Mais de 20 mil pessoas já se inscreveram para irem para Marte e não voltarem

Parecendo não existir consciência da realidade que representa uma viagem só de ida para Marte, ou da realidade de toda a situação, mais de 20 mil pessoas já se inscreveram para ir… e não voltar do planeta vermelho.

Faz agora uns dias relatamos aqui que um grupo não lucrativo pretendia colocar 4 humanos em Marte… Para sempre.

A situação representada como uma missão humanitária, cientifica e exploratória, soou-nos na realidade a um reality show de escala maciça passado no espaço, particularmente quando referido que o projecto pretende financiar-se a si mesmo transmitindo tudo para a televisão.

Mas certamente, apesar de as pessoas procurarem a fama, as mesmas terão consciência que uma viagem para Marte será algo onde arriscarão a vida constantemente. Mas uma coisa é certa: Nunca mais voltarão à terra e morrerão lá, motivo pelo qual a fama de nada lhes valerá. E assim, parecia lógico que, apesar de se prever o aparecimento de candidatos, que o número fosse pequeno.



Mas não podíamos estar mais enganados. Mais de 20 pessoas já se inscreveram. Mas pior do que isso, pagaram 38 dólares para o fazer, fazendo com que caso o projecto nunca chegue a avançar, alguém já possa rechear os bolsos com 760 mil dólares.

Naturalmente que não acreditamos que alguma vez este projecto avance. Ninguém possui o direito de mandar pessoas para um local onde sofrerão morte certa, e sem possibilidade de serem socorridas ou removidas. A acontecer alguma vez um projecto deste género terão de existir condições de resgate e recuperação das pessoas ali postas. Afinal somos humanos, certo? Ou será que sobre a desculpa de um reality show disfarçado de missão proveitosa para a humanidade se podem mandar pessoas para locais isolados onde enfrentarão riscos durante toda a sua vida e de forma certa, eventualmente morrerão? Se tal acontecer que seja efectivamente pelo bem da ciência, mas não se faça da morte dos outros um programa televisivo.



O que mais choca nestas situações é que esta não é um projecto da Nasa ou de outra agência espacial. Trata-se de um conjunto de pessoas cuja integridade é desconhecida que se propõem auto financiar-se para um projecto como este. Mas o certo é que uma vez em Marte as pessoas precisam de comer, precisam de beber, precisam de manter as instalações em funcionamento, precisam de peças, precisam de um sem fim de situações que necessitam de ser colocadas no local não durante um ou dois meses, mas para sempre. E quem lhes garante que esta empresa o vai fazer? Quem garante que a mesma, mesmo que leve o projecto avante, se vai manter financeiramente saudável para cumprir com as obrigações a que se compromete?

O que é certo é que se alguém pedisse para enviar 38 dólares para ajuda a salvar uma criança, muitos destes “candidatos” não o fariam. Mas para supostamente irem morrer em Marte já o fizeram. É curioso como as coisas são, e como aquilo que pode ser apenas um esquema para sacar dinheiro às pessoas (e sinceramente esperamos que seja mesmo isso), desde que devidamente publicitado como sendo nobre, glorioso e para bem da humanidade, consegue ir avante. E o certo é que mesmo que seja verdade, neste momento quem enviou o dinheiro enviou-o às cegas, mostrando que, esquema ou não, haveria quem caísse no mesmo.

Mas vejamos as coisas pelo lado bom. Se mandarem os 20 mil para Marte vejam lá o que se vai poupar em remédios para a saúde mental.



Posts Relacionados