Jogador com deficiência expulso de jogo da ESEA, apesar de possuir um ranking de topo

O ser humano é cruel, e quando algo falha, há sempre que encontrar um bode expiatório. E nos videojogos, o facto de ser deficiente leva-o a ser alvo de ataque. Mesmo sendo melhor jogador que os outros.

Há notícias que não posso deixar de dar pela desumanidade que as mesmas possuem. E este é um desses casos!

Counter-Strike: Global Offensive é um jogo que muitos jogam, e onde, tal como em outros sitíos, a arrogância de muitos jogadores vem ao de cima, culpando os outros por aquilo que, muitas vezes, são falhas suas.

Mas este jogo é já conhecido pela sua comunidade tóxica, especialmente quando envolve jogos onde os rankings dos jogadores está em causa!

Adam “Loop” Bahriz é um exemplo mais do que perfeito para mostrar o quão tóxica é esta comunidade. Ele é uma pessoa com deficiencia. Nasceu com uma doença que o tornou legalmente cego e surdo. Mas no entanto isso é legalmente pois ele consegue ouvir um pouco e falar um pouco. Ao ponto de conseguir jogar este jogo com severas dificuldades, e bastante colado ao monitor mas mesmo assim, não só jogar, mas jogar bem. Ele tem um ranking de Águia Lendária, um ranking que apenas 9% da comunidade no seu total alguma vez conseguiu alcançar.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Ei-lo em jogo!

Ora recentemente Adam foi forçado a uma visita ao dentista que lhe causou problemas com a fala, e isso em vésperas de um jogo competitivo de CS:GO. Daí que quando entrou ele alertou os colegas:

Viva colegas. Tive uma série de dentes retirados devido a uma doença genética e como tal não consigo falar correctamente. Posso ainda falar, mas sejam simpáticos.

Infelizmente a resposta dos colegas não foi a esperada ou a adequada. Os restantes jogadores,  GodManiac, Adviko, D34TH, e MadDecent partiram logo para a ofensiva chamando-o de “incomodativo” e alegando que já o tinham bloqueado na conversa quando este tentou falar mais.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Adam manteve-se quieto referindo apenas “Ok, não irei falar”, jogando as primeiras 5 rondas, que foram ganhas de forma decisiva. Mas na sexta ronda a equipa perdeu pela primeira vez, e a reacção foi… Kickar o Adam alegando que “não havia comunicação”. E Adam ficou temporariamente banido.

Aqui o pior é tratamento desigual dado a esta pessoa. A mesma tinha dificuldades e havia que se aceitar e perceber isso. A decência humana a isso o obrigava, mesmo que a “porcaria” de um ranking pudesse ser prejudicada por isso.

mas a questão é o jogador nem sequer jogou mal. Na altura em que foi banido ele estava com o segundo melhor rácio do servidor, mais precisamente 5 jogadores mortos por cada vez que morreu. Na realidade o motivo do ban foi pura e exclusivamente o facto de este não soar “normal”.

A doença de Adam é rara e chama-se HSAN type 2. Devido a ela perdeu todos os dentes menos três, a quase totalidade do seu nariz e tem uma série de fraturas. Mas mesmo assim joga como “o caraças” e tem uma atitude digna de nota e daquilo que nos define como seres humanos.

E se a comunidade é isto… ora bolas lá para a comunidade… Eu teria vergonha de pertencer a ela!

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (2)

  1. Como existem pessoas idiotas, desumanas!!!

  2. Não vejo mal nenhum nisso, o facto de ele ser deficiente não lhe deve dar (nem ele deve querer) tratamento especial, se os outros elementos da equipa não o querem, ele que arraje uma equipa onde o respeitem, não por ser deficiente mas por ser talentoso…fiquem bem

Os comentarios estao fechados.