Impressora 3D ajuda a corrigir problema no coração de criança e salva-lhe a vida.

Ao se imprimir a 3D um modelo do coração de uma criança foi possível analisar-se o mesmo sem cirurgia exploratória, diminuindo o tempo da operação e indo directamente ao problema.

coracaoJá não é a primeira vez que aqui falamos de impressoras 3D na medicina, como por exemplo aqui, e o certo é que estas estão a revelar-se ferramentas extremamente importantes nessa industria.

No caso em questão tinhamos Roland Lian Cung Bawi, uma criança com 14 meses de idade e que possuía um série de defeitos no seu pequeno coração, incluindo um furo, e a aorta e artérias pulmonares desalinhadas. Isso queria dizer que a cirurgia era a sua única hipótese de vida. 

Ora o seu médico apenas possuía as tradicionais imagens 2D do seu coração que partilhou com outros médicos. Mas infelizmente o 2D, mesmo a vários níveis, não era preciso o suficiente, o que levava os diversos cirurgiões a divergir na metodologia a aplicar na cirurgia.

E esta indecisão sobre se a escolha de um dos métodos seria a correcta pesava sobre o médico.



Foi então que o médico em causa resolveu recorrer à Escolha de Engenharia de Louisville. Alí as várias imagens 2D foram usadas para a criação de um modelo 3D e com a ajuda de uma impressora Makerbot Replicator 2X 3D, foi impresso um modelo do coração de Roland, com todos os seus defeitos. O modelo foi impresso em 3 partes que podiam ser removidas para melhor análise do interior.

E graças ao modelo o médico pode então ver com pormenor o interior e perceber exactamente o que fazer na operação.

Esta impressão não só deu ao médico a indicação precisa de como e onde actuar, mas igualmente eliminou a necessidade de cirurgia exploratória, o que num paciente com apenas 14 meses poderia ter sido fatal.

Desta forma a cirurgia correu bem e Roland está agora em recuperação.



Posts Relacionados