Microsoft continua com as tácticas de “quero, posso e mando”

0 0 vote
Avalie o nosso artigo

As tácticas iniciadas com o Windows 10 não param… e passam agora para o Office 365

Certamente muitos se devem lembrar do que aconteceu com a transição do windows 7 para o Windows 10, onde a Microsoft forçou as actualizações mesmo a quem não as queria, causando sérios problemas a empresas e mesmo particulares, especialmente com hardware que pura e simplesmente deixou de funcionar por incompatibilidade de drivers, e com software que também apresentava problemas, sendo que algum até era removido na atualização. Devem lembrar-se inclusive de tácticas como a troca do significado do botão de fecho da janela, que se deveria equivaler a um “cancelar”, tomando-o como um “aceitar”.

Nessa altura escrevemos muito sobre esse assunto, uma vez que a decisão do upgrade estava viciada, e o utilizador não tinha verdadeiro controlo sobre ela. A Microsoft forçava-a e quando questionava, enganava o utilizador para forçar o upgrade.

Ora bem, ao que parece estas tácticas não acabaram… e agora vão passar para o Office 365!

Aqui a situação é um pouco diferente, uma vez que não se trata de nenhum upgrade. O que se vai passar é que com a nova versão do Office 365 Pro Plus, a Microsoft vai passar a instalar uma extensão no Chrome.



Mas o que tem o Office a ver com o Chrome? Na realidade nada… o Office é uma coisa, o Chrome é outra! Mas a Microsoft está a perder a guerra dos motores de pesquisa com a Google, e o seu Bing está a perder cada vez mais utilizadores. Daí que a Microsoft resolveu recorrer a este subterfúgio para obrigar as pessoas a usar o Bing. A extensão que instala no Chrome não faz mais do que mudar o motor de pesquisa por defeito para o Bing, em vez do Google.

A instalação da extensão não é opcional, e só não ocorre se o utilizador já tiver o Bing definido como motor de pesquisa. A coisa é dada como sendo de grande interesse para os utilizadores do Office, uma vez que o Microsoft search é considerado parte do Office.

Tudo isto foi anunciado oficialmente pela Microsoft, neste link.

Ora não só isto é uma posição abusiva, como quem já usou o Bing poderá facilmente confirmar, remover o Google para se usar o Bing é literalmente “andar de cavalo para burro” no que toca à qualidade das pesquisas.

Curiosamente, a Microsoft em vez de colocar uma opção para não se instalar a extensão, fornece informação sobre como remover a extensão do Chrome. Algo que terá de ser feito manualmente em cada um dos computadores, e algo que terá enormes implicações no seio de grandes empresas.



error: Conteúdo protegido