Kim Dotcom vai mover os serviços de privacidade do Mega para a Islândia para evitar espionagem

Sendo um exemplo de alguém que foi vítima dos abusos do governo Americano, Kim Dotcom pretende manter a privacidade dos seus clientes, e nesse sentido vai mover os seus serviços de privacidade para a Islândia.

Com toda a controvérsia relativa à espionagem das agências governamentais, Dotcom recomenda aos iniciados em questões de privacidade que pensem bem onde investir, recomendando que se mantenham longe de empresas em países como os Estados Unidos, Reino Unido e Austrália, países que considera possuírem serviços de espionagem em larga escala.

O Mega, o serviço de Kim Dotcom encontra-se alojado na Nova Zelândia, mas este é um país onde novas leis de espionagem, a #GCSB e a #TICS, estão actualmente a ser discutidas, e caso as mesmas sejam aprovadas, este moverá o serviço para a Islândia.

Esta situação da espionagem tem vindo a gerar tremenda polémica e ainda recentemente o serviço de e-mail Lavabit, anunciou que iria fechar portas por não pretender “tornar-se cúmplice em crimes contra o povo Americano”. Apesar de nada mais ter sido acrescentado certamente esta situação terá a ver com pressões do governo para a instalação de software nos seus servidores.



Nesse sentido Dotcom prepara dois novos serviços, uma aplicação de mensagens e um serviço de e-mail, ambos encriptados e que garantem a privacidade dos seus utilizadores, e que arrancarão nos próximos meses.

Curiosamente a Microsoft anunciou igualmente que caso estas leis sejam aprovadas na Nova Zelândia que retirará os seus serviços do país, mas sendo a Microsoft a empresa que se sabe estar mais enterrada nesta situação, há que questionar se tal não se trata de uma mera lavagem de cara.

Seja como for, espionagem a este nível é a introdução de um Big Brother a nível mundial. E tal não é aceitável, motivo pelo qual estes serviços deverão ter grande procura.



Posts Relacionados