Metal Gear Saga: Parte 1

Não é segredo para ninguém que, a saga Metal Gear chegou ao fim, também não é segredo para ninguém, as razões por detrás do final forçado, de uma das série mais amadas do mundo do videojogos, é pessoalmente a minha favorita, pois mexe comigo como nenhuma outra série, até os trailers finais, saídos da imaginação de Kojima, dão-me a sensação de murro no estômago, e por isso mesmo, é com uma dualidade de sentimentos, com que encaro o grande final da obra-prima do mestre Hideo Kojima, um dos mais notáveis e influentes criadores de videojogos de todos os tempos. Não quero falar do tremendo ódio que sinto pela Konami, pela forma como humilha o criador, e desrespeita o fã, porque neste artigo não há lugar para sentimentos impuros e ressentimento, porque tenho a certeza que Metal Gear Solid V: The Phantom Pain, me vai fazer sorrir, bem como me vai entristecer, vai fazer-me rir à gargalhada, bem como humedecer-me o canto do olho, aquela lágrima a percorrer as imperfeições do meu rosto…

Não pretendo lamentar que Metal Gear tenha chegado ao fim, mas celebrar o facto de ter existido, e não tenho outra forma de homenagear esta série que tanto acarinho, senão contar-vos, agora que chegamos ao fim, como tudo aconteceu. Asseguro que não foi fácil, nada fácil, foram horas e horas de pesquisa para que tudo batesse certo, até porque não é fácil contar a história de Metal Gear, porque Kojima-San não criou só uma história, foi muito mais longe, criou toda uma mitologia, que mistura fantasia japonesa com factos reais da historia da civilização moderna, e fá-lo com uma mestria exemplar. A nível criativo não me comparo com Kojima, mas dei o meu melhor neste desafio a que eu auto propus-me, e espero que apreciem, pois fiz-o de alma e coração!

 

 

Depois da primeira guerra mundial, as três super potencias mundiais, Estados Unidos, União Soviética e China, juntam-se para formarem uma organização que viria a ser conhecida como ‘’The Philosophers’’, com o intuito de criar uma nova ordem mundial, e o objectivo de controlar o poder económico e politico. Essa organização seria financiada através de fundos monetários, na ordem das dezenas de biliões de dólares, oriundos das três partes envolvidas, sendo apelidada de ‘’Philosopher’s Legacy’’, legado esse que era composto não só por uma imensa fortuna, como pela lista dos nomes dos membros fundadores dos ‘’Philosophers’’, ficando a cargo de um oficial russo de alta patente (Boris Volgin), que fica encarregue da ‘’lavagem’’ desses mesmos fundos, distribuindo-os por vários bancos espalhados pelo mundo.

Em 1945, em plena 2ª guerra mundial, Hitler e as suas tropas Nazi, são derrotados pelos aliados, e durante o caos instalado no rescaldo da guerra, Boris consegue roubar o legado dos ‘’Philosophers’’, espalhando-o em diversos bancos, informação que guarda religiosamente num microfilme, que confia ao seu filho, Coronel Volgin, antes de morrer. Quem detivesse o microfilme, detinha a chave para a supremacia mundial, cientes disso, os Estados Unidos, enviam a sua melhor agente, ‘’The Boss’’, para território russo, para resgatar o legado dos ‘’Philosophers’’. ‘’The Boss’’ é uma heroína lendária, considerada a mãe das forças especiais, foi uma peça chave nas campanhas militares dos EUA, durante a 2ª guerra mundial, liderando inclusive, o desembarque na Normandia, no histórico dia D. Desenvolveu uma das mais importantes técnicas de combate, conhecida por CQC (Close-Quarters-Combat), e criou a sua própria força especial, a ‘’Cobra Unit’’. ”The Boss” era de facto, filha de um dos fundadores dos ‘’Philosophers’’, tendo sido assassinado pela organização que tinha ajudado a fundar.

No inicio da década de 60, em plena guerra fria, a União Soviética, começou a desenvolver  uma arma nuclear, capaz de lançar um ataque em qualquer parte do mundo, o projecto era liderado pelo brilhante cientista russo, Nikolai Sokolov, que baptiza a sua criação com o nome ‘’Shagohod’’, mas ciente do perigo que representa, Sokolov foge para os EUA com a família. A Rússia, exige que os Estados Unidos devolvam Sokolov, e sob a ameaça de um conflito nuclear, o presidente Kennedy devolve o cientista, com a condição de que a Rússia, desmantele o seu programa nuclear, ao que os Soviéticos acatam e Sokolov volta à ‘’mother land’’, onde continua a desenvolver o ”Shagohod”.


Em 1964, a CIA cria uma força especial com o nome FOX (Force Operation X), liderada por um homem chamado ‘’Major Zero’’, que envia o seu melhor agente, ‘’Naked Snake’’ (o único aprendiz de ‘’The Boss’’), para a  primeira missão da unidade FOX, com o nome de código ‘’Virtuous Mission’’ em solo Soviético. A missão consistia em resgatar Sokolov, e destruir ”Shagohod”.

MGS1-2

Snake consegue recuperar o cientista, que mostra o desejo de fugir para a América, mas é interceptado pelo Coronel Volgin (já em posse da ”Philosopher’s Legacy” que financiava a pesquisa de Sokolov) e ”The Boss”, que tinha como missão recuperar a ‘’Philosopher’s Legacy’’, mas surpreendentemente deserta para a União Soviética, juntamente com a ”Cobra Unit”, e quase tira a vida a Snake, perante o olhar de Volgin, que dispara um míssil atómico sobre instalações secretas dos russos, para atribuir as culpas ao governo americano.

 

 

Uma semana depois, e após o falhanço da operação ‘’Virtuous Mission’’, é iniciada a operação ‘’Snake Eater’’, o objectivo era recuperar Sokolov, e eliminar ‘’The Boss’’, que agora trabalhava para a organização de Volgin, e limpar o nome dos Estados Unidos perante o governo Soviético, que por sua vez envia um espião do KGB de nome Adam (Revolver Ocelot), que se infiltra na organização de Volgin como Major da unidade de forças especiais os Ocelot, mas Adam não trabalha só para o KGB, é um agente duplo que também colaborava com a CIA, que quer recuperar a ‘’Philosophers’ Legacy’’, detida por Volgin.
Quem também está a trabalhar sob disfarce é Eva, uma agente enviada pelo KGB com o nome falso, Tatyana, a sua missão, era a de se aproximar de Sokolov e reunir informações acerca do ”Shagohod”, Eva viria a tornar-se aliada de Naked Snake, fornecendo-lhe informação e inclusive, ajuda Snake a fugir da prisão onde é torturado por Volgin, e onde perde o olho direito.

Após derrotar a ”Cobra Unit”, e defrontar o ”Shagohod” comandado por Volgin, Snake vê-se perante um combate sem precedentes, dramático e mesmo poético, com a sua mentora, a mãe das forças especiais, ‘’The Boss’’, que Snake tem de matar, afim de provar a inocência dos Estados Unidos, em relação ao ataque nuclear infligido aos russos, usando tecnologia americana, roubada por Volgin. O feito faz com que, o presidente dos Estados Unidos, atribua a Naked Snake, o título de ‘’Big Boss’’.
Eva, que afinal tinha tomado o lugar da verdadeira Eva, revela a Snake que é uma agente ao serviço do governo Chinês, que queria por as mãos na ‘’Philosophers’ Legacy’’, que estava em posse de Volgin em forma de um microfilme, que detalha todos os locais onde está escondida a imensa fortuna, mas o microfilme entregue a Snake por The Boss antes de morrer, seria o falso uma vez que o verdadeiro seria entregue por Revolver Ocelot ao director da CIA.

Eva informa Snake, que ”The Boss” nunca foi uma traidora, a sua verdadeira missão era a de se aproximar de Volgin para recuperar o legado para o governo americano, e de se sacrificar pela sua pátria morrendo ás mãos de Snake, tal como exigido pelos Soviéticos. Apesar da missão cumprida, oficialmente ”The Boss” ficaria para a história, como uma traidora e uma criminosa de guerra, cujo seu derradeiro sacrifício em nome da pátria, nunca foi reconhecido oficialmente.

Nota:A Parte 2 deste artigo encontra-se neste link (link apenas disponível a partir das 13h de 31/08/2015).


Publicidade

Posts Relacionados