Gamers parecem querer que a Switch seja um sucesso

Os produtores não parecem querer apoiar a consola, mas os compradores cada vez fazem mais para que as razões para a falta de suporte não existam.

Após o falhanço comercial que foi a Wii U, acreditar que a próxima consola da Nintendo poderia iniciar as suas vendas a um nível recorde seria algo que ninguém acreditaria.

Perante o sucesso da PS4 e a potência apresentada pelas consolas concorrentes, uma consola ao estilo Nintendo, que não prezasse pela performance parecia ter poucas hipóteses de subsistir.

Mas avancemos até aos dias de hoje vão aos maiores mercados de videojogos do mundo e tentem comprar uma Switch… Boa sorte em arranjarem uma!

O certo é que venha a consola a ser um sucesso ou não, as vendas da consola são impressionantes! Mas para as percebermos, temos de colocar as coisas em perspectiva:



Em 2006 a Nintendo lançou aquela que foi a quinta consola mais vendida da história, e a consola Nintendo de maior sucesso, a Wii. A consola vendeu entre 101 a 102 milhões de consolas, quase alcançando a Playstation 1 que ocupa o quarto lugar de vendas com 102.5 milhões.

Ora naturalmente nesta altura seria de loucos acreditar-se que a Switch possa vir a igualar ou ultrapassar a Wii, mas o certo é que neste primeiros dois meses de vida, a consola parece bem encaminhada nesse sentido. Eis uns dados revelados pela Gamespot.

O slide com os dados de cima foi partilhado no Twitter pelo analista Daniel Ahmed da Niko Partners, e foi usado pela Gamestop na imagem de cima no seu relatório de contas.

A Switch está a bater as vendas da Wii por 10%, isto no mercado Norte Americano. E dado que a consola tem estado esgotada não se conseguindo cumprir com as reservas existentes nesse país, isto é sem dúvida um feito.

Isto quer dizer que o mercado parece desejar que a Switch seja um sucesso, parecendo querer abraçar a consola. E apesar da relutância de alguns produtores no suporte da mesma, a continuidade deste nível de vendas tornará difícil a estes continuarem a ignorar a consola.

O certo é que são os consumidores que fazem o mercado. Comprando a consola e comprando os jogos, o suporte aparece! Agora o certo é que muitos poderão estar na dúvida se querem comprar algo cujo suporte não é garantido. É uma pescadinha de rabo na boca que só pode deixar de existir perante uma postura forte de um dos lados.

Essa postura parece estar a ser dada pelos consumidores, que parecem mesmo querer que a switch seja um sucesso.



Posts Relacionados

Readers Comments (12)

  1. E penso que o switch tenha mais potencial do que tivera o Wii em 2006, pois com as tantas formas de jogar, podendo ter jogos mais complexos por conta dos comandos tradicionais de um console, algo que não se tinha na Wii, o On The Go, etc. Penso que o switch tem diferenciais maiores e as vendas, não só nos EUA como tb no Japão são impressionantes. Como vc msm disse uma vez, Mário, ainda é cedo para termos uma análise ampla de sucesso ou fracasso do híbrido da Nintendo, mas de fato é tão promissor a ponto de fazer com que a Sony esteja se movendo pelo msm caminho se o rumor sobre um novo portátil se confirmar, que penso que tb será um híbrido, e até a MS com uma recente pesquisa, mostrada na Eurogamer ontem onde através de um questionário, querendo saber o que de melhor e pior achavam do switch com vários tópicos. O switch nesse momento está incomodando os concorrentes!

    • Recebeste o meu mail? Mandei um pouco à pressa pois ia jantar fora!
      Quanto ao que dizes… sim! Um dos motivos pelos quais comprei a Switch é ver nela potencial. Mas ainda ontem estive na loja onde costumo comprar jogos, e estive a falar com o dono… A Switch até não vendeu mal, mas tem de mudar muitas coisas. Não há um único cliente que não se queixe do preço dos jogos que é mais 10 euro que nas outras consolas…
      Ainda por cima, agora o online é a 20 euros? É demais! 50 euros custa a PSN+, mas oferece 72 jogos por ano… 20 apenas para jogar online… é caro!

      • Sim, Mário! Pô, o ultra street fighter está 50 dólares canadenses, um absurdo! Os jogos são bem caros msm, a biblioteca muito pequena, mas pelo que saiu hj sobre o online e os jogos ofertados, adiaram o serviço para o ano que vem, mas aparentemente já mudaram alguma coisa pra melhor.Ah! Não tive tempo de ver o e-mail ainda, mas o farei agora! Obrigado!!

      • Já add, Mário! Obrigado e até!!!

  2. Acho que ao contrario do PS4 onde na mesma época já era certo que seria um sucesso absoluto, o sucesso do Switch ainda está em aberto. A Nintendo conseguiu passar uma mensagem mais clara do que foi com o WiiU, o que já foi um ótimo começo, mas tenho sérias dúvidas sobre a consolidação desse sucesso inicial.
    A Nintendo tem uma vantagem sobre a Sony e a Microsoft que eu chamaria de “neutralidade da guerra de plataformas”. Ao contrário dos anos 80, 90 e inicio dos anos 2000 onde um console Nintendo era visto como concorrente direto dos rivais, hoje em dia ele é encarado como o console secundário, e por mais que neguem isso, dificilmente alguém que tenha um Switch não tem um PS4 ou Xbox One também.
    Se aproveitando dessa suposta neutralidade, o Switch pode ser um sucesso de unidades vendidas, já que receberá clientes dos dois lados concorrentes, ele pode ter potenciais 80 ou 90 milhões de clientes. Por outro lado, nem todos os compradores vão por impulso de um 97 de algum game no metacritic e um console que vai chegar ao fim do seu primeiro ano sem o apoio dos principais system sellers do mercado, dificilmente manterá o mesmo ritmo a não ser que existam muitos jogos do nível de Zelda Breath of The​ Wild.
    O que eu penso ser a tendência dos próximos anos é as pessoas comprarem TVs 4K com HDR e consoles para isso. Seja o Scorpio, seja o PS4 Pro que ainda tem pouco tempo de mercado.
    2006 foi a mais de 10 anos. Naquela época saiam varios jogos sub-hd no 360 e no PS3 e as pessoas falavam pouco sobre isso. Na verdade, não sabiamos a resolução de quase todos os jogos. A nova geração de gamers, os garotos de 16 ou até de 20 anos cresceram no mundo em que expressões como fidelidade gráfica ganharam mais força do que o próprio nome dos jogos. Dificilmente a Nintendo conquista essa parcela do mercado.

    • Acredito que possas ter alguma razão. Mas só numa nota não me estou a ver a trocar as minhas TVs tão cedo quando elas já tem uma qualidade de imagem espetacular.
      Pessoalmente espero que as próximas consolas suportem nativamente os 1080p a 60 fps em vez de 4K downsampled o que acho um desperdício de performance.

    • Não sei….

      Esses garotos de 16 e 20 anos cresceram também com o Pokémon, um exclusivo Nintendo. E isso tam muita força ainda, tanto que só isso tem levado ás vendas da 3DS e 2DS, duas consolas que ainda hoje vendem muito bem. Aliás basta ver a febre em que Pokémon go se transformou.

      A Switch está muito bem pensada, é um conceito interessantíssimo: é portátil, mas pode ser ligada a uma tv, e foi pensada para ser jogada com amigos. E no mundo de hoje em que o smartphone é rei, algo como a switch enquanto dispositivo de jogos secundário pode ser atrativo.

      Pessoalmente espero que tenha muito sucesso, ao nível da Wii. Depois da Vita e da 3DS não terem conseguido ter marca (a Vita foi um desastre, a 3DS está muito bem, mas atrás do que foi a antecessora), pensei que o mercado de videojogos portátil chegaria ao fim.

      É bom ver um renascer neste campo.

      Sobre a tendência dos 4k… Não me parece. Conhecço muita gente que adquiriu TVs há quase 7 anos e que não vai trocar para um modelo 4k. Eu mesmo tenho uma LG de 2014 1080p, e não tenho motivação nenhuma de ir a uma loja e trocar por uma 4k. Não há conteúdos e os standards não estão definidos.

      E digo já: a tecnologia precisa evoluir muito, mas mesmo muito, para que a troca se justifique no campo das Tvs: quando tiveres OLEDs, ou um ecrã que o consiga igualar em qualidade de pretos, que não retenham imagem e consigam brilhos acima de 1000 nits, aí sim, haverá troca. Para já, é tudo teste, e quem comprar será apenas cobaia.

      • A sério, todos que conheço e gostam de pokemon hoje em dia estão na casa dos 30 anos para mais. Eu não acho que esse é o tipo de entretenimento dos garotos de hoje em dia. Eu tenho certeza que na faixa etária que eu mencionei, o Call of Duty é muito mais popular.
        Eu acho também que o consumidor médio não está muito preocupado com os standards do 4K. Quanto mais o tempo passa, mais pessoas vejo adquirindo TVs 4K e cogitando trocar para o PS4 Pro. Isso no Brasil, o país onde o salário médio da população é metade do preço de uma TV 4K da mais barata do mercado.
        A própria Sony está fazendo previsões de que precisa aumentar a produção do PS4 Pro pois um dos principais motivo para vender menos é falta de estoque.
        Tem uma frase dita por Steve Jobs que é um belo reflexo da realidade, as pessoas não sabem o que querem até que alguém mostre a elas.
        Mesmo com toda a falta de standards do padrão, certamente na primeira vez que você ver um jogo em 4K com suporte a HDR na TV na considerada cobaia, nunca mais vai olhar para a sua TV 1080p com os mesmos olhos.

        • Falando por mim, curiosamente o que não me falta ver é TVs 4K com jogos 4K e HDR.
          E reconheço que bate os 1080p.
          A questão é que a diferença está longe do SD para HD ou dos 720p para os 1080p, e não me justifica gastar 1400 euros em duas TVs, ou 700 numa (sim, há mais baratas, mas não pretendo andar de cavalo para burro nas outras especificações).
          Um 1080p com AA e uma TV 1080p bem configurada tem uma imagem já com uma qualidade excepcional.

        • Pois se quiseres apresento-te duas pessoas de 17 anos que conhecem muito bem o Pokemon. Tem mais, apresento-te uma de 22, outra de 24 e um de 27 que andaram horas com o Pokémon Go.

          Enquanto dispositivo portátil para levar e transportar a Switch com esses títulos é como o Tintim, dos 7 aos 77.

          A própria Sony reconhece que a Pro está a vender um quinto do que a Normal vende o que ainda é menor que o ratio no Japão.

          Eu tenho uma 4K HDR (tinha, na realidade, porque a vendi) e já vi a Pro em acção e pude comparar o 4k HDR nessa TV com o 1080p HDR da versão base. Há diferença sim, mas de longe se comprar com o que aconteceu quando vi Infamous Second Son na nova geração, ou quando vi uma imagem em HD pela primeira vez. Aliás, se queres saber, fiquei mais impressionado com a minha 1080p devidamente calibrada que com isso.

          Mas isto só são suposições. Este Outono tanto a Scorpio como a Pro estarão à venda frente a frente e promoções não devem faltar nem bundles que as vendas em conjunto com TVs.

          Veremos nessa altura quem vende mais, isto é, se as pessoas irão correr a comprar TVs 4k HDR e as consolas “premium”, ou se, como no ano passado são as versões base a vender mais.

  3. Fernando, vc deve morar em um Brasil diferente do meu e de mais de 200 milhões, pois a boa parte aqui no Brasil não sabe o que são TVs em 4k, muito menos gastar no mínimo mais de 3 mil reais no mínimo em uma, ainda mais quando colocamos mais de 13 milhões de desempregados e 8 milhões no mercado informal, contabilizando mais de 21 milhões de pessoas, ou seja, o dobro da população portuguesa numa situação alarmante.

Os comentarios estao fechados.