dela, que infelizmente afeta muito mais torcedor/apoiador (não fanboy) da marca que a própria empresa.

Vitor Calado
Visitante
Vitor Calado

Muito gostam vcs de chorar, pelo que eu me recordo o compromisso é que a X não teria jogos exclusivos, MAS que as produtoras teriam liberdade de apostar mais nos gráficos (os falados 4K) ou mais na IA ou mais em outros aspectos em que a consola aguente mais do que a base. Onde é que alguém disse que os jogos na X não poderiam ser puxados ao máximo para não afectar a irmã mais nova? Onde? onde é que alguém disse que os jogos teriam que ser nivelados por baixo?? onde?? respeitar a base instalada é criar ports decentes e que aproveitem a consola base dentro das suas limitações…eu por acaso já tenho uma X, mas se não tivesse o que me interessa a mim que a X tenha funcionalidades que a minha não têm porque não aguenta??? que mentalidade medíocre, as melhorias feitas na X são melhorias que a ONE normal não aguenta, alguém pode exigir mais ou menos que isso?

Vitor Calado
Visitante
Vitor Calado

Só para acrescentar, a X nunca irá vender mais do que a normal….nem lá próximo, se a MS for tão burra que faça jogos optimizados para a consola que tem uma base 30x mais pequena e entregue uns ports deficientes para as normais…isso o mercado tratará de a punir severamente….isso ainda nem aconteceu já está tudo aqui a gritar: eu mato eu esfolo…lol

Raphael
Visitante
Raphael

Mário, gostaria que você fizesse um artigo falando sobre o aumento de preço das memórias ram, e gostaria também que citasse o impacto no preço final dos consoles e dos pcs…

Fernando
Visitante
Fernando

Death Stranding e The last of us 2 nao terão melhorias PS4 Pro, e sim cortes na versao PS4. Todas as vezes que os jogos foram demonstrados, nunca foi no console base.
O que esses jogos tem em comum com o novo game da Playground?
Ambos nunca chegarão antes de 2019, sendo mais provável estrearem em 2020 e talvez como jogos Cross Gen entre PS4 e PS5.
Nessa época, o máximo que eu esperaria desses consoles atuais é que tenham versões dignas como Rise of The tomb Raider do Xbox 360. Não da pra exigir mais nada de consoles de 1 teraflop.

bruno
Visitante
bruno

E desde quando o facto de terem sido mostrados na PS4 Pro, implica cortes na PS4 base?

Uncharted TLL também foi mostrado na Pro… Houve cortes na base? Não! A única diferença do título nas duas é o acréscimo de resolução ou FPS dependendo do modo em que se joga.

Shadow of The Collossus, também foi mostrado originalmente na Pro. Houve cortes na Base? Não! O jogo é igual nas duas, excepto no acréscimo de resolução na Pro, ou mais FPS.

Horizon Zero Dawn, até foi mostrado nas duas… Houve cortes numa ou noutra? Não!

Que base tens tu para dizer que o facto de os jogos estarem a ser mostrados na Pro acarreta cortes na base? Desde o inicio da geração que a PS4 se manteve nos exclusivos singleplayer em 1080p e 30 fps. Isto ainda antes da Pro existir. Todos os jogos anteriores mantém essa resolução sem alterar virtualmente nada, na base face ao que é apresentado na Pro. Podes dizer que desde 2014 a 2018 a base perdeu alguma coisa? Não.

E sabes porquê? Porque o jogo é desenvolvido com a base como referência com melhorias ligeiras para a Pro.

O artigo fala de um jogo que, de acordo com o próprio programador está a ser desenvolvido de raíz para a Xbox ONE X, e depois adaptam à ONE. sabes perfeitamente da diferença que existem entre o hardware das duas consolas e sabes perfeitamente que a ONE, porque já cá comentas desde 2013, precisa de trabalho adicional de optimização para a ESRAM.

E ainda tentas passar a ideia de que não há motivos para preocupação quando alguém diz que a plataforma base de desenvolvimentos é a ONE X?

Ewertom
Visitante
Ewertom

@ Bruno vou te responder esta,por motivos de você não conseguir entender o lado do questionamento do user Fernando.
.Independente de utilizações de software aqui para uma plataforma em questão,o que esta em jogo não é a qualidade em si e sim uma quebra em todos os sentidos de uma hegemonia unificada de plataformas.
Independentes de hardware e que o exemplo que dei mostra claramente a situação que ambas as empresas estão a nos mostrar(tu queres jogar jogos temos a PS4,tu queres algo a mais,eu disse algo a mais temos o PS4 Pro pra você)e vice versa meu amigo.
Então não adianta tapar o sol com peneira,as 2 tem falhas graves ai e te digo mais se isto realmente acontecer,será uma vergonha tremenda por parte da Mic onde se vê claramente o rumo tomado por ela e que não aprovo.
Mas tua falar que não é problema jogar um jogo ao qual em outra plataforma você tem maior resolução 4x mais e maior volume de frame rate e que isto é normal.
Não sei o que te dizer mais,sinceramnete lamentável,junto com a Mic

bruno
Visitante
bruno

Ewertom, acredita que eu sei qual é o lado do questionamento do user Fernando. Eu estava aqui quando ele foi dos primeiros a dizer que a Pro marcaria o inicio da próxima geração e que com ela o que provavelmente iríamos ver eram jogos a 720p na base e a 1080p na Pro para definir novo grafismo. E estava aqui quando veio defender que os exclusivos no PC e a plataforma unificada não teriam qualquer efeito sobre a Xbox e que a ONE X é apenas uma versão melhorada. Já sei há muito tempo qual é o lado do questionamento do user Fernando.

Para entenderes melhor, porque quem está a trocar alhos com bugalhos aqui és tu, vou tentar explicar-te a situação porque, pelas tuas questões não a entendeste.

Começemos pelos factos e o primeiro grande facto é o hardware.

A ONE e a PS4 têm um hardware virtualmente idêntico, salvo certas alterações nas ROPS e ACEs do GPU (tornando a PS4 especialmente apta para o GPGPU e a ONE menos apta) e na memória RAM. A PS4 tem uma pool de memória unificada de 8gb gddr 5 com uma velocidade teórica máxima de 176 gb/s e a ONE tem duas memórias, uma pool unificada de 8 gd ddr3 a 68 gb/s e ESRAM de 32 mb a 204 gb/s (peço desculpa por qualquer erro nas velocidades, não tive tempo de confirmar e corrijam se estiverem erradas, mas penso que pelo menos está aproximado).

Basicamente, a ONE tem limitações a nível de GPGPU e memória que a PS4 não tem. isto sem falar dos menos CUs que lhe cortam a performance em flops para menos da PS4. Sobretudo a nível de memória e devido à baixas velocidades da DDR3 e à baixa capacidade da ESRAM foi necessário proceder a optimizações especificas nesse hardware para garantir resolução e performance,para se atingirem os 1080p, por exemplo, aplicando metodologias especiais (Forza 5 aplicou-as e conseguiu, ainda com alguns sacrifícios, chegar aos 1080p, e foi algo que foi puxado no hardware da ONE).

Olhando agora para as consolas de meio de geração o que vemos?

A ONE X tem 8 nucleos jaguar, GPU com 40 CUs e uma pool de memória de 12 Gb GDDR5 (não me lembro se é x ou não), com uma velocidade de 320 gb/s. A Pro tem 8 nucleos jaguar no cpu, 36 Us e 8Gb Gddr5 uma pool de memória unificada.

Consegues tirar daqui alguma coisa?

Assim por alto nota-se uma muito grande: o hardware da ONE X é o mesmo que o da PS4, e que o da PS4 Pro, mas com tudo mais que elas (maior memória, maior velocidade de relógio, mais GPU), mas no fim, tudo o mesmo. Mas não têm as duas mmemórias distintas que na ONE tem, deixando esta consola (que por acaso também representa aquela com menos unidades vendidas), praticamente de lado.

Passemos agora ao facto 2: o que mudou na PS4 com a chegada da Pro e o que mudou na ONE com a chegada da ONE X.

Quando a Pro foi anunciada muita gente, eu incluido, temia que a Sony permitisse que as thirds como a EA ou Ubisoft (que nas reunióes de accionistas sempre falam no suporte ao PC e que têm muitas razões económicas para querer o PC como uma plataforma de gaming de alta popularidade), se descuidassem na optimizações dos jogos, fazendo para a Pro e portando para a base, sem qualquer cuidado.

Como veríamos tal coisa a ocorrer? Diminuição da resolução e dos fps, cortes nos efeitos gráficos sombras, reflexos, detalhe dos modelos dos personagens (olha para o Tress FX em RoTR na nova geração e o que foi aplicado na 360 para teres uma ideia do tipo de efeitos aplicados). Era esse o grande temor e por isso, muita gente estava preocupada com o que se iria passar mal essa consola chegasse ao mercado. O próprio user Fernando era das vozes mais ativas neste tema, tendo, quando a existência da Pro foi confirmada na conferência, escrito o seguinte neste mesmo site: “Iniciou-se uma nova geração”.

E o que se passou a seguir? Bem… absolutamente nada! Aliás em certos casos as coisas em vez de piorarem até melhoraram.

A PS4 recebeu o HDR em todos os modelos e novos títulos anunciados e lançados desde que a Pro chegou ao mercado, mantiveram ou melhoraram o grafismo sobre o de antes, mantendo os 1080p e 30 fps que sempre foram a marca dos jogos. Isto é o que se esperaria que normalmente ocorresse mesmo sem modelo mais poderoso. E ainda tivemos novos títulos como Horizon Zero Dawn e Uncharted TLL a implementarem HDR e a apresentarem graficos espantosos mesmo no modelo base. Eu definitivamente, olhando para a PS4, não posso dizer que a base tenha sido abandonada.

E os thirds? Bem, AC Origins chegou e apresentou um enorme mundo aberto, com clara evolução gráfica sobre os anteriores e aumentou a resolução na PS4 base de 900p para 1080p. Tudo o resto, excepto os títulos a 60 fps que continuam, alguns a chegar a 900p (mas já era assim ainda antes da Pro), se manteve na mesma. Pelo menos não notei descidas grandes nestas consolas.

Vejamos agora a ONE. Com a chegada da ONE X o que mudou? Em primeiro lugar temos a própria empresa a centrar todas as suas demonstrações na consola mais poderosa, deixando a ONE quase sem exclusivos no ano de 2017. A Sony em comparação mal falou da Pro deixando tudo para um evento secundário.

Não só isso, mas a Microsoft faz diversas demonstrações tecnológicas especificando o tipo de melhorias gráficas que pode esperar na ONE X, além da resolução.

Depois a consola é lançada e vemos grandes melhorias gráficas aplicadas a títulos como Rise of the Tomb Raider e Shadow of War, que ultrapassam em muito a diferença jamais vista entre a Pro e a PS4: falo de novas texturas, novos modelos e novos efeitos gráficos em alguns casos.

E nas thirds? Bem, aqui não é generalizado, sobretudo porque ainda é muito cedo sequer para se ver isso, mas AC Origins, que tinha acordo de exclusividade com a própria Xbox no marketing, desce a resolução dos habituais 900p nessa consola para algo menor. Foi limitação do hardware devido à nova tecnologia, ou um poupar de fundos da empresa para cobrir assim 3 consolas e deixar uma de lado?

Depois temos o infame PUBG. Que ainda se safa aceitavelmente na ONE X mas que na ONE estava execrável. E pior, temos mais vegetação e feitos na ONE X que na ONE, isto sem falar nas próprias texturas. Estamos a falar de um exclusivo nas consolas financiado pela própria Microsoft.

Sim, é early access e pode-se argumentar que o jogo precisou de mais tempo e que continuará a melhorar, mas só o facto de disponibilizar, mesmo em formato físico para o publico em geral um título neste estado… é mau. Muito mau.

O consumidor comum que compra a Xbox S e coloque lá o título a jogar, bem, imaginas a impressão com que fica. E depois compara o mesmo na ONE X, tendo sido garantido que era uma consola só para os 4k… pior ainda.

E agora, temos isto: developers first party a afirmarem vão desenvolver os títulos tendo como base a ONE X e não a ONE (não te esqueças das unidades de CU a menos, menor capacidade de GPGPU, e das muito menos velocidade das memórias) Isto deixa a ONE em, muito, mas mesmo muito má situação no que se refere ao código.

Consegues apontar-me algum da parte da Sony que tenha algum dia afirmado que a Pro iria ser base de desenvolvimento? Não! Pelo contrário, quando questionados sobre a base afirmam que os jogos estão a correr igualmente bem na base. Os responsáveis de God of War afirmaram categoricamente que o primeiro trailer até estava a correr na PS4 base e mais recentemente a Insominac garantiu que as duas versões da PS4 estavam a avançar ao mesmo ritmo e eram iguais excepto na resolução! Podem estar a mentir? Podem. Mas a verdade é que a Sony já lançou muitos títulos este ano e comprova-se que fora a resolução ou fps a mais, não há qualquer diferença entre as versões! Tens os comparativos na internet a testar isto, nem é algo que se questione. Por isso, sim, dou-lhes o benefício da dúvida, tanto que as mais queixas na PS4 nem é com a base a ser deixada para trás, mas sim a Pro a não apresentar grande diferença (olha Deus Ex, por exemplo).

Percebeste agora?

Ah e outra coisa…

Shadow of the Collossus corre a 1080p 30 fps na base. Na pro tens dois modos: 4k 30 fps ou 1080p 60 fps.

Se gosto das consolas de meio de geração? Não. Mas não sou cego ao ponto de ignorar o que a MS está propositadamente a fazer com a ONE X em comparação com o que a Sony faz com a Pro.

E não ver isto também é tapar o sol com a peneira Ewertom.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Bom,você falou,falou e não saiu do lugar,pois você mesmo se autocontradiz.
Estou aqui a algum tempo para te lembrar dos seus comentários sobre resolução quando se tinha jogos no One 900P e no Ps a 1080p e você referia com muito inferior,ou quando se dizia sobre fps.
Este é o ponto que quero chegar,não me interessa se Pubg corre isso ou aquilo,o pior que vejo as vendas deste jogo que falam por si só(o que é triste mesmo estando em nivél de melhoramento)ainda esta distante do ideal.
Nunca você me viu aqui debatendo sobre resoluções ou afins,mas debatendo a diversão nos jogos,não defendendo tal jogo de uma plataforma somente com é o seu costume amigo,então quem esta trocando alhos por batatas aqui não sou eu e sim um sonysta que não olha para o próprio umbigo.Cresce moleque.Você e alguns já passaram da hora.
Um cara que acha normal jogar um jogo com uma resolução maior ou fps diferentes,somente me faz rir pois não conhece e não conheceu a essência dos jogos.
Saudades da época do Nes,não essa geração pobre de jogos de verdade.

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Bruno, não querendo entrar na discussão de vcs, mas só um adendo: A diferença do ps4 com o pro não é menor pelo simples fato da distância ser bem menor do que o one e one x não? Já pararam pra pensar por esse lado? Quero dizer… Se a Sony tivesse feito um pro ao nível do one x, ou msm até mais poderoso, será que ainda sim a Sony respeitaria o console base? Se o pro fosse de arquitetura diferente e a Sony tendo que colocar um console bem mais poderoso para tirar a estigma de console fraco, tendo que abrir mão da tecnologia da arquitetura do console anterior, investindo em uma tecnologia mais moderna, será que ainda sim ela manteria a base?

bruno
Visitante
bruno

@Edson é impossível de dizer. Imaginavas o que a PS4 traria no inicio desta geração? Imaginavas sequer que Horizon ZD seria possível, o HDR, etc? Aqui é o mesmo. Tens na Pro o dobro do GPU o que permite, por exemplo, 18 CUs inteiras a GPGPU e o restante à pipeline gráfica, algo que a PS4 nunca poderia fazer. Isto teoricamente, claro, porque ainda há os bottlenecks do CPU e memória e não sei se térmico. Seria possível fazer muito mais com isto? Definitivamente. Seria possível fazer mais com acréscimo de resolução? Não sei, mas a PS4 tem mantido os 1080p com jogos devidamente optimizados e os 30 fps ao mesmo tempo que melhora o grafismo. Portanto acredito que, se a Sony assim o quisesse seria possível ter efeitos gráficos exclusivos. Mas certeza, não tenho.

O ponto é: a Sony poderia ter ido mais longe no hardware. Mas não foi: manteve o jaguar e a memória. Foi incapacidade ou planeamento? Tudo depende do que ela queria fazer.

@Ewertom já tenho reparado num certo tom agressivo da tua parte à algum tempo, e gostava de saber porquê, dado que, se me lembro bem (e não me lembro de tudo, reconheço), acho que contigo nunca tive problemas de maior.

Em primeiro, não me chames de moleque. É desrespeitoso, e nem sabes se tenho idade para ser teu pai (sim, não sabes se tenho 80 ou 70 anos, podia ter porque as consolas sáo como o Tintim, dos 7 aos 77!).

Em segundo, certamente me estás a confundir com alguém… Eu prefiro resoluções a bons jogos? Lembras-te de eu ter aqui afirmado que o que importa são as resoluções? Desde quando e em que título?! Ainda me acusas de achar normal a Pro, quando fui dos que mais criticou a Sony quando a mesma foi anunciada?!

Não me recordo há quanto tempo aqui comentas mas de 2013 ou antes não é de certeza. Tu certamente não conheces nem o meu historial nem as minhas opiniões, porque se soubesses não dirias nem metade dos disparates que acabaste de dizer.

Gabriela Pacheco
Visitante

Parabéns Muito bem sensato seu comentário.

Ewertom
Visitante
Ewertom

@Bruno peço desculpas por ter dirigido a palavra de modo desrespeitoso conforme sua indignação.Me sinto chateado por dizer coisas que as vezes ferem alguém.
Lamento,pois partilhamos do mesmo gosto de diversão.
E o que falei sobre teus comentários anteriores,isto não tiro,pois sei que tu falastes mais de uma vez questões de resolução ou fps entre PS e Xone,mas como te digo agora isto é um gosto teu,somente teu e eu não tenho nada a ver com isso,por isto meu pedido de desculpas,pois não é de minha índole julgar aquilo que não é meu.

bruno
Visitante
bruno

Ewertom tudo bem. A ser sincero, a mim pouco me importou o moleque ou sonysta. Eu nunca escondi as minhas preferências e defendo-as, mas a questão das resoluções e fps, parece-me mais grave.

Talvez tenhas tirado do contexto, ou então, como muita boa gente que chego ao site nos últmos dois anos, tenha apanhado as coisas a meio e ficado com certa impressão.

Para esclarecer, eu nunca defendi resolução/fps sobre qualidade. Nunca. Mesmo quando Sunset Overdrive chegou, e houve criticas quanto ao aspeto do jogo fui dos primeiros a defender o mesmo aspteto, apesar dos 900p. E reconheço-lhe a qualidade. E isto é só um exemplo.

Já aqui o disse muitas vezes, estou na PS porque, enquanto cliente a PS sempre me satisfês. Começei com a PS2, adorei, e quando cheguei à geração PS3/360, só escolhi a PS3 porque após o final épico de GoW II queria saber o que viria a seguir. E não pagava o online, claro. Mas fiquei rendido ao ver gameplay de Uncharted 2 pela primeira vez. Já sabia de outros títulos como Heavenly Sword e Infamous, mas quando vi o Uncharted sabia que era essa a minha próxima consola. Com a PS4 nem foi preciso muito, os franchises da Sony que eu adoro e as atitudes da MS… a decisão era obvia para mim. Se tenho algum problema com a Xbox? Não. Mas tenho muitos problemas com as atitudes e o que a MS valoriza e tenta implementar no mercado. Isso nunca o escondi e por muito que me chamem o que quiserem (estão perfeitamente à vontade), só mudarão a minha opinião com argumentos muito fortes.

Mas isto foram coisas de há 3 anos, mais coisa menos coisa, e claro os tempos passam e não se repete sempre o mesmo, pelo que entendo os mal entendidos, mas essa da resolução deixou-me parvo. Várias pessoas no inico da atual geração perguntaram se a Xbox ONE valia a pena, quando aqui se discutia o hardware e resoluções (e não tem nada a haver com o meu é maior que o teu, mas com curiosidades sobre o hardware, computação, metodologias de desenvolvimento etc) – e a resposta foi, se gostas dos exclusivos que ela tem e dos serviços que oferece, vale. Algo que até nos últimos tempos me arrependo de ter dito, pois nunca imaginei que as coisas piorassem para o que temos hoje (hoje sou incapaz de recomendar essa consola a seja quem for, em consciencia). Mas há quem goste e se gosta, gosta.

Mas nunca defendi resolução a mais, ou sequer a existência dos modelos de meio de geração (sempre disse que era uma grande asneirada da Sony).

Ewertom
Visitante
Ewertom

Entendi Bruno,talvez por lapso de memória posso ter se confundido com outro User caso tenha.
Mas independente disto eu não tenho o direito de ofender ou discutir de forma grosseira como foi abordado o assunto por minha parte,pois entrei na conversa alheia e ali se descambou de uma forma triste e desleal.
Nunca gostei de ver discussões sobre games,porque sou gamer e gostamos da mesma diversão e contigo fiz o contrário de tudo penso.
Me desculpe.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Pessoal, tendo em vista a suposta petição dos clientes Sony sobre Sea of Thieves, que pareceu um tanto absurda e que serviu de munição fanboy, gostaria de deixar o link desse rapaz aqui que (perdoem) tem tudo de fanboy também, mas explica essa história da petição

https://youtu.be/Y21qls4OBdo

E questiono ao user Igor, caso ele aceite claro, comentar o que ele pensa sobre isso, já que ele postou aqui essa história e parece ter ficado bastante contente, mas então, o que ele acha dessas mentiras desnecessárias que são criadas por canais maliciosos.

Desde já agradeço a participação do mesmo.

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Deixando claro que esse rapaz do vídeo era um dos integrantes do Xbox mil grau, e simplesmente defende a Sony por ter se sentido traído pela turma mil grau que o expulsaram, ou seja, não defende Sony ou Microsoft, é somente mais um oportunista no YouTube.

bruno
Visitante
bruno

E oportunista já é eufemismo. Quem visualiza lixo deste (quem diz este diz Xbox mil grau), tem noção que aqueles tipos estão provavelmente a ganhar dinheiro com isso, não tem? Isto só prova que eles não acreditam em nada do que dizem, apenas falam por falar de modo a ganhar uns trocos (que podem chegar a milhares ou milhões de trocos).

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Sim, Bruno! Não ligaria se fosse um canal de Sony, Microsoft ou Nintendo, mas defendendo o que acredita, porém sem ofender ninguém é fazendo por gostar msm da marca. No caso desses caras, fazem pq ganham da empresa, não pq gostam da empresa, dos consoles, etc…

bruno
Visitante
bruno

Eu nem sei se é da empresa que ganham… Os youtubers ganham com números de visualizações. Portanto dizem o que lhes convém contanto que tenham muita gente a assistir.

bruno
Visitante
bruno

Eu acho que todos os intervenientes disto já passaram o nível de fanboy há muito… isto já é caso de necessidade de apoio psicológico sério. Andar a dar-se ao trabalho de criar petições falsas?… Com isto acabam por prejudicar inclusivamente o trabalho de pessoas sérias, nomeadamente da Rare e mesmo a imagem do jogo. Triste e vergonhoso.

Sobre Sea of Thieves, já ouvi de tudo do jogo, por um lado que era muito mau por parte dos próprios fans Xbox (de acordo com algo que foi postado aqui, não sei por quem, para um link de um video), por outro, a Eurogamer teve acesso e adorou o jogo! Sendo a Rare o estúdio que é, e porque acho que boa criatividade nunca é demais, espero que a Eurogamer tenha razão. É bom para a Xbox verificar que o novo pode ter sucesso e que inspire a empresa a criar e inovar.

Lucas
Visitante
Lucas

[OFF]

Overwatch Runs at “Full 4K” on Xbox One X

https://gamingbolt.com/overwatch-runs-at-full-4k-on-xbox-one-x

Muitos estão dizendo que o PS4 Pro tem apenas a UI em 4k e o gameplay é em 1080p.

Isso se confirma?

Livio
Visitante
Livio

[OFF] Alguém percebeu que até ao falar no financeiro as notícias sobre Xbox falam de receita(que sabemos que não é o lucro) e quando é PS falam de lucros?

Até nisso a MS está a esconder?