Há um novo sistema anti cópia no mercado! Mas há quem diga que pode danificar discos rígidos e especialmente SSDs

Há uns anos atrás tivemos o Starforce. Um DRM que custou imenso a crackar mas que foi retirado do mercado porque se provou estragar os leitores de DVD. Agora temos o Denuvo, um sistema anti alteração, que parece ninguem ainda crackou, mas que se afirma poder danificar HDDs e especialmente SSDs.

Denuvo

Os programadores querem vender jogos para PC… Mas no entanto não querem pirataria. E a solução é o uso de tecnologias, normalmente as Digital Rights Management, destinadas a proteger o software e a impedir as cópias.

Ao longo dos anos o DRM tem sido polémico. Tem sido incontáveis os casos onde o DRM acaba por ser prejudicial para quem opta pelo original. E com 99% dos DRMs a serem crackados o que se tem verificado é que o detentor da versão pirata, para além de não ter de pagar o jogo, não tem de sofrer com os problemas que estes tem vindo a causar.

Leitores de DVD que não lêem os originais, problemas de performance, incompatibilidades diversas, bloqueios de funções nos softwares de gravação de DVDs, etc, são alguns dos problemas que estas protecções podem trazer ao comprador de jogos originais.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

O caso mais polémico até hoje deu-se com o DRM Starforce. Quando a versão 3.0 foi lançada o mesmo revelou-se extremamente eficaz. O jogo Splinter Cell: Chaos manteve-se sem crack por 424 dias… Mais de um ano! E para o crackar teve mesmo de haver alguma engenharia invertida.

Mas em Março de 2006 o grupo RELOADED lançou uma série de documentação sobre o que tinha descoberto sobre o Starforce 3. E nessa documentação revelava uma série de procedimentos bastante intensos a nível de uso de recursos da máquina, tais como um sistema de ficheiros virtuais protegidos por uma máquina virtual. Sim, era complexo!

Dentro desta revelação deu-se a conhecer que este DRM instalava drivers no sistema que não eram sequer desinstaladas junto com os programas. E estas drivers eram normalmente instaladas sem conhecimento do utilizador (Excepção feita ao jogo Colin MacRae Dirt que pedia permissão para a instalação das drivers, bem como incluía documentação sobre como as remover).

Infelizmente como consequências adversas este DRM causava instabilidade e crashes nos sistemas, e os utilizadores pediram satisfações à empresa criadora do DRM, a Protection Technology que, naturalmente, se negou a assumir fosse o que fosse.

Mas eis que consequência de mais análises, em 2006 deu entrada em tribunal um processo contra a Ubisoft e que pedia uma indemnização de 5 milhões de dólares, em que se alegava que o Starforce comprometia a segurança dos PCs, abrandava-os, causava crashes, e pior ainda, que danificava as drives opticas (leitores de DVD).

A acompanhar a situação, os utilizadores decidiram simplesmente boicotar todos os jogos que utilizavam o DRM, e a Ubisoft fez um inquérito nos seus fóruns para saber até que ponto os seus clientes estavam insatisfeitos. Como resultado do mesmo, e do descontentamento geral que existia na internet, a Ubisoft substituiu o DRM dos dois jogos que ia lançar de seguida, Heroes of Might And Magic e GTR2, pelo SecuROM.

No final, e dadas as queixas e problemas, o Starforce foi abandonado!

O novo sistema anti cópia

Nota: O texto que se segue apenas informa dos dados partilhados pelos utilizadores do Reddit. Não há ainda provas vindas de fontes reputáveis de que estes dados são efectivamente verdadeiros.

Acrescente-se ainda que o website da Denuvo nega no seu FAQ que as situações referidas abaixo sejam verdadeiras.

Naturalmente, na procura de uma protecção eficaz, eis que aparece um novo software. É usado por Fifa 15, Lords of The Fallen e Dragon Age Inquisition, e denomina-se Denuvo.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

O Denuvo, tal como o Starforce 3, tem-se revalado eficaz, com os jogos ainda por cracker (apesar de já termos lido qualquer coisa sobre Lords of The Fallen estar crackado). No entanto o que não é conhecido é que este software que não se denomina DRM, mas sim um sistema anti-alteração destinado a proteger outros DRMs, pode estar a causar danos tremendos nos HDDs, mas particularmente nos SSDs.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

A revelação surgiu na net mas por motivos que se desconhece o thread que existia no rpgcodex.net foi apagado. Mas eis que utilizadores do Reddit pegaram no assunto de novo, revelando dados preocupantes.

Querem saber o número médio de vezes que algumas partes do código de LotF.exe code são fu**das entre a RAM e o HDD no espaço de uma hora? 150 0000 iterações de cópia/escrita. É cerca de 10 000 vezes mais que o normal. O DRM constantemente desencripta o código do jogo para a memória e encripta-o de volta.

Talvez queiram voltar a usar o vosso disco rígido com pratos rotativos em vez de sacrificarem a vida dos vossos SSDs cedo de mais. Estou à espera das primeiras queixas e processos em tribunais relativas a hardware destruído, causadas pelo Denuvo.

Posteriormente revelou-se:

As operações do jogo de leitura/escrita em 40 minutos resultaram em 30 GB de dados processados. O número de operações realizado é insano. Neste priodo o gasto dos meus SSDs não mudou, mas a carga é EXTREMAMENTE alta, pelo que após 100 horas de jogo os blocos de memória irão definitivamente mostrar desgaste

Foi revelada uma tabela com os dados obtidos nesse período:

Denuvo

Após algumas contas, a conclusão a que se chega perante estes dados é que após 162 horas de jogos com o DRM de cima os resultados passam os valores dados como garantia em empresas como a Seagate para os seus SDDs.

Naturalmente não há como verificar a legitimidade destas afirmações. Para tal será preciso uma análise efectuada por alguém com bastante conhecimentos na área da programação. E isso é algo que se espera venha a acontecer agora que a lebre foi levantada.

No entanto, a haver alguma verdade na situação, dado que os prejudicados acabam por ser os donos legítimos dos jogos e nunca os piratas, há que questionar que raio de protecções são estas! A Denuvo nega, mas a história pode repetir-se uma vez que com o Starforce também se negou muita coisa que depois se confirmou ser verdade. Há que aguardar por mais dados, e especialmente por queixas dos utilizadores, caso existam.

Parece-nos que a melhor protecção acaba por ser a inclusão nos jogos de componentes online que façam os piratas sentirem que estão a perder o principal ou grande parte do jogo (mas claro, sem a obrigatoriedade do online). Mas isto? Danificar hardware dos clientes que pagam… Por amor de Deus. Se houver alguma veracidade no caso, há que matar este software o mais rapidamente possível.

Entretanto, fica o alerta. Afinal creio que todos detestariam descobrir que afinal há um fundo de verdade em tudo isto à custa de terem os vossos SSDs avariados, pelo que instalem isto nos HDDs.

O thread original sobre o assunto pode ser encontrado aqui.

NOTA: Para quem desconhece, sim os SSDs desgastam-se com as operações de escrita e possuem ciclos de vida mais limitados que os HDDs, mesmo com as actuais tecnologias. Para quem quiser saber mais sobre as diferenças entre um HDD e um SSD, leia este artigo.

Publicidade

Posts Relacionados