Google recusa-se a apagar websites da sua pesquisa apesar dos pedidos de empresas anti-pirataria.

A industria do Copyright continua as suas pressões. Mas a Google recusa-se a alterar a web limitando-se a penalizar os websites na sua pesquisa, mas a não os remover.

a-pirataria-de-software-esta-em-alta-nos-55ce[1]

A filosofia da Google é a de mapear a internet como ela é. Daí que alterar a realidade da mesma é algo que a empresa não quer. E assim limita-se a penalizar no seu ranking websites piratas, mas não os remove.

No entanto as pressões surgem de todos os lados e a google é acusada de não colaborar.

Mas a Google afirma claramente. Pelo menos de forma voluntária isso não vai acontecer uma vez que viola a filosofia da Google que não se vê como um polícia da Internet. Para além do mais a Google não aceita fazer o trabalho dos outros e refere: “A nossa posição é que se alguém faz dinheiro com conteúdos piratas, essa pessoa pode ser identificada e levada à justiça“.



O certo é que as pressões sobre a Google são enormes uma vez que a escala da pirataria é gigantesca e se torna impossível processar tudo e todos. Para além do mais as pessoas em causa são potenciais clientes, e a sua alienação poderá custar o futuro de muitas empresas.

Esse é um dos motivos porque a pirataria deveria ser legalizada e criados meios de se obter dividendos com ela. Algo que o proposta de lei do PCP debatida na assembleia da republica de certa forma já propunha, apesar de numa fase inicial.

Fonte: TorrentFreak



Posts Relacionados