Microsoft desinveste na E3?

Mesmo ignorando-se a Xbox One, a Microsoft tem a Scorpio à porta! No entanto na E3 deste ano, a Microsoft tem o stand mais pequeno desde 2011. O que se passa?

2017 foi claramente um ano de menor investimento da Microsoft na sua consola. Tal é claramente visível no alinhamento de exclusivos para o presente ano, e agora igualmente visível no stand que a Microsoft reservou na E3, e que é o menor que possuiu desde o lançamento da sua Xbox One!

A E3 é uma referência mundial a nível de videojogos. É não só a maior feira dedicada aos videojogos, como igualmente aquela que tem maior projecção. E aqui, desde à alguns anos que a ala Oeste se tornou numa referência. É ali que os três grandes se encontram, e é ali onde a maior parte dos visitantes converge.

No entanto, a coisa nem sempre foi assim. A Microsoft não tinha tradicionalmente um stand ao nível dos da Sony ou Nintendo, tendo corrigido a situação em 2012 e especialmente em 2013, altura em que, com o lançamento da Xbox One, a Microsoft resolveu mostrar aos visitantes da feira a sua importância, criando um dos três mega stands da E3, todos situados na ala Oeste.

Vamos ver a disposição dos stands desde 2009 até á presente data! Note-se que apesar das referências às dimensões que se seguem, as imagens das diversas alas não estão à escala. Nesse sentido o ideal é colocar uma planta geral do Los Angeles Exibition Center antes do início, para terem uma ideia das reais proporções das alas.



2009

Em 2009 a ala Oeste era já a que possuía os maiores stands da feira, com a Sony a dominar a mesma, logo seguida da Nintendo e Activision. Vejamos:

A Sony era nesta altura a única que ocupava dois dos stands disponíveis na ala Oeste. Aqui está igualmente o grande pavilhão da Nintendo, e um outro da Activision.

A Microsoft encontrava-se na ala Sul, junto com as restantes empresas:

2010

Em 2010, a situação não se alterou muito, com excepção que começamos a ver a ala Oeste a tornar-se uma referência dos grandes. Os dois maiores pavilhões estavam ali, com a Sony e a Nintendo, tendo a Activision desistido do seu pavilhão.

A Microsoft mantinha-se na ala Sul, no meio de todos os outros.

2011

Este ano foi marcado pelo crescimento dos stands da Sony e da Nintendo na ala Oeste. Estes mantiveram-se como os maiores, mas agora usando cada um deles mais espaço!

Era o reconhecimento cada vez mais claro da importância desta feira.

A Microsoft neste ano manteve-se sem crescer, apesar do sucesso da sua Xbox 360. E manteve-se na ala sul!

2012

2012 marca o ano em que a Microsoft se resolve juntar à Sony e à Nintendo, criando na ala oeste o triunvirato Sony, Microsoft Nintendo. A ala Oeste fica conhecida como a ala dos grandes, e um local de visita obrigatória.

O stand da Microsoft cresce igualmente em dimensão, tornando-se no terceiro maior da feira.

Note-se que apesar de a imagem não mostrar, indicando os locais como Aveilable, a Microsoft ficou ainda com o lugar 4030, a Sony com o lugar 4144 e a Nintendo com o lugar 5244.



Sony, Microsoft e ao fundo, Nintendo.

2013

2013 não mostrou alterações de maior nos stands dos três grandes, com as alterações desta ala a ocorrerem basicamente no restante espaço. Este foi o ano do lançamento da PS4 e Xbox One.

 

2014

em 2014 a Sony Online Entertainment deixou de existir no domínio dos videojogos, tendo cedido o seu espaço. Em compensação o lugar 4044 anteriormente reservado foi adquirido pela Sony, assim como o lugar 5644, igualmente anteriormente reservado foi adquirido pela Nintendo.

A Microsoft manteve o seu stand.

2015

Sem alterações face a 2014, os três grandes mantiveram os seus espaços

2016

Basicamente a evolução dos stands estagnou mais uma vez. Os três grandes apresentam um espaço consolidado na ala que as pessoas se habituaram a definir como a dos três grandes, mas a Microsoft aumentou o seu espaço com a cabine 4000 (no seu lado esquerdo a cinza).

Em todo o historial da feira, os três grandes mantiveram sempre, ou até aumentaram os seus espaços.

 

2017

2017 marca várias situações de novidade, sendo que a mais relevante é a da Microsoft.

A Sony, mais uma vez, alarga o seu stand, ocupando espaço anteriormente da Microsoft, e expande-se igualmente para o topo para a zona de alimentação, ficando com o seu maior stand de sempre.

Mas o mais notório é que a Microsoft… desaparece da ala Oeste.

 

Incompreensivelmente a Microsoft sai da já conhecida ala dos grandes, e volta para a ala Sul. E, comparativamente, com um stand novamente de reduzidas dimensões, tal como tinha em 2011.

 

Naturalmente esta situação dá o que pensar. Numa altura em que seria expectável ver a sua Xbox One num pico de suporte, a mesma sofre de títulos exclusivos face á oferta da concorrência. Sem soluções à vista, a Microsoft passa no entanto a ideia que de nada há a temer, insistindo no novo hardware da sua nova consola Scorpio. Agora na E3, e após vários anos na ala Oeste, e contrariando a tendência de crescimento normal, a Microsoft volta agora a um stand tradicional de pequenas dimensões, abandonando a ala Oeste.

Comparativamente, a Sony tem agora um stand com 3 484 m^2, a Nintendo possui 2 973 m^2 e a Microsoft 1394 m^2, descendo dos 2 595 m^2 dos anos anteriores.

Diga-se no mínimo que somando tudo o que se tem vindo a verificar, a Microsoft passa uma imagem muito pouco segura de si mesma às pessoas. Como diz o ditado, “À mulher de Cesar, não basta ser séria, há que parecer séria”, e a Microsoft, em diversos aspectos, tem falhado redondamente na passagem de uma imagem de suporte e apoio incondicional à sua consola.

Com a Scorpio à porta a Microsoft tem de ter consciência que não lhe basta acenar com especificações. Há que se cativar o público, e oferecer suporte a nível de jogos exclusivos, algo que a Microsoft este ano não tem em quantidade ou qualidade capaz de competir com a concorrência, e de acordo com os cortes no seu stand, não parece ter igualmente nada previsto para o futuro próximo que a empresa ache que será capaz de cativar grandes multidões.

O que para uma empresa que pretende lançar uma consola nova ainda este ano, apresentando-a aqui neste feira, é sinceramente algo bastante estranho.

Mas vamos aguardar e ver as apresentações, que é o que conta para a maioria das pessoas… Para já fica apenas a estranheza neste corte, pois mesmo sabendo-se que a Microsoft criará uma Xbox Fanfest pós E3, isso é algo para os seus fans, não para cativar novos clientes, e não tem, nem de longe, nem de perto, a projecção de uma E3.





Posts Relacionados