Kojima ficou… deprimido quando viu GTA V na Playstation 4

Deve ser frustrante quando um programador percebe que há equipas que estão alguns patamares à frente daquilo que as suas equipas conseguem produzir. É o que aconteceu com Hideo Kojima quando viu GTA V.

hideokojima

O novo Metal Gear Solid: The Phanton Pain é o primeiro Metal Gear passado em mundo aberto. Mas em uma entrevista já antiga referiu que estava algo deprimido por ter visto o que a Rockstar conseguira fazer num mundo aberto como o de GTA V, sendo que aquilo que Metal Gear Solid oferece não conseguia ainda atingir esse patamar.

No entanto, dado que o trabalho realizado no seu jogo estava agora mais avançado, em uma entrevista ao website  CVG, o entrevistador questionou Kojima sobre se os avanços estavam a ser satisfatórios e se estava agora mais satisfeito com o que estava a produzir. E a resposta foi surpreendente: Kojima referiu que após ver Grand Theft Auto V na PlayStation 4, ressalvando que o seu jogo era algo diferente e que esse tipo de sentimentos não está muito relacionado com o caso, confessa que após ver a qualidade apresentada no trailer da PS4 voltou a ficar surpreendido… e deprimido.

É um pouco diferente porque a Rockstar vai numa direção muito diferente daquela que queremos criar. Quando dizemos que somos um jogo de mundo aberto soa como se tentasse-mos ser o mesmo que o que eles estão a criar. Mas isto é muito diferente – estou a tentar criar um jogo de infiltração livre, portanto estar contente ou deprimido não está lá muito relacionado.



O que a Rockstar criou e o mundo que criaram é super impressionante, na verdade quando vi a versão PS4 há alguns dias voltei a ficar deprimido. E para mim não é só por causa do design. A qualidade que eles mostraram no trailer PS4 era mesmo impressionante.

Naturalmente que isto não quer dizer que o seu jogo não será impressionante, até porque são estilos radicalmente diferentes. Mas mostra que Kojima é uma pessoa que preza o seu trabalho e com a ambição de quebrar novas barreiras, e vendo o trabalho de equipas que nos seus campos estão muito à frente da concorrência é algo que o deixa algo frustrado/deprimido por não estar a conseguir fazer mais.

Considero assim que este é um bom sentimento revelador do desejo de fazer mais e melhor, pelo que admiro Kojima por ser sincero nestes aspectos mostrando que ambiciona mais e mais. E nesse aspecto quem ganha… somos nós.



Posts Relacionados