Juiz decreta: Processo contra a sony pela questão da resolução de Shadowfall pode avançar

O juiz que está a julgar o processo contra a Sony pela alegada não utilização de 1080p nativos em Killzone Shadowfall acha que a mesma deve avançar.

killzone

Sinceramente nunca achei que esta queixa tivesse pernas para andar, e continuo a pensar o mesmo. Ao que parece foi tudo uma questão de defesa e alegações pois a Sony não terá ido directamente ao cerne daquilo que era a queixa. Vamos ver:

O queixoso, certamente alguem se mais nada para fazer, Douglas Ladore meteu o processo alegando que a Sony mentiu sobre a qualidade de Killzone: Shadow Fall quer no marketing, quer em frases de relações públicas. A queixa refere que o jogo possui um aspecto que não aparenta estar a ser rendido a uma resolução nativa de 1080p, possuindo um “motion blur” que faz o jogo parecer algo borratado.

Ora ao que parece a Sony atirou a sua defesa um pouco ao lado daquilo que é a real queixa, pelo que o Juiz alegou:

Publicidade

Retomando o nosso artigo

A Sony pode efectivamente estar correcta no facto que Killzone produz video a 1080p mesmo no modo multijogador. Mas Ladore não alega que a Sony mentiu no que toca à resolução final de output de Killzone. Antes o núcleo das queixas de Ladore é que os gráficos em multi jogador de Killzone não foram originalmente criados ou rendidos a 1080p – A resolução de saída foi representada como sendo 1080p nativo, quando na realidade não o era.

Resumidamente a Sony defende-se alegando que a resolução de saída era 1080p. Ora o queixoso não se refere à resolução de saída. E o Juiz sendo um leigo não percebe que, neste caso em particular, a resolução de saída e de processamento acabam por ser a mesma coisa.

Sinceramente esta situação é um precedente enorme. Nenhum jogo calcula absolutamente tudo a 1080p nativos, e como tal a afirmação de 1080p nativos terá basicamente de ser irradiada sob pena de poderemos esperar muitos processos futuros.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Como já referimos neste artigo, segundo a explicação da Guerrilla, Killzone: Shadowfall calcula efectivamente 1920*1080 pixels efectivos, ou seja a resolução é efectivamente nativa. Não há re-escalamentos ou duplicação de pixels, casos em que na realidade há apenas um ajuste de resolução e não podemos chamar à resolução de nativa uma vez que não há um cálculo no jogo de todos os pixels que estão no ecrã.

Segundo a esplicação da Guerrilla, que tomamos como verdadeira, Shadowfall usa uma metodologia complexa explicada no artigo acima linkado, mas que permite calcular e processar a cada fotograma cada um dos pixels de forma independente. É no entanto uma metodologia fora do comum e que poupa processamento face à metodologia tradicional, com um resultado um pouco mais borratado e menos perfeito. Se a mesma pode ou não ser considerada 1080p nativo é algo que apenas um perito poderá dizer, mas a nosso ver, a partir do momento em que cada fotograma possui 1920*1080 pixels efectivamente calculados, a resolução enquadra-se na definição de nativo.

Se a Sony conseguirá convencer um leigo como é o caso do Juiz desta situação, é algo que falta ver. Agora eu aplaudia este queixoso era se ele usasse os seus recursos para processar empresas por os jogos virem com bugs e não funcionais, ou por casos mesmo flagrantes de marketing enganoso como as publicidades TV dos jogos que nada tema ver com os grafismos reais. Já isto… uma questão que no presente caso é extremamente técnica…

É que é engraçado como este senhor soube estar atento numas situações, mas não em outras, e se virem o artigo anterior que linkamos novamente verão que os 1080p não são indicados na caixa do jogo. E não deixa de ser igualmente curioso que a queixa tenha ocorrido apenas depois de a Digital Foundry, com o recursos ao seu equipamento de análise de imagem profissional, ter detectado a situação.

Publicidade

Posts Relacionados