Ago 142012
 

Agora há uma nova forma de levar o oxigénio ao sangue, e que pode mesmo salvar a vida a pessoas que sofram de problemas que as impeçam de respirar normalmente. Uma microparticula com gás que pode ser injectada directamente no fluxo sanguíneo.

Até ao momento pessoas que sofressem de falhas pulmonares ou de vias respiratórias obstruídas tinham grandes problemas em  renovar o oxigénio que é necessário ser transportado na corrente sanguínea. Mas agora uma equipa de cientistas do Hospital de Crianças de Boston concebeu uma pequena micro partícula carregada de gás que pode ser injectada directamente no fluxo sanguíneo e oxigenar o mesmo.

A micropartícula consiste numa pequena camada de lípidos (moléculas de gordura) que envolvem uma pequena bolsa de oxigénio e que é inserida numa solução aquosa. Este processo foi testado em animais com baixo teor de oxigénio no sangue e os níveis normais de oxigénio foram restabelecidos em apenas alguns segundos.

Num cenário mais perigoso, numa situação em que a traqueia se encontrava completamente bloqueada, foi possível manter um animal vivo por 15 minutos sem que este necessitasse de respirar, e da mesma forma foi reduzido o risco de paragens cardíacas e danos internos nos órgãos.

Estas micropartículas possuem a vantagem de poderem ser transportadas e estabilizarem um doente em situações de emergência, uma ferramenta critica para paramédicos, emergências  e cuidados intensivos e que dispensam a colocação apressada de tubos respiratórios.

Nas palavras John Kheir, MD, do Departamento de Cardiologia no Boston Children’s Hospital:

“Trata-se de um substituto do oxigénio para curtas durações – Uma forma de injectar oxigénio que cuportem o paciente durante os minutos mais cruciais.”;

“Eventualmente é um produto que pode ser armazenado numa seringa em qualquer local de um hospital, ambulância ou helicóptero de transporte e que permite estabilizar doentes com dificuldades em respirar.”

As partículas em si poderiam ser usadas por tempos infinitos como substitutos do oxigénio fornecido pelos pulmões. No entanto, dado que as mesmas necessitam de estar inseridas numa solução aquosa para poderem ser injectadas, essa solução acaba por saturar o sangue, motivo pelo qual este método só pode ser usado no máximo em períodos entre 15 a 30 minutos. E aqui o gás contido na micropartícula substitui totalmente o oxigénio dos pulmões, o que quer dizer que funciona mesmo quando estes estão totalmente incapacitados.

A concentração e tamanho das micropartículas estão em estudo desde 2006, envolvendo químicos e médicos. Curiosamente este método foi já estudado no inicio do século 20, mas sem sucesso, criando-se embolias devido ao gás.

Via: FuturePost

Publicidade

  2 Responses to “Microparticula artificial com gás permite viver sem respirar”

Comments (2)
  1. Gostando muito do teu trabalho,!
    Fascinante a forma que mistura Games, tecnologia a assuntos interessantes =]
    Bem informativo, Continue com o ótimo trabalho ;-}

  2. Existem vários motivos para essa escolha:

    1- não há necessariamente noticias diárias interessantes sobre apenas um dos temas, pelo que caso não o fizéssemos teríamos muitas noticias de “encher chouriços”
    2- a tecnologia e o software andam sempre de mãos ligadas, e a tecnologia é aquilo que fazemos dela. E sendo inegável que o maior propulsionador da tecnologia são os videojogos, afastar os dois temas não nos parece correcto.
    3- os avanços e inovações cientificas devido à tecnologia são igualmente do nosso interesse, daí cobrimos os mais interessantes.

    É certo que sem este enquadramento a PCManias pode parecer para muitos uma salgalhada, mas a ideia é sermos diferentes e não apenas mais um site. E acima de tudo diversificarmos as temáticas para, repetindo a expressão já usada, não colocarmos notícias de “encher chouriços”, o que apesar de definir mais facilmente um público alvo, não seria exactamente o que pretenderíamos. E há que se ter gosto no que se faz, especialmente quando a página é não lucrativa e se a mantém por mero gosto e carolice.

Sorry, the comment form is closed at this time.