Metal Gear Rising Revengeance na Nvidia Shield compete com as consolas de anterior geração

Os chipsets para android da Nvidia são potentes… E passam mesmo o que a anterior geração fazia. Eis um exemplo!

Apesar de os dispositivos móveis ainda estarem atrás do que as consolas de anterior geração ofereciam a nível de larguras de banda e de armazenamento, a nível de quantidade de memória e de poder de processamento, estas já foram ultrapassadas.

A Nvidia é uma das empresas que possui os chipsets mais potentes do mercado, e exibe-o muito bem na sua consola Nvidia Shield, com o novo Metal Gear Rising Revengeance.

Longe da qualidade de uma PS4 ou Xbox One, mas mesmo assim impressionante e certamente ao nível do que vemos atualmente na anterior geração.

Apesar de tudo, a conversão não é toda ela fantástica. Devido a limitações dos dispositivos móveis a nível de armazenamento, o jogo está todo metido em apenas 4 GB, penalizando acima de tudo as sequências video que se revelam muito mais comprimidas e como tal de pior qualidade.

No entanto, nas impressões gerais do jogo, a qualidade está claramente ao nível da XBox 360 ao nível das características gráficas suportadas e resolução, onde o Tegra X1 se revela mais poderoso que a Xenos.

No entanto, as limitações de largura de banda dos dispositivos móveis surgem igualmente aqui, e as performances são penalizadas.

Se o jogo na PS3 e Xbox 360 corre a 60 fp (apesar de quebras), aqui o jogo, apesar de desbloqueado para atingir os 60 fps, o que acontece nos missões de tutorial, no jogo raramente passa dos 30 fps.

Aqui o ponto fraco do jogo nem sequer são os 30 fps, mas a permissão do mesmo poder atingir os 60, o que causa variações de performance grandes e que matam o jogo. Note-se que o jogo aqui visualizado está a correr no X1, a versão mais recente e mais potente do Tegra a apenas presente na Shield TV e não no K1 que equipa tablets como o Nexus 9 e o tablet Nvidia Shield.

Será de questionar aqui o que um API como o Vulcan poderá fazer neste chipset, certamente melhorando as performances. Mas enquanto os limites de espaço e largura de banda não forem menores, as consolas de anterior geração apenas conseguem ser superadas parcialmente por estes chipsets moveis. Mas isso, eventualmente, poderá acontecer já este ano com as memórias HBM e suportes de armazenamento de 256 GB.

Publicidade

Posts Relacionados