HDR chega aos monitores graças às novas normas VESA.

O HDR vai chegar aos monitores, e em três níveis de qualidade. E sinceramente… o primeiro deixa algo a desejar!

A Video Electronics Standards Association (VESA) anunciou o primeiro standard aberto para o padrão de qualidade high dynamic range (HDR) em monitores, que inclui a liminescência, a gama de cores, a profundidade de cor, e tempos de respostas, através do lançamento de especificações.

A versão 1.0 das especificações DisplayHDR estabelece três níveis de performance HDR. Diz a VESA que a ideia é facilitar a adopção do HDR no mercado PC.  O HDR fornece melhor contraste e perfeição nas cores, bem como cores mais vibrantes comparado com o Standard Dynamic Range (SDR), e torna-se extremamente relevante nos jogos, criação de fotos e conteúdo video.

A especificação DisplayHDR foi criada pela VESA em colaboração com mais de duas duzias de empresas fabricantes de monitores, de placas gráficas , drivers e fornecedores de software de programação. A lista pode ser encontrada aqui.



A especificação inclui três níveis de performance HDR para o PC. A base será o DisplayHDR 400, o meio de gama será o DisplayHDR 600 e o topo de gama o DisplayHDR 1000. Estes níveis são definidos em 8 parâmetros específicos, que são:

  • Três níveis de luminescência que envolvem cenários diferentes – espaço pequeno/alta luminescência, período breve em ecrã total de luminescência em flash, e uso optimizado em ambiemonintes brilhantes (exemplo, luz exterior, ou luz de escritório forte);
  • Dois níveis de medições de contrastes – um para contraste em paineis nativos e outro para iluminação local;
  • Testes de cor tanto na gama de cores BT.709 e DCI-P3;
  • Testes de requerimento de profundidade de bits – estipulam a profundidade de bits e incluem um teste visual simples para o utilizador confirmar os resultados.;
  • Teste de resposta da performance HDR – Define critérios de performance para resposta da luz de fundo ideal para jogo e filmes de acção rápida ao analisar a resposta que a luz de fundo responde a mudanças de luminosidade.

A VESA refere que escolheu os 400 nitts de luminosidade, um valor que consideramos demasiadamente baixo para se poder considerar um HDR de qualidade, por três razões:

  • 400 nitts é 50% mais que o oferecido pelos ecrãs SDR normais.
  • A profundidade de bits requerida é 8 bits puros, quando a maior parte dos painéis usam truques de “dithering” com 6 bits para simular 8 bits.
  • O DisplayHDR 400 requer no mínimo suporte HDR-10 e escurecimento global.

O cumprimento destas normas permite obter-se parâmetros HDR mesuráveis.

Naturalmente para um juizo correcto teriamos de ver monitores a suportar estas três normas, mas sabendo-se que o HDR-10 aponta para 100 nitts de brilho, mesmo sabendo-se que 400 nitts é 50% mais do que oferecem muitos ecrãs SDR, a realidade é que não são todos, e 400 nitts soa-nos a pouco…